Agora é que são elas: as 12 escolhidas


Que segunda! Estava com tudo pronto para postar sobre os elencos de China e Itália quando vejo a definição do Zé Roberto. Finalmente temos as 12 jogadoras que defenderão o Brasil na Olimpíada 2016.

 
Levantadoras: Dani Lins e Fabíola

Centrais: Fabiana, Thaisa, Juciely e Adenizia

Ponteiras: Fernanda Garay, Jaqueline, Natália e Gabi

Oposto: Sheilla

Líbero: Léia



Não dá para dizer que houve qualquer injustiça nesta lista, mas, é claro, podemos questionar algumas opções.

Tandara não merecia a vaga, como vimos. Não se recuperou fisicamente nem mostrou em quadra ser necessária para o time. Tendo esta decisão tomada - ou seja, irmos aos Jogos sem uma oposto reserva -, bastava definir se iríamos com quatro centrais ou duas líberos.

O Zé Roberto optou pela primeira opção.

Eu preferiria ter duas líberos, mas confesso aqui na maior sinceridade que não sei esta minha preferência é mais baseada pela cabeça ou pelo coração. Pela cabeça, eu argumento que a Léia merece – e muito – esta vaga, mas que tem um histórico de lesões preocupante e falta de experiência com a seleção na comparação direta com a Brait. É muita responsabilidade para ela.

Por sua vez, Brait, mesmo tendo caído de rendimento, é uma líbero no qual se pode confiar e, convenhamos, não foi mal – ela foi é superada pela Léia. Acho que, dado a circunstância, sentiria mais segurança tendo as duas líberos presentes no Rio 2016.

Pelo coração, digo que seria uma pena enorme cortar qualquer uma delas. Não ter Léia seria uma injustiça; não ter a Brait, é acabar com o sonho de uma atleta pela segunda vez. Caramba, é muito triste ver a Camila Brait morrer na praia de novo e agora sendo derrubada na reta final de um ciclo que ela dominou. 


*****************************

Secadas as lágrimas pela Brait e voltando à razão, devo dizer que entendo a intenção da comissão técnica em escolher quatro centrais. Podemos ter a Adenízia para uma inversão de rede maior e de bom bloqueio ao invés de ter a Gabi, por exemplo. Só acho que, pelas condições da Fabíola e por não termos uma oposto de origem, não usaremos a inversão. De novo será uma arma inútil ao Brasil.

Ao mesmo tempo, a terceira central mal será utilizada porque, pelo que vimos, dificilmente o Zé Roberto adaptará o meio de rede à velocidade do adversário. Sendo assim, uma na reserva seria suficiente para cobrir as duas situações. 

*****************************
Sobre a Fabíola, era totalmente previsível. Zé Roberto só abriria mão se ela estivesse com uma perna a menos.

Já comentei aqui que acho esta escolha uma temeridade, mesmo considerando o óbvio: que ela não irá para disputar a titularidade. Temos no banco a segurança de uma levantadora experiente, mas que estará completamente fora de ritmo de jogo. E nem sei se estará em forma. Uma coisa compensa a outra? Acho que não.

Nesta situação, na qual nenhuma levantadora reserva é uma opção inquestionável e prevendo que ela mal será utilizada, eu investiria no futuro. Ou seja, ficaria com a Roberta. Mesmo assim, não acho o corte da jovem levantadora injusto visto que as condições para a permanência dela estavam explícitas desde o início.

Agora, nem Fabíola nem Roberta mudaria a delicada situação que o Brasil chega neste Jogos e que vinha sendo discutida aqui desde o anúncio da gravidez da Fabíola. O Brasil está totalmente nas mãos da Dani Lins, uma jogadora inconstante. É ela e deu. Que Dani esteja inspirada e segura no Rio como esteve em Londres. 

****************************

Concordando ou não com as escolhas do Zé, é bom que a definição tenha sido feita com maior antecedência do que estava planejado. Este é sempre um momento delicado, o time precisa de um tempo para absorver e se recuperar, principalmente quando temos cortes de jogadoras queridas no grupo, como é o caso da Brait. 

Todo o processo de escolha das 12 parece ter sido levado de uma forma mais tranquila e transparente da vivenciada em 2012. E isto é um ganho. O ambiente pré-Londres esteve diretamente ligado ao desempenho ruim da seleção no início do campeonato. Acho que este erro não repetimos.

****************************

Um adendo 

 - No fim, a Monique tinha mais chances do que imaginávamos de estar entre as 12.

 

Comentários

Jonas M.B disse…
Adenz? Risos. Léia? Aplausos.
Junior disse…
Dani e a melhor fabiola so gNhou superliga com aquele supertime nao consegue levantar p sheilla perdeu p sesi com deise na ponta r dani colocou ate suele p jogar
L. Mesquita disse…
Houve grande evolução no clima dos cortes entre 2012 e 2016. Em 2012 os cortes foram muito tensos e a seleção parecia amargurada com os cortes: Fabíola e Juciely no saguão do aeroporto, Mari na lavanderia e Brait já lá em Londres. Dessa vez os cortes foram mais tranquilos e menos grosseiros. Enfim, todos já sabiam que a última vaga estava entre Brait e Adenízia, 2 líberos ou 4 centrais, restava ao Zé deicidir o que seria mais seguro para a seleção. Confesso que achava mais seguro levar 2 líberos pelo histórico de contusões da Leia e pela experiência da Brait, mas acho que o Zé confia na inversão do 5x1 com a Adenízia com o objetivo principal de melhorar o bloqueio. Já que está levando 4 centrais, seria interessante jogar com Juciely e Adenízia contra equipes asiáticas e com Fabiana e Thaísa contra equipes europeias. Acho que a seleção de 2016 está mais forte que a 2012. Em 2012, Natália, Tandara e Fernandinha pouco puderam ajudar a seleção. Em relação à Fabíola, ela é uma jogadora que se adapta rápido a diferentes estilos de jogos e tipos de jogadoras, foi assim no Dínamo Krasnodar e no Volero Zurich, além disso ela é uma jogadora que se cuida muito e entra em forma rápido, o próprio Zé garantiu que a mão ela não perdeu. De 2012 ficaram: Fabiana, Dani Lins, Adenízia, Thaísa, Jaqueline, Natália, Sheilla e Fernanda Garay e temos agora apenas 4 novidades olímpicas: Fabíola, Juciely, Leia e Gabi. Já a seleção masculina teve uma forte renovação em relação à 2012, só ficaram 4: Bruno, Wallace, Serginho e Lucao e são 8 novidades olímpicas: Douglas, Mauricio Borges, Lipe, Mauricio Souza, Éder, Evandro, William e Lucarelli.
Marichev, o pior técnico que a Rússia já teve, continua fazendo suas lambanças por lá, convocando e desconvocando jogadoras, num clima enorme de incertezas, desse jeito acho difícil a Rússia vencer Korea e Japão, provavelmente ficará em quarto lugar. Continuo achando que o adversário mais traiçoeiro do grupo do Brasil é a Korea.
Unknown disse…
Bem, elas têm minha torcida!

