1, 2, 3, o Osasco é...


Sesi 3x1 Molico/Osasco

... freguês. É, tá difícil do Osasco se livrar desta "touca".

O Sesi sabe, como ninguém, derrotar o Osasco. É como se Talmo e Cia soubessem cada jogada da levantadora adversária. Na partida de ontem, assim que conseguiu se estabilizar, tomou conta do jogo. Mesmo no terceiro set, quando o Osasco venceu, foi pelas bobeadas do Sesi. 

*****************************
A marcação do time da capital foi excelente e foi facilitada pela partida, digamos assim, pouco inspirada da Dani Lins e de suas atacantes. Lembro que no quarto set, no último e fatal apagão osasquense do jogo, o Luizomar pediu inteligência às suas atacantes.

Ele estava certo. Elas pareciam atacar de olhos fechados, sem olhar o bloqueio. Tanto que, muitas vezes, o bloqueio do Sesi chegava quebrado e a falha não era explorada pelas atacantes. A Bia, muito ágil no deslocamento ontem, pegou alguns ataques assim.

Mas não dá também para isentar a Dani de qualquer responsabilidade. Ela também estava com a visão limitada e um repertório pobre de jogadas. Um exemplo claro disso foi a rede de dois com a Samara/Gabi. Ela abusou das meninas, que estavam em extrema dificuldade em pontuar, com a Fabiana no cangote delas.

A rede de dois também serve de exemplo para mostrar outro ponto da partida que fez diferença a favor do Sesi: a Suelle. A jogadora teve muito mais desenvoltura nesta rede – e nas outras também – do que suas colegas adversárias Samara e Gabi. Enquanto a do Osasco trancava, a do Sesi virava. 


*****************************
O Sesi é o time que melhor usa o seu elenco. Ontem, mais uma vez, as substituições mudaram o rumo da partida. E o Sesi foi o que mais mudou o seu time titular e melhor manteve a qualidade do seu jogo. No Osasco, é exatamente o oposto. 


*****************************
Posts atrás, após a vitória contra o Praia, disse que o Osasco podia mirar o topo da tabela. Para variar, me enganei. Achei que tinha visto ali uma reconquista da confiança, que traria a equipe de volta à briga contra os grandes.

Mas, ao que tudo indica, esta confiança só aparece em determinadas ocasiões. O Osasco esteve tenso contra o Sesi, se sentiu acuado e demonstrou isso em quadra. Mesmo quando liderava o placar, a tensão era evidente. As meninas estavam travadas e com as expressões sisudas.

Não sou daqueles que gosta de justificar uma derrota ou vitória por aquela máxima do “jogou com o sorriso no rosto” porque, obviamente, não é só isso que define uma partida. Na verdade, as expressões corporais são só um reflexo das dificuldades técnicas e táticas que impedem o Osasco em encontrar o seu jogo.

A falta de bola e de resultados convincentes está afetando a confiança do Osasco, que, até ontem, reinava junto ao Rexona. Quebraram o trono do Osasco e ele não está conseguindo reconstruí-lo. 
*****************************

Demais resultados da 11ª rodada do returno:

 
Camponesa/Minas 3x0 São Bernardo

Rio do Sul/Equibrasil 3x0 Brasília

Maranhão/Cemar 3x2 São Cristóvão/ São Caetano

São José dos Campos 1x3 Pinheiros

Rexona 3x1 Dentil/Praia Clube

- Eu poderia falar aqui do confronto mais interessante da rodada – além de Sesi e Molico – que foi entre Rexona e Praia. Mas têm partidas com resultados muito estranhos. Primeiro, o Pinheiros sofreu nos dois primeiros sets pra vencer o lanterna da SL. Ok, vou dar um desconto porque o São José já tirou uns sets por aí, inclusive do Minas, e o Pinheiros aproveitou a partida pra recolocar em quadra Cibele e Renatinha.

Mas o que falar da derrota do Brasília por 3x0 pro Rio do Sul? O resultado só não foi pior porque quem está na cola do Brasília na tabela, o São Caetano, também perdeu. O Sanca, que dá um trabalho danado a todos os favoritos, sucumbiu para o Maranhão. 

Comentários

Welmer Sales disse…
Olá, Laura e amigos! Faz um tempinho que não comento por aqui, mas estou sempre lendo vocês. :D

Mais uma vitória do SESI e a meu ver mais vitória construída em cima das fragilidades do time Osasquense. Assim como na partida do turno a equipe de Osasco começou melhor, abriu vantagem, mas depois viu o time do SESI crescer dentro do jogo e tomar as rédeas da partida. Hoje, as partidas de Osasco contra o SESI são muito mais psicológicas do que técnicas, mas é algo que não consigo entender visto que do time do ano passado só Brait, Thaisa e Adê permaneceram.

