GP - Brasil 3x1 Itália


Como era esperado, o Brasil entrou em quadra sem qualquer novidade. Aquela que todo mundo desejava ver só apareceu no quarto set, com Jaqueline substituindo a Garay e formando com a Natália uma nova dupla de ponteiras passadoras.
 
**************************
 
O passe não foi nosso ponto de segurança mais uma vez, mas tampouco chegou a ser nosso principal problema. Os erros de recepção foram mais pontuais do que uma constância. A Dani Lins teve em boa parte da partida condições de contar com todas as atacantes como opção.

Natália, nossa maior pontuadora no ataque, teve uma atuação que foi crescendo ao longo da partida. Porém, alterna bolas excelentes com erros toscos. Ou seja, ainda está longe de ser nossa bola de segurança. 
 
Como a expectativa em relação ao ataque e ao passe já não são muito altas, um desempenho mediano já é satisfatório. O que me desagradou mais nesta partida contra a Itália foi a inconstância do saque e do bloqueio. A relação entre os fundamentos foi fraca no primeiro e quarto sets. Neles, dependeu de um ou outro sucesso individual ao invés de demonstrar uma estratégia de grupo consistente.

Thaisa continua passando em branco no bloqueio, apesar de corresponder bem no ataque. A Itália tem um jogo veloz, mas não é nenhuma China. Ela está muito lenta e a sua altura não tem feito diferença alguma quando enfrenta ataques como da Egonu, que pega a bola muito alto. Ainda bem que a Fabiana, novamente, puxou o bonde deste fundamento. 

**************************
 
No mais, o Brasil tem que dar parte da vitória à Itália, graças os inúmeros erros que cometeram, principalmente no quarto set. A seleção conseguiu a virada ali ajudada pelos constantes erros de saque da Itália, que evitou o trabalho custoso da virada de bola, assim como os de ataque.

Isso não desmerece o fato de o Brasil, neste momento, ter sido preciso e aproveitado as chances dadas. E também ao fato de ele mesmo ter cometido poucos erros durante a partida. É este o caminho que a seleção tem que seguir: de menos precipitações e menos bolas dadas de graça. Resta saber se o mesmo acontecerá quando o Brasil enfrentar seleções que a exijam mais. Este turno, no qual, além da Itália, enfrentamos Bélgica e Turquia, não nos dará muito parâmetro neste sentido.

**************************
 
Mais GP 
 
- Uma das justificativas para o corte da Carol era de que ela só estaria apta a jogar nesta rodada ou somente nas finais do GP. E o Zé Roberto afirmou que, nestas fases, ele só queria fazer mudanças pontuais, não testes. Espero que a escalação da Leia como titular e a preferência pela Jucy nas substituições não representem, portanto, que a escolha dele está feita para líbero e terceira central. Nada contra o desempenho de ambas, só acho que tanto Brait como Adenízia merecem ser mais testadas - no caso da Adenízia como central mesmo, não na inversão 5x1.

- Alguém viu a Sheilla nesta partida? Elogiei a atuação dela contra a Bélgica, principalmente no primeiro set, acreditando que ali tínhamos indícios de que a oposto voltaria a ser uma peça decisiva no nosso ataque. Mas, nas partidas seguintes, o aproveitamento dela foi muito ruim.

- Ortolani é a Natália italiana. Alguns torcedores italianos já desistiram dela; outros acreditam que a promessa que viram surgir anos atrás e que faz boas temporadas nos clubes ainda possa se confirmar na seleção.

- A Sérvia mista venceu a Rússia titular por 3x2. Boskovic, que começou na reserva de Brakocevic, entrou no terceiro set e ajudou a Sérvia a mudar os 2x0 favoráveis à Rússia. É certo que ela junto com a Mihajlovic, que não participou da partida, colocam a seleção em outro nível de competitividade. Mas há outra jogadora que dá cara a esta Sérvia que, desde o ano passado, tem figurado como potencial medalhista olímpica. É a levantadora Ognjenovic. Ela, ao contrário da sua reserva e da adversária russa, tem repertório, precisão e habilidade para quando a escolha não é somente aquela bola alta e lenta na ponta.

