Sexta de Carnaval para uns e de cinza para outros


Mal começou o Carnaval e o Praia Clube já está com a ressaca típica da quarta-feira de cinzas. Só assim para explicar a atuação do time na partida de ontem contra o Osasco.

Primeiro, o Praia entrou em baixíssima rotação em quadra. Foi massacrado pelo saque paulista até quando o mesmo não era dos mais difíceis. Ainda teve a infelicidade de, no primeiro set, perder sua principal jogadora, a Ramirez.

O time demorou a se encontrar e, principalmente, a encontrar a marcação do ataque do Osasco. Somente no final do segundo set, com algumas brechas dadas pelo Osasco, ele entrou na partida.

Mas o efeito durou pouco. A confusa e má recepção do Praia impossibilitou a recuperação no ataque, que só virava mesmo com a Malu, substituta da Ramirez. A jovem oposto entrou muito bem e soube segurar a responsabilidade de jogar uma partida inteira. 


E defensivamente, o Praia também foi muito pouco consistente. Só apresentou uma boa relação entre saque-bloqueio-defesa no terceiro set. 


***********************************

Será que o Praia virou o fio? Ele vinha numa sequência de partidas apresentando melhoras na sua linha de passe, seu grande calcanhar de Aquiles. Mas em duas partidas, contra Rexona e Osasco, a casa caiu legal. E aqui não falo dos resultados, mas das atuações.

Acho que a parada de Carnaval, ainda que curta, vem em um bom momento para o time dar um respiro. Mas o que não ajuda em nada é o próximo confronto ser contra o Rexona, contra quem o Praia, nesta temporada, simplesmente desaparece. E ficamos na torcida pela recuperação da Ramirez. As pretensões do Praia nesta SL mudam consideravelmente dependendo da presença ou não da cubana.


**************************************

Vamos falar de coisa boa? A vitória do Osasco. A folia começou mais cedo por lá. As meninas sambaram na partida de ontem.

Acho que esta vitória tem nome e sobrenome: Camila e Carcaces.

Falando primeiro da cubana, ela teve uma partida extraordinária no passe (se compararmos com ela mesma) e no ataque. Num dia “normal” de Carcaces não sei se a Dani Lins jogaria tão tranquila na distribuição das bolas.

No ataque, Carcaces definiu. Na hora do aperto, ela chamou o jogo pra si e correspondeu. Afinal, a preocupação com passe, desta vez, não a atrapalhou. Minha dúvida é se ela conseguirá repetir as mesmas atuações, principalmente na recepção. E isso é fundamental para que um dos rumos do Osasco se acerte.

Outro ponto que me deixa em dúvida quanto ao futuro do Osasco: na hora mais complicada, no terceiro set, o time se perdeu novamente. No tempo técnico, ninguém ouvia o Luizomar, queria cada uma resolver da sua maneira. Tentaram novamente se reerguer à base da individualidade e não do conjunto. 

**************************************

Agora, vi um Osasco muito bem defensivamente, comandado neste aspecto pela Camila Brait. E mais importante: trabalhou muitíssimo bem – e muito melhor que o Praia – os contra-ataques. Esta foi uma das vantagens do time paulista.

O saque foi bem também. Este tem sido um fundamento pouco aproveitado pelo Osasco e que, consequentemente, tem impossibilitado um bom rendimento do bloqueio, que costumava ser um ponto forte da equipe. Acho que o Praia se complicou demais em algumas situações que não eram das mais difíceis, mas a pressão exercida por sacadoras como a Dani e a Thaisa trouxeram apreensão à já instável linha de passe praiana. 

**************************************

Ainda acho, porém, que a Dani está equivocada e pouco criativa na sua distribuição pelas pontas. Acho que ela explorou demais a Carcaces mesmo em momentos que não era necessário e quando poderia, por exemplo, colocar a Lise para entrar no jogo. Ela manda uma bola pra belga e só vai lembrar da oposto dez jogadas depois. A Lise não consegue uma sequência na partida para engrenar. É um desperdício não aproveitar todas as opções de ataque que o Osasco tem.

Por alguns motivos que relatei acima, ainda tenho os pés atrás com o Osasco. Não me entusiasmo a ponto de achar que o time encontrou seu caminho de recuperação na temporada. Aliás, o Praia me ensinou recentemente que é melhor esperar para ver o que acontece para não se decepcionar. 

**************************************

Resultado da 7ª rodada do returno:

Vôlei Nestlé/Osasco 3x1 Dentil/Praia Clube

Pinheiros/Klar 1x3 Rexona/Ades

Renata Valinhos /Country 0x3 Rio do Sul/Equibrasil

Concilig Bauro 0x3 Terracap/Brasília

São Bernardo 0x3 Vôlei Nestlé/Osasco

Sesi 0x3 Camponesa/Minas

São Bernardo 2x3 São Cristóvão Saúde/São Caetano


- Sabem o set que o Rexona perdeu para o Pinheiros? Estava 16 a 5 na segunda parada técnica para o Rio. Só ele mesmo para complicar tanto uma partida. 



