Nunca antes

Dentil/Praia Clube 3x0 Camponesa/Minas

O placar pode enganar. A trajetória para que o Praia Clube conquistasse a sua primeira vaga numa final nacional foi suada. A partida contra o Minas teve os dois primeiros sets muito equilibrados, com as equipes se alternando na liderança do placar. Mas, para a vitória, era necessário algo que o Praia tem e o Minas não: consistência.

Este é um aspecto que tem pesado contra o Minas nesta temporada, principalmente nos jogos contra adversários mais fortes. Os bons momentos do time são sempre interrompidos por sequências de erros, distrações ou mesmo maus desempenhos de um ou outro fundamento, como o ataque.

Do outro lado da quadra, a única inconstância que afeta o Praia é no passe. Mas nesta partida, o fundamento esteve sob controle a maior parte do tempo. Aí foi um passo para que Claudinha abusasse de sua dupla de atacantes estrangeiras, Ramirez e Álix, ambas com atuações excelentes. O único ataque que não funcionou da melhor maneira foi o das centrais, mais especificamente da Wal.


*********************************


Defensivamente o Praia também foi muito bem. Foi difícil para as minastenistas colocarem a bola no chão. O Minas se esforçou para se equiparar neste aspecto ao adversário, mas faltou o quê? A mesma consistência do time ‘praiano’. Aliás, toda a partida deu esta impressão de que, para o Minas, as conquistas eram muito mais suadas do que para o Praia. Também pudera: além da regularidade, o time de Uberlândia contou com muito mais recursos individuais para fazer a diferença na hora do aperto.

No Minas, Carla está sendo a bola de segurança porque nenhuma das opostos está conseguindo cumprir com este papel. Tandara, assim como o time, teve bons momentos, mas não constância. Ela está longe de ser a jogadora de decisão que o Minas precisa. E não dá para ignorar o fato de que continua acima do peso e isso tem a impedido de ter maior explosão. Tandara sempre foi uma jogadora de biotipo mais “rechonchuudo”, deve estar encontrando dificuldades em “secar” mais rápido. E isso tem comprometido a recuperação mais rápida também do seu jogo.

Acho que, de forma geral, o Minas fez o que podia e esbarrou nas suas próprias limitações e num adversário que está num estágio de preparação acima. O Praia, quando consegue controlar sua recepção, joga muito redondo, pois é aplicado taticamente e tem jogadoras com poder de decisão.

Não só por estar numa final, mas também pela bola que tem jogado, afirmo: nunca o Praia Clube esteve tão perto de um título nacional. Só resta maturidade para encarar uma decisão nacional pela primeira vez contra o...



********************************

... tarimbado Rexona, que superou o Osasco por 3x1. 

Eu estava prestes a preparar um texto largando mão definitivamente do Osasco. Preocupado com os seus problemas - os mesmos de sempre -, deixou o Rexona jogar muito à vontade. 

Mas aí veio o terceiro set. E mais: veio um tufão sobre Porto Alegre que me impediu de ver a recuperação do Osasco. Um cenário de tragédia atingiu a cidade e tenho sorte que, o único problema que me atingiu, foi a falta de luz e, consequentemente, não ter conferido a primeira atuação decente na temporada do Osasco contra os grandes.

Mas já vi que o Osasco foi guerreiro e deu sinais de que pode fazer frente ao Rexona na Superliga. Não conseguiu a vaga, mas certamente deu um up na moral.


******************************

Adendos: 


- Por que a Van Heck é sempre a última opção da Dani Lins? Ao menos foi assim na primeira metadade do jogo que vi. Aliás,  acho que ainda não consegui ver a belga realmente jogar. Ou ela é pouco acionada ou é constantemente substituída.

- Algum leitor do blog comentou a “inutilidade” da Mara (não recordo quem, desculpe!) e devo concordar. Já vi melhores temporadas dela. Ao menos no bloqueio ela poderia contribuir mais. Não entendo porque o Paulo Coco não dá uma chance à Valquíria como titular.

- O que será que o Zé Roberto achou da atuação da Claudinha nesta semifinal? Ele eu não sei, mas eu gostei. Acho que esteve longe de um desempenho de uma levantadora “burra”.


Comentários

CEAB disse…
O Rio deu muitas chances para o Osasco entrar no Jogo. Foram aproximadamente 10 pontos em "Rede". O que faltou também foi acionar as centrais. Jucy (9) e Carol (11). A sorte que Gabi e Natalia estao em Ótima fase e com elas assim fica dificil pra qualquer time. Espero que na Final a Court coloque mais bolas pras meios. Monique nao compromete e Fabi sempre defende nos momentos mais importantes. No final do quarto set achei que meio coração ia sair pela boca. Kkk
Parabens Rio. E o Osasco foi Eliminado. Mais uma vez.
Luis Carlos disse…
Rio e Osasco era ora ter sido mais um 3x0, mas o Rio quis emoção e colocou o Osasco no jogo. Se a Cort aprender a trabalhar com as meios, fica bem mais fácil. Agora o que me impressiona e a essa dupla, Natália e Gabi, como é lindo ver essas duas jogadoras brilharem. Adenizia também teve participação essencial para que Osasco voltasse para o jogo (mesmo o Rio ajudando).

