quarta-feira, 4 de março de 2015

Que Praia é esse?


Dentil/Praia Clube 3x0 Sesi

Foi só eu descredenciar o Praia Clube no último post para ele me desmentir e vencer por 3x0 o Sesi.

O ginásio de Uberlândia dá uma força especial paras meninas, mas também deve colocar algum feitiço anestesiante nos adversários. Sem querer desmerecer o Praia, mas só assim para explicar a bobeira que tanto Pinheiros como Sesi apresentaram nos jogos que fizeram lá.
 
**************************
 
Depois do primeiro set, quando teve a oportunidade de fechar por diversas vezes e permitiu a reação do Praia, o Sesi perdeu totalmente a confiança e o rumo na partida. Se não era o passe ruim, era o levantamento mal feito. Se não era o levantamento, era o erro de ataque.
 
Nada deu certo para o time do Talmo, nenhuma substituição deu resultado – até porque foram utilizadas quando a equipe já tinha perdido o jogo de mão.

Mais uma vez, fica difícil definir o quanto da vitória do Praia é por mérito próprio já que o adversário esteve em outra realidade. De qualquer forma, não dá para esquecer a excelente partida que a Ramirez fez.

A cubana, desde que voltou da lesão, tem sido o ponto de apoio e o termômetro do time. Tirou o protagonismo da Tandara, que se tornou uma jogadora secundária e pouco definidora do desempenho do Praia.

**************************

Posso errar novamente e ser injusta, mas o Praia, apesar do quarto lugar, parece fazer suas melhores atuações por acaso. Isso porque não mostra uma consistência. A cada jogo é uma história diferente. Numa partida, o bloqueio inexiste, noutra sai fazendo ponto adoidado... e por aí vai.

No fim, a vitória para o Praia tem mais valor moral do que "classificatório" já que ficar em quarto ou quinta faz pouca diferença. Mas a derrota do Sesi tem sim um peso na tabela e pode comprometer a vice-liderança das paulistas. Vamos saber quanto esta derrota vai ser decisiva na próxima sexta-feira, no confronto entre Sesi e Osasco.

***************************

Pinheiros 0x3 Rexona


Foi 3x0, mas o Rexona teve que suar para conquistar este resultado. E foi um jogo bom de assistir, com boas defesas de ambos os lados e disputa ponto a ponto.

O Pinheiros se esforçou, como sempre, mas não conseguiu fazer frente ao melhor aproveitamento do ataque do Rexona. Gabi, mais um vez, brilhou no time carioca. Cada vez que ela tem uma atuação assim – e nem precisa tanto – pergunto por que ela não foi aproveitada de melhor forma no Mundial do ano passado na seleção.

Outra pergunta que faço, agora em relação ao Rexona, é se a dupla Gabi-Natália, maior trunfo do time, está perdendo força neste returno. A Natália foi bem na partida, mas tem sido menos regular e deixado a dupla capenga.

O Rexona, como um todo, na verdade, caiu de rendimento no segundo turno. O ataque é ainda seu ponto forte, mas comete muito mais erros. Está bem mais vulnerável do que na primeira fase. 

***************************
 
O Pinheiros, por sua vez, teve um desempenho equilibrado nos fundamentos com exceção do ataque. Pela importância que a Rosamaria teve no primeiro turno, pode-se dizer que, pelo o que ela está jogando agora, o Pinheiros entra em quadra com uma a menos.

Quando a Macris utiliza as centrais (aliás, a Fran tem ido muito bem tanto no ataque como no bloqueio), o Pinheiros consegue virar com mais facilidade, pois não sobrecarrega a Ellen. O terceiro set contra o Rexona comprovou isso. Mas essa não é a realidade de sempre e o Pinheiros, sem poder contar com a Rosa, tem muita dificuldade em pontuar no ataque e no contra-ataque. 