Comentários

Carina disse…
Laura e leitores, assisti a partida de ontem, concordo em tudo o que você pontuou. Enquanto amante do vôlei e do espírito esportivo, acho que o Osasco não pensa de forma coletiva, parece que algumas jogadoras se importam, predominantemente, em quantos levantamentos chegam para que elas possam atacar e se as passadoras foram suficientemente boas para colocar a bola na mão da levantadora. Essa é minha humilde opinião. Sobre o Praia, fiquei triste que não se acertou em quadra, eu estou torcendo muito para que esse time e o Minas possam fazer boas apresentações e estarem em pé de igualdade com Rio e Osasco. Depois de ontem me atrevo a pensar que a final da Superliga poderá ter uma final entre o mencionado time paulista e carioca, como das outras vezes. Sinceramente, acho que essa falta de oscilação de campeões chato e desestimulante para assistir a futuras temporadas.
Murasaki Akane disse…
Foi uma boa apresentação do Nestlé e uma péssima do Praia: enquanto o time osasquense manteve a cabeça no lugar durante maior parte da partida, o time de Uberlândia simplesmente surtou. O passe estava medonho e com isso Cláudia teve que se virar para dar um jeito nos levantamentos; depois de um tempo, mesmo com alguns passes bons, também perdeu a concentração. A defesa apareceu durante o 3º set e a reta final do 2º e o time precisa desse volume de jogo para inibir a ofensiva de seus adversários. Aliás, falando em volume de jogo, queria comentar sobre alguns tempos técnicos dignos de nota do Picinin: ou ele xingava o time todo ou falava coisas óbvias; "Precisamos de mais volume de jogo", nossa, que incrível, descoberta do século. Ontem Dani Lins jogou bem melhor do que nas últimas partidas que presenciei do Nestlé: achei a insistência cmo a Carcases válida para dar confiança para a cubana e até para si mesma, uma vez que ela vinha errando com frequência a bola da atacante. Realmente pode acionar a Van Hecke mais na partida, mas a belga tem conseguido a proeza de virar as bolas mais difíceis e não concluir nas mais fáceis (ou mais atacáveis, melhor dizendo). Lembro-me de um momento no qual Dani teve que se virar numa manchete para colocar a bola no ar e ela virou, mas em uns dois ou três levantamentos de boa qualidade foi anulada pela defesa praiana.
Só mais um adendo: depois daqueles playoffs nos quais Ju Carrijo simplesmente acabou com o Praia, ela nunca mais foi a mesma. Ainda que nunca tenha sido uma jogadora fora de série, era pelo menos mais regular do que hoje em dia.
Rafael Modesto disse…
Fui novamente ao Liberatti ontem. Achei que a Dani fez uma partida muito melhor contra o Praia em comparação com o jogo contra o Pinheiros. Foi uma de suas melhores atuações. Ela levantou bolas difíceis, sacou com inteligência e atuou bem até na defesa. Talvez tenha sido sua melhor atuação na temporada. Foi muito bonito ver a Carcaces tão bem. Dava pra perceber que ela tava muito inspirada mesmo. Ela já vinha de uma boa atuação contra o Pinheiros e ontem deu um show. Em relação à Lise, concordo que em vários momentos os levantamentos da Dani pra ela não foram dos melhores. Mas quando ela tinha a bola "redonda" pra atacar, ela não conseguia imprimir muita força, o que facilitava a defesa do Praia. Acho que ela precisa ser mais efetiva, botar mais força nos seus ataques.
P.S: A Lise é realmente muito fofa. No final da partida, alguns fãs (incluindo eu), foram até a saída da área vip do Liberatti tentar falar com as jogadoras. A belga foi muito simpática e atenciosa. E ela está falando muito bem o português. Compreendia o que os fãs diziam e respondia com bastante clareza, apesar do sotaque gringo característico.
A Alix também foi muito simpática. Achei que estaria chateada demais pela má atuação do time e dela mesma, e que por isso não ia falar com ninguém. Mas, ao contrário, parou pra falar e tirar fotos com a galera. Só não falou nada em português.
Enfim, fiquei feliz com a vitória do Osasco, e acho que está na direção certa nessa busca por uma maior regularidade. Conseguiu anular o Praia de forma convincente. Claro que o jogo ficou mais fácil depois da lesão da Ramirez, mas isso não tira os méritos da equipe.
A lI disse…