Ontem, além dos apagões sofridos pelo time, Osasco contou com uma noite muito pouco inspirada da Dani e as atacantes de extremidades não tinham tranquilidade para trabalhar as bolas. Carcaces não variava o repertório de ataque, era sempre bola na diagonal, sendo que a maioria dos seus estava sendo amortecido pelo bloqueio, senão efetivamente bloqueados.

É difícil, pra mim, entender como um time pode perder pra um outro time que tem Suelle e Mari Cassemiro nas pontas. Tem algo muito errado na estratégia de bloqueio e defesa do time de Osasco. Por mais que o Nalbert durante a transmissão tenha tentado fazer da Suelle uma exímia atacante, não acredito que ela seja tudo isso, é uma boa jogadora, mas só.

P.S.: Essa campanha abaixo do esperado de Osasco tem me preocupado e despertou um medo em mim: vocês acham que existe a possibilidade da Nestlé retirar o patrocínio do time se a equipe não conseguir chegar à final?
Eduardo Araujo disse…
Olá...

Eu sempre falei que prefiro jogadoras técnicas, aquelas que melam a bola, explorar bloqueio, coloca a boa, esse tipo de jogadora deixa, o time adversário nervoso, por isso que eu gosto da Suelle, o Sesi do ano passado jogou do mesmo jeito, na vdd só melhorou quando jogadoras assim entraram, pq ate então estava um desastra a recepção e a virada de bola delas, pq colecionavam bloqueio com a Dani Lins levantando.

Ontem eu perdi a paciência, não sei oq foi mais humilhante o primeiro ser com aquela virada, ou o quarto set.

Eu acho uma coisa interessante na analise das pessoas, a pouco tempo atrás no melhor do vôlei, enquanto a levantadora reserva do Osasco estava jogando eles colocaram a matéria falando que o mesmo sofria de Dani dependência.

Lembrando que a coitada era nova no elenco e não tinha entrosamento com ninguém do grupo, e a maioria caiu matando ela.

Agora com a Dani jogando, e vamos ser realistas o Osasco esta jogando do mesmo jeito que antes, mas com uma levantadora de 7 pontos comandando o ataque, mas agora ninguém critica a Dani, é culpa das atacantes, culpa da recepção, sendo que é a melhor recepção da SL, ninguém fala dos levantamentos horríveis nas bolas de meio, varias vezes as bolas das pontas estão baixas ou lentas, facilitando a marcação, por isso que os times estão bloqueando muito o Osasco.

O ataque do Osasco nunca esteve tão ruim, em 4 anos, ano passado o Osasco tinha 2 ponteiras, que eram muito ruins, o passe do Osasco foi o 4 ou 3, para compensar isso tínhamos que jogar com a bola do meio direto, muitas vezes forçando as jogadas, tanto que a Thaisa era uma das maiores pontuadoras.

Hoje isso não existe, a Laura falou que as jogadas estavam marcas pelo bloqueio do Sesi, eu acredito que alem do que eu falei, existe esse problema também a Dani não se reinventa, não faz novas jogadas, fazer sempre a mesma coisa fica difícil.

Além de tudo isso, olhando o comportamento das jogadoras pode ate ter um problema interno, notem muitas vezes o comportamento delas em quadra, ontem depois de um levantamento horrível da Dani para a Thaisa, que a mesma somente passou para o outro lado da quadra, e fez o ponto na jogada através de um bloqueio, ela quase nem olha na cara da Dani Lins, na hora que as jogadoras se cumprimentam juntas no centro da quadra.

Outra coisa que não pega bem, a Dani levanta uma bola errada para a Ade, que passa para o outro lado e o Osasco toma o contra ataque em uma bola facilmente recuperável, e a Dani vai e briga com a Samara por deixar a bola cair, tudo bem um erro não justifica o outro, mas a Dani começou a jogada errada ela devia falar, desculpa gente errei, afinal atacar é bem mais fácil que defender.

Vou fazer uma comparação com a eterna sobra da Dani, a Fabiola, eu cansei de ver esse tipo de coisa acontecer, pq todo mundo erra, mas a diferença é que a Fabiola levantava a mão e falava desculpa eu errei, tirar a sua responsabilidade ou jogar para outros afeta do grupo.

A Dani é uma jogadora de 7 pontos, se espera de uma jogadora assim, que faça a diferença, principalmente sendo o cérebro da equipe e ate agora nada.

O Osasco pode ser campeão? pode, de repente acontece igual nas olimpíadas, mas vendo agora o vôlei delas é bem difícil de acontecer.