PS: Vocês observaram o quanto a Natália e Gabi estão saltando? Impressionante, só quem ganha é a seleção.
Genildo Peres disse…
Impressionante a arrogância do Bernardinho. Estava no ginásio e foi só acabar o jogo que o stressado nem para dar um autógrafo para a torcida. Isso porque ganhou o jogo imaginem se tivesse perdido. Gaby e Natália tem obrigação de jogar bem pelo Brasil. É impressionante como elas jogam contra o Osasco. Queremos ver essa raiva toda contra americanas e russas. Adenizia voltou. Tchau Juciely.
CEAB disse…
Elas jogarem bem vai depender do Zé Roberto. Acho que ele nao consegue tirar o melhor de cada jogadora. Como exemplo temos a Natalia quando jogou no Amil...
Jucy na seleção dentre outras.
Abraão disse…
Laura, se tu puderes assistir a reprise do jogo que sera este sábado as nove horas da manha, tu terias condições de avaliar a partida inteira, como também o desempenho das atletas. Para mim, enquanto leitor do blog, é muito importante saber a sua opinião.
Eduardo Paiva disse…

Aconteceu aquilo que vc disse outro dia, Laura. A Court errou bolas para o meio, ficou insegura e encheu as pontas de bolas, deixando-as marcadíssimas. A ótima fase das ponteiras, principalmente da Natália, salvou o time.

Eduardo
Murasaki Akane disse…
Ontem, sinceramente, achei a atuação da Cláudia OK. Jogou com o óbvio, variou muito na altura dos levantamentos e, se o juíz fosse mais rígido, teria um bom nº de 2 toques marcados. Muito diferente da sua atuação contra o próprio Minas pela SL. De qualquer forma, foi o suficiente para o time avançar para a final. Não gostei muito da Naiane também, pois mais uma vez abdicou do meio e foi extremamente óbvia na distribuição. Algumas bolas para a Tandara estavam estranhas, abertas demais e errou muitas combinações. Aliás, no geral o Minas errou muito e mereceu ficar de fora da decisão.

E o outro confronto...uma pena que o Nestlé acordou nos 2 últimos sets, porque ali assim foi um jogão tenso, de tirar o fôlego. Destaque negativo para Dani Lins, em pleno ano olímpico está em sua pior fase; vários 2 toques não marcados, bolas coladas na rede, distribuição equivocada e por aí vai. Simplesmente um pavor.
Rafael Modesto disse…
O Osasco melhorou a partir da entrada da Suelle, o que me faz perguntar: por que diabos o Luizomar não começou o jogo com ela de titular. Já sabemos que investir na Ivna pra qualquer coisa é complicado, pra falar o mínimo. Já o Praia ta voando, joga bem redondo e tranquilo, além de consistente. A Alix passou imune ao bloqueio ontem, passou por cima de tudo. O Rio se desestabiliza muito facilmente quando sofre alguma pressão, concendendo muitos pontos em erros bobos como os da Juciely na rede. Vamos ter uma final equilibrada.
Vicente Maia disse…
O jogo foi muito bom, mas tenho algumas ressalvas em relação ao Rio de Janeiro. Natália e Gabi estão em suas melhores fases e Jaqueline e Fê Garay correm o risco de encarar o banco nas Olimpíadas. Juciely estava irreconhecível e Fabi, ao contrário da partida contra o Baurú, estava perfeita. Carol bloqueou e sacou muitíssimo bem, como sempre. Minha preocupação é Courtney Thompson. Ela defende, faz cobertura e quando precisa passa muito bem para Fabi levantar. Mas, está pecando muito ainda nas levantadas que estão muito óbvias. O ataque do Rio está sempre enfrentando bloqueios duplos e triplos, as centrais não recebem uma bola.
Laura disse…
Pessoal, imaginei q o Rexona tivesse dado espaço pro Osasco se recuperar. Desde o primeiro set vinha dando mtos erros de graça e o Osasco nao aproveitou pq tava atrapalhado com seus próprios problemas. Sobre a escalação do Osasco, já falei aqui minha preferencia pela Sulle como titular. Pelos comentários de vcs, ela ajudou a organizar o time. Espero q o Luizomar opte por ela, apesar de achar q os problemas do Osasco começam, mas nao acabam no passe.

