De olho nelas: Rússia e Sérvia


Só faltavam elas: Rússia e Sérvia finalmente definiram seus elencos para Olimpíada 2016.

 
Primeiro, falemos da Rússia:

Levantadoras: Ekaterina Pankova e Vera Vetrova

Opostas: Nataliya Goncharova e Daria Malygina

Ponteiras: Tatiana Kosheleva, Yana Shcherban e Irina Voronkova

Centrais: Irina Zaryazhko, Irina Fetisova e Anastasia Shlyakovaya

Líberos: Anna Malova, Elena Ezhova



A grande novidade desta lista é a presença da levantadora Vetrova, chamada nas últimas semanas para se juntar ao grupo. Ela chegou para ocupar o lugar da experiente Startseva, sobre quem pairam fortes suspeitas de dopping – e provavelmente está aí a explicação de sua ausência em mais uma Olimpíada.

A ponteira Ilchenko, que foi titular nas finais do GP, foi outra jogadora que ficou de fora, dando lugar à Voronkova, que também se juntou ao grupo recentemente. 
*****************************

Independentemente das escolhas finais de Marichev, sabemos bem que a ambição da Rússia na Rio 2016 passa pelos nomes de Goncharova e Kosheleva. Se elas estiverem em dias inspirados – as duas juntas –, são capazes de compensar o conjunto fraco que a seleção possui e levá-la a uma medalha.

A Rússia tradicionalmente costuma ser um time de mais individualidades do que de conjunto. Com as aposentadorias de Sokolova e Gamova, estas individualidades ficaram bem mais restritas. Porém, o time não evoluiu em nada nestes quatros anos no seu conjunto para compensar as baixas. 
A Rússia continua uma equipe de altos e baixos e muito pouco disciplinada - e o treinador parece só piorar esta situação. Sem comando e atrapalhado nas escolhas, Marichev apoiou-se nas jogadoras extraclasse que teve/tem em mãos e deixou as aplicações táticas de lado. Esqueceu-se de formar um time. É um desperdício ter à disposição a dupla de atacantes que tem e fazer um time tão limitado e pobre de recursos.

Por estas inconstâncias e pelo momento atribulado que vive com seu treinador, não será surpreendente se  a Rússia tropeçar na primeira fase contra a Coreia, logo sua segunda adversária na competição, e se complicar para as quartas de final.

*****************************

As 12 da Sérvia:

Levantadoras: Ognjenović e Zivkovic

Opostos: Brakocevic e Boskovic

Centrais: Veljkovic, Rasic e Stevanovic

Ponteiras: Nikolic, Mihajlovic, Malesevic e Busa;

Líbero: Popovic


Terzic seguiu a base das últimas convocações e escalações e, como era esperado, a Brakocevic, no seu retorno pós gravidez, desbancou a fraca oponente Malagurski. A surpresa, por assim dizer, ficou por conta da preferência do treinador em levar apenas uma líbero. Em todas as últimas competições importantes Popovic e Cebic se revezaram em quadra.

A defesa sérvia desta vez ficará por conta da jovem Popovic, que ganhou a posição da “olímpica” Cebic. Outra opção pela juventude ficou nas pontas com a Busa ao invés da Molnar. 

*****************************
A Sérvia é uma seleção que despontou como candidata à medalha no último ano e pode roubar a cena de um dos favoritos. É um time que, assim como a Rússia, se apoia muito na individualidade, mas que apresenta melhor qualidade e até maior repertório de ataque graças à boa levantadora Ognjenovic.

Porém, a seleção não é mais novidade, as grandes a conhecem e a respeitam. Por isso, a Sérvia precisará ser uma time bem mais consistente do que vem sendo até então.

Por ter o jogo muito dependente da Boskovic e da Mihajlovic é compreensível que o Terzic as tenha poupado durante o Grand Prix e até comemorado a não ida da Sérvia à fase final. Só que um time com pouca experiência de decisão e que fracassou no mata-mata nos últimos europeus, uma fase final de GP poderia ser importante. Sem contar que a Sérvia erra demais, tornando jogos que poderiam ser mais simples um desafio imenso para vitória. A meu ver, para corrigir estas questões não há outra saída senão jogar, jogar, jogar e jogar.

