GP - Brasil 3x0 Rússia



Mesmo sem Kosheleva, esperava que a partida contra a Rússia fosse mais desafiadora para o Brasil. 

Sem a ponteira, a seleção russa ficou sem estrutura no fundo e sem uma companhia no ataque para a Goncharova. A líbero Malova e a ponta Shcherban tiveram trabalho para esconder as duas opostos de origem (Goncharova e Malykh) que se revezavam na recepção. O Brasil demorou a se aproveitar disso, mas quando o fez, direcionando o saque para as “zonas de conflito”, a Rússia se desmanchou e se perdeu em erros.

Sorte nossa que a estratégia russa foi testar a Léia na recepção no início da partida. Segura, a nossa líbero deixou que Garay e Natália não tivessem que lidar com qualquer pressão no passe – só com os levantamentos estranhos da Dani Lins... Quando a Rússia finalmente testou-as, Garay e Natália responderam bem.

A Dani demorou um pouquinho para colocar as centrais no jogo, principalmente a Fabiana. Quando as colocou, nossas pontas agradeceram pelos bloqueios quebrados que enfrentaram. No ataque pelas pontas, Sheilla foi muito bem. Nossa oposto gosta de jogar contra a Rússia, né?


*****************************
Aquele time que não parecia time, mas sim um amontoado de jogadoras parece que ficou pela fase classificatória. Digo “parece” porque nunca se sabe se o espírito do Osasco não pode baixar novamente na seleção quando ela enfrentar China e Estados Unidos. Infelizmente, ao que tudo indica, a China não irá se classificar para as semifinais do GP. A China B seria muito mais interessante de enfrentar do que a Holanda.

De qualquer forma, o Brasil tem mostrado mais força de conjunto, que é o que se espera dele para compensar a falta de individualidades fortes e decisivas. Porém, ainda acho que a seleção está com um repertório de jogadas muito pobre. Não sei se não registrei na memória ou se faz tempo mesmo que a Fabiana não é acionada na china. O fundo meio com a Garay ou é pouco acionado ou não funciona.

As poucas variações, aparecerem e desaparecem a depender dos jogos, o que faz com que não saiam com a naturalidade e precisão necessárias. Isso acontece em primeiro lugar pelo nosso passe, que precisa dar uma regularidade para a Dani – o que se foi acontecer agora na fase final (e por enquanto). Mas a nossa levantadora também precisa ser mais criativa e confiar na sua habilidade.

Os contra-ataques são um exemplo. Hoje a Dani até jogou mais com as centrais, mas ela tem optado ultimamente pela bola simples na “ponta para onde aponta o nariz”. Ela tem habilidade para forçar um primeiro tempo mesmo com aqueles passes de contra-ataque que saem da rede. Ela tem habilidade para surpreender. 


*****************************

Mais GP

- No outro grupo da fase final do GP, vitória da Holanda sobre a China por 3x2. As equipes se assemelharam no volume de jogo e nos problemas de recepção, mas o que fez a diferença foi o bloqueio e o aproveitamento levemente superior das atacantes holandesas. Sloetjes roubou a cena com 25 pontos de ataque e cinco de bloqueio.

Comentários

Isa Costa disse…
O que a Dani mais faz é china com a Fabiana, essa jogada não tem funcionado mais, Fabizona sempre leva toco, talvez a Dani tenha parado um pouco justamente por isso.

Tive que me ausentar do sofá algumas vezes hoje infelizmente e não vi 100% do jogo, não teve inversão 5x1?

Gostei da postura agressiva hoje, nosso time cresce contra grandes rivais, Sheilla odeia as russas e americanas e resolve aparecer contra elas. Acredito que temos chance sim de ganhar dos EUA.

Alguém ainda duvida da superioridade da Léia?

Dani tá bem ruim heim, assim não dá, sempre gostei e defendi, mas se até eu estou vendo que ela só faz levantamento podre para as pontas é porque tá ruim mesmo.
Jonas M.B disse…
Já falei, Léia está superior no momento. Quem quer a Brait pela animação que a chame para líder de torcida e não líbero.
L. Mesquita disse…
A Kosheleva nao faz falta nenhuma nos fundamentos de fundo de quadra, o forte dela e ataque e bloqueio. A surra na Russia foi enorme, mesmo com Dani Lins jogando mal, com direito a set de 25:10. O que adianta a Russia so ter altura, ataque e bloqueio se o fundo de quadra e fraco? Provavelmente as russas perderao p/as tailandesas.
Unknown disse…
Desse jogo de hoje quase nada pode ser concluído, a menos que o conjunto da SFV está melhor.
Rússia, para nosso azar, não entrou em quadra. Digo azar porque seria bom passar sufoco no jogo, mas o que vimos foi um passeio no parque.
O saque russo foi de treinamento de time juvenil. O bloqueio não entendeu o que estava acontecendo do outro lado. O ataque estava estranhamente impaciente e perdido. E, claro, o passe foi mal como na maioria das vezes.
Arrisco dizer que Rússia de hoje teria perdido de qualquer um dos times que lá estão nas finais.
Concordo que a Dani esteja a uns 60% do que ela pode, falta precisão nos contra ataques, a distribuição poderia ser menos previsível e, talvez a comunicação em quadra precisa ser mais assumida por ela. Em quadra ela deveria tomar mais a frente. Bem, eu torço pra que seja de propósito, porque senão vai ser duro no Rio.
Agora, a melhora no conjunto da SFV é perceptível, e isso passa pela estabilidade no passe. E atribuo isso à sensível melhora da Garay e Natália nesse aspecto, e não às liberos, seja Leia ou Brait. Dentre estas duas, eu não tenho receio de nenhuma delas, ambas são boas na função. Este é o menor dos problemas.

