Os primeiros passos rumo ao tri



Finalmente chegou o momento do reencontro com a seleção brasileira!

Li um comentário por aí de que valeria mais a pena fazer um jogo entre as jogadoras da seleção do que contra a República Dominicana. Não sei se chega a este ponto, mas é quase. Não se viu muita diferença entre uma equipe que recém saiu de uma competição e outra que vem de mais de um mês de treinamento e sem jogar. As dominicanas, mantendo o costume, foram bastante frágeis na recepção e erraram bastante, sendo pouco combativas à seleção brasileira.

Muito do que se viu em quadra nesta primeira partida foi o que se viu no ano passado. Um Brasil jogando melhor com a posse de bola, no saque e bloqueio – ainda que tenha tido muitos erros de saque –, do que no sistema ofensivo.

A Natália foi a jogadora que teve mais dificuldades, desde a recepção até o ataque. Garay se saiu melhor entre as ponteiras e a Tandara teve uma atuação bem discreta. Vocês comentavam que o Brasil precisa de maiores variações de jogadas, com o que concordo. Hoje a Dani Lins usou bastante as jogadas de meio-fundo, o que é um bom sinal, pois são bolas importantes para o time. Mas somente a Garay teve bom aproveitamento nelas. 


**************************

No ataque, as centrais foram opções importantes. Dani foi bastante democrática na sua distribuição para Adenízia e Juciely, que aproveitaram bem suas chances – apesar da Jucy ter tido problemas na china, ainda pouco entrosada com a Dani. No mais, foram bem no bloqueio e tiveram problemas no saque.

Pela escalação fica claro que estes amistosos e, provavelmente as primeiras fases do Grand Prix também, servirão de testes para as meios de rede reservas. Se pensarmos bem, a não ser que ocorra algum problema físico, esta é a única posição em aberto para definir o grupo das 12 para os Jogos. Até mesmo a de levantadora me parece já encaminhada. Caso a Fabíola não esteja pronta a tempo, a vaga deve ficar com a Roberta.

Não acho que este foi um teste de nível para ver quem sai à frente nesta disputa, mas pelos indícios deixados por Jucy e Adê neste primeiro round, a briga vai ser duríssima e ponto a ponto. Mais até do que eu imaginava antes de começar esta temporada da seleção. E olha que a Carol nem deu o ar da sua graça ainda. Vamos ver como elas se saem quando os confrontos forem mais puxados do que este contra a fraca Rep. Dominicana.





**************************

Montreux Volley Masters
 
A seleção B viaja neste sábado para Suiça onde vai disputar o Montreux a partir do dia 31. Como comentamos, a Naiane se juntou ao grupo há duas semanas depois do corte da levantadora Lyara. Achei uma escolha natural visto que ela conhece o grupo, na maior parte composto por jogadoras da seleção sub-23, e, da mesma forma, a Roberta tem mais entrosamento com as adultas por causa do Rexona. Mas também não deixa de ser uma clara indicação de quem é a preferida do Zé Roberto para substituir a Fabíola. Por isso, na minha leitura, como comentei acima, a vaga de levantadora já está definida, somente à espera da recuperação ou não da Fabíola.

O grupo que vai disputar o Montreux:

Líberos: Laís e Érica;

Levantadoras: Juma e Naiane;

Centrais: Fran, Mara, Saraelen e Lays;

Ponteiras: Gabi, Rosamaria, Maira e Drussyla

Opostos: Paula Borgo e Lorenne.

 
O curioso desta lista é que a Rosamaria é classificada como ponteira. Eu nunca a vi jogar desta forma, vocês já? De qualquer forma, só nos mostra como estamos em falta nesta posição quando se sai daquelas que estão no grupo principal.

Comentários

Josenei Silva disse…
Adversário terrível. Não dava pra rolar uma Polônia ou Alemanha ou Turquia não?

A seleção tava com cara de começo mesmo, errando mais do que o de costume, tudo meio desajeitado. Garay foi a melhor pra mim também.
Laura eu acho também que além da definição da central reserva esta forma serve para treinar a Tandara com a Dani para fazer substituições direta com Sheilla, sem inversão. Há uma tendência de que isso aconteça, se Sheilla não estiver bem.
Também gostei das bolas de fundo, precisa usar mais e torná-las mais natural. gostei de uma que a Tandara bateu bem rápida. Me diverti com a Sheilla de ponteira passadora, mas as imbecis das dominicanas não sacaram nela uma vez sequer.
Jucy sofreu mesmo com o entrosamento. Acho que a Dany tem que botar a china mais rápida para ela. Mas foi bom tê-la mudado para a bola de frente pois o desempenho foi melhor.