Comentários

Fernanda Machado disse…
Oi Laura!! Hoje achei que o Brasil se saiu bem, evoluiu em alguns fundamentos e estava mais solto em quadra. Em relação a Natália, com todo respeito, acho que ela merecia, pelo menos hoje, alguns elogios, já que foi disparada a melhor jogadora em quadra. Acho que não dá pra comparar a Natália de antes e de agora, até pq mtas vezes nos esquecemos, mas ela teve câncer, e sua queda de rendimento não se deve a uma falsa expectativa criada em cima dela, mas a um problema de saúde que afetou profundamente seu desempenho. A Dani hoje estava mais segura e Thaisa atacando bem, bloqueando zero. Em relação a dupla de ponteiras, acho que o Zé esta testando quem fica com a segunda vaga, já que uma é da Jaque, assim como ele fez no ciclo passado em que a Dani ficou a maior parte no banco enqto ele escolhia entre Fabiola e Fernandinha. Com relação a Léia, acho ela inconstante e se lesiona mto fácil, além de ser apática em quadra, sou mais a Brait..
Jonas M.B disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Jonas M.B disse…
Sou muito mais a Léia, quem quer animação da brait que a contrate como líder de torcida.
George disse…
Esse time italiano cai na 1ª fase das olimpiadas, não tem duvida. A não ser que cresça muito de produção, o que duvido muito.
Quanto ao Brasil, vi a Natália soltando mais o braço, o que já é algo. A Thaisa tá mais lenta que o normal, corre mulher! E a Garay tá aquela coisa, não tá dando pra confiar. Mesma coisa da Dani.
Agora Leia e Brait se equivalem, só que acho a Camila mais vibrante, dá outra cara pro time.