O Brasil ainda precisa melhorar, essa vitória nao pode mascarar o que ainda tem espaço pra melhorar. E creio que a CT sabe disso, só não sei se eles vão encontrar alternativas nesses vinte e poucos dias.

O Brasil do Rio creio que vai ser o do volume de jogo. E para isso, talvez a CT tenda por levar mesmo 3 centrais, e uma ponteira/oposta para entrar na inversão, com características similares à Sheilla, velocidade e habilidade nos golpes, e especialmente boa na defesa. Quem?
A outra levantadora... Roberta que se prepare psicologicamente, porque é bem provável que Fabiola não consiga entrar em ritmo de competição a tempo. Não me preocupo se a dupla for Dani/Roberta. Esta última saca bem, tem boa postura na defesa e no levantamento não compromete.
Joffre Neves disse…
Esperava que a Rússia fosse jogar melhor hoje,gostei da postura do Brasil e hoje foi a melhor apresentação no GP sem dúvidas alguma,a sheila hoje pontuou bem e a thaísa me surpreendeu bastante contra a rússia porque ela estava aquém nos jogos anteriores,vi e pra mim hoje a léia já está garantida nas olimpíadas: está no conjunto muito melhor a Brait com toda a certeza e eu a levaria, a natália foi bem e em certos momentos queria que a dani levantasse bola pra ela mais vezes. A Natália foi eficiente ,garay contra praticamente o seu ex time se soltou mais até mesmo no passe...Melhorou bastante nestes últimos dois jogos porém,ainda não estou gostando do levantamento da dani :/ e achei que ela pode explorar mais a fabiana,no sesi com passe z ela fazia chinas com a fabi porque só ela botava a bola no chão e a rede parava de empacar.Jaque fez um ataque lindo com o passe quebrado em cima dela.Senti falta de novas jogadas,desmico com a garay é interessante a a fabíola já fez no mundial de 2012,garay também na bola meio fundo sempre é interessante e em Londres foi uma das jogadas mais bonitas a meu ver quando a dani levantou essa bola após uma defesa da fabizinha,china com a fabi mesmo que ela esteja sendo amortecida,bloqueada e defendida mais é sempre uma boa jogada e inclusive determinou a eliminação russa em Londres,sheila e natália tem bolas meio fundo muito especiais e a dani pode e deve explorar essa qualidade delas...A tendência é que elas treinem mais e essas jogadas sejam mais eficientes.
L. Mesquita disse…
Sempre achei que o adversário mais perigoso e traiçoeiro do grupo do Brasil na Olimpíada é a Korea de todas a Kim's. A Kim líbero, a Kim oposta, a Kim central e é óbvio, a mais famosa delas, a Kim ponteira-passadora MVP Olímpica. De 2012 para 2016, o time da Korea evoluiu e não depende tanto da Kim Yeon Koung como dependia em Londres quando fez 3x0 no Brasil. A oposta Kim Hee-Jin era uma central que virou oposta à la Muserskiy na Rússia, essa oposta é uma excelente bloqueadora e tem pontuado muito no ataque também dividindo a responsabilidade com a Kim Yeon-Koung na pontuação. A central Kim Su-Ji é outra novidade no time da Korea em relação a 2012, rápida no deslocamento de bloqueio e muito boa sacadora. As líberos da Korea são um show à parte, Kim Hae-Ran e Nam Jie-Youn costumam jogar revezando entre si. Assim como o Japão, acho provável que a Korea também venha com duas líberos para a Olimpíada. A Korea despreza o Grand Prix, prefere ficar treinado focada na Olimpíada. No Pré-olímpico Mundial, o técnico Lee Jung-Chul jogou com o regulamento debaixo do braço para se classificar e testou todas as suas jogadoras reservas, nas partidas contra o Kazaquistão e a Rep.Dominicana ele pôs todas as reservas p/jogar. A Korea de 2016 não é tão dependente só de uma jogadora, apresenta mais conjunto e, portanto, são mais perigosas e estão que nem mineiro, querendo comer quieto, pelas beiradas, sem chamar muita atenção no cenário mundial para dar tudo na Olimpíada.
Joffre Neves disse…
http://www.toflyvolleyball.com/2016/05/coreia-do-sul-define-lista-final-dos.html
L.mesquita.
Johnny disse…
Eu acho que o jogo de hoje não serve como modelo, pois a Rússia sem a Kosheleva não é a mesma Rússia. Com Kosheleva e Goncharova juntas atacando, além de Irina Zariasko e Irina Fetisova bloqueando, o time fica bem mais forte. Por exemplo, na última Copa do Mundo, a Rússia fez 3x0 nos EUA.
Tenho para mim que na Olimpíada não será a mesma coisa e isso é uma pena, pois o jogo de hoje seria um teste importante para chegarmos nos jogos sabendo o potencial do adversário.
Também acho que Dani Lins está péssima no levantamento, pois as jogadas estão todas marcadas, sem variação nenhuma. Fora a quantidade de levantamentos errados nas bolas de ponta...
Dani Lins eu nem comento mais porque só piora a angústia de todos kkkk
Se Fabíola tivesse tido 3 ou 4 meses de recuperação, eu acho que até daria, mas a jogadora ter 50 dias só de preparação física. Isso é milagre né!
Se eu fosse Zé Roberto já preparava bem a cabeça da Roberta para jogar as Olimpíadas, porque vai precisar de muito sangue frio para enfrentar os jogos difíceis...
Se Fabíola não for (é o que está parecendo), a Roberta vai ter que segurar o rojão e aí que vamos ver onde a experiência pesa ou não pesa...
Na final desse Grand Prix quero ver Brasil e EUA para saber o quanto estamos ruins ou o quanto estamos bem. Melhor saber agora, porque ainda tem uns 20 e poucos dias para criar uma estratégia ou seja o que Deus quiser kkkk
Renato Santos disse…
A Leia esta na frente da Brait e tem que ir para a olimpiada. Ela jogou bem contra a China e Russia. Eu gosto da Brait, mas ela precisa ser cortada.
A Russia jogou muito mal hoje e a Kosheleva fez falta, o time sem ela é um e com ela é outro. A Goncharova jogou bem, mas ela não aguenta sozinha e sem a sua companheira de ataque.