Notaram que a base da seleção de hoje foi toda de jogadoras de Osasco há alguns anos: Dani, Tandara, Natália, Garay, Brait e Adenízia. Só sobrou a Juciely.

Tomara que o jogo amanhã seja melhor.

Eu já vi sim a Rosamaria jogar de ponteiras em alguns jogos na Superliga, não este ano. Em muitos jogos elas já fez entrada, até mesmo no Campinas. Parece que na base também ela jogava de passadora. Além do fato de que mesmo como oposta, muitas vezes ela passa.
Diego M disse…
rosamaria jogou de ponteira no mundial juvenil, no sula sub22
Warley disse…
Bom gente , foi só um amistoso . Queria ver mas a sheila jogando. Sem dúvida ela vai dar seu melhor nessa olimpíada.
Welmer Sales disse…
Esse jogo foi bem sonolento, a única coisa que me empolgou um pouco foi uma bola da Dani mais curta na entrada de rede para a Natália, de resto foi tudo como o imaginado, não esperava resistência alguma da Rep. Dominicana. Só senti falta da Tandara ter sido mais acionada.

Natália e Garay devem as ponteiras titulares o que é justo pelo que jogaram na última temporada de clubes. A minha maior preocupação com essa dupla de ponteiras é quanto ao desempenho na recepção, eu sei que é apenas o primeiro jogo da seleção, mas ontem a seleção sofreu com a recepção do saque, especialmente a Natália, e isso tem que ser mais trabalhado, uma recepção fraca contra uma seleção mais forte e organizada pode ser sinônimo de derrota. Outra coisa que me deixa um pouco preocupado é o desempenho da Garay no ataque dificilmente ela tem colocado a bola no chão de primeira e isso é algo que tenho visto desde o ano passado quando ela jogava no Dínamo Krasnodar.
Já eu acho o contrário do Warley aí de cima.
Sheila e Jaqueline são craques e jogadoras que entraram na história pra não mais sair.
Mas acho que o Brasil só ganha o Tri com sangue novo.
Elas serão importantes no banco - como a Paula Pequeno em 2012, o tempo passa.
Dani, Garay e Brait serão o caração do time - se bater bem o Brasil leva.
Apesar que acho muito difícil um país como os EUA perderem pela terceira vez seguida.
Eles quererão com todas as forças dar o troco no Brasil na nossa casa.
Yana Souza disse…
Acho muito cedo para tanta gente ficar fazendo previsões com titulares ou reserva... vamos esperar um pouco mais para tirar conclusões do que é melhorpara seleção... Yana, racional e gata.
Vicente Maia disse…
Eu assisti o jogo em São José dos Pinhais e a reprise 4 vezes. É sempre bom poder rever a seleção brasileira ao vivo.
A República Dominicana não veio completa, mas mesmo que viesse não creio que seria um grande desafio para o Brasil. A recepção e a falta de um padrão de jogo são objetivos a serem buscados pelas dominicanas.
O time brasileiro passeou em quadra. Errou muito saque e penou um pouco na recepção, mas em nenhum momento perdeu o controle do jogo.

O que foi bom.
Fê Garay parece em ótima forma, jogou bem, foi a maior pontuadora e bloqueou muito bem também.
Camila Brait estava muito à vontade, defendeu, recebeu e passou muito um bem o saque fortíssimo das dominicanas. Estas, por sinal, têm um saque que parece de vôlei masculino. Ela errou uma recepção fácil, deixou um buraco pra pingada em outra oportunidade e cometeu um dois toques, mas é normal sendo que até levantadoras experientes cometem eventualmente.
Que pena a Roberta não ir pras Olimpíadas. Ela está cada dia mais segura e eficiente. Fico tranquilo com a sucessão nessa posição. Ela entrou em quadra com personalidade e fez a sua parte com perfeição, levantadas precisas e saque sempre bem executado.
Juciely bloqueou e atacou muito bem, mas o entrosamento com a Dani está fazendo falta.
Natália até atacou bem, mas penou na recepção e o entrosamento com a levantadora também deixou a desejar.
Assistir um jogo ao vivo é sempre muito diferente de assistir na tv. O clima de ver a torcida inteira gritando pela Sheilla e todo mundo aplaudindo de pé quando ela tirou o agasalho foi eletrizante, ela confessou que se emocionou.

