O passo a passo de Rio 2016



A FIVB divulgou nesta terça-feira a tabela dos jogos femininos na Olimpíada do Rio. 


Para o Brasil, não poderia ter sido melhor. O nível de dificuldade é escalonado, começa com Camarões e termina com Rússia. Há tempo suficiente para aquecer, entrar no ritmo da competição e ir ganhando confiança aos poucos. Bem diferente da sequência de partidas de Londres 2012 que, somado aos próprios problemas, quase deixou a seleção pela primeira fase.

E os Jogos 2016 já começam com uma decisão. Japão e Coreia se enfrentam, provavelmente, para decidir o terceiro e o quarto colocado no grupo A. A última rodada também promete bons jogos para além de Rússia vs Brasil: Sérvia vs Holanda e Estados Unidos vs China – esse último confronto, se tudo acontecer dentro do esperado, decidindo a primeira colocação do grupo B.

Os adversários diretos do Brasil no caminho do ouro tem uma trajetória mais complicada. EUA e China, por estarem num grupo mais equilibrado, naturalmente não terão tempo para qualquer cochilo. Os EUA estreia contra Porto Rico, que, apesar de não ser nenhuma maravilha, é mais forte que Camarões ou Argentina. E China contra a Holanda. A Rússia, assim como o Brasil, começa contra um adversário fraco, no caso a Argentina. Porém, logo na segunda rodada enfrenta a Coreia. Para as russas que, volta e meia entram de corpo mole e demoram a engrenar, é um grande risco. Tá aí uma boa oportunidade para as coreanas “cometerem o crime”.

Comentários

Paulo Roberto disse…
Achei interessante a tabela. Não quero fazer previsões agora, o GP vai nos dar um parâmetro de como as seleções estão, principal a brasileira que não joga em alto nível a mais tempo que as rivais, mas sinto que as coreanas podem surpreender e terminar em 2º nessa chave.
George disse…
O grupo B terá sempre ótimos jogos, mesmo os com Porto Rico. Agora os do grupo A com Camarões e Argentina serão massacre na certa, ficarão interessantes mais pro final do turno.
China jogará em algum momento no Grand Prix com o time completo? Elas tem mania de sempre escalarem time B nas competições menos importantes. Tem o lado positivo na surpresa do jogo, mas perdem bastante em ritmo de competição. Veremos.
As quartas prometem ser de jogos ótimos onde todas tem chances de passar. Creio que essa seja a olimpiada mais equilibrada de todas.
Laura disse…
É, Paulo, pode ser mesmo q a Coreia brigue pelo 2º lugar. Tb quero ver o GP pra ter mais noção de como estão as seleções.

George, ainda não sei sobre a China. No ano passado, se me lembro bem, ela começou com as titulares e colocou as reservas na fase final. Não duvido q faça a mesma coisa desta vez.
Renato Santos disse…
Concordo com os comentários acima de que devemos esperar o Grand Prix acabar para avaliar melhor a seleção e os adversários. Mas o Brasil esta com um sério problema no ataque, todas as atacantes não conseguem virar de primeira e isso não é culpa da recepção e nem das levantadoras, já China, Sérvia, Russia e USA não tem esse problema. Por isso precisamos melhorar bastante a parte ofensiva, porque não adianta nada fazer uma boa recepção ou boas defesas e não confirmar no ataque e contra-ataque.
Com relação aos jogos, eu gostei pois se tudo acontecer como imaginamos, Russia x Bra e Usa x China estarão decidindo o primeiro lugar do grupo no ultimo dia da fase de classificação. Eu não acho que a Coreia tem time pra vencer a Russia e brigar pela segundo lugar, pois se a Kim estiver bem marcada pelo forte bloqueio Russo, já era o ataque Coreano.
Por fim a China deverá usar o time titular durante a fase de classificação do GP e na fase final usar o time B, mas como a Lang é imprevisível tudo pode acontecer rs.