O Brasil evoluiu bastante desde aquela dolorosa derrota para a China, mas ainda estamos abaixo da China e Eua. Essas duas equipes serão as mais favoritas na olimpiada.
Eu particularmente temo muito a equipe Americana pelo fato de terem o melhor conjunto do planeta e um técnico brilhante, mas elas não são imbatíveis.
Falta para o Brasil uma oposta carregadora de piano já que a Tandara é dúvida, por isso a Paula Borgo deveria ser convocada pra ontem.
A Dani vive altos e baixos, por isso a esperança era a Fabíola, mas duvido muito que ela se recupere em tão pouco tempo. A Roberta vai fazer o arroz com feijão, mas se a Dani não der conta no Rio, a Roberta também não dará por falta de experiência.
L. Mesquita disse…
Fabíola não tem só 50 dias de preparação física. Ela se preparou fisicamente durante a gravidez inteira. O problema da Fabíola não é físico. Ela só precisa mesmo é entrar em quadra e jogar. Ninguém esquece de jogar vôlei. A Isabel, musa da década de 80, teve nada mais nada menos que seis (6) filhos enquanto jogava voleibol e sempre se recuperou rapidíssimo e voltava logo às quadras, pois se cuidava para não engordar muito e manter a forma física. Fabíola se cuidou e treinou fisicamente durante toda a gravidez e vai estar pronta p/a Olimpíada, com certeza.
L. Mesquita disse…
Joffre Neves, valeu mesmo pela informação!!! Como eu pensava, a Korea vai mesmo com as 2 líberos para a Olimpíada, obrigado pela dica!!!
Levantadoras: Hyo-Hee Lee (Expressway) e Hye-Seon Yeum (Hyundai)
Opostas: Hee-Jin Kim (IBK), Youn-Joo Hwang (Hyundai E&C)
Ponteiras: Yeon-Koung Kim (Fenerbache), Jae-Yeong Lee (Heungkuk), Jeong-Ah Park (IBK)
Centrais: Hyo-Jin Yang (Hyundai), Su-Ji Kim (Heungkuk), Yoo-Na Bae (Expressway)
Liberos: Hae-Ran Kim (KGC), Jie-Youn Nam (IBK)
Vicente Maia disse…
Eu não comentei o jogo anterior, mas gostei bastante do Brasil nessa fase do Grand Prix. Dois problemas principais, passe e ataque melhoraram bastante.
Hoje, em especial, as duas jogadoras que mais me desapontaram, pelas atuações anteriores, se redimiram. Sheilla foi a melhor jogadora da partida e fiquei assistindo aquilo sem acreditar. Thaísa, que é sim a central ideal para jogar contra a Rússia, foi muito bem no ataque, e também no bloqueio, especialmente a partir do segundo set quando o Brasil encontrou o caminho para parar o ataque da Rússia. Hoje o Brasil ganhou pelos seus méritos, pois soube anular completamente o time da Rússia. O saque brasileiro destruiu o passe adversário, enquanto o nosso estava muito bem obrigado, erramos pouco, nossas atacantes foram muito eficientes e isso foi pouco a pouco minando a confiança das russas. As jogadoras hoje se comportaram como um grupo, que é o ponto forte do Brasil, e todas foram muito bem quando solicitadas.
Apesar das críticas corriqueiras à atuação da Dani Lins, eu gosto muito do voleibol dela. E hoje ela distribuiu muito mais uniformemente as bolas.
Natália continua em ascensão e foi muito bem no ataque evitando enfrentar o alto bloqueio russo.
Fê Garay foi uma grata surpresa, se recuperou plenamente na recepção e derrubando bolas. Suas companheiras de ex-clube é que não devem ter gostado. :)
Thaísa fez uma boa partida no ataque e deixou as russas encabuladas com aquelas enterradas na frente. Foi bem também no bloqueio que é a sua principal função. Fabizona teve uma atuação mais discreta, embora não tenha comprometido.
Sheilla foi de longe a jogadora que mais me surpreendeu. Parecia que eu estava em Londres. Acabou com o jogo e foi, pra mim, a melhor em quadra. A impressão que se tem é que, contra a Rússia, a mulher se desdobra. Hoje ela foi a Fênix que renasceu das cinzas.
A cada partida, a Léia se consolida mais. Hoje eu lembro dela ter errado uma bola. Esteve praticamente impecável na recepção e na defesa. Eu nunca fui muito favorável a Léia ser a líbero da seleção, pois aquelas duas contusões sozinha, na seleção e no Minas, não me saem da memória, mas está à cada partida mais difícil justificar a sua ausência nas olimpíadas.
Tandara está oficialmente cortada e a publicidade disso se dará depois do Grand Prix, pelo menos é o que se veicula nos bastidores. A desculpa será que ela não tem condições de se recuperar da contusão a tempo. É dada como certa a convocação para a fase final de preparação de outra jogadora, que certamente deve ser Paula. Também se especula que haverá outro corte, que suponho seja de Mari Paraíba.
Fabíola e Adenízia devem ser cortadas somente na convocação final tendo em vista que a primeira não apresenta condições físicas necessárias para jogar voleibol em alto nível e a segunda perdeu a corrida para Juciely que será a terceira central. Mas essas últimas são apenas suposições da minha parte.
George disse…
Foi um jogo de conjunto, até que enfim. Uma ressalva pros levantamentos de contra ataque da Dani. Não apenas hoje, mas em outros jogos, vejo ela fazendo o levantamento para meio fundo que não está vindo. Não sei se é falta de comunicação, mas tem que haver esses ajustes, essa bola não pode ficar sendo levantada pra ninguém.
De resto, um jogo bom de assistir. Um passeio no segundo set com vários aces. Quanto a recepção russa, seria isso mesmo, a tendência é ser esse horror nas olimpiadas. Mas com Kosheleva o ataque estaria bem melhor. Fico me perguntando a gravidade dessa lesão pra tirá-la de toda fase final. O time ficou descaracterizado e, sendo realista, depende inteiramente da Goncha, mesmo caso da Sloetjes. É só uma delas não ir bem que o time leva um sacode. Por isto, acho que o posto de 1º ou 2º no grupo A pode estar comprometido para as russas, o que é uma má notícia, uma vez que pegariam Eua ou China já nas quartas.
Diego Bispo disse…
Boa noite!