O alarme com o Zika vem causando cada vez mais preocupação com as Olimpíadas Rio 2016, em agosto, já que o Brasil é o país mais afetado pelo vírus. A revista “Forbes” publicou nesta quarta-feira um artigo que pede o cancelamento do evento por causa dos riscos do surto, além de fazer duras críticas a respeito da poluição na Baía de Guanabara. De acordo com o texto, é irresponsável prosseguir com os Jogos já que a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a epidemia uma emergência mundial de saúde pública.“Parece que é hora de cancelar os jogos Olímpicos 2016 no Rio de Janeiro. A razão é simples: mulheres não podem viajar para lá em segurança”, diz o texto dos pesquisadores Arthur Caplan e Lee Igel. “Enquanto as águas poluídas e problemas de segurança já dificultam as coisas para qualquer visitante lá, agora o Brasil está na linha de frente da epidemia do vírus Zika”, escreveram especialistas em esporte.“Quem vai viajar para o Rio em meio a uma epidemia de Zika? Não mulheres jovens, que podem ficar grávidas e dar à luz a uma criança com deficiência”, alertam. Após a notícia de que uma pessoa nos Estados Unidos foi infectada com o vírus depois de ter relações sexuais com um turista que havia voltado da Venezuela, é dito também que nenhum “jovem sexualmente ativo vai querer vir ao Rio e correr o risco de transmitir a doença para uma parceira”.O surto da doença chegou a ser comparado a um filme de ficção científica de Hollywood. De acordo com o artigo, os atletas que virão ao Rio estão “bolando esquemas” para se proteger melhor do mosquito e “estocando repelentes”. “Os atletas ainda querem ir ao Rio, mas é impossível que o Comitê Olímpico Internacional deva permitir isso”, critica a revista.Após falar sobre ações coordenadas que o país deve fazer, é apontado que o país está “quebrando” antes mesmo de pagar pelas Olimpíadas. “Onde deveria estar a prioridade financeira no meio de uma epidemia? (…) O Brasil vai se afundar em dívidas tentando combater a epidemia enquanto paga pelos Jogos”, diz o texto.“O Comitê precisa mudar os Jogos de lugar, adiá-los ou cancelá-los. Prevenção é o melhor jeito de encarar uma séria ameça à humanidade”, finaliza o artigo.
Membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) teriam procurado autoridades de Londres para saber se a cidade poderia assumir mais uma Olimpíada devido aos atrasos na preparação da edição 2016 por parte do Rio de Janeiro. A informação é do jornal London Evening Standard, mas já se espalhou pela mídia britânica, como o The Telegraph.
A lI disse…
Serviço de utilidade pública:"O vírus zika pode ser a sentença de morte para a Olimpíada?", pergunta o jornal britânico Daily Mail na manchete principal de seu site. No texto, a publicação explica que o pânico em torno do zika se espalhou "depois que o vírus foi relacionado a milhares de casos de microcefalia, que deixam recém-nascidos com cabeças pequenas e cérebros pouco desenvolvidos".Para o Daily Mail, o surto do vírus e o temor da microcefalia deixam a Olimpíada do Rio "à beira do desastre". O jornal lembrou que muitos países aconselharam mulheres em idade fértil a reconsiderar os planos de viajar para o Brasil e citou os casos das delegações da Rússia e da Austrália na Rio-2016, que expressaram publicamente preocupações com a saúde de seus competidores olímpicos. "Faltando menos de 200 dias para a cerimônia de abertura, os Jogos enfrentam uma crise, com países de todo o mundo começando a temer não apenas pelos torcedores, mas também pelos seus atletas", relata o jornal, que questiona: "A Olimpíada vai conseguir sobreviver ao surto?".O New York Times também repercutiu a preocupação mundial com o surto, em uma reportagem sobre os temores de que a Rio-2016 ajude a espalhar o zika. "Com mais de 500.000 turistas esperados para a Olimpíada no Brasil, pesquisadores lutam para descobrir o tamanho do risco que os Jogos representam na disseminação do vírus pelo mundo", escreve o NYT.O jornal destaca que até 200.000 turistas americanos devem viajar ao Rio para os Jogos em agosto. "Quando eles retornarem para o hemisfério norte e para o calor do verão, haverá muito mais mosquitos por aí para potencialmente transmitir o vírus no país.
Gabriel disse…
Não gostei desse jogo. Pensei que veria uma disputa acirrada entre dois times grandes, mas, ao contrário das minhas expectativas, mais uma vez o time do Praia Clube decepcionou, o que me faz acreditar cada vez mais que se repetirá Rio e Osasco na final da Superliga. O time de Uberlândia sofreu porque suas duas principais atacantes, Ramirez e Alix, estavam muito bem marcadas no saque e bloqueio... fora que a Claudinha não pôde usar a Wal, pois o time estava sem passe. Malu foi a única que se salvou, e a Pri Daroit também ajudou a equilibrar o time. No terceiro set, Osasco se desconcentrou, nos dois primeiros estava até chato de assistir, o Praia não esboçou qualquer tipo de reação, parecia jogo de time grande contra pequeno. Carcases estava inspirada, mas já sabemos que a cubana costuma ser bem instável. Na minha opinião, o Rio ainda está sobrando, Osasco mesmo tendo mostrado evolução, é um time que é muito dependente do desempenho da Carcases, se a cubana não joga bem, o time sofre, se o time adversário as pressionam no saque, a Brait fica extremamente sobrecarregada, enfim... Se o Rio for campeão novamente, será mais um capítulo da história da hegemonia desse time no voleibol feminino brasileiro...