O que me preocupa.
A contusão da Gabi que era leve e agora é considerada grave e da qual ela não se recuperou.
A falta de entrosamento da Dani e a imprecisão do levantamento dela em várias oportunidades. As atacantes tiveram de se virar com bolas entre a central e a ponteira, bolas muito fora da rede ou baixas, etc. Sei que estamos no início das preparações, então espero que se resolva.
A eterna condição física da Jaqueline que nunca se resolve e sempre tem alguma "novidade".
A dificuldade da Tandara de entrar em forma. A impressão que se tem, pela lentidão e falta de condicionamento, é que ela precisa perder muito peso.

O que me surpreendeu.
Há tempos não via um jogo da Adenízia ao vivo. Para as Olimpíadas eu a considerava carta fora do baralho. Ela começou me surpreendendo no aquecimento, batia todas as bolas como se fosse a bola de match point, socava todas. No jogo, bloqueou muito e atacou melhor ainda. Marcou 11 pontos e foi a segunda maior pontuadora. Errou aqueles saques e levou um puxão de orelha do José Roberto, é verdade, mas isso não desmereceu a atuação dela.
Eu fiquei na arquibancada assistindo a tietagem das fãs, enquanto esperava o trânsito melhorar pra ir embora, e ela foi a última a sair. Atendeu todas as pequenas tietes com muita paciência e sempre com um sorriso no rosto. Ganhou o meu respeito e admiração.
Esqueci de dizer que eu não levaria a Fabíola, e sim a Roberta - Dani Lins sente a sombra dela e toda vez faz maus torneios quando ele está.

Ps: Yana Gata, são só elucubrações. Seja só gata e não chata. :-)
Yana Souza disse…
Qerido.. apenas acho massante ficarem falando a mesma coisa o tempo todo. Muitas vezes usam as mesmas palavras. Em tempo:não tenho culpa de ter nascido mulher e ser gata. Esta sua MISOGINIA não me atinge... yana, a gata... beijos Henrique.. beijos...
A lI disse…
Sheilla,por enquanto,nao tem substituta a altura na posicao de oposta.Garay a melhor em quadra.Dani Lins,ja veterana,continua demorando p/acertar distancia,altura e tempo de bola.Pre-olimpico masculino bombando.Assistam no you tube:Iran3x2Canada,Polonia3x2Canada e Polonia3x2Franca.Muito equilibrio entre essas 4 equipes Iran,Franca,Polonia e Canada,que tem totais condicoes de brigar por medalhas no Rio.Ai que SACO esses comentarios REPETIDOS da YONA,A CHATA,prima da BETTY,A FEIA.HENRIQUE,conordo contigo,YONA eh a mais chata desse BLOG,e quem eh ela p/falar de comentarios repetidos se os dela vem,no minimo em dose dupla.
A lI disse…
Engracado para a YONA os comentarios dos outros sao:chatos,massantes,repetitivos,ridiculos.Somente a opiniao dela vale.Ela debocha de todo mundo,terminando os comentarios c/HUMPFF,q siginifica desdem,deboche.Ela meche c/todo mundo de forma debochada e desrespeitosa e fica tudo por isso.Fala q os outros sao redundantes,enquanto fica duplicando,triplicando comentarios.Meteu na Superliga,falando mal,comparando com Mundial toda hora a mesma ladainha de torcedora frustrada do Osasco.Mas a Laura deixa os comentarios jocosos dela livres pelo blog e corta os que rebatam ela.Entao YANA,vc eh a DONA DO BLOG,FIQUE COM ELE TODO P/VC.Adeus queridos amigos NEI,VICENTE,BETO,LEO,GEORGE,RAH,WELMER,ZHENRIQUE,PAULO e muitos.Eu ALINE NAO ESCREVO MAIS AQUI.FACO QUESTAO DE NAO FREQUENTAR O MESMO ESPACO DESSE SER DESPREZIVEL:YONA!!!
Yana Souza disse…
All, vc levou muito a sério alguns contratempos que tivemos aqui... acho que se vc avaliar as coisas que me disse vai notar que vc nao foi muito gentil não... olha faz o seguinte volta p blog, não precisa disso tudo não... Bora conviver de forma pacífica aqui... Eu diminuo mais as críticas e vc diminui um pouco o ódio que tem por quem não concorda com vc... Acho que a democracia tem de dominar um blog que tem a finalidade de discutir algum assunto... Eu não colokei nenhum adjetivo depreciativo, como vc fez comigo, mesmo assim não me acho a certinha em tudo; porém não sou totalmente errada. Bora esquecer as desavenças e conviver democraticamente aqui..
Vicente Maia disse…
Aline,
Eu sou uma pessoa de paz e evito na vida, assim como na internet, as polêmicas e discussões inflamadas. Jamais faço, quando escrevo, críticas pessoais. Nem mesmo às atletas dirijo palavras agressivas, nesses casos faço críticas que espero sejam construtivas e não as ofendam se um dia chegarem a ler. Nunca na vida vou usar a distância ou o anonimato que a internet oferece para xingar ou ser rude com as pessoas. Eu sou brincalhão e às vezes zoou alguém ou alguma situação, mas sempre procuro deixar bem claro que é brincadeira e se a pessoa se ofender pedirei desculpas e me redimirei.
A primeira vez que escrevi aqui fui muito mal recebido. Após uma derrota do Osasco, eu elogiei o time, sua estrutura, seu investimento e o nível individual de suas jogadoras, apesar da derrota. Senti-me como se estivesse com uma camisa do Palmeiras no meio da torcida do Corinthians. Recebi críticas pessoais de quem nem me conhecia. Eu relutei muito em voltar porque fiquei pensando que não precisava passar por aquilo. Então, deixei de comentar sobre o Osasco aqui. Em tempo, não foi Yana quem me criticou nesse episódio.
Passei a comentar sobre o Praia Clube, que parece ser um time que todos simpatizam. Numa elucubração que fiz sobre o elenco do time, recebi novamente críticas pessoais. Parei de comentar sobre o Praia.
Ultimamente só tenho comentado sobre o time do rio de Janeiro, até agora estou indo bem, pois não me xingaram ainda. *risos
Joguei vôlei e acompanho desde sempre, mas nunca frequentei blogs de vôlei. Lia as notícias de vôlei no melhor do vôlei e lá, uma vez, você citou o papo de vôlei e foi assim que vim parar aqui.
Seus comentários são sempre muito bem vindos e apreciados por mim, pelo menos, que sempre aguardo ansioso para saber sua opinião sempre muito bem fundamentada. Entendo que esse é um espaço aberto e que cada um é responsável por suas palavras. Ficaria muito feliz em continuar tendo sua companhia virtual por aqui. ☺
Mesmo porque ainda nem escrevi ainda sobre o jogo de hoje.
Beijos e espero que não nos abandone
De minha parte, e vejo que da Yana também, houve humor.
Beijos na gata Yana - beleza corrompe. :-)