Vou começar falando da Russia, como um técnico que tem muitas atletas pode montar um time tão horrível. Ás vezes, acho que as atletas da Russia também não vão muito com cara dele. A meu ver, a levantadora titular da Russia deveria ser Startseva. De todas as levantadoras da Russia, ela é a melhor. Sem duvida, ela no banco os adversários agradecem. A Russia, me lembra o Brasil entre 2008 e 2012 que não tinha uma levantadora absoluta. Será interessante ver este país nas olimpíadas!

Sobre o Brasil, o Zé já tem o time na cabeça. Jacque, só vai entrar para quando o Brasil estiver em jogos mais complicados. Gostaria de ver Jacqueline e Natália juntas, mas entendo a Garay no time como uma forma de força nas bolas altas. Jacque não precisa ser testada. E Sheila sempre aparece em momentos decisivos! Eu levaria quatro centrais ou duas líberos, o zé não vai testar outra oposta agora.

Temos que rezar para Dani, estar bem durante todos os jogos das olimpíadas. Pois, o zé não coloca muito a Roberta e a Fabiola não vai salvar a pátria. Eu gostaria de ver a Dani do Sesi, que não tinha muitas opções e criava! quando ela tem opções, ela fica presa e obvia.

Leia está jogando muito. Mas, eu levaria a Brait pela experiência.
Luiz Felipe disse…
Será que o ZRG terá coragem de cortar a Brait para levar a Leia? Tomara - devem ir as melhores.

No mais, discordo que fazer uma semifinal de GP contra a China B seja melhor que contra uma Holanda A. Analisando os possíveis cruzamentos durante as quartas de final dos JOs, creio bastante possível um jogo Brasil X Holanda.
Alysson Barros disse…
Léia fez uma partida excelente contra Rússia. Camila Brait não fez nada de mais na partida contra Tailândia. O primeiro set dela foi simplesmente perfeito. Depois, errou quatro passes, porém todos deram condições de ataque para as extremidades, sendo que três deles foram convertidos em pontos e apenas um não. Brait além de quinar passe ainda toma ace. Léia não tomou nenhum ace direto.

Sheilla nasceu para jogar contra as russas mesmo, como disse o comentarista.

Natália e Garay ainda cometem bizonhices na mesma medida em que fazem pontos belos. Fora o passe de ambas que é deficitário. Jaqueline entrou e quinou horrores também. Porém o passe foi muito bom a maior parte da partida. Será influência da Léia? Se as pessoas preferem pulinhos de alegria e piruetas, eu prefiro alguém séria e compenetrada como a Léia. A "falta de vibração" ou "frieza" dela não me incomodam. Ela entrega um serviço muito bem feito.

Thaísa finalmente decidiu jogar. Estava na hora. Porém... Seu saque continua amador e pífio. O que houve que não consegue mais ter consistência nesse fundamento?

Dani Lins dando os vacilos de sempre, mas ela é o que temos de melhor. Roberta entrou e errou. Ainda acho que a Nayane deveria estar aspirando esse clima pré-olímpico.

Fabiana precisa mostrar serviço.