Estas horas a mais de voo podem fazer falta num torneio curto como a Olimpíada e num grupo complicado como o da Sérvia.

Comentários

Unknown disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Joao Ismar disse…
Acredito que so o dooping pra tirar a Startseva da Olimpíada. Para a maioria, eu inclusive, ela é a melhor levantadora entre as selecionáveis de marichev. Tanto poder de ataque desperdiçado numa seleção sem conjunto. A Russia é o Osasco das últimas temporadas: massacra os pequenos, mas nao tem conjunto para ganhar dos grandes, vive de individualidades. Como a Gloria Pires, nao sou capaz de opinar sobre a Servia, só conheço as jogadoras individualmente, mas Ognjenovuc sem dúvida alguma está no top cinco das levantadoras, a nível mundial.
Cas disse…
Gente, que video ótimo hahah

https://www.youtube.com/watch?v=yac8WsxlWGA

Jaqueline pedindo pra mulher entregar a medalha dela antes da hora pra não cair o ary graça na vez dela, jucy percebe e da uma risada, depois jaqueline ignora o Ary quando ele passa beijando as jogaras e parece que ela ainda da umas cutucadas na mari paraiba hahah

Desculpa o off topic mas o youtube sugeriu esse video pra mim e eu precisava mostrar pra alguém haha

Adoro ver essas coisas assim que eu não percebi na hora do jogo, igual quando falaram que as jogadoras estavam ignorando um pouco a Leia nas comemorações e eu tive que voltar no video do jogo pra ver isso.
xyz disse…
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

ESSE VÍDEO DA JAQUELINE EU TO MORRENDO!!!!!!!!!!!
L. Mesquita disse…
Russia desfalcada devido ao doping. Filha vc esta dopada? Entao assista a Olimpiada pela TV. Alem disso jogadoras q estavam dopadas em Londres-2012 tiveram q ficar de fora de 2016, pois os exames de 2012 foram refeitos.
Johnny disse…
Eu acho que a Rússia está vindo com praticamente só uma oposta, porque a reserva da Goncharova está muito atrás dela e não é jogadora de decisão. Já as levantadoras, a titular está na seleção porque ganhou campeonato europeu, então o técnico da Rússia a coloca num pedestal, achando que é uma "super" levantadora. Mas quem assiste os jogos vê que ela faz uns levantamentos horrorosos, tem hora que é cada jaca kkkkk
Nas pontas, a força maior é da Kosheleva, pois as outras ponteiras parece que ficam só por conta de tentar equilibrar a recepção.
Acho que a Rússia está bem fraca, mas nunca se sabe, pois Kosheleva e Goncharova inspiradas fazem 60 pontos juntas e desequilibram uma partida...
A Sérvia também nunca se sabe o que vai acontecer, mas é uma seleção bem perigosa.
Gente, eu sei que o assunto aqui agora não é Brasil, o post é outro kkkk Mas voltando ao assunto Fabíola (porque o assunto Camila Brait parece que repercutiu mais do que Fabíola, aí todo mundo esqueceu de Fabíola por uma semana kkkkk)... assistindo ao programa da ESPN semana passada, alguns ex jogadores, comentando que achavam muito estranho a escolha do Zé Roberto em levar a Fabíola, pois tem um ano que ela não joga e a velocidade do jogo com uma equipe de outro país é bem diferente do que uma Superliga, por exemplo.
Pessoalmente, também acho isso. Não dá para comparar a velocidade que EUA e China, por exemplo, colocaram no jogo atualmente, com um treinamento ou uma superliga. Treino é uma coisa e jogo de olimpíada é outro. Acho que o Brasil vai passar um grande apuro se Dani Lins der pane no sistema e tiver que ser substituída...
George disse…
Tirando a Startseva (só pode ter sido pela possibilidade de doping, muito mal contada a história do final four da champions) a Kosianenko é a melhor levantadora deles. A nível mundial, ela é muito fraca. De resto, o Marichev cedeu à pressão e trocou a Ilchenko pela Voronkova (que ele mesmo disse que não conseguia bater direito na bola). É um treinador fraco que tem o cargo ameaçado diretamente pelo resultado dessa olimpíada.
Sobre a Sérvia, é forte candidata a alguma medalha. É uma seleção alta e que tem uma ótima levantadora. Tem um estilo meio russo, mas consegue jogar com as meios. A Malesevic dá mais consistência na equipe por causa do passe (mesmo que mediano, é bem melhor que o da Nikolic).
Johnny, o risco em relação à Fabíola já era conhecido e todas as suas consequências já estavam sendo avaliadas e de pré-aviso. O próprio ZRG deu entrevista no meio da gestação da Fabíola falando que iria esperar pela volta e recuperação da mesma.