E para as que foram desconvocadas, sei que não adianta o que vou dizer, mas considero que elas terão sim, uma participação nos resultados da SFV nos Jogos.

ZRG e CT assumiram os riscos, e antes do esperado, o que já é uma evolução. E conforme a Laura falou, de forma um pouco mais humana, vamos assim dizer. Deve ter sido duro fazer isso, mas uma hora tinha que acontecer.
Que riscos? Bem, eu concordo com a Laura, por 3 motivos:
1) Preferiria 2 liberos (e acho ambas muito boas), e expliquei as razões antes aqui. A Leia está melhor hoje, e mereceria ir aos Jogos pela bola que está jogando. Eu a levaria para os jogos. Mas ela tem um histórico de se lesionar que me deixa preocupado. E outra coisa, Grand Prix já é passado, o que importa agora são os Jogos, e isso ainda está para acontecer no futuro - Leia vai manter o bom nível no futuro? Sucesso no passado não garante sucesso no futuro.
E se ela se lesionar (tomara que não), Jaque vai ter que assumir a posição, e assim vamos perder a opção dela entrar para corrigir a recepção se Garay ou Natália tiverem problemas no passe.
Sim, ainda restaria Gabi para fazer isso, mas ela não é tão eficiente quanto Jaque na recepção. E é bom nos lembrarmos também que, agora que Leia ficou no time, e está sozinha na função, vai ter a pressão de manter o bom nível durante os Jogos. A pressão aumenta, e ela não é Fabi, que cresce de forma diretamente proporcional à pressão. Enfim, espero estar enganado.

2) Fabiola pelo jeito está bem. Porque ninguém que esteja na posição de ZRG e da CT tomaria uma decisão dessa se ela não estivesse bem. Ou tomaria? Se ela não estiver apta para entrar e resolver alguma contingência de jogo, ou naturalmente na inversão 5X1, então seria melhor manter Roberta, mesmo que esta não tenha a experiência desejada.
Fabiola é muito boa levantadora, não discuto isso, e certamente estaria na SFV. A questão é se estará bem fisicamente e tecnicamente nos Jogos. ZRG e CT estão nos sinalizando que sim, e se não for realidade nos Jogos, então a responsabilidade é deles.

3) Eu achava que não haveria tanto benefício em levar 4 centrais. Concordo com a Laura, vejam, a terceira já tem baixa probabilidade de jogar, assumindo que Fabiana e Thaisa estejam bem. Então a vaga da quarta central deveria ter sido usada para termos uma quinta ponteira ou segunda oposta, já que ZRG decidiu ter apenas uma libero.

Mas tudo isso deixamos para ZRG e CT decidirem, e eles decidiram, portanto está na conta deles.

Talvez a Rio 2016 seja um divisor de águas para SFV e SMV. Independente dos resultados das duas seleções, depois desta Olimpíadas, poderemos ter mudanças razoavelmente grandes nas duas CTs.
O que acham?
L. Mesquita disse…
Acho que qualquer medalha é sinônimo de sucesso tanto para seleção feminina quanto para a masculina, pois o equilíbrio entre as equipes aumentou. De 2012 pra cá,no feminino, Sérvia, Korea e Holanda evoluíram bastante. Japão e Rússia, pela tradição que têm, sempre podem aprontar. No masculino a situação é muito mais complicada ainda, as equipes são fortíssimas ao ponto de uma equipe que não se classificou para as Olimpíadas ter ganhado a Liga Mundial, a Sérvia. No masculino, França, Itália, Rússia, Canadá, Iran, Argentina e EUA são seleções perigosas que em jogos de mata-mata podem aprontar pra cima da seleção brasileira. Portanto, independente da cor, Ouro, Prata ou Bronze, uma medalha nessa olimpíada deve ser bastante comemorada!
L. Mesquita disse…
Confesso que estou triste, concordei com todos os cortes do Zé Roberto em 2016, mas o da Brait pra mim foi muito dolorido, imagino como deve ter sido pra ela, que já viveu a experiência de ser cortada em Londres. Estou com o coração apertado pela Brait. Eu levaria 2 líberos e 3 centrais, mas enfim, não sou eu quem escolho. Mas relaxa Brait, vai curtir umas férias, vai passear, você precisa mesmo de umas férias relaxantes. Esquece um pouco a seleção por enquanto e vai curtir a família, curtir a vida, você merece.
Unknown disse…
Esqueci de mencionar no comentário anterior. Quero crer que se teremos 4 centrais, então algum coelho tem que ter nessa cartola. Alguma coisa diferente deve estar sendo preparada.
Ou, se não tem nada disso, então talvez eu nunca venha a entender...
Paulo Roberto disse…
Os cortes já eram esperados mesmo, só o Brait que me doeu mais. Mesmo que Leia tenha ido bem no GP não consigo confiar 100% nela. Sei lá. E como eu disse num comentário anterior, pra mim ela já estava no máximo e Camila poderia crescer ainda mais. Por isso levaria as duas.
Sobre a CT já disse outra vez e espero mesmo que haja uma mudança para próximo ciclo, nos dois naipes.
Paulo Roberto disse…
Ah sobre a Fabíola se ela não tivesse parado, e continuasse na crescente que estava provavelmente teria condições de brigar pela titularidade. Contudo, isso são só conjecturas. Como a Laura disse, acredito que ela pouco poderá fazer. Resta-nos torcer pra Pani não encarnar na Dani.
raphael martins disse…
Levar Gabi e Adenízia em detrimento da Brait? Tudo bem, a Léia foi espetacular contra as americanas, nossas principais adversárias na busca pelo ouro, mas ainda assim me parece responsabilidade demais nas costas de uma estreante na atmosfera e nível olímpico.