Nada melhor do que dar 3x0 nessas russas. Acho válido Brasil soltar o jogo nas finais do GP. Foi assim em 2008. O massacre se iniciou justamente nesse período. Nas Olimpíadas as outras seleções estavam tremendo nas bases. Citando a Mari: foi como bater em bêbado. Bem isso.

Que venham jogos assim a partir de agora. Não há motivo para esconder nada.

Parabéns às meninas pela grande partida. Merecem todos os elogios quando trabalham decentemente.
Ander disse…
Ótimo jogo das meninas!!😀 Zé Roberto e as meninas calando a boca de muitos!!😂😂😂 A Rússia se não melhorar o passe vai dar vexame no Rio,mesmo com a Koshe!!😞😞 Hoje Natália e Sheila acabaram com o Jogo!! A Goncha nem provocou hahaha A Léia foi muito bem,mas fico ainda com a Brait,pela experiência!! Quero Dani e Fabíola no Rio!! Aguardemos nosso adversário na semi!! Boa Sorte Meninas e Zé,sempre torço para vcs!!! Ander😀
Ander disse…
Ótimo jogo das meninas!!😀 Zé Roberto e as meninas calando a boca de muitos!!😂😂😂 A Rússia se não melhorar o passe vai dar vexame no Rio,mesmo com a Koshe!!😞😞 Hoje Natália e Sheila acabaram com o Jogo!! A Goncha nem provocou hahaha A Léia foi muito bem,mas fico ainda com a Brait,pela experiência!! Quero Dani e Fabíola no Rio!! Aguardemos nosso adversário na semi!! Boa Sorte Meninas e Zé,sempre torço para vcs!!! Ander😀
Alysson Barros disse…
Esqueci: quanto à Gabi de oposta... Bem... Sem comentários. Deve ser porque Tandara já está cortada. Porém se Sheilla começar a jogar como foi hoje, não vamos mais ter essa preocupação.

Coitada é da Mari Paraíba, que foi a única que não fez nada. Se Tandara, possivelmente cortada, pode jogar, por que não ela? Não dá pra entender.
raphael martins disse…
Com o Brasil novamente recuperando o alto nível, penso que só a seleção americana é de fato capaz de calar o maracanãzinho, sustentada pela experiência e resiliência de duas finais olímpicas consecutivas perdidas e um campeonato mundial, daí que a China B acaba tendo a meu ver importância secundária, mesmo porque o estilo brasileiro, quando efetivamente rende repito, se encaixa muito bem diante das escolas asiáticas em geral.