Recentemente no início de julho enquanto ela treinava com o Wagão, recebeu vários elogios do mesmo, inclusive em entrevista recente à Globo Esporte e Sportv, onde a Fabíola foi elogiada na parte física e rápida recuperação do parto. Na parte técnica falaram que estavam dentro do esperado e que somente estava treinando o deslocamento.

No final das contas o Zé Roberto optou por ela, nos levando a crer que ela está bem fisicamente e que poderá dar conta do recado, eu particularmente escolhi acreditar e confiar, pois ele é o técnico, ninguém melhor que ele para avaliar as condições de jogo da Fabíola.

Vamos aguardar e torcer muito para que tudo dê certo.
Joffre Neves disse…
Achei que o Marichev não tinha tanta opção para levar ao jogos aqui no Rio mas ele poderia levar um time melhorzinho até a esse inclusive porque pensando bem a Startseva é sem dúvidas a melhor levantadora russa atualmente mesmo estando na reserva da Pankova que olha lá faz cada jaca feia...Eu se fosse o técnico russo levaria a Babeshina e a Startseva porque são as melhores atualmente a meu ver,com relação a voronkova eu até acho que ela é menos pior que a ilchenko hoje,as meios estão boas e todo mundo sabia que a liubuskina não ia aos jogos porque ela é mais peso morto que as outras meios de redes digamos assim,as líberos vão se revesar como sempre fazem e até pode apertar o jogo mas só vai depender da Kosheleva e da Goncharova porque juntas as duas podem mudar completamente o jogo.Agora o time sérvio tá bem interessante,bem ofensivo,alto,coeso mas perde bastante no fundo,é um time mais coletivo ao time russo porém se estudar bem o time e sacar bem,bolas altas nas extremidades e com o Brasil por exemplo recepcionando em torno a até 65 por cento de passes certos no mínimo dá pra vencer bem a Sérvia.A sérvia hj tem bom banco para a saída de rede com a Brakocevic,levantamento também e as reservas também ajudam com as jogadoras busa e nikolic.Acho que o time pra a olímpiadas não muda : Ognjenović/boskovic/Mihajlovic/malesevic/rasic/stepanovic/popovic e com relação ao time russo acho que fica assim : pankova/goncharova/zariasco/fetisova/kosheleva/sherban/malova revesando com a ezhova.
Unknown disse…
Rússia: está uma bagunça, mais precisamente uma "zona" com o perdão da palavra. Só vai assustar se calhar de Goncharova e Kosheleva jogarem bem simultaneamente, o que não ocorre em todos os jogos.
E acho que vai faltar uma ponteira, se Marichev vai usar Ezhova como ponteira falsa, aí eu entenderia a opção dele. Mas acho que a Malova é bem melhor que a Ezhova, então o Marichev talvez devesse manter a Ilchenko e trazer só a Malova. Vejam, para o Brasil eu defendi duas liberos, pelo contexto existente e especialmente porque ambas são muito boas. Mas pra Rússia minha opinião é que há uma diferença grande entre ambas. E a Scherban é meio de lua no passe, tem jogo que vai muito bem, em outros dá prejuízo. A Voronkova vai segurar a onda se tiver que consertar o passe?
A Rússia pode até ficar na P3 da fase de grupos.
Unknown disse…
Sérvia: time melhor estruturado que a Rússia, tem boas jogadoras tambem no banco, e especialmente tem um estilo russo-brasileiro de jogar, com bia qualidade na inversão. As levantadoras são bem talentosas.
Vão penar um pouco no passe, mas lá tem oposta e ponteira de força, então prejuízo compensado por pontos fortes. E o time, na média, saca bem.
Será que faria frente à velocidade da China? Talvez não. P3 é a possibilidade da Sérvia, e do nosso lado da chave, até arriscaria comentar que ficar na P3 seria melhor que na P2. Acho que Brasil tem mais chances contra China do que contra Sérvia.
Estou assumindo que o cruzamento é invertido (simples), estou correto?
Unknown disse…
Complementando, o que falei acima é no cenário em que Brasil nao fique com a P1. E eu não acho que seria muito provável, mas não seria impossível.
Unknown:
Concordo com vc, ao meu ver muito melhor pegar uma China nas SF do que uma Sérvia. Pois, o time da China é questão de marcação. Agora contra a Sérvia já vejo aquele jogo de igual pra igual, na base da força e ataque e nestes quesitos elas levam vantagem.