Quanto à oposta, só vejo a Natália capaz de substituir a Sheilla, de qualquer modo o Zé Roberto parece considerar esta como absoluta e incontestável, esperamos que recupere de fato a forma física.
Joffre Neves disse…
Corte sempre é muito doloroso,fiquei muito triste com a Mari em 2012 e agora sinto o mesmo pela Camila.Sei que a Brait é jovem e tudo mas espero que em 2020 seja diferente porque ela é capaz sim mas não soube mostrar todo o serviço que sabe fazer,pra falar a verdade sempre me doi muito o corte e hj eu senti de um dos meus grandes ídolos mvp de olimpiada Murilo, já senti do lucas Lóh,agora a camila,mari em 2012 hoje definitivamente foi um choque.Boa sorte a todos os cortados de hoje sejam das suas seleções e se esforçem bem muito porque todos nós estamos torcendo por vocês pra o próximo ciclo se possível e também aos agraciados que vão representar essa nação verde e amarela.
Gabriel disse…
Muito difícil opinar, pq não sabemos o que acontece no dia-a-dia na seleção. Se formos analisar friamente os cortes, ele fez o certo e era o que todos já esperávamos quando terminou o Grand Prix. Mas falando com coração de torcedor, não tem como pensar que a Brait é Fabíola de 2016. Não podemos dizer que o Zé estava totalmente certo em 2012, só pq o time ganhou... Iríamos ser eliminados na primeira fase, os EUA nos salvaram, que grande ironia. Nas quartas de final, por 6 vezes ficamos à beira de sermos eliminados nas quartas, Sheilla nos salvou. A levantadora que foi escolhida no lugar da Fabíola sempre comprometia e quando foi de vez para o banco, entrava nas inversões levantando bolas bizarras. Léia, é ótima e mostrou isso no Grand Prix. Mas fazendo uma rápida comparação. Fernandinha fez um bom Grand Prix, mas não tinha experiência nenhuma em seleção. Foi "jogada" nas Olimpíadas e não aguentou a pressão... ainda bem que tínhamos a Dani pronta para nos salvar. Léia é uma boa libero, mas tem pouca rodagem na seleção, fez um ótimo Grand Prix (este ano, pq ano passado foi pífio), mas Olimpíada é Olimpíada. Acredito que o fator "casa" vai (ao contrário do que as jogadoras dizem) deixá-las mais à vontade, tenho certeza que nosso time vai crescer muito com a torcida empurrando, vai ser difícil bater nossa seleção, mas não posso negar que o corte da Brait foi doloroso, pq não tenho como não me colocar no lugar dessa jogadora que lutou e mostrou tanto durante todos esses anos, pra 2 vezes ser cortada quando estava tão perto de realizar seu sonho, muito triste por ela :(
Jonas M.B disse…
Vamos parar com essa "experiência" internacional da briat, porque ela sempre foi PhD em banco. Sem a desmerecer,claro. A fabi é o serginho do feminino. A Léia trabalhou duro, fez uma ótima superliga e tirou a vaga que era praticamente certa da Briat. Tem totais méritos. Sem mimimi. Levar somente 1 oposta eu acho arriscado demais mas que a Sheilla possa ser a Sheilla. No masculino, a olimpíada passada pesou para o corte Murillo, olhar para o banco e não poder contar com os atletas para mudar o jogo foi um grande problema. O grande bixo papão a ser superado será a CN.
Gabriel disse…
Jonas, ela não era Phd em banco não, só na época em que Fabi ainda estava jogando, mas mesmo assim muitos chegaram até a questionar se a Fabi ainda era a melhor opção para Londres, tanto que a Brait chegou a viajar com o grupo. Depois que a Fabi se aposentou só deu ela. Não me lembro da Leia ter jogado na seleção além do Grand Prix do ano passado, em que ela estava péssima e nos jogos desse ano, no amistoso, em que ela também esteva muito ruim por sinal e no Grand Prix, em que ela acabou deslanchando...
Joffre Neves disse…
Hoje foi doloroso pra mim sobre os cortes,quando vi que o Murilo foi cortado fiquei muito triste porque me espelhava nele pra ser um jogador de vôlei profissional baixo para o padrão mundial,o mesmo sempre mereceu assim como a seleção masculina a medalha de ouro e agora é diferente porque a lesão foi mais forte ao tempo e ao esforço de competir em casa e depois eu vejo que a brait foi cortada,a acho altamente talentosa e que não conseguiu botar tudo o que sabe.É uma pena porque ela sempre foi muito alegre,boa jogadora e jovem...Em Tóquio ela pode ir,corte é triste mesmo,em 2012 fiquei triste pela Mari porque sempre a achei diferenciada,quieta,sem tanto papo mas simpática e divertida no fundo mas não tem o que fazer né,é só seguir a vida e bola pra frente.Desejo que as nossas seleções calem a boca dos torcedores mais pessimistas e honrem a bandeira verde e amarela da nossa enorme nação,o time é esse e tudo tem que quer visto agora entre estes jogadores boa sorte aos jogadores,a CT e aos técnicos.l

Espero que todos os jogadores cortados das duas seleções criem forças pra 2020 ainda se puder,são fortes e capazes.
Laura disse…
Unknown, não sei se a mudança nas CTS vai acontecer, mas acho que seria saudável para as duas seleções.

Gabriel, bem lembrado e boa comparação. Mas tomara que as semelhanças no caso Fernandinha X Fabíola e Brait x Léia termine por aqui

É isso mesmo, Gabriel. Fora que a comparação da experiência da Brait, Jonas, é com a Léia. E nos desculpe se sentimos o corte de uma jogadora que está há tanto tempo na briga por uma vaga nos Jogos. Até pq são duas situações diferentes, mas com um final igualmente infeliz para Brait. Na primeira, mesmo ela jogando mais bola que a Fabi e podendo ser muito mais útil que a Natália, foi cortada. Na segunda, ela era, digamos, a Fabi, a titular natural da posição, e foi atropelada por uma jogadora em melhor nível, assim como ela estava em 2012. E de novo é cortada. Claro que aqui entra a questão da liderança e da representatividade da Fabi que eram muito maiores do que a da Brait no momento atual. Mesmo assim, não deixa de ser triste vê-la batendo na trave de novo.