Se a Nestle deixa o Osasco, hoje ela é praticamente a dona do time, mas assim como o vf fechou por falta de resultados, pode sim acontecer.
Laura disse…
É, Eduardo,a Dani não está jogando bem desde q voltou da contusão. Como falei no post, a marcação do Sesi foi facilitada pela previsibilidade das jogadas da levantadora e da falta de habilidade das atacantes.

Welmer, sobre o fim do patrocínio, a possibilidade sempre existe, infelizmente. Do jeito que está, acho difícil o Osasco chegar a final. E, se isso acontecer, a Nestlé deve repensar, senão o patrocínio, ao menos, o comando técnico do time.
Paulo Roberto disse…
A princípio acho que Nestle não deve tirar o patrocínio de cara, mas sim mexer na CT.
Sobre a Dani, concordo com o Eduardo. Quem acompanha meus comentários aqui, sabe que nunca achei que ela fosse esse chocolate todo. Primeiro porque acho um(a) levantador(a) não pode ter como único ponto forte as jogadas pelo meio, segundo porque mesmo assim lhe falta regularidade.
Tomara que o Minas chegue à final porque soube se reinventar com a chegada da Jaque e seria um premio pra ela também.
Nei disse…
1 - Welmer, eu acho que sim que o patrocínio pode acabar. Ninguém quer investir em algo que não dá certo e o Osasco creio que tenha o maior investimento do Brasil e perde campeonatos impossíveis.
2 - Eduardo, seu post foi ótimo, tem vários elementos para comentar. O primeiro é a questão do ranking. Não adianta, não funciona, nivela por baixo e não garante vitória. E na Superliga não é imparcial. Não adianta ter uma jogadora 7 jogando como 4. Algo a se pensar. E Dani está ruim desde o Grand Prix do ano passado. Manteve o desempenho no Mundial e vimos o resultado. Sua precisão caiu e a distribuição tá muito ruim, na seleção e no Osasco. Parece que depois da Olimpíada ela relaxou por não achar que não deve provar mais nada pra ninguém. E apenas joga porque gosta, sem pressão. Ela precisa de uma nova temporada com o Bernardo.
E falando em técnico o Luizomar é outro grande contribuinte das derrotas do Osasco. Não sabe resolver situações adversas.
Já tinha dito que o Sesi é o time que melhor sabe vencer o Osasco, mais até do que o Rio, mas para mim o principal defeito do Osasco é o psicológico. Tem medo de decidir. E o nome principal do desequilíbrio é Thaisa. Pra mim ela desestabiliza qualquer time. Muito chata e arrogante. Amarela nas finais, some literalmente do jogo. Arrasa contra São Caetanos e Maras e pipoca contra Akirandewo e Estados Unidos. E acho que o time rende melhor com a Diana, no momento.
Eduardo Araujo disse…
Nei eu não sou um grande fã da Dani Lins, nunca achei ela a ultima bolacha do pacote.

A pressão sobre a Dani Lins diminuiu depois da conquista olímpica, aonde ela jogou 4 jogos sem comprometer, pq ate então com a Fernandinha o time estava péssimo, afinal ela entra faltando um mês para o torneio, e pegar o minimo de entrosamento é impossível, tanto que somados essa decisão de aceitar o plano do ZR e a participação dela na SL do ano seguinte acabaram com a carreira dela aqui no Brasil a coisa ficou muito ruim para ela.

Vocês lembrarem no GP daquele ano a Dani jogou o primeiro jogo de uma forma horrível sendo substituída pela fernanda no segundo set e depois disso não jogou mais o GP praticamente, tanto que a surpresa no corte da fabiola foi enorme tanto para a mídia como para as jogadoras

Nas palavras da Mari, depois que ele cortou a titular da seleção naquele momento qualquer coisa podia acontecer.

Mas enfim depois da reunião com as jogadoras o time foi mudado e a Dani Lins estabilizou o time, não foi genial, mas jogou bem e principalmente não comprometeu.

Como ela era uma jogadora de 6 pontos e ganhou as olimpíadas jogando as ultimas 4 partidas como titular, eu concordo que ela teria que subir 1 ponto ficando assim com 7 pontos.

Não concordo com oq foi feito com a tandará que tinha 5 e do nada ficou com 7 pontos, mesmo não sendo titular.

Não concordo com oq aconteceu com a Fabi na época que tinha 5 pontos e foi para 3 ou algo assim.

É muito difícil entender qual é a logica usada para classificar as jogadoras, ate pq não tem uma norma, tem jogadora que do nada tem sua pontuação aumentada, tem outras que é diminuída, e outras mesmo sem jogar tem a pontuação mantida.

Mas quando a Dani Lins ficou com 7 pontos, eu pensei que o time que tivesse ela teria um abacaxi na mão, como eu disse, não acho ela a ultima bolacha do pacote.