Quanto ao resto dos jogos: Ognjenovic está entre as 3 melhores levantadoras da atualidade, com uma gama incrível atacantes, outro padrão. Russia, na minha opinião, tá deixando muito a desejar. Esperava que Scherban ou Ilchenko dessem outro padrão, mas foi só encontrar um adversário que, mesmo misto, fizesse frente e caíram. Como eu disse anteriormente, acho que esse time sérvio está melhor que os outros.
Gabriel disse…
Continuei não vendo teste nenhum. Hoje tivemos o mesmo panorama da fase em Macau, o time começando bem, mas aí aparecem os erros de recepção, o time adversário ganhando confiança, e no final Jaqueline e Jucyele entrando pra tentar resolver o pepino... Até quando será assim? Mais um jogo que eu me pergunto? Onde estão os testes do Zé? E o que é pior, estou vendo uma seleção com um sentimento muito parecido com a pré-Londres. Não se definia a dupla de ponteiras, era um entra e sai entre Jaqueline/Paula e Garay, Pq ele queria que a dupla Jaque/Paula funcionasse, mas sempre no final acabava se rendendo a Garay, até que já na Olimpíada ela conseguiu se firmar como titular... Quem lembra disso? Agora o troca-troca é com Natália/Garay e Jaqueline? Mas com um detalhe, sempre é a Jaque que entra pra tentar salvar o Brasil... Sinceramente, não estou entendendo esses testes do Zé! E a Adenízia? Não vai entrar nunca? Brait já é carta fora do baralho? Continuo a dizer, Leia é boa, mas Camila tem um potencial muito maior! Acho que Camila merecia ao menos o mesmo crédito e confiança que ele deposita na dupla Garay/Natália que estão errando tudo que podem e continuam jogando. Enfim, não entendo essa estratégia de fazer testes se são sempre as mesmas jogadoras que estão entrando em quadra. Vejam o exemplo de Sérvia, China e EUA, todos os jogos começam com formações diferentes e estão dando rodagem a todas a jogadoras, só no Brasil tem essa ladainha de que há testes, sendo que sempre é o mesmo time que começa, mudando somente as líberos.
Joffre Neves disse…
Achei que tiveram melhoras bem interessantes hoje,passe melhor...Natália se soltando mais no jogo.No geral até que gostei do jogo pela maior entrega das meninas e por aproveitar as chances e evitar o tie mas ainda estou pensativo sobre a queda de rendimento da Thaísa no bloqueio,está absurdamente lenta! O zé deveria testar agora contra a Bélgica a Mari pb no lugar da garay,Adê no lugar da Thaísa pelo fato que a Jucy foi mais testada e a Brait contra a Turquia.Hoje a léia está melhor a Brait e a mim acho interessante também ver a necessidade de levar duas líberos para os jogos no Rio caso a Tandara não convença,tava pensando aqui e o zé pode levar uma líbero apenas e levar uma oposta(sheila) e todas as ponteiras fazendo com que a natália fique na reserva absoluta na saída de rede ou jogando como ponta mesmo e levando a mari paraíba como uma ponteira/líbero.
anônimo disse…
O Brasil começou meio letárgico no passe e na defesa, mas foi se firmando ao longo do jogo. Percebi que o Brasil tem dificuldades de recepcionar saque viagem forçado, talvez porque esse estilo de saque foi quase abolido no volei feminino do Brasil( não sei o porquê). Treinar com homens resolveria esse problema. Estou achando o Brasil pesado na movimentação, deixando cair largadas defensáveis, demorando a reagir na defesa. Perdi a paciência com as largadas da Ortolani que já vinham telegradas com o braço parado e ainda assim caiam. Nos Eua, isso não acontece. Treinar na areia melhoraria a agilidade bem como a base de defesa alta.
O maior problema da Natália é a regularidade, pior, a falta dela. Ela alterna lances de craque _como aquela diagonal curtíssima e aquele ataque na paralela_ com erros amadores como aquele ataque no meio da rede e as duas invasões na linha dos três. Por falar nisso, ela precisa treinar ataques da pipe, pois me parece sem ritmo nessa jogada que costumava ser uma arma eficiente de pontuar. Além disso, me dá nos nervos a insistência dela na diagonal que já está marcada pela defesa adversária. A Natália é a jogadora mais atlética da seleção, com maior alcance e potência, e não sabe explorar ao seu máximo. Ela tem tudo para ser nossa jogadora de segurança se variar mais os golpes que ela costumava executar quando era oposta. Aliás, ela me pareceu bem a vontade naquela metade de set no jogo contra a China jogando de oposta.
Dani Lins esteve mais precisa hoje, mas ainda sinto falta de criatividade, de variação de jogadas. O jogo está muito quadrado. Ela ainda peca nas bolas para a Natália, ora baixas ora coladas na rede. Precisa também trabalhar mais na maior distância.
Thaisa está muito lenta no deslocamento e no raciocínio em relação ao bloqueio. Agilidade nunca foi o forte dela, mas ela piorou nesse aspecto. Me parece mais pesada. A qualidade do saque também caiu. Teve um bom desempenho no ataque, mas central precisa bloquear.
Fabiana a engoliu nesse fundamento(7 pontos dos 14) e apesar dos erros desnecessários de saque foi mais regular que a parceira de posição.
Sheilla ainda é uma incógnita para mim. O atual desempenho dela é parecido com a fase de classificação em Londres e na primeira e segunda fases do Mundial. Apagada, mas se apresentou nos momentos turbulentos do jogo como jogadora de decisão. Deve ser por isso que a comissão a mantém no grupo. Mas apesar do bom histórico, uma oposta não pode sair de quadra com seis pontos jogando quatro sets. É caso de, no mínimo, pensar em uma reserva eficiente, porque a Tandara realmente não me parece uma opção segura. Ainda acho que Paula Borgo merecia ao menos uma oportunidade para ser testada. Não estou afirmando que ela vá ser a salvadora da pátria, mas pelo menos é uma opção capaz de mudar alguma coisa. Ela é jovem, alta, atlética, forte, habilidosa e desconhecida dos adversários. Se você tem uma oposta titular que mal pontua e outra reserva que não pontua de jeito nenhum, porque não testar uma terceira? A pouca idade não é desculpa, já que o Zé levou a Mari com 20 anos em detrimento da experiente Leila em Atenas.
No embate LéiaxBrait vejo uma ligeira vantagem para a Léia, bem pequena. Mas a Camila tem que correr atrás ou vai perder a vaga.
Sinceramente, ainda não entendi esse frissom pela presença da Jaque em quadra como se ela fosse resolver todos os probleamas da seleção. Que diferença ela fez na derrota para a China? O fundo de quadra dela é maravilhoso, mas nossa principal dificuldade é na virada de bola, no ataque em geral. Esse não é o departamento da Jaque.
No mais, ainda acredito que a seleção possa fazer os devidos ajustes até as Olimpíadas e brigar por medalha.