Acrescentei uma coisa no post que havia esquecido: na hora da dispensa ninguém pensou que a Monique iria ter tanta chance de estar entre as 12...
Jonas M.B disse…
Alguém sabe qual motivo "pessoal" no caso da monique? Teria e teria muita chance, Laura. Qual time de ponta vai levar somente 1 oposta? MAS deve ter sido algo muito grave mesmo para pedir para sair.
Unknown disse…
Laura, concordo plenamente com vc. Em 2012 a Brait estava voando, ao ponto de Fabi ter sido questionada.
Esta foi confirmada, e naquela fase de grupos passamos sufoco, embora a Fabi tenha sido uma das poucas que mostrava o jogo de que era capaz.
E alguns dos argumentos de ZRG eram de que a experiência e liderança dela fariam diferença. E de fato creio que fizeram.
Agora em 2016 a decisão foi menos qualitativa e mais quantitativa. Leia foi mantida pelo momento, que indica que ela está em melhor fase. Então o critério mudou, porque em Londres foi desconvocada aqurla que estava em melhor fase. Desta vez foi mantida a que está em melhor fase. Contudo, devo concordar que a Leia participou de jogos que eram melhores em termos de oportunidades para mostrar serviços. A Brait não teve oportunidades similares.

Sim Laura, a Brait foi hoje a Fabiola em 2012. E no caso dela é pior, porque foi pela segunda vez, e por critérios diferentes em que, nos dois casos, foram usados para resultar em sua desconvocaçao.
Bem, ela é jovem, em Tóquio estará com quanto? 31 anos? Idade de muitas das companheiras de SFV hoje. Mas depois de 8 anos planejando carreira em primeiro lugar, não sei se ela vai manter esperança. Vejam que a Brait agora pode ter virado a chave da SFV no Rio, se algo acontecer com a Leia ate os jogos, com que moral a CT acha que a Brait voltaria?

A Leia veio com tudo, chegou à sua melhor forma. Está no ápice, na minha opinião. A Brait tem limite técnico mais alto, ou seja, o seu ápice pode ser melhor do que o da Leia. Mas "olimpíadas é momento", como diriam muitos de nós. Só espero que a Leia não sinta a pressão de ser a única libero da SFV, porque pode ser que ela não esperasse ter que carregar toda a responsabilidade sozinha, e torcesse no íntimo que a Brait tambem ficasse.
Como isso não aconteceu, agora o que a Leia tem é fazer por merecer, e lidar com a pressão.
Cabe lembrar também que o jogo com os EUA foi aquele em que Leia se sobressaiu. O da Rússia não pode ser levado em consideração, porque o adversário facilitou demais a vida da SFV.

Laura, vc concordaria que neste ano a Dani e a Sheilla estão ainda mais pressionadas? Eu me preocupo com isso.
Jonas M.B disse…
Sheilla pressionada? Só porque ficou no banco a temporada praticamente inteira e será a unica oposta do time? Acho que não, risos. No caso da fabiola em relação a Dani dependerá da sua forma física, a técnica tem de sobra.
Unknown disse…
Sim Jonas, ironia entendida.
Sheilla tem que render conforme a expectativa, e também não pode se lesionar. Duas coisas que podem ser um pouco antagônicas.
Isa Costa disse…
Monique é trouxa, medrosa e insegura, achou que a vaga era da Tandara e quis sair por cima pedindo dispensa para curtir férias antecipadas. Achou errado e perdeu a oportunidade.

Não lamento por Camila e Tandara, mereceram o corte, só elas agora podem se lamentar e muito por não terem se esforçado o suficiente. Não tem essa de " Brait é mais experiente" e "Brait ainda poderia crescer mais enquanto Léia já estava no seu máximo", O hoje que importa e quem se encontra melhor é a Léia, Camila já jogou com a seleção por anos e teve a Superliga para demonstrar seu melhor desempenho e se acomodou, tomou uma rasteira bem dada pela Léia.

Ainda acho a situação da Tandara pior, o ZR preferiu ir só com uma oposta a ter que levá-la kkkkkkkk, ela é tão ruim que o Zé nem quis levar mesmo sem ter outra oposta para colocar no lugar.
Gabriel disse…
"Monique é trouxa, medrosa e insegura" a superficialidade de comentários assim chega a ser cômico, prefere chamar a jogadora assim sem saber o real motivo da dispensa e por julgá-la de forma pessoal, difícil mesmo.
Unknown disse…
Isa Costa, esclarecendo que eu defendo a Leia na SFV. Até as semifinais achava que estaríamos bem com uma ou outra. Depois concluí que a Leia seria a recomendada, e continuo achando isso.
Estaremos bem de líbero, mas não sei se a CT tomou a decisão correta, porque eu acho mais prudente ter duas liberos, abrindo mão de uma central. Mas quem decide isso é a CT, minha opinião não vale.