A lI disse…
Quem pode parar o Bernardinho? Na Superliga Feminina ninguém! Sou torcedora do DENTIL/PRAIA CLUB,reconheço que o time investiu muito p/brigar pelo título,mas não vejo nenhum time ou técnico capaz de bater o Bernardinho na final da Superliga-2016.Já vi Bernardinho ganhar campeonatos com TIMES CAPENGAS ou INFERIORES aos adversários,mas em 2016,o Rexona se mostra muito superior aos demais adversários. Boas contratações como Monique Pavão, Mayhara Francini e Courtney Thompson, reforçaram mais ainda o time que já havia sido Campeão em 2015. E as novatas,Campeãs Mundiais SUB-23,Drussyla Costa e Lorenne Teixeira,vieram oxigenar o time. Principalmente Drussyla que é uma jovem muito promissora.A briga será para ver quem fará a final com o Rexona, o que se está em disputa é o SEGUNDO LUGAR DA SUPERLIGA, pois já considero o Rexona Campeão de 2016!
Olá Laura...
AII já começo meu comentário endorcando o seu, realmente se tratando de Bernardo. O cara é fera e inteligente igual a ele só vejo o Spencer, mas este não tem a experiência e tão pouco uma equipe tão competente quanto ao técnico do time carioca.LAURA, AMIGOS DO PAPO... eu demorei a dormir pensando no jogo em que só tive paciência de ver um pedaço do prim. Set, pq qnd vi o REXONA fazendo ótimo início e a contusão da única jogadora que realmente faz a diferença no plantel se contudir, que me lembrou 2012 o "caso" HERRERA,nossa um filme de terror veio à minha cabeça cujo os demais capítulos vcs sabem de có o final trágico que foi. Mais que ver um filme se repetir (glória aos deuses, pelo que parece não foi nada sério ) perdi minha paciência com o praia, pelo simples fato de ver uma equipe totalmente apática, fiquei pensando como iria predicar e quais os adjetivos iria ultilizar para traduzir até então, o que estava tendo o desprazer de ver, daí cheguei a conclusão que nenhuma palavra cabe melhor do que BAGUNCA, FALTA DE COMPROMETIMENTO, DE LIDERANCA DENTRO DO GRUPO.chega. cansei do desleixo do time praiano. Tudo bem que o osasco foi muito bom mas o que houve.? as jogadoras desaprenderam a jogar.? Dessa vez a conta num vai só pra A,B ou C, seria muito injusto da minha parte. Gente preciso dizer que como vc AII também torco pelo Dentyl. Mas nem por isso deixarei meu senso crítico (mesmo que limitado) de lado. Galera tudo bem, já sabemos que o passe do praia não tá legal, que a Gêmea e a dona Tassia "estão no serasa" de tanto que estão devendo no fundamento que seria a especialidade das duas.. Cansei das jogadoras em questão .Tassia inexistiu vou nem comentar o desempenho dela pq não suporto aquela cara de choro. Queria dizer que tô muito triste de ver a apatia da minha amada Wal, sou muito fã dela mas tá devendo, wall é a primeira grande central do Brasil, da seleção, era ela e alguém quando a mesma servia ao time brasileiro, quem não lembra dela na Itália.? fazendo historia com aquela central que foi responsável pelo crecimento e amadurecimento da brasileira, arrasando, a Gioli? Wal tem todos os golpes que uma central que se prese tem que ter,completa. Em relação ao Brasil só me lembro da Fabisona que tem um jogo completo.Ela não pode depender dum passe A pra jogar não, puxar uma bola com passe B,não custa nada,é sempre àquela finta carimbada de sempre nem a china dela qie é poderosa ela se dá mais ao trab. De puxar, eu hein.sempre com cara de esbaforiada,sem paciência, morro de saudades da wal que pontuava e demonstrava garra, quem não lembra dela gritando "vambora caralh*****"? Wal tem físico privilegiado e pelo que se sabe,não tem nenhuma grave lesão, já passou dos trinta mas hoje em dia existe uma medicina, uma fisioterapia que ajuda muito o atleta que pode ter essa logevidade, olhem a socolova, a própria Danielle Scott que joga na mesma posição, quase uma quarentona quando fez muito boa temporada na equipe candanga, e detalhe, a americana já até pariu se não me engano,e isso não é grande empencilho pq Socolova e PP4 voltaram muito bem depois de terem filhos. Enfim, chateado. E como lider também,espero mais dela, poxa faz uma preleção só com as jogadoras e incentiva, vibra mais nos jogos, nem isso.