Ps: Repito. Olimpíada só se ganha com sangue novo.
Laura disse…
Pessoal, vamos manter o foco aqui que é discutir o vôlei, é só o que peço. Tenho o cuidado de apagar os comentários que fogem do assunto ou contenham agressão pessoal, mas está difícil acompanhar a velocidade e a quantidade de comentários deste tipo ultimamente.

Yana, se os textos e os comentários são redundantes e óbvios, você não precisa frequentar este blog. Existem outros. Deixe os participantes que estão satisfeitos com o que acontece aqui tranquilos. Se você realmente quiser debater o vôlei - e não provocar - será sempre bem-vinda.

Aline, não deixe de participar por causa de uma pessoa. Ignore as provocações e as chatices. É sempre a melhor maneira para acabar com elas. E peço que entenda que não é fácil ficar monitorando o que cada um comenta aqui e avaliar o que pode ou não ser ofensivo quando não se trata somente de xingamentos. Tem gente que considera bobagem o que a Yana escreve, se diverte; outros se incomodam, por exemplo.

E peço a você e a todos do blog: se a discussão não envolve o vôlei, não a alimente.
Vicente Maia disse…
Voltando ao voleibol.
A República Dominicana jogou bem melhor nessa oportunidade e arrumou o passe que foi o grande problema na partida passada. O ataque dominicano é muito forte, mas muito forte mesmo, e essa Martinez bem treinada pode se tornar um grande nome.
Sobre o time do Brasil, o jogo de hoje me deixou mais preocupado ainda.
O time esteve apático e errou muito, especialmente no segundo set, mas o problema para mim não foi esse.
A Brenda Castillo não veio, mas hoje ela não fez falta à República Dominicana porque a Winifer Fernández a substituiu à altura. O mesmo não se pode dizer do Brasil. Vou resumir o que penso em uma frase. Todos que sonhavam que a Léia fosse ameaçar a supremacia da Camila Brait hoje devem ter acordado, não é? Ela parecia nervosa, insegura, errou muito e uma boa parte do passe foi B. Não me levem a mal, acho a Léia uma boa líbero, mas ela precisa amadurecer muito ainda.
Sou fã da Dani Lins, mas essa partida foi pra esquecer. Ela hoje realmente comprometeu. Levantamentos imprecisos e no começo do jogo só a Natália estava conseguindo se virar. As bolas pra Fabiana pelo meio estavam na altura do ombro dela. Eu estava no ginásio, cheguei bem cedo, e fiquei na frente, primeira arquibancada, na paralela à rede, exatamente para ver como estava o levantamento. As levantadas estavam quase sempre com distância ou altura inadequadas.
A entrada da Roberta mudou completamente o jogo, é só ver o que cresceram a partir daí Carol, Fê Garay e a própria Fabiana. Ela foi perfeita? Não! Errou 3 bolas terríveis, uma que levantou pra ninguém no segundo set, uma fora de tempo atrás da linha dos 3m pra Fê Garay e uma que a Sheilla defendeu e ela acionou a própria Sheilla. O José Roberto hoje deve deixa-la sem sobremesa, mas mesmo assim foi MUITO melhor que a Dani Lins. Trabalhou, distribuiu, sacou e defendeu muito bem. A Roberta é curitibana e, portanto, não fala com ninguém, mas precisa melhorar a comunicação. *risos
Se a Dani Lins não melhorar a escolha das levantadoras vai ser complicada, pois vai ser entre uma sem condição física, outra sem condição técnica e outra sem experiência.