Esta final de Grand Prix que se vislumbra vai ser de arrepiar e uma verdadeira simulação do que teremos de enfrentar pelo tri-olímpico.
raphael martins disse…
E aos detratores da Sheilla, que por sinal silenciaram sobre a mesma por aqui agora, terminou uma partida a la meio fundo de Londres e com sua melhor performance, em alto nível, justamente contra o tradicionalíssimo e poderoso bloqueio russo. Desacreditadas é que nossas meninas se superam!!!
Renato Santos disse…
As pessoas reclamam das criticas que a SFV levou dos torcedores, mas as criticas foram necessárias sim. Afinal se perder de virada para a Sérvia, de 3x0 humilhante para a China e um set de 25x11 para a Bélgica não for motivo para criticar, aplaudir que não será né.
A Russia não agrediu no saque, por isso a Dani conseguiu fazer uma boa distribuição e jogar com velocidade, mas quando pegarem a China ou EUA que tem um saque superior ai veremos como está o passe da seleção Brasileira e os outros fundamentos.
Quem quiser ser campeão no Rio terá que passar pelas Americanas, pois querendo as pessoas ou não é a melhor seleção do mundo e o time a ser batido.
Abraão disse…
Nao Renato Santos. Quem quiser ser campeão olímpico no rio terá de arrancar as medalhas do pescoço das nossas! Os dois últimos títulos olímpicos nos pertecem! E temos imagens para provar! As americanas ainda não tem nada! Podem ser badaladas como as grandes favoritas e tal, mas assim também o eram há quatro anos atras. E como terminou essa história? Ah sim! Com um sonoro rufar de tambores, digo de pódios em território londrino.
Renato Santos disse…
Não Abrão, quem quiser ganhar o ouro no Rio terá que vencer as Americanas porque elas possuem o melhor time do mundo atualmente. O Brasil terá a torcida a favor e somos o atual time bicampeão olímpico, mas não somos mais a melhor seleção.
Dizer que as Americanas não tem nada é falta de informação, elas foram campeãs mundiais com direito a um 3x0 avassalador sobre o Brasil completo na semi-final do mundial e se vingaram da derrota de Londres.
Joffre Neves disse…
Renato,as americanas meteram 3x0 no Brasil sim mas aquele jogo foi atípico mesmo.Se fosse por pontos o Brasil seria campeão com sobras e pra ser mais atípico mesmo a china com um time menos rodado foi finalista depois de quase ser eliminado pela república dominicana...Não acho tudo isso das americanas,temos time e a tendência é só melhorar,o time americano de 2012 era bem melhor a esse e não levou o ouro mesmo com uma oposta na época fora de série com a Hooker!Acho que o Abraão quis dizer que as americanas não tinham mais história e títulos como a seleção brasileira e não que elas não tivessem ganho nada em sua história.
Abraão disse…
No mundial de 2014 estava na porta do ginásio em Milão esperando minha vez de entrar para assistir a semifinal. Em certo momento apareceu um senhor grisalho com os ingressos de uma fila de cadeiras privilegiada, ficaríamos quase no mesmo nível das atletas atras da cadeira do juiz. Os ingressos, digo as cadeiras que eu havia comprado para assistir as semifinais entre Brasil e Estados Unidos, não eram das melhores. Os ingressos de que dispunha o senhor eram para o jogo da final. Eram tao bons, mesmo assim eu relutava em compra-los. O homem entao insistiu e la pelas tantas me fez a pergunta: " Sei Braziliano?" Eu respondi que sim. Entao ele começou a vociferar contra mim dizendo: O que esta esperando para comprar os ingressos? Entao não sabes que o Brasil seguramente estará na final? Oras! O que eu quero dizer com isso? Exatamente! O Brasil era considerado o melhor time do mundo em 2014. Até que as americanas vieram e nos derrotaram. Ate os vendedores de ingresso diziam que ninguém tirava o Brasil da grande decisão. Dai vieram as americanas e tiraram o Brasil. Elas são badaladas como as melhores justamente por que derrotaram o Brasil naquela semifinal. Ou seja ser o melhor nem sempre quer dizer que este sairá de quadra com a vitória, com o título. Jogo não se ganha por status, ou de véspera, como insistia a imprensa italiana, ou o vendedor de ingressos. Jogo se ganha jogando!
L. Mesquita disse…
Que insistencia chata de dizer q EUA e favorito, q EUA e melhor. O q EUA havia ganhado a nivel Mundial a nao ser Grand Prix? O primeiro Mundial foi somente em 2014! Enquanto isso o Brasil e Bi-campeao olimpico, a China e Tetra-campea da Copa do Mundo, BI-campea olimpica e BI-campea do Mundial. Colecionar titulos de Grand Prix nao quer dizer nada! A maioria das selecoes usam o Grand Prix p/fazer testes e dar rodagem p/reservas e novatas. Selecoes enigmaticas como China, Servia e Korea estao cagando pro Grand Prix. A China mandou o time B. O tecnico servio Terzic fez questao de nao ir a fase final ao por as reservas em partidas classificatorias. A Korea entao, nem fez questao de participar do Grand Prix. So mesmo EUA e Brasil dao muita importancia a titulo de Grand Prix. Acontece q o EUA tem Zero Ouros Olompicos e Zero Ouros de Copa do Mundo e novamente vai peidar na farofa em 2016. Tenho certeza q EUA nao sera Campeao Olimpico em 2016!
raphael martins disse…
Li um questionamento de que o Brasil é a única seleção no voleibol feminino de alto nível a manter titularidade das veteranas. Por acaso não teremos também no Rio a única geração bicampeã olímpica e ainda por cima, medalhista nos últimos três mundiais? E esse fato extraordinário e incontestável simplesmente incomoda muita gente por aí...
Johnny disse…
Eu acho que EUA estão melhores do que em Londres, porque naquela época eles dependiam muito da Destinee Hooker. Na final olímpica nosso time conseguiu parar a Hooker e ela parecia até assustada, sendo que a mesma coisa aconteceu com as outras jogadoras americanas na hora que começaram a ser atropeladas pelo Brasil. Exemplo disso é que a Jordan Larson só fez 4 pontos na final olímpica e na fase de grupos tinha feito uns 20 pontos no jogo contra o Brasil. Ou seja, o time deles naquela época apostava demais na Destinee Hooker.O Brasil acabou com os EUA na final devido ao passe deles que era deficiente com aquela líbero péssima que elas tinham, a linha de recepção horrível.
Hoje em dia vejo os EUA melhor, porque a Foluke Akinradewo melhorou demais no ataque, tanto na bola "China" como no ataque pela frente. O bloqueio dela e da Harmotto melhorou muito, está mais veloz e o ataque delas também melhorou. A Larson está com o passe bem melhor, porque evoluiu nesse quesito. Outra coisa que eu vejo é que as duas líberos dos EUA são milhões de vezes melhores do que aquela líbero que esteve em Londres, isso é fato. Então, o passe deles está bem melhor...
Quem pode ser caçada no passe é a Hill e a Robinson, pois não são boas passadoras, sendo a Hill a pior delas.
Outra coisa importante é a levantadora, pois aquela que foi em Londres era de mediana a ruim, mas a levantadora atual, Alisha Glass, tem muito mais recurso e levanta mil vezes melhor, ou seja, mais um problema para nós...
Se for analisar o conjunto, eles hoje em dia estão melhores do que em Londres, mas eles também não tem uma oposta de peso, apesar que as duas opostas deles são canhotas e se torna mais difícil marcá-las.
Eu não acho que passado ganha jogo. Os EUA estão secos para descontar as derrotas sofridas pelo Brasil e se chegarem na final eu acho q o Brasil vai ter q jogar muita bola...
Se tiver uma ajudinha divina kkk, podia os EUA cair logo na semifinal e disputar o bronze para o caminho ficar livre kkk..
Yana Souza disse…
Amigo, com todo respeito a todas as equipes, vejo o eua como um grande favorito ao ouro sim. Nenhuma equipe ta c o padrao de jogo dos eua... claro que temos outras selecoes q correm por fora, mas hj eua éo time mais forte do mundo sim. Deixemos os achismos de lado e vamos ser racionais. Yana, racional e gata... em tempo.. os eua pode ate perder numa semi, mas pra isso acontecer o adversario tera de ter umestudo rigoroso do jogo... e usar estratégias inusitadas para vence.la.. e vamos respeitar as demais equipes, e que venca o melhor, que mostre um jogo compativel para ser campeão... hummm.f
Yana Souza disse…
Amigo, com todo respeito a todas as equipes, vejo o eua como um grande favorito ao ouro sim. Nenhuma equipe ta c o padrao de jogo dos eua... claro que temos outras selecoes q correm por fora, mas hj eua éo time mais forte do mundo sim. Deixemos os achismos de lado e vamos ser racionais. Yana, racional e gata... em tempo.. os eua pode ate perder numa semi, mas pra isso acontecer o adversario tera de ter umestudo rigoroso do jogo... e usar estratégias inusitadas para vence.la.. e vamos respeitar as demais equipes, e que venca o melhor, que mostre um jogo compativel para ser campeão... hummm.f
edsantos disse…
tambem considero os EUA favorito ao ouro , acho que este time esta melhor que o de 2012, muita gente esquece da semifinal do mundial de 2014, ou diz que foi um jogo atipico, mas parece que foi tudo estudado, as americanas nao deixararm o brasil jogar , o time ficou travado em quadra,isso porque etavamos completos e tinhamos um time mais experiente e nao adiantou nada alias parece que sempre travamos contra os estados unidos nos ultimos anos , mesmo quando vencemos, a final de londres foi uma exceçao, o jogo fica meio amarrado , o placar sempre parelho,e nao vibramos muito, diferente do que contra a russia,contra elas sempre jogamos com a faca nos dentes , vibrando . contra as americanas as jogadoras ficam mais frias , apaticas , é estranho mas eu percebo isso. vamos ver se tivermos essa final no domingo ,como o brasil se comporta e vamos sentir qual a diferença entre as duas equipes
edsantos disse…
ainda falando daquela semifinal em 2014 na italia, para mim o segundo set foi o divisor de aguas no jogo, o brasil vencia por 12 x 6 , teve um problema do ze roberto com a arbitragem muita reclamaçao, o zé ficou muito nervoso e parece que desestabilizou as jogadoras, as americanas empataram o jogo, mesmo assim o brasil vencia no final por 25 x 24 a jaque teve um ataque para fechar o set e atacou para fora sem bloqueio , aí o set seguiu e as americanas viraram e fizeram 2 x 0 , depois o brasil se apagou e perdeu por 3 x 0, mas essa bola da jaque para fora foi o momento chave da partida, se fica 1 x 1 talvez o jogo seria outro no 3 set
L. Mesquita disse…
A dúvida que eu tenho é se o Zé fará como as equipes asiáticas e levará 2 líberos para a Olimpíada ou se levará 4 centrais?
O problema de oposta reserva está resolvido, Gabriela Guimarães atuará como ponteira-oposta reserva. Resta saber se o Zé ira contar também com a Adenízia atuando como central-oposta, ou se levará 2 líberos.
No mais creio que a seleção já está definida:
Centrais (3 ou 4 ???): Fabiana, Thaisa, Jucy e Adenízia como opção de central-oposta.
Ponteiras: Garay, Natália, Jack e Gabi como opção de ponteira-oposta.
Líberos (1 ou 2 ???): Leia e/ou Brait
Levantadoras: Dani e Fabíola, Roberta se for preciso...
Oposta: Sheila revezando no 5x1 com Gabi ou Adenízia...
L. Mesquita disse…
Ou seja, são 13 jogadoras e um corte terá que ser decidido entre Adenízia, Leia e Brait. Qual das 3 será cortada da Olimpíada? Qualquer delas que seja cortada será um corte doloroso, pois pra mim as 3 mereciam estar lá. Pena que na Olimpíada, ao contrário da Copa do Mundo, só se pode levar 12 jogadoras e não 14.
Isa Costa disse…
Levantadoras: Dani e Roberta.
Centrais: Fabi, Thaisa e Jucy.
Opostas: Sheilla e (???).
Ponteiras: Jaque, Garay, Nat e Gabi.
Líbero: Léia.