Continuando...Enfim Nataxa = a conj. Vazio. A Alex só pontua com times pequenos e no truque pq tem bolas defensiveis, pra mim não disse a que veio, não adianta jogar contra os "pequenos e se, apequenar na hora de mostrar um vôlei descente. Ou seja, na hora de fazer a diferença contra um time de vergonha como Rio é, e a Nestlé deu demonstração de ser, ela nao o faz.Claudinha pra mim, ainda está sob observação, apesar de achar que ela pode sim, melhorar, e contribuir para um melhor desempenho das atacantes neses momentos.Levantadora nessas horas tem que ousar,e ela é melhor do que vem demonstrando. Enquanto que pra maioria a Malu foi surpresa, pra mim, ela já é realidade!! tá mais do que na hora dessa jovem entrar no lugar da americana e a Pri no lugar da michele. Alguém falou que ela (Malu) estaria pronta pra entrar no lugar da Ramires qnd a mesma começasse a quinar passe, meu querido co-religionario, por favor, se vc não percebeu a Cubana presta um "favor" as ponteiras que deveriam passar e não o fazem ok? Me economize, Ramires já faz "demais", obrigação de passar é das ponteiras e da libero.Malu precisa entrar e colocar a Yaank no banco.enfim obrigado LAURITA por me deixar fazer parte deste espaço democrático e dividir conosco sua visão madura , sobrea e inteligente, espero também que as jogadoras leiam o PAPO e procurem digerir o que dizemos com maturidade.
PS, ainda tive o desprazer de ver o comentarista dizer que igualmente a wall, a Nataxa era uma excelente central, e que tinha uma ÓTIMA china. Vai entender esse povo, realmente pode ser que eu quem não entenda patavinas alguma mesmo. SQN.
Marco Barbosa disse…
Querida Laura e caros amigos, creio que o torcedor de Osasco, confiante por natureza, teve motivos para sair esperançoso do liberatti após a vitória sobre o Praia, contente com a perceptível evolução do time que patinava. Certo que não se tratou de nenhuma revolução, os problemas ainda são grandes, mas a perspectiva tornou-se mais otimista. Entretanto devemos reconhecer que a atuação ruim do Praia teve grande proporção da responsabilidade pelo resultado. Os problemas do Picinin começam pela performance abaixo do esperado da Michelle e da Tássia na linha de passe, que também conta com a Ramirez e a Alix, mas certamente foi pensada para se basear na líbero e na ponteira Pavão. Contra o Osasco ainda foi preciso lidar com a perda da Ramirez. A cubana tem um voleibol muito físico, baseado na potência e no salto, de modo que uma contusão é sempre possível. Ademais, ela não é mais uma mocinha, e eu imagino que deva receber cuidados especiais da preparação física; mesmo com tais cuidados é previsível que em algum momento da temporada o Praia vai ficar sem ela. Eis aí meu ponto: a Malu entrou bem, mas o Praia precisava mudar seu sistema, agora sem a Ramirez compondo o passe, com a Malu de oposta 'clássica', Daroit no lugar de Alix, Michelle e Tássia. Pareceu-me então que o time bateu cabeça e não estava bem preparado para essa nova configuração. Sendo a dupla gringa a responsável por metade dos pontos de ataque do Praia, só a Malu não foi suficiente para equilibrar a partida. O Osasco ainda fez a proeza de perder um set mesmo com a situação tática tão favorável, graças a uma desconcertante sequencia de saques da Daroit, mas deve-se considerar um acidente a perda deste set. Enquanto isso o Rexona tenta dosar suas energias, temendo uma inversão da curva de rendimento na hora errada. É preciso chegar aos 'play-offs' com a superioridade física e técnica hoje demonstrada sobre seus principais rivais, que são mais altos e mais fortes, do contrário pode-se complicar uma liga que parece bem encaminhada. O Osasco precisa tirar mais da Van Hecke, da Brait e da Dani, e conseguir calma suficiente para impôr seu jogo, e o Praia perdeu Ramirez por enquanto, mas achou a Malu: Picinin precisa preparar o time para explorar essa opção.
Para quem gosta, bom carnaval. Eu vou aproveitar para terminar de ler um livro.
Ney venha deixar seu comentário, sei que o axe tá truando na Bahia mas tire um tempinho meu rei, hahahahahah!
A lI disse…
O PRAIA CLUB tem JU COSTA, PRI DAROIT, MALU... Basta testar a melhor formação. A DAYMI cuidava também do passe. Agora é treinar jogar com uma oposta que não passa como o MALU, ou substituir a DAYMI por uma pasadora como JU COSTA ou PRI DAROIT. Solução tem sim, e o PRAIA tem elenco para isso. Basta ver qual é a carta na manga do Picinin, opções ele tem!!!
Olha gentem,podem falar o que for,mas eu acho a MAIOR COVARDIA juntar atacantes como Kim Yeon Koung e Brankica Mihajlovic no mesmo time!!! Brankica na saída de rede e Kim na entrada é muito poder de fogo num time só... Ao meu ver o Fenerbahçe é favoritíssimo ao título da Champions. Parar uma já é difícil, mas quem pode parar KIM e MIHAJLOVIC ao mesmo tempo???KIM e MIHAJLOVIC destruíram o passe do CHEMIK POLICE da POLÔNIA.
Nei disse…
Ô, Beto, valeu pela lembrança. Mas nem fui para o carnaval. Não este ano, mas já fui muito anteriormente. Tem muita coisa da faculdade pra dar conta e esse ano vou tentar mestrado, então aproveitei para estudar.