Ao meu ver China não chega à final, os que tem chance acredito que seja Servia, Brasil e EUA.
George disse…
Já sabemos de antemão quem serão os 4 classificados do G1, ainda não sabemos as posições. Acho que a Russia pode sofrer (como historicamente tem acontecido) com o Japão e isso alteraria toda a classificação. Acredito que deva sofrer com a Coréia também.
Aliás, falando em Coréia, ontem teve amistoso contra a Holanda e ganharam de 3x1. Muita atenção com elas!
Unknown disse…
George: Sim, a Coréia consegue fazer o que a China tenta, ou seja, elas escondem o jogo e quando é pra valer conseguem encontrar e mostrar. Eu particularmente acho que a Coréia vai dificultar muito para o Brasil, tem boas chances de ganhar do Japão e da Rússia. Incomoda-me a possibilidade do Brasil na P2 da fase de grupos, porque pode pegar a Sérvia em seguida, e este time, "amaciado" por jogos mais duros lá no outro grupo, que é mais forte, pode vir com ritmo que nos apertaria.

Fernando: É bem por aí, o limite técnico da China pode ser controlado por boa tática de marcação e de saque/bloqueio. Já o da Sérvia é menos controlável, e elas jogando na frente no placar são muito perigosas porque o saque fica cada vez mais difícil de ser controlado.

Mas o Brasil tem melhores chances de sair na P1 do que os adversários. O cuidado que precisa tomar é com as suas próprias limitações.
Este comentário foi removido pelo autor.
Concordo que o maior cuidado que o Brasil tem que tomar é consigo mesmo, nossas próprias limitações conforme citado acima, nós jogando o que sabemos e com o melhor de cada jogadora somos o melhor time (sem conversinhas das Americanas, Chinesas,etc).

Finalizando ao meu ver a Sérvia é o time mais perigoso ofensivamente, são a Rússia de 2006,2010,2012 em termos de disputa acirrada.

Já China e EUA eu vejo como estratégia de jogo, ganha quem escolher e colocar em prática a melhor estratégia.