L. Mesquita disse…
A selecao Bi-campea olimpica nao fez mais q a obrigacao de vencer as juvenis da Italia. A Italia vai fazer figuracao na olimpiada, nao e candidata a nenhuma medalha.
L. Mesquita disse…
Muito mais relevante foi a vitoria do time Misto da Servia sobre a Russia completissima. A Korea despreza o GP p/fazer uma preparacao especial p/o Olimpiada. Acho a Korea um time perigoso, trcoeiro, principalmente p/o Brasil. A Korea 2016 esta mais forte q a Korea semifinalista olimpica e q venceu o Brasil em 2012, as outras jogadoras estao ajudando muito mais a Kim Yeon Koung q esta melhor q nunca a estrela do Fenerbac.
George disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
George disse…
Mesquita, temos como base apenas as atuações da Coreia no pré-olimpico, que foi fraquíssimo. Acho extremamente arriscado se preparar sem jogos oficiais de competição, criando ritmo de jogo. Mas bem, veremos o resultado disso nas olimpiadas mesmo, talvez venham a surpreender e se deem bem no chaveamento, pq tem presença certa nas quartas-de-final.
É fato que as outras jogadoras estão mais decisivas, mas é só a Kim estar abaixo do esperado que elas se tornam uma seleção fraca.
Yana Souza disse…
Acho o Zr extremamente teimoso, hoje era para ele ter entrado com uma dupla de ponteiras diferente... Jaqueline e Natália, por exemplo... Porque ele insiste tanto nesta formação que não tem condições de dar certo... É só o Brasil pegar uma China, EUA, Sérvia ou Rússia que ele será obrigado a mudar, colocando a Jaque para Salvar o passe... Esta histórias de testes ja me deixa nervosa, pois não o vejo fazendo teste nenhum, só muda quando está quase tudo perdido... A Thaisa está lenta, mas a Juci demorou demais para entrar... E a Sheila que não vira nada de primeira, quase todos os seus ataques volta com porrada... Gostaria de ver uma formação, urgente, com Natália na saída... Difícil acreditar que nossa seleção sera candidata a medalha... Na superliga já vi a Leia errando muito passes, apesar de que na seleção ela tem jogado bem melhor que a Brait, tomara que ela continue assim sempre...
Bruna Volochova disse…
Sonho pelo dia que verei Tandara jogar uma partida inteira, e na entrada de rede de preferência. Esperar que ela vá tomar o lugar da Sheilla não vai rolar. E a Gabi, nunca joga, pra quê está lá? E a Paraíba? Queria também ver Natália na saída com Jaque e Mari na entrada. E também queria ver Adenízia jogandando. Não tô vendo teste algum. Como todos disseram, ele está forçando uma dupla de ponteiras que não dá certo.
Duas coisas estão me preocupando: a Fabiana está com dificuldades para pontuar no ataque; isso nunca aconteceu. A saída de rede não vira, com Sheila ou com Tandara ou com Adenízia. Ninguém ganha nada sem oposta.
E as jogadoras estão sem mobilidade e reflexo, mais lentas (especialmente a Thaísa, que já é lenta) pois estão pegando pesado na musculação. Isso é normal, depois a agilidade e velocidade voltam. Já é planejado.
A Thaísa colocou silicone na bunda foi? Tá estranha.
Boa tarde laura e Leitores,

Realmente o jogo no coletivo melhorou, mas ainda não convenceu! O passe estabilizou bem, e a defesa tbm foi um ponto forte, mas o saque que sempre foi nosso forte, está deixando a desejar, quanto ao ataque minhas expectativas é igual da laura não muito alta.
Individualmente a nathalia está jogando bem, mas ainda aprece com erros bobos, falta ela se soltar mais, achei ela mais solta igual no jogo contra china que ela entrou como oposta.
Oposta: fica difícil defender a Sheila e a Tandara, gosto de ambas mas elas não estão correspondendo no ataque, sheila está jogando igual a kozuch, jogadora que define mais importante para grupo pois dá volume de jogo.
dani está melhor, mais precisa no levantamento, porém ainda falta criatividade.
Agora esse conservadorismo do Zé irrita, ela não deu um oportunidade para mari paraíba e nem para adenizia, infelizmente sem coerência nenhuma, desmotiva as jogadoras, se fosse elas já é para ficar no banco eu ia embora e ficava no banco da praça! A thaisa está bem no ataque chegando a 70% aproveitamento, sendo a melhor atacante do jogo, quanto ao bloqueio está muito lenta, nunca foi o forte dela o deslocamento, mas desde da cirurgia piorou, agora não entendo se ele precisa de bloqueio no jogo porque não colocou a adenzia sendo melhor bloqueadora que juciely, se problema do meio fosse ataque acredito que deveria entrar a juciely, achei incoerente da comissão técnica.