Cortes: Adenízia, Fabíola, Mari Pb, Tandara e Camila Brait.
Joffre Neves disse…
Tenho lá minhas dúvidas sobre a gabi na saída de rede,naquela ocasião foi devida a lesão da tandara a mim o zé não seria precipitado em botar uma jogadora mais baixa ainda que a sheila na saída de rede contra equipes altas ou até mesmo baixas com o passe ainda não no limiar bom ainda.Acho que o zé está mais dando chances a Jucy porque ele quer levar a Adê pra aumentar a rede contra equipes um pouco mais altas como a Holanda por exemplo e mesmo assim a adê tem correspondido bem quando entra então acho que o zé leva 4 meios de rede e corta a Leia porque a mesma não tem tanta voz assim...Ela é mais na dela e não tão explosiva quanto a Brait mas a meu ver a Leia está melhor a brait até no passe vou mentir não.Acho que fica Dani e roberta/torres gemeas,jucy e ade/sheila e natalia(escrita como oposta porém vai assumir o passe )/jaque,gabi e garay/brait.Provavelmente mesmo a leia melhor,o ze vai apontar que a brait tem mais experiência e cortar a mesma,tandara nao foi bem na saida de rede e deveria ser testada na ponta mas ja que ele tanto a quer que ela fosse assumir mais ataque e nao correspondeu ela vai ser cortada eu acho,mari pb nem foi chamada pra sacar então já tá cortada e a Fabíola acho que não se recupera a tempo se a mesma conseguir fazer essa façanha a vaga é dela.
Isa Costa disse…
O ZR disse que vai consultar a CT e as jogadoras antes de decidir entre Léia e Camila, disse que Léia é melhor no passe e Brait na defesa, mas disse uma coisa que me deixou com a impressão de estar fazendo pouco caso da Léia. Disse que a Léia é mais constante no passe mas que tinha outras opções no time capazes de exercer bem essa função também, tipo, se o passe não sair chama a Jaque e pronto, que o mais importante era a defesa e nisso a Camila era melhor.