Desejo sucesso a todas que trabalharam e continuarão a trabalhar nesse ciclo!
Vou torcer como sempre.
L. Mesquita disse…
Isa Costa seu comentario foi insensivel e desrespeitoso com a Monique e a Brait. Monique e Michelle Pavao pediram dispensa da selecao A e B por problemas particulares, ha moentos em q a familia precisa de vc, precisa da sua presenca e do seu apoio. Continuar na selecao num momento desses nao da, pois elas sao seres humanos e nao maquinas frias e sem sentimentos. Dizer q Brait nao se esforcou o suficiente? Essa garota abriu mao de varias coisas durante 8 anos p/se dedicar a selecao e foi cortada em Londres p/Natalia ir sem condicoes de jogo e agora foi cortada de novo p/ q fossem levadas 4 centrais. Veja bem p/ defender a ida da Camila e nao preciso detonar a Leia, ate porque eu acho q a Leia mereceu sim estar na Olimpiada, apenas acho q era mais seguro levar 2 liberos em vez de 4 centrais. Adenizia ja tem seu Ouro de Londres, Brait nao. Brait deixou de ganhar sua medalha em Londres em plena forma, p/q Natalia sem condicoes de jogo estivesse la. Agora acho q seria mais seguro levar 2 liberos q 4 centrais. Mas acho q Brait nao deve esquentar a cabeca com isso, pois nos sabemos o seu valor e sua dedicacao. Desrjo tbem muita sorte e Adenizia e q ela bloqueie muito nas inversoes do 5x1. Gosto tbem da Adenizia e acho q o Ze confia muito nela nessa inversao do 5x1.
Bruna Volochova disse…
Isa Costa, creio que é muito injusto dizer que a Camila Brait não se esforçou o suficiente. Pelo contrário. Como já disse antes, para mim o que decidiu pela escolha foi a questão anímica, mostrar algo diferente, colocar a seleção para cima e não ceder tão fácil a um mal momento. O fato de Léia ter tido um bom desempenho frente aos EUA, principalmente após perder o primeiro set, foi crucial. Ela manteve seu jogo e cresceu a partir da li. Brait não fez isso no Mundial. Caiu e desanimou como as outras. E a seleção, cujos problemas nunca foram técnicos, precisa de alguém assim. A Léia traz um pouco de Fabi para a seleção. O que Zé queria que a Camila desenvolvesse nesse período em que ficou lá, mas foi difícil para ela pois é uma questão de personalidade, algo difícil de mudar. Tecnicamente acho a Brait superior à Léia e até à Fabi, no passe. Mas a Léia é mais reggaeira, descolada, e acho que isso pode ajudar. A seleção tava precisando de uma líbero do tipo Brenda Castillo, não pela técnica, mas pela presença de quadra que tem. Mas eu mantenho minha posição, teria cortado a Gabi e levado duas líberos.

Creio que a presença da Jucyele possa ser fundamental em alguns momentos, como contra a China, ou até contra os EUA, quando a Thaísa estiver lenta. Observem que contra os EUA o ataque de meio foi apenas pelo meio. A china da Fabiana, que realmente tava ruim, foi abandonada. Não sei até que ponto é bom abrir mão disso. Mas funcionou. Mas seria bom ter alguém com uma china como a da Jucyele, para fugir do bloqueio das centrais adversárias. E acho que por toda uma obra de vida ela merecia ir, como a Valeskinha foi também.

Não dá para julgar a Monique, pois não sabemos suas razões. Mas se ela desistiu por ter achado que não teria chances, foi uma decisão infeliz. Com certeza haveria um rodízio para ela entrar nos jogos e com certeza maior ainda, ela teria desempenho melhor que Tandara, Gabi e Adenízia, na saída de rede. Não sei se seria o desempenho almejado, mas melhor do que suas concorrentes seria.

A questão anímica é tão importante para o Zé, que a Adenízia estará lá, nos bastidores.
Bruna Volochova disse…
Acho que tive uma iluminação agora. Acho que a aposta para oposta será Jucyele, batendo china. Imaginem ter Fabiana e Thaísa na bola de frente e Jucyele na china ao mesmo tempo? Como é que o bloqueio adversário marca isso? Elas teriam que ficar uma contra uma, se alguma antecipar é penalty para nossas centrais. Acho que tô louca, tô?
Johnny disse…
Gente, vamos ter o CD de Aline Barros!!! Obaaaaaaaaaa, palmas e mais palmas kkkkkkkkkkkk
Adenízia com sua coleção de CDs da Aline Barros, vai salvar a seleção! Nenhum outro time do mundo tem isso! kkkkkkkkk
Sinceramente, o que Adenízia fez para merecer lugar na seleção? Ela não é oposta, isto está muito óbvio. Ela jogando de oposta dá muito mais prejuízo do que vantagem para o time. Só de ver as passadas dela como oposta, se nota que ela não tem a mínima desenvoltura na posição.
Ela não está em um momento melhor do que a Juciely, pois a Juciely tem uma bola "China" mil vezes melhor que a Adenízia e o bloqueio também está melhor. Ou seja, qual a necessidade de levar 4 centrais?
Eu teria levado 2 líberos, pois o time do Brasil não funciona sem um passe na mão. Isso é fato comprovado! O Brasil sem o passe na mão da levantadora, é um time como qualquer outro, a ponto de perder set para a Bélgica por 25x13......
Eu levaria 2 líberos para dar segurança, caso uma delas esteja insegura e não consiga entrar bem em algum dos jogos.
Ir para uma olímpiada com apenas uma jogadora oposta, também nunca vi!
Enfim, agora é torcer para dar tudo certo e essas que foram escolhidas terem o poder psicológico de superar os desafios, pois pelo que tudo indica, vamos ter quartas de final bem fortes e a semifinal só Deus para saber o que vai dar! kkk
Já no masculino, Deus tocou o coração de Bernardinho para ele levar o William (levantador), pois o filhinho querido - Bruninho - é um verdadeiro pipoqueiro, que na hora "H" não joga nada e só sabe fazer caras e bocas, achando que cara e boca ganha jogo!
Ainda bem que não vai levar Sidão e Murilo, já que o Éder está jogando muita bola, assim como Maurício, e seria injustiça cortar algum deles para colocar Sidão machucado, ou então tirar Douglas, Lipe e cia limitada, para colocar o Murilo, também machucado.
A seleção masculina infelizmente eu perdi o encanto! Não acredito em mais nada. Se ganhar um bronze acho que já estaremos no lucro!
Bruna Volochova disse…
"Ir para uma olímpiada com apenas uma jogadora oposta, também nunca vi!"
Foi assim que o Zé ganhou dois ouros olímpicos femininos. Onde você estava que não viu? Marte?
Sinceramente o corte da Brait foi uma decepção , digamos que ela estava instável , mas com o decorrer do GP ela foi melhorando. Isso é fato. Só que mesmo assim o Zé aproveitou bem mais a Léia, não que a Léia não tenha mostrado serviço, e até me surpreendeu com o seu excelente desempenho. Mas e a dedicação da Brait todos esses anos?? Aí vc leva uma jogadora pq ela fez apenas um campeonato bom???? Sendo que a mesma instabilidade q a Brait teve a Léia tb teve, e isso sem contar que ela teve mais oportunidades agora no GP. As duas jogam a mesma coisa, eu sempre acompanho os jogos da seleção e da super liga , então pelo amor de Deus já que ele teve tanto pesar com a fabiola q está fora de forma, e não tem com a Camila?? q sofreu 2 cortes diretos?? Eu acho injusto.Enfim, corte da Tandara mas do que justo, estava péssima , jogando absolutamente nada. As 4 centrais , eu gostei da ideia , elas estão mais uteis do q levar a tandara, pelo menos da pra inventar alguma coisa, no sufoco. Agora a fabiola eu sabia q ele ia escolher ela, só q não estava querendo aceitar, acho q ela não vai fazer diferença alguma( quero queimar minha língua ) , o jogo dela é parecido com o da Dani, as duas são inseguras ,via mais vantagem na Roberta, pelo menos ela não é medrosa. Agora é ficar na torcida , e que venha o TRI, se Deus quiser . E em relação ao masculino, os cortes foram ligados ao físico , a unica coisa que não me desce o ver o William no banco , perdendo vaga pro Bruninho, se não fosse o papai Bernardinho , não seria nem convocado, ele amarela demais, e tá mais pra agitador de torcida. E só fica nas caras e bocas, como o Johnny citou, hahahhahahahaha.
Rafael Pais disse…
Monique indiretamente foi a responsável por esse turbilhão todo. Podem até ser questões pessoais fortes, mas ela já tá treinando com o Rexona e a Michelle postando fotos em festas. Uma pena pro Brasil, que vai com quatro centrais. Tb sou a favor de duas liberos nesse caso, não obstante ache que Camila saberia que seria cortada, pelo vídeo após o GP. Desnecessário o marido dela escancarar isso tudo. Quer engravidar, engravida. Olha o tanto de mãe aí na seleção!
Rafael Pais disse…
Monique indiretamente foi a responsável por esse turbilhão todo. Podem até ser questões pessoais fortes, mas ela já tá treinando com o Rexona e a Michelle postando fotos em festas. Uma pena pro Brasil, que vai com quatro centrais. Tb sou a favor de duas liberos nesse caso, não obstante ache que Camila saberia que seria cortada, pelo vídeo após o GP. Desnecessário o marido dela escancarar isso tudo. Quer engravidar, engravida. Olha o tanto de mãe aí na seleção!
Seja lá qual foi o motivo, a Monique fez o que achou necessário, tenho como certeza que ela não imaginava esse "fim" trágico da Tandara, mas eu no lugar da Monique, nas condições que as coisas estavam caminhando talvez também tivesse feito o mesmo, ela tava de presépio lá.