Renato Santos disse…
O Brasil esta sem oposto praticamente, pois a Sheilla está com um baixissimo aproveitamento de ataque e a Tandara não vira nada.
O ZR precisa chamar urgentemente a Paula Borgo para fazer testes, pois com ela em quadra, o Brasil começaria a pontuar pela saída. Acontece que sem poder contar com as opostas, o jogo do Brasil fica muito marcado nas pontas e meio. A China sabendo disso fez a festa.
Mas todos sabemos que o ZR não vai mudar nada, porque ele odeia renovar a equipe com jogadoras novas. Então os adversários agradecem.
Renato concordo plenamente, nossas oposta não estão rendendo, que inveja da servia tem duas oposta de alto nível, busco e Jovana Brakočević, e dos EUA que tem três, acorda Zé roberto e chama a paula borgo para as inversões!
Isa Costa disse…
Sobre a Thaisa, penso que se está tão preocupada com questões estéticas, não pode estar tão focada no seu desempenho em quadra, tem que haver um equilíbrio.

Fabiana me deixa bem tensa quando saca, ela sempre faz o favor de errar, fora a dificuldade no ataque hoje, tomou alguns tocos.

Léia é melhor,, Camila no lugar dela estaria espirrando o passe, ela é bem concentrada e isso que importa, o problema dela são as lesões.

Não temos oposta! Sheilla enfeitou a quadra hoje se é que alguém notou sua presença. O desempenho de Londres nos jogos decisivos não vai voltar, não se vive de passado, ou coloca a Natália na saída ou chama a Paula, deixa a Sheilla na reserva.

O zé sempre convoca jogadoras que não vai usar em nada, está ignorando a Mari PB.
Vicente Maia disse…
Acredito que esse final-de-semana não serve muito pra testar o nível da seleção porque os times são todos fracos, teste mesmo agora só na reta final. O jogo contra a Itália foi ruim, o time deu uma melhorada, mas não dá pra ter certeza se é mérito do time ou deficiência da Itália, que por sinal errou demais.
O José Roberto continua insistindo numa formação com Natália/Garay e Sheilla que decididamente não está funcionando. Os erros do time, no entanto, caíram drasticamente.
Hoje a recepção melhorou e a Dani Lins, que já tinha jogado melhor na partida anterior, melhorou mais ainda. A Dani Lins deve ser a jogadora que eu mais critico, mas não significa que que não a admire. Para mim, continua sendo a nossa melhor levantadora. Melhora essa distribuição aí mulher!
Na contramão, o fundamento que muito piorou foi a cobertura. Era bola caindo e todo mundo assistindo. O saque também continua péssimo, se estivéssemos arriscando, sacando viagem, etc. Tudo bem, mas saques não-forçados perdidos um atrás do outro não dá. Roberta continua sendo a melhor sacadora do Brasil, quando entrou pra sacar, é claro. O resto foi sempre saque fraco ou saque fora.

Fabiana começou fazendo uma partida deprimente. Horrível, seria a palavra certa, mas depois se recuperou no bloqueio. Coisa que Thaisa não conseguiu. Sinceramente, embora eu zoe a Yana, eu admiro muito a Thaisa e a acho uma das peças mais importantes para o esquema brasileiro. Mas, ela esteve muito, mas muito abaixo do que sempre jogou no bloqueio em todas as participações até agora, espero que seja por causa do treinamento físico.
Léia parece que se sedimenta a cada dia. Acredito nisso porque o José Roberto não coloca em jogo quem ele não acredita que vá levar. Veja o caso de Mari Paraíba, Adenízia e Roberta. Eu, contudo, apesar do bom momento vivido pela Léia, ainda prefiro a Camila.
Tandara ele ainda teima e hoje ela até conseguiu fazer alguma coisa, mas não o suficiente para justificar a reserva de oposta.
Sheila está completamente apática e sem vibração, parecia mesmo que não estava em quadra, eu sempre ficava observando o posicionamento errado dela. Ela, contudo é presença certa porque é uma Fênix e renasce das cinzas.
Natália está numa crescente e acredito que vá se firmar cada vez mais, afinal é nossa mais forte atacante e a melhor jogadora brasileira atualmente.

O time como um todo, melhorou. Acredito que está em ascensão e assim espero que continue.