A Fê Garay não foi tão bem hoje, não derrubou bolas como de costume. Melhorou um pouco com a entrada da Roberta, mas mesmo assim não foi o que se esperava dela.
Natália foi apenas regular, precisa voltar a ser aquela Natália do Rio de Janeiro.

O que foi bom.
Fabiana foi a melhor do jogo pela regularidade, dividiu com a Carol a maior pontuação da partida, pelo lado brasileiro, com 13 pontos. Embora tenha sofrido um pouco com o levantamento, quem é rainha nunca perde a majestade.
Carol foi a maior pontuadora, mas só começou a brilhar a partir do final do segundo set. Bloqueou e passou a atacar muito com a entrada da Roberta. Também deve ficar de castigo porque errou 3 saques, embora tenha sido a melhor sacadora do Brasil no jogo. Aliás, ela nem deve estar interessada na sobremesa porque ela me pareceu estar muito, mas muito mais magra do que a última vez que a vi. Tá com a barriga chapada!

O que não gostei.
Sheilla está totalmente sem ritmo de jogo. Essa temporada no banco lhe foi muito prejudicial. Nem sacar está conseguindo, errou 3 saques por pisar na linha. Se fosse outra, o técnico tirava na hora.
Léia já analisei.

Em tempo, para decepção da Aline, o Marcos Kwiek tá com contrato até 2020 com a República Dominicana, mas querem que ele assine até 2024. Informação do SporTV.
Josenei Silva disse…
A II, não abandone o blog. Precisamos de você, o blog precisa de você, o vôlei precisa e você e a Estatística precisa de você, com seus embasamentos numéricos. Reconsidere e fique.
Não assisti ao jogo. Vou esperar entrar no youtube pra ver, então comento.
A II, estou acompanhando o pré-olímpico masculino, pena que não dá pra comentar aqui.
Vicente, dá a maior inveja quando você fala que vê os jogos do ginásio. Um dia conseguirei.
Vicente Maia disse…
Nei, claro que vai conseguir. :)
Era bom quando o Rexona jogava aqui em Curitiba, agora pra acompanhar a Superliga tenho de viajar e só tenho disponibilidade nos finais de semana.
Um abraço
Josenei Silva disse…
Que coisa mais chique. Aqui em Salvador mal temos um ginásio decente. Mas um dia irei mesmo. E entraremos em contato para nos encontrarmos lá.
Cadê o Beto, o Paulo, entre outros? Duvido que eles não estejam acompanhando o vôlei.
As duas seleções (Masculina e Feminina) são seleções de panelinha do treinador. Onde já se viu
convocar a Jaqueline que jogou mal demais a Superliga, convocar a Fabíola que estava gravida !!!!!!!! e não estava jogando, não me parece que para jogar na seleção tem que estar comendo a bola, mas sim ser amigo dos técnicos, só pode ser. No masculino a coisa está escancarada mesmo. O Murilo não é mais jogador de seleção, o Serginho também, pode ser bom na posição ainda mas já está na hora de deixar para outro jogador. Agora convocar Sidão foi a gota d'água , não jogou a Superliga por motivo de contusão no ombro, operou e não jogou em 2015. O Bruno não é nosso melhor levantador, nunca foi e Papai o coloca como insubstituível, nem quando jogava a Superliga era considerado o melhor. A renovação não existe o que existe é um acordo para alguns disputarem a Olimpíada e não vem com essa de jogador com experiencia, daqui a pouco vão convocar Giba, Nalbert e Giovane de novo.