Quebrando o silêncio parte 1
Boa tarde Laurita e caros leitores...
Vim aqui só dá um alô pra Monic pavão:
Alô Monic, gata o que é a perseverança na vida do ser humano, não sei que tipo, nem a gravidade do problema de ordem pessoal que lhe acometeu, mas acredito que mediante ao que ocorreu com a oposto reserva aquela, a Tands, vc estaria na olimpíada! Será. ?
Fico me perguntando com que cara o zeu Zé iria lhe cortar, sob qual justificatica, uma vez que ele mesmo já disse que tem muita admiração pelo seu voleibol... (sou taxativo, o que ele diz e escreve comigo não tem crédito)justificativa ele não precisa, ele o faz e ponto, segundo os critérios pessoais dele, mas que ele ia ficar numa sinuca de bico caso lhe cortasse.. eita José....
Enfim,amigos precisava deste hiato, deste tempo das redes sócias pra me dedicar a outras esferas da minha vida, não vem ao caso. Mas temos pendências, depois venho comentar, sobre o zunzunzun que a galera anda esbravejando no caso de levar duas liberos e sobre a insensatez de levar quatro centrais. E ainda tem o mercado né tenho umas contas pra acertar com a galera da contra informação. Beijos de luz eu também estava morrendo de saudades, como diz Thaisao, beijos chuchus....
Rafael Grapper disse…
que a Léia arrebente e mostre todo o seu voleibol no Rio!
só espero que não seja odiada assim como foi a Fernandinha 4 anos atrás por uma escolha do Zé pra lá de questionada. A grande maioria lamentando os anos prestados pela Brait a seleção e esquecem que isso não garante vaga cativa. Isso me faz lembrar da Carol Gattaz, que também foi preterida 2 vezes e soube dar a volta por cima e valorizar seu trabalho por anos na SFV. Que Camila Brait use como exemplo para poder voltar mais forte no próximo ciclo olímpico, porque talento tem de sobra e espaço para se desenvolver.
Léia...Léia...
Luiz Felipe disse…
Em publicação hoje no Instagram, C. Brait anunciou sua despedida definitiva da seleção, após oitos anos de convocações, com apenas 27 anos de idade. Pena, ela poderia tentar mais um ciclo olímpico, mas esse corte deve ter sido duro demais. Espero que ela reveja essa decisão, a qual, creio, foi tomada no "calor do momento". Fabiola foi cortada em 2012 tb às vésperas dos JO (ok, não foram dois cortes seguidos), mas sempre se manteve confiante de que sua vez chegaria novamente.

Intrigante essa do ZRG levar quatro centrais. Na minha modesta opinião, ele vai insistir, nessas próximas semanas, em treinar melhor a inversão com a Adenízia na saída, como uma "bola surpresa" - algo que o time não tem ainda para as Olimpiadas. Acho difícil dar certo, mas, enfim, quem sabe... O fato é que ele já tentou no passado uma jogada "heterodoxa" com a Thaisa pelo meio-fundo (pipe), sem lá muito sucesso tb.
Torcia pela Brait - só questão de simpatia/empatia.
Mas é bonito ver uma jogadora ganhar a vaga na bola, no esforço, como a Léia.
Estamos nas mãos de Dani Lins, e isso está longe de ser um problema.
Já notei que ela cresce nos grandes jogos.
A seleção masculina tem começado bem os torneios e perdido a final.
Já com a feminina tem ocorrido o contrário.
Como só torço pelas meninas, acho chato o jogo dos marmanjos.
Que assim siga.