Não assisti o jogo Sérvia x Rússia, mas esse time sérvio está cada vez mais surpreendente.
Renato Santos disse…
Se o ZR cortar a Gabi e a Tandara para levar a Paula Borgo e a Mari Paraíba, o Brasil já melhora 50%.
A Gabi não ta fazendo diferença pra seleção por ser muita baixa e a Tandara ta nula. A Mari seria a substituta ideal da Jaque caso ela não esteja bem e a Paula Borgo poderia até ser titular ou entraria nas inversões.
Solução para melhorar tem sim, mas o ZR precisa acordar pra vida e fazer alguma coisa.
Se ele levar a Gabi e a Tandara continuaremos com problema na recepção e no ataque, pois nenhuma das duas vai resolver essas questões, já a Mari e a Paula seriam ótimas opções.
Yana Souza disse…
Nao confio muito ma recepcao da mari... não me passa confianca...
raphael martins disse…
Acredito que o Zé Roberto poderia testar a Natália de oposta, por dois motivos: Sheilla não está rendendo e a Jaqueline é capaz de estabilizar consistentemente nossa linha de passe como ponteira, muito estranho estar na reserva, para mim sua importância no time brasileiro é comparável à que Sokolova tinha no time russo - o sustentáculo de todo o trabalho ofensivo que permitiu Gamova brilhar por tantos anos. Sem contar que a Jaque foi o grande nome da última final olímpica, jogou como nunca, não se vive de passado, mas o que passou mostra quem é quem.

A recepção brasileira ainda é instável, me causa uma tensão nervosa na hora de receber o saque kk Adenízia, Brait e Roberta precisam ser mais testadas. E deixar a Tandara jogar uma vez do início ao fim para ver se confirma o que todo o mundo do voleibol já supõe...
raphael martins disse…
Precisamos ser realistas quanto à possibilidade da Sheilla recuperar ou não a forma física, embora seu estilo de ataque seja mais colocado e estratégico, racionalizando o posicionamento tanto do bloqueio quanto defesa adversários, é evidente que antes quando necessário, também fugia ao padrão e adotava a potência.

Quando Cuba foi tricampeã olímpica Mireya Luis já era reserva justamente pelo tônus físico perdido, acredito que o Zé Roberto deveria fixar um prazo para a Sheilla apresentar melhora, até o fim da fase de grupos acredito que se justifica manter sua titularidade.
raphael martins disse…
É triste, mas no retrospecto recente, os Estados Unidos destruíram o time titular do Brasil em 2014, e agora a China repetiu o feito, essa geração não merece terminar sua história no voleibol mundial com sentido de decadência e a impressão de que expuseram o valor de sua trajetória por não haver substitutas que renovassem à altura, um fracasso olímpico semelhante ao mundial seria determinante nessa linha de análise infelizmente, que não seja esse final amargo.
Luis Carlos disse…
Acho a cobrança em cima da Natália muito grande, praticamente todos os jogos ela sai como a maior pontuadora (e não é ela que recebe mais bolas). Claro que ela pode melhorar, mas fica difícil, principalmente pq o time adversário consegue ler o jogo muito fácil, já que nossa oposta é um cone. Sou muito fã da Sheilla e respeito sua história, mas ele deveria fazer a linha Gamova e se aposentar. Zé poderia colocar a Tandara um jogo todo, desde do começo e ver seu rendimento, ela precisa de chances.
Achava nossas Torres Gemeas intocáveis, mas percebi que a Jucy pode sim brigar pela vaga de titular - na verdade ela até merece -. Dani continua péssima, previsível, ora bolas baixas para Natália ora bolas altas pra Garay.
L. Mesquita disse…
Torcerei para o Volero Zurich, de Mari-PB e Fabiola, no Campeonato Mundial-2016. A tarefa para o Rexona parece ser dificilima, mas a contratacao de Anne Buijs e Bernardinho no banco da esperancas de podium ao time.
L. Mesquita disse…
Acho que levar so a Jack eh arriscado, devido aos recentes problemas de saude, seria prudente levar tbem a MariPB q tem caracteristicas parecidas, deixar Sheilla e Natalia se revezando no 5x1 e cortar logo a Tandara.
L. Mesquita disse…
O fato e q so as titulares jogam no Brrasil, ao contrario dos outros times, o Ze nao da oportunidade de as reservas mostrarem servico.
Yana Souza disse…
Fala serio... vc acha mesmo que mari paraiba pode um dia substituir jaqueline..vc deve ta brincando...nao acho mari paraiba c perfil p jogar na selecao.. tanto que nunca fiu testada oelo zr.
Yana Souza disse…
Gente..to passada.. o Nalbert acabou de falar que estamos bem servidos de ponteiras e ainda citou gabi. Garay e natalia..
Rafael Grapper disse…
O pior foi o Nalbert ter falado que o BRA só tinha 2 titulares absolutas: Dani Lins e Garay. não sabia se ria ou chorava hahahah
Dani até concordaria mas por falta de opção (Fabíola não é e nem será a salvadora da pátria...coloquem isso como um mantra pra não se decepcionarem...)
Garay até cresceu no jogo, principalmente na defesa mas o passe foi de chorar, atuação pior que time juvenil.
se eu fosse ela, após TODOS os treinos, ficaria de 1 a 2 horas treinamento passe, apenas passe, com várias situações de saque, aí sim eu acho que ela teria alguma chance de ser uma ponteira essencial pra SFV
prefiro a Nati, pois é muito forte no bloqueio e defesa e tem um bom saque tb..
Nati/Jaque como titulares, quando veremos essa formação?
Yana Souza disse…
So se entrasse outro treinador...este zr parece perdido tb...gostaria muito de ver a natalia na saida tb...
Yana Souza disse…
So se entrasse outro treinador...este zr parece perdido tb...gostaria muito de ver a natalia na saida tb...
Bruna Volochova disse…
Depois de hoje pra mim ficou claro que não dá para Tandara na saída de rede. Ela tem que ser ponteira. Acho que por lá fica mais vontade para acomodar seu corpo, sua passada e pegar melhor na bola. Na saída de rede ela quase passa em branco, se não passa. Aquelas largas e penteadas bizarras que dá na bola. Eu deixaria ela na entrada e Natália na saída. Testaria isso.
Pra mim o Zé tá dando um truque nas centrais. Ele sabe que Jucyele tá melhor que Adenízia, mas não quer cortar esta última. Assim inventa que ela é versátil e ataca de oposta só que na hora da onça beber água não vai ser Adenízia que vai resolver nada na saída e nem ele vai colocá-la nessa situação. Assim ele vai justificar e levar as duas. Quando na verdade precisamos de mais uma ponteira e uma oposta. Ele não deveria levar 4 centrais, de forma alguma.