Também não tenho comentado tanto porque geralmente todo mundo cobre tudo e tão bem. Só iria falar o mais do mesmo. Mas leio tudo. Quando ligo o pc as primeiras coisas que vejo são os blogs de vôlei.

Vou concordar com você sobre a Natasha. Nunca a achei uma jogadora séria. Não gosto dela pois não bloqueia nem ataca (até aquela china bizarra). Alguém tinha que dá uma chamada nela. Mas acho que ela nem se importa, só gosta de jogar mesmo. Tem atletas que são assim!
Vou falar mal da Ju Carrijo pois a torça da Ramirez sucedeu uma levantada colada na rede dela, por isso a oposta terminou colada na rede e pisando no pé a ponteira do Osasco.

Sobre o jogo do Fernebahçe realmente é muito poder de fogo nas duas pontas. Se a Bossetti entrar na mesma sintonia e fizer uma temporada como a do ano retrasado, não terá para ninguém. Agora achei a levantadora Wolosz de mau vontade com a Montaño. Ela a deixou muito tempo sem receber bolas e virou quase todas que recebeu. Me deu a impressão de que a colombiana não está feliz neste time. Eu a acho muito mais definidora do que a Werblinska, mas talvez por ser colega de seleção, a prestigie mais. Ah, e pesquisando como se escreve corretamente o nome dela, olha o que achei: http://toflyvolley.blogspot.com.br/2015/05/depois-de-criticar-ognjenovic-joanna.html. Já dá pra ver um pouco da personalidade dela né? Ela nem sonha em chegar aos pés da Ognjenovic. Eu queria poder dizer isso a ela pessoalmente.
AII,verdade as duas são um grande poder de fogo, agora triste foi assistir o jogo de hoje, Valki X vitra e ver a Sérvia Boskovit (pardon, mas não sei a grafar corretamente) no banco, eu hein, aquela servia joga demas.dizem que a turca é titular só pq contribue no passe, a carência tecnica né só por aqui mesmo nao. Galera Eu acho que o negócio é sério, o que foi a Sheilla sendo ultilizada como terceira oposta hein? Entrou todo mundo e só no final do set o Guidete a colocou,usando a como terceira oposta,quero acreditar que seja uma grave lesão, pq por mais que a menina que joga de titular esteja bem a Sheilla ainda dá um caldo, ninguém desaprende nao.eu tô inconformado com isso. Mas ninguém sabe, ninguém viu, é tudo por baixo dos panos, é pecado nós sabermos mais sobre o desempenho desse povo, que má fase. Enfim Isso me incomoda, pq o único progama decente que trata sobre o assunto, o roda de vôlei,não faz uma reportagem, manda email, pergunta,se informa, investiga.? Será que é uma rusga dela com Guidette, bobagem acho que nao mesmo. Mas do jeito que esse povo tem o ego inflado.o povo quer saber o que tá havendo dona Sheilla. Enfim, bons estudos Nei!
A lI disse…
Se a Sheilla fosse titular diriam que ela estaria sobrecarregada para as Olimpíadas... Que bom que a Sheilla é banco,assim evita contusões e estará mais descansada para as olimpíadas!!!
Nei disse…
Eu tô amando a Sheilla no banco. Quero ver quem vai mais longe na Olimpíada, o Guidetti com a Sloetjs e Holanda, que ainda nem se classificaram, ou o Brasil com Sheilla que passou a temporada na reserva. Vamos ver.
Não, claro que acredito na Sheilla,mas não existe este jogador que queira ser banco,e isso galera não é normal mesmo. Cheila figura entres as melhores, mas com certeza ela estará descansada e bola ela tem pra jogar olimpiada, só não entendo se é por uma questão do esquema tatico, como é o caso da Sérvia do valki, ou se realmente o motivo é um melhor momento da holandesa, por isso que muitos estranham. Estamos falando da nossa bicampeã olímpica, né de qualquer oposta não. E quanto a você AII, eu em particular, não acharia que uma jogadora do nível dela estaria sobrecarregada pra uma olipiada por esta dentro de quadra de fato. Jogador profissional e do quilate dela venhamos, mais uma vez, é de se estranhar sim,quando vemos na reserva. Ainda sem entender de fato. Que vai estar descansada ótimo. Agora se formos ver por esta ótica, meu fi ela vai ter que jogar muita bola entao, se o descanso for garantia de um bom rendimento, ela que se prepare pra ouvir caso contrário...E qnto a você LAURITA, algo a dizer sobre este tema quase tarimbado? Enfim espero que Shiella jogue sua melhor olimpiada e sambe, reine absoluta.quero ver minhas lindas no lado mais alto do pódio.
Nei disse…
Eu tenho quase certeza que a opção do Guidetti é para treinar sua jogadora mesmo e mantê-la em alto nível pois a seleção holandesa depende por demais dela. Sem a Sloetjs a Holanda não é nada. Como ela está no auge da forma e do vigor, fica como titular e fica parecendo que botou a Sheilla no banco por desempenho. Mas creio que mesmo que ela estivesse mais ou menos ela seria a titular pois ele tentaria buscar a melhor forma dela. Não é todo técnico, principalmente se falando de Europa, que tem a possibilidade de treinar sua principal jogadora no clube. A única forma dela não ser a titular seria se estivesse prejudicando o time com desempenho negativo. Aí entraria fatores como o patrocínio, o risco de perder a temporada, etc., e a Sheilla seria a titular. Mesmo assim, com qualquer deslize da Sheilla ele iria tentar colocar a Sloetjs na linha. Essa é minha análise. Não é muito diferente do que o Zé Roberto fez quando usou a seleção para treinar o time de Campinas. Os técnicos não são tão éticos como gostaríamos quando focam no resultado. Eles querem ganhar.