PS: Qual título Olímpico é mais querido por vocês: 2008 ou 2012?
O de 2008 com sua bela e admirável supremacia, porém com pouca emoção.
E o de 2012 com sua irregularidade a prova de cardíacos.
Pra mim esporte é emoção - fico com 2012!
Brait anunciou aposentadoria da seleção.
São duas frustrações pesadas - essa mais ainda.
Ela só tem 27 anos, acho que é coisa do momento.
Ela volta.
Isa Costa disse…
ZHenrique Miranda

Sem dúvida Londres foi melhor. Sempre penso nisso, a seleção tendo que passar a humilhação de jogar o Sul Americano para ganhar a vaga, passando sufoco nos primeiros jogos, sendo massacrada por todos e se superando contra a Rússia.

Lembro que comecei a ver o jogo e o Brasil estava perdendo, se perdesse estava fora, fui ao dentista e quando voltei pra casa certa da derrota do Brasil liguei a TV e o jogo ainda estava rolando no tie-break. Não conseguia acreditar no que estava vendo, o coração apertado a cada chance de match point da Russia sendo salvos pela Sheilla, quando ganhamos chorei muito.

Pelo caminho torto e difícil que a seleção percorreu para ganhar aquele ouro, 2012 será insuperável, nunca vai acontecer de novo do mesmo jeito, essa emoção de se superar tanto quando ninguém acreditava mais nunca mais vamos sentir, e eu vivi isso, nunca vou esquecer a sensação.

Isa Costa disse…
Vamos esclarecer, era totalmente a favor da Camila ir junto e deixar a Adenízia de fora, até porque ela já foi em Londres, mas o fato da Camila ter caído de rendimento fez o ZR questionar sua necessidade no time. Se estivesse jogando o seu melhor não teria porquê o ZR esquentar tanto a cabeça, o passe dela estava muito ruim quando pressionada por duas bombas no passe ao seu lado como Garay e Natália num dia inspirado para quinar.

Sobre Monique, acompanhei no Praia, nas breves participações na SFV e vi várias entrevistas e por isso disse que acho ela medrosa e insegura, isso que ela passa para as pessoas, se fosse problema grave de ordem pessoal já teria sido divulgado em algum lugar, pediu pra sair por achar que a Tandara estava garantida. Talvez o fato de disputar uma olimpíada em casa tenha assustado ela, talvez tenha sido o fator Tandara mesmo. De qualquer forma ela deixou a SFV na mão.
Rodolpho Francis disse…
Fato é que o Técnico da Seleção Feminina nao faz Testes. Ele pode ate dizer, mas todos vemos que isso nao acontece. Bia e Suelen cansaram de serem chamadas para a seleção e em muitos casos nem foram relacionadas. Nao sou fa do Jogo da Bia e odeio a Forma física da Suelen, mas reconheço que as duas quando fora chamadas estavam jogando muito, em especial a Suelen. O que ela defende e passa na mao é impressionante. Monique deve ter cansado de ficara. Disposição da SFV e nos momentos mais importantes ser cortada. O mesmo acontece com a Michele e com a Brait, Gattaz e e Mari Paraíba (Coitada, foi passear). Poucas estiveram a disposição do ZRG por tanto tempo, só consigo me Lembrar da Fofão, ja que a Fabi era Titular Absoluta. Uma Hora a Atleta acorda e percebe que daqui a 04 anos pode ser cortada novamente. Estou vendo varias pessoas aqui dizendo que a Monique é medrosa e que deveria ter esperado sua chance e que deveria ter tentado sua Vaga. Mas no momento da Convocação a grande maioria foi contra, dizendo que a mesma pouco poderia acrescentar a seleção. No momento da sua dispensa alguns comemoraram e disseram que era ana, tinha o mesmo estilo de jogo da Sheilla mas levava muitos bloqueios. Bando de sem noção. Eu sou fã da Monique, torço por ela é uma jogadora extremamente regular e vai lutar por mais um titulo nacional. Obs: Fez certo em não esperar a Panela do ZRG.
Rodolpho Francis disse…
Só completando... Se o ZRG fosse de testar jogadoras veríamos Jucy e Adenizia contra seleções mais rápidas, veríamos Roberta Jogar uma partida completa, veríamos Natalia de Oposto, veríamos Paula Borgo ou Helo nesse Grand Prix e veriamos a Mari P. Fazendo alguma coisa.
Jonas M.B disse…
Que injustiça, a Mari PB já fez e muito, vide a playboy. Risos
Unknown disse…
Bom, tenho que respeitar as decisões de ZRG/CT e também a da Brait de não jogar mais na SFV. Cada um tem suas razões, que eu desconheço então não posso conjecturar muito sobre isso.
Acho que a Brait não precisaria se pronunciar, poderia ficar na dela e deixar o tempo acontecer, porque tem muitas coisas ainda por vir, e fechar as portas para novas possibilidades limita as oportunidades. A vida traz muitas oportunidades. Enfim... entendo a decisão dela, é o que posso fazer.
ZRG e CT assumiram a decisão, porque são pagos para isso, e decisões assumidas implicam em riscos assumidos também.
Boa sorte a todos, sejam os que ainda estão nos JOs, sejam os que contribuíram para a SFV e não estarão mais. Sou grato pela dedicação e esforço.
Unknown disse…
Agora, pensando nos JOs e na SFV remanescente, tem coisas que ainda vão tumultuar a rota.
Tem a questão da Russia ameaçada de não vir por causa do caso do doping. Se não vierem serão substituídas por Alemanha no M e por Turquia no F. Mas será que vai acontecer? Ainda sobre a Russia F, as coisas internamente lá estão estranhas, tem um ruído lá rolando sobre a seleção Russa Feminina. Estou achando que se elas vierem poderão render abaixo do que se espera delas. Ou talvez seja um incentivo para vir com a faca nos dentes.
Se Turquia vier no lugar da Russia, entra como franco atirador. Mas elas estão desmobilizadas e sem treinamento, então talvez venham com pouca pegada.
Brasil tem duas asiáticas na fase de grupos, e a Korea do Sul é a que mais me intriga. Pode ser que tenhamos alguma dificuldade nesse jogo, e como ZRG tende a não inovar, poderemos sofrer com a velocidade do adversário. O Japão não me intriga, vejo pouca chance de surpresa.
Talvez tenhamos que considerar que Brasil tem um risco de não ficar em primeiro no grupo. E não por causa da Russia, mas por causa da Korea. Posso estar enganado. Neste caso, quem estaria cruzando com a SFV do outro lado? Sérvia? China? EUA?
Vcs podem achar que estou delirando, mas o outro grupo tem muita chance de acontecer coisas inesperadas.