Korea, pode surpreender sim como foi em 2012. Holanda, Itália e Rússia o máximo que chegam é nas quartas de final capengando
George disse…
Atualizando: no segundo amistoso entre Coréia e Holanda, vitória holandesa pelos mesmos 3x1 do primeiro jogo. Plak e Buijs se revezaram nos jogos. Kim entrou a partir do segundo set no segundo jogo.
L. Mesquita disse…
Russia e Cuba,grandes times do passado,dando vexame agora por doping e estupro.Russos alegando contusao ou aposentadoria p/disfacar o doping e "SEIS" estupradores cubanos presos na Finlandia.Duas situacoes ridiculas p/nacoes q ja foram referencia no volei.Acho que Ouro olimpico de Londres no masculino e o Ouro feminino do Mundial 2010 deveriam ser cacados pois amostras desde da Olimpiada de 2008 foram usadas p/refazer exames de doping e deram positivo! Vexame!
Mantronix Inc disse…
Quanto ao a questão do Doping, vcs acreditam mesmo q somente a Rússia é único País a utilizar substâncias listadas como ilegais segundo ao COI? Com tanta ciência, tecnologia, com o estudo da duração da meia-vida, vida média de cada substância podendo ser calculado dentro de cada organismo, sem mencionar, as várias formas de subterfúgios de driblar os exames, pode-se concluir q a Rússia foi pega como bode espiatório apenas por ter sido levado a questão a público por uma "delação premiada" de uma atleta X9. Se uma pomada cicatrizante tirou Maurren Maggi, se um suplemento alimentar aparentemente inofensivo já suspendeu Jaqueline, se um baseado tirou o Giba. A questão do Doping precisa ser seriamente revista e atualizada aos dias de hoje.

Tirando o Brasil, obviamente, estarei torcendo pela Rússia em todas as outras modalidades.

#Hipocrisia #Injustiça
xyz disse…
Chateado que teve uma análise do Japão e não teve da Coreia.
Tie-Break disse…
Não sei se vocês estão sabendo, mas está ocorrendo o campeonato Sulamericano sub 23, o Brasil atropelou o Chile como de costume, mas o importante é saber que mesmo com todo essa onda de pessimismo com o nossso fututo, ainda temos boas jogadoras, só precisam de rodagem. Destaque absoluto para Drussyla e Lorenne, essas garotaas precisam jogar, potencial elas têm. Talvez a líbero Laís também posso ajudar futuramente, o nosso problema mesmo está com as centrais.
Joffre Neves disse…
Xyz,queria que para os jogos aqui no Rio a Thailândia fosse no lugar do Japão porque acho que de 2012 pra cá caiu em passe legal inclusive,uma pena a Thailândia não ter aproveitado aquelas enormes chances de vencer por 3x2 o time japonês na casa delas :/,seria bem melhor o time thailandês mais completinho e guerreiro a um time japonês muito enfraquecido como hoje.Manabe é quem sabe mas hoje ele tem que fazer alguns milagres pra conseguir qualquer medalha...Dr Rússia vai ter que jogar muito mesmo pra conseguir alguma medalha também,os países com chances de medalhas de qualquer cor pra mim são Stades,China,Brasil e Sérvia.
Unknown disse…
Bem, o cruzamento das quartas de finais não é invertido direto. Os das P2 e P3 vão ser sorteados, segundo o pessoal do Roda de Volei.
Isso quer dizer que o objetivo é ficar na P1, porque ficar na P2 ou P3 tanto faz. E nestes casos específicos, se der alguma zica na fase de grupos e calhar de dois favoritos ao ouro não ficarem na P1 em seus grupos, um vai cair logo nas quartas de finais.
Vai Brasil! Não caia diante de suas próprias limitações e escolhas! Agora ficou simples a decisão: Tem que ganhar de todos!
L. Mesquita disse…
Infelizmente teremos muitos atletas dopados no Rio-2016,afirma casal que delatou esquema de doping da Rússia.Yulia,atleta,e Vitaly Stepanov,funcionário da Agência de Controle de doping da Rússia,forneceram documentos que permitiram a revelação do escândalo que acabou com a suspensão que tirou o atletismo do país dos Jogos Olímpicos,disseram:"Os atletas ainda fazem parte do sistema de doping... Eles não querem a verdade. Querem mostrar ao mundo que tudo está bem e que tudo deve ser encoberto. Eles preferem esconder qualquer coisa negativa. Problemas significam perda de dinheiro. O COI não está sendo administrado a partir de valores olímpicos. O dinheiro está prevalecendo e, em algum lugar, eles jogaram os valores olímpicos"."Yulia estava dormindo e eu recebi a ligação do COI. No início, não entendi o que diziam. Só depois entendemos que o que fizeram era nos excluir. Ficamos decepcionados. Mas, no fundo, eu já esperava. A realidade é que não queriam ouvir nossa história. Não foram amistosos conosco. A mensagem era clara: somos um problema para o COI. Era isso que líamos nas entrelinhas. Eles não querem delatores. (...) O casal, que teve de fugir do país e sofre ameaças de morte, concedeu entrevista exclusiva ao Estadão.
Segundo o casal, o esquema continua em vigor e é bem maior que os cerca de 600 casos identificados pela Agência Mundial Antidoping (Wada) até agora. Eles acusam o Comitê Olímpico Internacional (COI) de tentar encobrir denúncias:
Yulia e Vitaly também criticaram a Wada e a denominaram como "apenas uma organização política", e garantiram que o esquema era uma política de Estado na Rússia, sendo que "a maior responsabilidade do Ministro do Esporte é de que a Rússia vá bem em competições e que seja uma superpotência".
Mantronix Inc disse…
A Rússia caiu no doping pq veio a PÙBLICO, o EUA assim como a CHINA e muitos outros fazem uso de substâncias proibidas. Quanta Hipocrisia, e ao mesmo tempo não significa que todos os atletas do País estão igualmente "envenenados".