Pra mim o que importa é que a Sheilla está treinando e observando as jogadoras de perto. Não sei se será tão negativo ficar no banco. Como já dito, ela não é tão jovenzinha e seu desempenho já não era o mesmo pois foi muito solicitada durante anos seguidos. Então que descanse. Ademais, ainda terá o Grand Prix antes do Rio, onde ela poderá buscar a melhor forma.

Mas eu dava meu dedo mindinho para a Holanda não se classificar. Vou torcer muito para as Dominicanas, asiáticas e para a Itália no pré-olímpico mundial.
A lI disse…
Beto, claro que nós gostaríamos ver Sheilla jogar. Mas o Guodetti é técnico da HOLANDA e quer por a holandesa para jogar. Não é que Sheilla seja pior que a Sloetjs, são estilos diferentes: Sloetjs é mais alta e forte é atacante de força, Sheilla é muito mais técnica e consegue variar mais seus golpes. Eu prefiro o estilo da Sheilla que também é o estilo da Monique do Rexona. Adora jogadoras técnicas que jogam voleibol arte. Mas o Guidetti é técnico da Holanda e está juntando o útil ao agradável treinando as holandesas no Vakifbank. Como gosto mais de jogadoras técnicas preferia ver a Sheilla jogando. Mas acho que temos sempre que ver o lado positivo. Nós que conhecemos a Sheilla sabemos que ela é craque e não vai desaprender a jogar, em ano olímpico é até bom que ela evite contusões e esteja 100% para as olimpíadas. Sheilla ganha ritmo de jogo rápido e fisicamente ela está muito bem, pois a estrutura do Vakifbank proporciona que ela tenha um preparo físico excelente.
Por que ela abandonaria o Vakifbank se lá ela além de ganhar muito bem ela tem uma ótima estrutura para treinar? sheilla é inteligente e sabe o que faz!
Murasaki Akane disse…
Por mais que a escolha do Guidetti pela Sloetjes seja um pouco anti-ética, fato é que Sheilla não estava apresentando seu melhor voleibol. Ela oscilou o ciclo olímpico inteiro e agora está bancando para alguém que está carregando o time nas costas. Claro que ela é extremamente experiente e poderia ser mais usada pelo técnico, mas não adianta lutar contra número; a única diferença é que a Sloetjes aparentemente ainda não decide jogos. No fim, que a Sheilla continue treinando para recuperar o ritmo de jogo durante o Grand Prix.
A lI disse…
Não dá para entender porque escalar o SLOETJS é considerado anti-ético por você MURASAKI.A escalação da SLOETJS é muito ética sim,pelos seguintes motivos:ela é contratada do clube para ser escalada,é uma das maiores opostas do mundo,tá em excelente fase,é alta e muito forte,além disso a opção é do técnico.Anti-ético seria deixá-la de fora.E queiram ou não Guidetti sabe o que faz,e vem fazendo um excelente trabalho tanto no VAKIFBANK quanto na HOLANDA.Desde que assumiu a seleção da HOLANDA em 2015,Guidetti conseguiu 2 finais EUROPEIAS contra a RÚSSIA,no CAMPEONATO EUROPEU-2015 e no PRÉ-OLÍMPICO-2016.