***************************


Demais resultados da 10ª rodada do returno:

Brasília 3x0 Maranhão/Cemar

São Bernardo 3x1 Rio do Sul/Equibrasil

São Cristóvão/São Caetano 3x0 São José dos Campos
 
Uniara/Afav 1x3 Camponesa/Minas
 

- Quem diria. O jogo com maior probabilidade de ser resolvido em três sets, foi o que teve quatro. O Minas relaxou muito antes da hora, antes de sequer ter vencido o primeiro set. Aos poucos foi se embananando na recepção, no levantamento, no ataque, errando e errando... O Uniara se aproveitou da situação e deu emoção a um jogo que tinha tudo para ser muito sem graça.


4 comentários:

Nei disse...

Eu concordo sobre alguns aspectos que você falou sobre o Praia, mas nesse jogo específico acho que o Sesi no jogou porque o adversário fez a marcação certinha. Fabizona ficou marcadíssima e isso quebrou o Sesi. O bloqueio chegava em tudo. O Saque acabou com a recepção e, como vc colocou, quando saía, as levantadoras não seguraram. Pri Daroit não vira as bolas mais importantes. Deram bolas erradas para a Monique, que tá voltando agora, era pra ter recebido na boa, e não as bolas de segurança. Eu prefiro essa versão com Tandara dividindo o protagonismo com Ramirez, que realmente brocou o jogo e mostrou um grade voleibol. Tomara que continue assim. Quanto ao Rexona, acho que tão jogando para o gasto. Com certeza no mata-mata a postura será outra.
Você colocou o não aproveitamento de Gabi no Mundial; sempre me perguntei isso e sobre as outras reservas também. Não entendi porque escolheu perder aquela partida para os EUA sem fazer nada, com o mesmo time apático em quadra. Quem vai entender!?!

Mateus Cardoso Scriboni disse...

Ontem foi um jogo totalmente atípico, na minha opinião. Deu tudo certo de um lado e tudo errado do outro. Tomara que o jogo de ontem faça o Praia assumir uma postura de time grande, efetivamente. Torcer agora pro Sesi não vir mordido e abocanhar o meu Osasco, já que isso virou rotina. Rio de Janeiro é incrível, consegue reverter placares desfavoráveis como se fosse a coisa mais fácil a se fazer, ainda mais na reta final dos sets. Bernardinho pode ser mala, mas é o cara. Luizomar que me desculpe, mas Bernardinho ganhava até a superliga masculina com esse time do Osasco. Por fim o jogo do Minas, que apenas fez o necessário pra vencer um Uniara totalmente desmotivado (só que não). Na transmissão do Sportv, o Marco Freitas CITOU TANTO os problemas financeiros do Araraquara, que em um momento cheguei a achar que estava assistindo a algum programa vespertino sensacionalista da TV aberta, só que sem os violinos ao fundo. No mais, PARABÉNS para todas as jogadoras e comissão técnica do time do interior paulista. Muito louvável a atitude delas.

Paulo Roberto disse...

Nei, ninguém entende só o ZRG. Aliás, ele é o deus supremo do voleibol, não pode ser questionado em suas sábias e soberanas decisões.

Sobre a SL, sou Osasco, mas desde que a Jaque acertou com o Minas meu coração tá dividido. Quanto ao Rio concordo com o Nei, acho que estão guardando arsenal pros playofs.

Nei disse...

É triste mesmo ver o Uniara assim. Torço tanto por aquela técnica. Mas realmente sem umas duas jogadoras de decisão, não dá.Eu acho que atualmente o Sesi é o time que mais sabe vencer o Osasco. Pra mim o Osasco precisa de psicólogo, porque sempre perde no emocional. Já cansei de ver finais impossíveis serem perdidas para o Rio e sempre o Osasco com um time melhor. Paulo, eu também tô torcendo para o Minas por causa da Jaque, rs. Eu adoro vê-la jogar. Dá gosto de ver.
Alguém aqui frequentava o Blog no Voloch. Sinto falta o blog e da galera. Poderíamos nos reunir aqui pra comentar e debochar. O que acham?