A questão do Doping só não é mais hipócrita q a venda de cigarros q mata mas pode vender..
Joffre Neves disse…
A seleção da Sérvia desembarcou em Saquarema onde enfrentou ontem (30) a seleção do Brasil em amistoso preparatório à olimpíada. O confronto foi jogado em 5 sets com vitória da seleção brasileira por 3x0 e duas parciais extras, finalizando o placar de 4x1 (26-24, 25-16, 25-22, 24-25 e 15-13). Os dois times usaram de suas escalações titulares e trocaram principalmente a partir do 4º set. Os dois times se equivaleram em ataques, foram 70 pontos sérvios contra 64 do Brasil. Em bloqueios o Brasil marcou o dobro de pontos, foram 16 contra 8. Mesmo caçada pelo saque, atuando em todos os sets Fernanda Garay foi a maior pontuadora com 22 pontos. Pela Sérvia, Tiajana Boskovic fez 21 mesmo atuando apenas em 4 sets. Brasil e Sérvia estão em grupos opostos nas Olimpíadas. A única das 24 jogadoras a não atuar foi a ponteira Jelena Nikolic, provavelmente por algum problema físico.

Brasil 4 x 1 Sérvia (26-24, 25-16, 25-22, 24-25 e 15-13)

BRA: Natália (11), Sheilla (10), Garay (22), Fabiana (6), Thaisa (9), Dani Lins (2), Léia (L). ENT: Gabriela (9), Juciely (8), Jaqueline (5), Adênizia (4), Fabíola (1).

SER: Boskovic (21), Mihajlovic (19), Veljkovic (14), Rasic (10), Malesevic (5), Ognjenovic (3), Popovic (L). ENT: Busa (5), Brakocevic (4), Stevanovic (2).

Fonte : http://www.toflyvolleyball.com/2016/07/brasil-recebe-e-bate-com-facilidade.html?m=1

Luis Carlos disse…
Brasil acaba de ser campeão do Sul americano sub 23. Na disputa entre Drussyla x Ângela Leyva, nossa brasileira arrasou e ganhou como 1 melhor ponteira e grande destaque da nossa seleção. Queria que ela tivesse coragem e saísse do Rio para um time menor.
George disse…
Laura, acho que podias fazer um post com uma análise geral sobre os amistosos que estão rolando. Holanda derrotou novamente a Russia, Coreia ganhou da Italia, o empate entre Servia e Brasil e por aí vai...
Laura disse…
Oi, George! Estou preparando um post sobre. Acho q publico hj.