L. Mesquita disse…
Parabéns pela atitude Camila Brait, você agiu com a razão ao contrário do Zé que preferiu arriscar levar 4 centrais em vez de 2 líberos. Fiquei mais fã ainda da Brait pela coerência e personalidade de saber a hora de dar um ponto final numa coisa que não anda pra frente. Brait é praticamente sinônimo de dedicação, quem acompanha o que lea faz no OSasco cobrindo praticamente a quadra inteira ao lado de ponteiras que tem o passe ruim sabe do que estou falando. Na seleção também, Brait sempre foi exemplo de dedicação. Gente, são 8 anos de dedicação, deixando a família de lado p/doar seu tempo precioso treinadno com afinco na seleção. 8 anos e 2 cortes olímpicos!!! No primeiro corte, Camila foi levada a Londres e a dúvida era entre ela e Natália, Natália estava sem condições de jogo, tanto que quando voltou a comissão técnica do Rexona teve que recuperá-la antes de Natália poder atuar pela Superliga. Camila estava no auge da forma e foi cortada p/ Natália ganhar o Ouro do banco. Em 2016, a disputa estava entre Camila e Adenízia, 2 líberos ou 4 centrais. Creio que inversão do 5x1 poderia ser feita com alguma das ponteiras, sem precisar levar uma quarta central p/isso. Além disso, Adenízia já ganhou sua medalha olímpica com direito a Aline Barros e tudo, estava na hora de sempre dedicada Brait ter sua oportunidade. Isso não é fenômeno isolado, outras jogadoras se desmotivaram da seleção por causa da falta de oportunidades dadas a elas pelo Zé, casos de Bia, Suelen, Macris, Claudinha, Helô, Carol Gattaz e muitas outras. Vejam, por exemplo, o depoimento da Carol Gattaz que fez uma excelente Superliga pelo Minas e sequer foi lembrada na convocação: "Acho que até hoje eu poderia ter uma chance na seleção, até pela Superliga que eu joguei. É claro que tem várias jogadoras de nível excelente, as centrais, indiscutivelmente. Mas eu teria condições, sim, de estar brigando. A frustração é muito grande, é muito grande. É engraçado falar disso, é a primeira vez que estou falando, mas para mim é até difícil assistir às chamadas da Olimpíada na TV. É uma coisa que fica em mim e que ainda não é bem digerida" declarou Gattaz em entrevista ao jornalista Cristiano Martins, do Jornal Hoje em Dia... Parece que a Adenízia tem um santo forte na seleção, ninguém tira a vaga dela, nem a Camila Brait, nem a Carol Gattaz, nem a Monique Pavão.
L. Mesquita disse…
O doping foi organizado pelo governo da Russia, por isso a Russia deve ser banida do Rio-2016, em outras épocas os governos da Alemanha comunista e da China também patrocinaram o doping de seus atletas, só que a tecnologia da época não era tão avançada e rápida suficiente para banir esses países dos Jogos. O banimento é correto, chega de corrupção, chega de fraude. Um atleta normal que deixa sua vida particular em segundo plano para se dedicar aos treinos, como fez a Camila Brait por oito anos, não pode chegar à Olimpíada e perder para dopados. Vimos que o time da Marichev está horrível, batendo cabeça, não podemos aceitar que as russas joguem dopadas e venham atropelando nas Olimpíadas. No masculino foram compravados os dopings de Markin e Obmochaev. Mas o maior problema é a troca de urina para dar o falso positivo.

0
Bruna Volochova disse…
Suelen na Itália.

http://www.bergamopost.it/pensare-positivo/colpo-a-sorpresa-della-foppa-arriva-suelen-libero-atipico/
L. Mesquita disse…
Pra falar a verdade, não acho que Monique teria mais chance agora. De uma certa forma o Zé iria arranjar uma desculpa p/levar a Adenízia. O Zé é supertiscioso, vcs se lembram daquela história de passar a mão no corcunda? Adenízia é um tipo de amuleto p/ele. Acho que certas jogadoras como Bia, Suelen, Macris, Claudinha, Helô, Carol Gattaz, Michelle e Monique Pavão e muitas outras só terão chances na seleção com "outra comissão técnica" que não tenha nem Zé, nem Paulo Coco.
Unknown disse…
L. Mesquita, talvez a CT após Rio seja mesmo outra.
Tanto na SMV quanto na SFV as CTs podem (ou precisam) ser alteradas, porque acho que seria saudável para todos, principalmente para os próprios integrantes das duas CTs.
Unknown:
Dificilmente eu não vejo o Brasil em 1º no grupo A. Vai cruzar com certeza com Holanda ou Itália nas quartas de finais, tendo em vista que EUA, China e Sérvia brigarão em igualdade pelas 3 primeiras posições.
Unknown disse…
Fernando:

Espero que vc esteja certo.
16 dias pros JOs. Tem muita coisa que pode acontecer até lá.
Valeu, Isa Costa.
Também acho que aquela, pela redenção final, pelo jogo com a Rússia e pela final - a cara resumida da campanha, levando uma surra no primeiro set e depois tudo dando certo - é insuperável.
Eu, por exemplo, passei a acompanhar vôlei feminino(masculino sempre achei chato)depois do jogo com a Rússia em 2012.
Mas vamos ver, o futuro sempre é cheio de surpresas. :-)
Eu poderia aqui criticar os críticos, ou falta de, do Zé Roberto. O que ele fez com a Brait, já havia feito com a Fabíola, que nunca deveria ter aceitado trabalhar com ele.
Mas fico calado porque. O ZR tem uma sorte do outro mundo. Faz tudo errado e acaba dando tudo certo