Achei as meninas sem vontade de jogar hoje, preguiçosas. Também acho que essa disputa por vagas não faz bem para a SFV. Elas não ficam à vontade com isso e nem acham que se desenvolvam assim. Na masculina isso funciona, ou da forma que o Bernardinho faz. Mas na feminina acho que não, ou a forma que o Zé faz. Não quero vir com teorias de conspiração, mas dá a impressão de que elas não estão confortáveis. Algo as incomoda, de novo. A Thaísa mesmo, estava tão introspectiva hoje.
Não gostei da seleção hoje, mesmo ganhando. Tá uma bagunça.
Rafael Grapper disse…
nada a ver sobre o jogo, mas tenho que comentar pq me chamou atenção: e o bumbum novo e o lábio mais carnudo da Thaísa, tá querendo chamar a atenção no Rio será?. acho só que deveria se preocupar mais com a performance dela, muito abaixo do que ela pode render
Gabriel disse…
Também estou ansioso pra ver essa formação com Natália/Jaqueline, das três, Garay é a que está tendo o pior rendimento. Hoje teve uma atuação desastrosa no passe no início do jogo e no ataque e bloqueio não fez diferença, Jaqueline pontuou muito mais do que ela.
Gabriel disse…
Kkkkkkkkkk Rafael, também tive a impressão que ela colocou silicone no bumbum, tá estranho mesmo rsrs
Unknown disse…
Também tenho a impressão que o clima interno não está bom. Espero estar enganado. Sei que coletivamente o time vai melhorar ainda, elas estão juntas pouco mais de um mês.
Talvez a forma com que ZRG e a CT vem conduzindo o processo não esteja contribuindo. Agora é tarde, mas eles deveriam ter colocado mais jogadoras pra disputar posições desde o ano passado. O processo que conduziram foi baseado no sucesso passado, que não garante sucesso no futuro. Há um misto de zona de conforto com desmotivação, como consequencia disso. E como estamos falando de alto rendimento, essa situação não contribui.
Respeito e valorizo o trabalho de todos, nos deram muita alegria. Eu ficaria triste se nos Jogos acontecessem coisas que maculassem a história vencedora da CT ou das jogadoras.
Vou torcer como sempre.