Dois Osasco em um jogo


Molico/Osasco 3x0 Pinheiros (1ª partida das quartas)

O Pinheiros demorou tanto a engrenar na partida que tornou a disputa bem menos interessante do que poderia ser. 

O time da capital paulista mal deu as caras no primeiro e segundo sets, muito por causa da dificuldade absurda em pontuar no ataque. Para enfrentar o forte bloqueio do Molico, a Ellen precisava de velocidade nas bolas, o que a Macris não conseguiu dar. E a responsável por atacar as bolas de segurança, a Rosamaria, estava totalmente sem potência no ataque.

O saque do Pinheiros, então, era um presente para a recepção do Osasco, que jogou tranquilo, tranquilo nos dois primeiros sets. A Dani Lins jogou muito à vontade e as atacantes pontuaram fácil. Sem ser muito exigido, o Osasco fez bem sua parte, mantendo-se concentrado na marcação e não desperdiçando ataques. 

***************************

Mas o verdadeiro teste ainda estava por vir no terceiro set e, nele, o Molico quase foi reprovado. Quando o Pinheiros finalmente acordou para a partida, o pior lado do Osasco também veio à tona. Aí se viu um maior número de erros, maior dificuldade no passe e no ataque e uma e outra atrapalhada na defesa. 

Para sorte do Osasco, desta vez, o banco fez a diferença a seu favor. A inversão 5x1 ao final do terceiro set foi decisiva enquanto a do Pinheiros, feita na mesma altura, um desastre. A Mari virou o set para o Osasco, que fechou a partida graças também ao forte bloqueio da Adenízia.

***************************

No geral, acho que o Osasco pode comemorar o fato de ter conseguido utilizar bem todo o seu repertório de ataque e das próprias atacantes estarem mais confiantes. Houve, sem dúvida, uma evolução neste sentido. Ao mesmo tempo, alguns fatores ainda nos deixam com o pé atrás em relação ao futuro do time. O Osasco continua cometendo muitos erros e mostrando certo descontrole quando é pressionado. 

A gente sabe que o Pinheiros, mesmo não estando 100%, pode complicar muito mais a vida do Osasco. O terceiro set está mais próximo da realidade do que os dois primeiros e, nele, o Osasco não respondeu tão bem. Isso é o que preocupa. Porque acho difícil o Osasco não conseguir a classificação, mas se não sair deste confronto mostrando mais consistência, vai rodar fácil nas semifinais.

Comentários

Welmer Sales disse…
Não assisti ao jogo por inteiro, mas imaginava que a partida seria mais equilibrada.

Não tenho muito o que falar sobre, pois vi apenas um pedaço do primeiro set. E nesse pedaço o que vi foi um Osasco bem ajustado dentro de quadra com uma boa distribuição da Dani e uma Pinheiro com sofrendo muito com o ataque. E nesse poto destaco a ineficiência da Rosamaria. Ela fez um ótimo primeiro turno e início de segundo turno, mas acho que foi a jogadora do time que mais sofreu com o desgaste com a sequência de jogos que o time enfrentou pós Copa Brasil. Ela está visivelmente sem explosão, seus movimentos estão lentos o que facilita a leitura do time adversário. Acho que se ela e Ellen estivessem no melhor de suas formas física talvem o Pinheiros pudesse realmente fazer um confronto equilibrado com o Osasco.

Mesmo tendo ciência que ainda tem muita água pra passar por debaixo da ponte, acho que a temporada do Pinheiros já tem um saldo positivo, o time conquistou a Copa São Paulo em cima do SESI (apenas sem Fabiana e Monique que serviam à seleção) e conquistou o seu primeiro título nacional, a Copa Brasil, também em cima do SESI (só que dessa vez sem Monique que estava lesionada). Então, mesmo se eliminado na próxima partida, acredito que o Pinheiros dá adeus a essa temporada de cabeça erguida.