Se for consultar CT e time é a Brait que vai porque faz parte da panela. Não quero Adenízia e Brait, experiência e animação não ganham jogo, o que ganha é a capacidade de fazer melhor no momento certo, ou seja, tem que levar quem tá no auge ou em ascensão, atleta decadente que vive de passado já contribuiu, obrigada, agora dê espaço para quem está melhor e nunca foi a uma olimpíada por favor.
Jonas M.B disse…
Adenízia contribuir? Quando? Risos. Jogadora meia boca. A Léia está no melhor momento mas a diferença não é tão grande pra brait, digamos que 8.5 pra Léia e 7 pra brait no momento. Agora tandara e mari PB estão lá de turistas praticamente, e não levar a Jucy no lugar da Adenz é brincadeira se isso acontecer.
George disse…
Não entendo essa mania que o povo tem de desfazer da Adenizia apenas pq ela é explosiva assim. Ela pode contribuir, sim. Atualmente está no mesmo nível da Jucy, que está tendo mais oportunidades. Creio que Ade deva ser preterida dessa vez, mas não por falta de méritos, acho que é a vez da Jucy mesmo. Dificilmente levarão 4 centrais, até pq as titulares costumam dar conta do recado.
Renato Santos disse…
Se o ZR levar a Brait por experiência não subiremos nem no pódio. A Brait tem um defeito grave, quando ela esta do lado de duas ponteiras que não passam bem, ela sente a pressão e começa a quinar e errar passes, por isso também vira alvo dos saques adversários. No entanto, a Leia não tem esse problema, ela não fica insegura ao lado de ponteiras ruins de passe e faz a parte dela bem.
No jogo contra a China, a Garay tava quinando tudo que é passe, mas a Leia não sentiu a pressão e fez um ótimo trabalho na recepção. Se fosse a Brait ela sentiria a pressão da colega e começaria a errar também.
Se o ZR for ouvir o time é claro que vão escolher a Brait pelo tempo de seleção, mas quem é o treinador da equipe?. As jogadoras não podem escolher quem deve ir e quem deve ser cortada, mas sim o técnico e a CT.
Nos Estados Unidos isso não acontece, quem manda é o Kirally e ele só leva quem ta jogando melhor, pois não tem panela. É por isso que admiro tanto o time Americano, porque queria que aqui no Brasil fosse assim.
Krika Lual disse…
A Leia esta dando um show, parem de falar que Leia e Brait estão no mesmo nível ou pequena vantagem pra Leia pq isso não se constata dentro de quadra nos jogos que estamos vendo. E outra, estranho dizer que se a diferença for pouca melhor levar aquela que esta à um nível abaixo. Ade e Gabi de oposta é uma brincadeira né? Nem vou comentar isso... Uma amiga chinesa de dentro dos bastidores do voleibol asiático confessou que a Lang Ping vê na Yan, central número 1, um dos maiores talentos dessa nova geração e a esta preparando com uma atenção especial pra arrebentar nas olimpíadas. Lang Ping inclusive fez questão de passar a camisa 1 para essa jovem. Camisa essa que outrora pertencia a técnica nos seus tempos áureos. Atenção Thaisa!
Joffre Neves disse…
As centrais chinesas são muito boas mesmo,tem a xu,yang,yan e a yuan de 2 metros...Briga boa!
Isa Costa disse…
Jonas, a Adenízia nos ajudou muito com o cd da Aline Barros, sou grata.
Luiz Felipe disse…
EUA estão num nível acima que o Brasil, fato. Não é "insistência", basta assistir aos jogos... Assim como Leia está hoje acima da Brait. Isso não significa que não possamos ganhar do EUA ou que o ZRG, paneleiro de sempre, não leve a Brait...
raphael martins disse…
EUA e China têm apresentado melhor rendimento nas últimas competições internacionais, Campeonato Mundial e Copa do Mundo, mas isso não significa serem melhores seleções. Vamos fazer uma diferença entre o Ser e o Estar, sim? Entre a permanência e a circunstância. A alta performance é volátil a cada momento, mas uma comparação autorizada exige uma análise do histórico de consistência das equipes, e é justamente o fator regularidade aliás que a FIVB adota como preponderante ao ranking, tanto que o Brasil masculino não ganha liga mundial desde 2010 e ainda assim é número 1, sendo que a não participação da SFV na Copa do Mundo nos prejudicou por não termos conseguido pontos nessa competição.
Unknown disse…
Sonho seria ver a borgo como oposta junto com a Sheila na convocação.