Minha luz nao voltou ainda, espero q volte a tempo de conseguir ver a final. :( E obrigada por me situarem sobre o q aconteceu com os comentários de vcs!
Bem galera, vi um jogo péssimo das duas armadoras, a sorte da americana é que suas atacantes extremas estão em suas melhores forma e nível técnico, acho engraçado alguns certos comentários não apenas da galera do papo, mas os que vemos em blogs por aí ... meus queridos companheiros como a Juciele, ou quisquer centrais mundo a fora vai jogar bem se a levantadora da equipe dela desaprendeu ou nunca soube realmete jogar com as meios.? A galera as vezes parece que não assiste aos jogos. A dona suele veio para o osasco
pra resolver um grande problema que afundou a equipe desde a saida da Jaque;a recepção e o volume de jogo.
Sua contratação foi vista com bons "olhos" também vide ao seu crecimento e bom desempenho no ataque em seu club anterior (quem assistiu lembra o quanto ela evoluira neste fundamento) tamanha evolução aliada ao entrosamento com a Dani, fez com que não só a comissao técnica mas a torcida pudesse sonhar que a fragilidade na recepção seria sanada.(Rapaz o negócio tá tão sério pro lado da Nestlé).E o inesperado vem ocorrendo, ela não consegui repetir as boas atuações de outrora, e agora veio uma contusão no joelho da moça que só aos poucos esta voltando ao plantel.Detalhe eu nem observei essa melhora por conta da entrada dela não, acho que o osasco entrou no jogo por demérito da equipe carioca. Até o primeiro passe dela foi quinado, enfim vou ver o jogo novamente pq perdi um pedacinho. As centrais do osasco principalmente Thaisa inexistiram no jogo, tiveram lapsos de boa atuação no finalzinho da partida, aí já nem rola né.até pq o Rexona é experts em se sair destas situações desfavoráveis.Eu realmente estou descrente pq estamos as beiras dos playoffs e o time ainda não engrenou, não sei de quem é a bendita culpa, pq não vejo um bom levantamento e tão pouco vejo alguem além da pequena Gabi chamar a responsabilidade, essa Lise meu Deus... osasco só teve sorte mesmo com uma unica estrangeira, a Destine Hooker. Despois da saída dela, da ida da Fabiola pro exterior e da dispensa da Jaque íêiê, o time é isso ai..Dani tem em mãos duas centrais da seleção e duas jogadoras com bastante entrosamento que vieram de sua antiga equipe pra ver se repetiam o bom entrosamento e nada, e o pior que nem a inversão com a Diana fez efeito. E a salvadora da pátria: "Gabi"(jogadora mais regular) errou qnd não deveria, num momento crucial.Espero que as jogadoras acordem, que tragam uma psicóloga ou ate mesmo, o Padre Quevedo pq isso realmente é sério! cabeças devem rolar na próxima temporada e anciamos que as contratações sejam eficientes, que tragam gente que resolva. Time adulto tem que dar resultado no mínimo a curto prazo, principalmente um time com um poderio econômico como o time da Nestlé. Quer contratar estrangeira pois bota logo pra voar as bandas como dizemos aqui no Ceará, traz logo uma que realmete seja GRANDE. Beijo Laura e Abraço a todos.
Gabriel disse…
Gosto muito de ler esse blog, parabéns pelas postagens! Sobre o clássico de ontem Osasco x Rio, há muito tempo não se via um jogo envolvendo as duas equipes com cara de clássico mesmo! Apesar de por vezes achar que o Rio em alguns jogos depende muito do talento individual de suas jogadoras, vejo que a equipe é realmente forte pelo conjunto e aplicação tática, porque mesmo quando a equipe esbanja uma quantidade excessiva de erros como ontem, é muito difícil batê-la. Em Osasco, por outro lado, acredito que falte comando mesmo. A Lise que é uma jogadora que poderia render bem mais do que está rendendo, estava visivelmente perdida ontem, dava vergonha de ver o Luizomar falando com ela, porque era nítido que ela não estava entendendo uma palavra, e o pior é que também nenhuma das outras jogadoras conseguem traduzir nada. Acho que se a equipe quer contratar estrangeiras, deveria se esforçar pra aprender um inglês básico com o vocabulário do esporte, porque é óbvio que uma belga não vai chegar falando português fluente... Enfim, outro ponto é a formação do time... Como é que ele deixa a melhor atacante do time (Carcases) no banco? Precisou a Ivna tomar uma série de bloqueios pro técnico enxergar isso. A Gabi, apesar de ser uma guerreira, é bem limitada. Não entendo porque nunca tentaram a formação Suelle, Carcases, Lise, Brait,
Thaísa e Adenizia, pra mim esta seria a formação mais forte e equilibrada do time, a Suelle dá conta do passe com a Brait, consegue se virar muito bem no ataque como foi no jogo de ontem e tem o bloqueio melhor que o da Gabiru... E quando foram feitas as contratações imaginei que estas seriam as titulares... Enfim, acho que falta o técnico decidir o time titular mesmo e deixar que essas jogadoras ganhem entrosamento, porque na minha opinião o que falta nesse time é padrão de jogo e entrosamento, dificilmente Osasco vai conseguir fazer frente ao Rio, com um entra e sai de jogadoras e o time totalmente perdido.
Esperando, ancioso as suas considerações Laura da "final" de ontem.