É bom frisar que o caso GUIDETTI-VAKIFBANK-HOLANDA é totalmente diferente do caso ZÉ ROBERTO-CAMPINAS-SELEÇÃO BRASILEIRA.Enquanto Guidetti treina jogadoras da seleção da HOLANDA no VAKIFBANK,o ZÉ ROBERTO,SIM,foi anti-ético convocando as JOGADORA BRASILEIRAS DO CAMPINAS,algumas que NÃO ESTARIAM NA SELEÇÃO CASO NÃO ESTIVESSEM NOS PLANOS DE CAMPINAS,para treinar em SAQUAREMA na estrutura que era para treinar a SELEÇÃO BRASILEIRA.As únicas que ele não levou para treinar na SELEÇÃO BRASILEIRA em SAQUAREMA foram a BÚLGARA ELITSA VASILEVA e a cubana DAYMI RAMIREZ porque eram GRINGAS... Foi por causa disso que FABÍOLA,eleita MELHOR LEVANTADORA DA SUPERLIGA 2012,perdeu a vaga para FERNANDINHA jogadora do CAMPINAS.E TANDARA e NATÁLIA,que em 2012 não eram as melhores opções para as olimpíadas e estavam no planos de Zé Roberto para o CAMPINAS,tomaram as vagas de MARIANNE STEINBRECHER E CAMILA BRAIT. FERNANDINHA,TANDARA e NATÁLIA ganharam o OURO OLÍMPICO na ABA DOS OUTRAS JOGADORAS. O CASO DE CAMILA BRAIT foi o mais deprimente de todos, pois no AUGE DA FORMA,foi levada até LONDRES para ser cortada lá em pleno SOLO OLÍMPICO para que NATÁLIA,SEM CONDIÇÕES DE JOGO,permanecesse na equipe.
A lI disse…
Nei não corra o risco de perder o seu dedinho... Porque depois de 2 finais europeias consecutivas contra a Rússia,a Holanda se mostra um time mais preparado que ITÁLIA e REP.DOMINICANA na busca pela vaga olímpica,mas como em VÔLEI FEMININO o FATOR PSICOLÓGICO manda muito mais que qualquer coisa,tudo pode acontecer,inclusive a HOLANDA ficar de fora das olimpíadas.As russas ganham muitas competições em que,às vezes,não tem o melhor time no papel,mas são muito FRIAS,tem o PSICOLÓGICO muito mais forte que a maioria das outras equipes e conseguem virar placares praticamente IMPOSSÍVEIS como foi aquele fatídico 24x19 em Atenas-2004.
Não consigo ver a KOREA de KIM YEON KOUNG e o JAPÃO de SARINA KOGA fora das olimpíadas.JAPÃO E KOREA foram SEMIFINALISTAS em LONDRES,são equipes tradicionalíssimas dentro dos jogos olímpicos,além disso,olimpíadas sem KIM YEON KOUNG e SARINA KOGA não teriam o mesmo charme,são duas jogadoras muito técnicas,craques de bola,que vale a pena ver jogar.Considero JAPÃO e KOREA já classificados para as olimpíadas nesse PRÉ-OLÍMPICO MUNDIAL,sendo as outras 2 vagas disputadas entre HOLANDA,TAILÂNDIA,ITÁLIA e REP.DOMINICANA.As PERUANAS,com certeza,serão o SACO-DE-PANCADAS desse torneio.
Murasaki Akane disse…
Aline, se o termo anti-ético te incomoda tanto, usarei termos mais simples: "suspeito", "questionável", "conveniente", dentre outros. Ele é técnico da Holanda, obviamente quer que a seleção chegue nas Olimpíadas, e por isso sempre vai existir um questionamento por trás da escalação da Sloetjes, ainda mais por parte da torcida brasileira. Quanto ao Zé Roberto, já foi isso. Enfim...
Para queimar minha língua, hoje Sheilla foi titular e jogou muito bem, obrigado.
Rafael Modesto disse…
Acontece que o time de Campinas foi criado depois de Londres/2012. Então seu argumento cai por terra.
Nei disse…
A II, você é demais. Tem razão sobre o caso do Campinas. Foi bem diferente do que o Guidetti faz.

Vou preservar o dedinho e oferecer a unha dele. Mas quero mesmo a Holanda de fora. E como você colocou, tudo pode acontecer no feminino, dependendo do psicológico. Eu acho que a Dominicana vai dar uma melhorada agora com mais de suas atletas atuando pela Europa.