Mesmo no ano passado que todo mundo falava que a Dani estava levando time nas costas, o mesmo só melhorou quando 2 jogadoras que melam o jogo, que aprenderam a explorara o bloqueio por causa da sua falta de força entraram, o Talmo vivia falando gente explora o bloqueio vcs vão receber no dublo mela o jogo.

Mas oq acontecia é que a pri e a ju costa sempre davam porrada e a bola voltava no pé.

A tandara evoluiu muito com a Dani por causa disso, quando a mesma foi dispensada do vf e foi contratada para no Osasco ela começou como oposta e com a chegada da Hooker foi para ponta, aonde ela batia muitas bolas sem bloqueio ou com simples, mas quando vinha um dublo a bola voltava no pé.

Quando ela começou a jogar no Sesi eu chamava ela de tandara caixote de tanto bloque que ela levava, mas evoluiu e aprendeu a melar o jogo, quando necessário.

Falando esse histórico todo, cai naquela situação uma jogadora de 7 pontos ela é considerada um diferencial, por isso que cada time pode ter 2 jogadoras assim, ou seja essas jogadoras tem que fazer a diferença, pela pontuação e pelo salario que recebem.

E não acho que a Dani Lins faça isso, a Dani Ficou uns quatro anos ou mais com 6 pontos, e acho que muitos desses pontos foi graças a imprensa, que fez uma propaganda danada para ela, quando o Brasil foi campeão olímpico na primeira vez muitos defendiam que a Dani tinha que ser a reserva da fofão naquela ocasião.

Quanto a pontuação das jogadoras isso depende muito da visão dos times, olha o exemplo que eu vou dar.

O ZR hj ele fala que não pode ter pontuação para as jogadoras, mas quando ele era técnico do vôlei futuro ele foi o primeiro a falar que o Osasco não poderia ter aquele time que deu uma surra nele e o mesmo ainda teve que ouvir "oooo fabiola seleção" das próprias jogadoras do Osasco.

Nas palavras dele, um time como aquele iria acabar com a SL, que a maioria daquelas jogadoras tinham que ter 7 pontos.

Ou seja quando o dele esta na reta e os investimentos do time dele não conseguiam acompanhar o do Osasco, tinha que ter 7 pontos as jogadoras, agora que ele não tem mais time ele defende a pratica de abolir os pontos.

Nei disse…
Eduardo você resumiu bem essa coisa do ranking. Não vou me repetir. Acho tudo uma sujeira. Eu acho que o Zé foi super anti-ético com o que ele fez com as jogadoras do Campinas ao convocá-las para a seleção. Pri Daroit, Claudinha, Fernandinha, Waleswka, Carol Gattaz, Tandara, Letícia Hage, Natasha, Suelen. Só não levou Daymi porque não dava. Depois desfez tudo. Foi um horror isso. Eu acho a Dani uma boa levantadora e juntamente com a Fabíola é a melhor opção pra seleção. Mas o fato é que sua precisão e distribuição caíram após Londres, tanto na seleção como em Osasco. Ela precisa melhorar urgentemente, especialmente na seleção. Espero que Fabíola volte muito bem da Rússia. Vamos precisar dela.
Pra mim o erro do Osasco foi a saída da Jaqueline...o Osasco perdeu a principal característica dele que é ser um time com volume. (Passe na mão o tempo todo e bastante defesa).

A saida da Fabiola pela Dani Lins foi um grande tiro no pé (Não gosto da Dani como levantadora mas reconheço que tem qualidades e que jogou muito bem os jogos olímpicos) mas acredito que a Fabiola tinha um rendimento excelente no time, ela foi considerada a melhor levantadora da SuperLiga duas vezes com a camisa do Osasco (Encima da Fernanda Venturine e da Fofão).

A Jaqueline faz toda a diferença em qualquer time que jogar, acho ela completa e Osasco perdeu sua identidade quando deixou de renovar com ela.

Como um dos amigos comentou...eu sou Osasco mas confesso que o time do Minas com a Jaqueline tem dividido minhas atenções...gostaria sim que o Minas continuasse a surpreender os grandes e chegasse a uma final...quem sabe assim o patrocinador de firma ainda mais e continuamos tendo uma equipe tão forte e tradicional abrilhantando o vôlei brasileiro.

Outra coisa, acho sim que o Luiziomar deveria ser substituído na frente da comissão técnica do Osasco. Um bom exemplo para o lugar dele seria o Spencer Lee, ele já fez milagre com aquele time do Praia, acredito que possa fazer um bom trabalho na frente de um time com bastante recurso como Osasco.
Nei disse…
Julio Cesar, eu também acho que foi a maior burrice deixar a Jaque ir, especialmente na fase final do ano passado, onde ela teria feito toda a diferença no Osasco. Se deram mal. Também passei a torcer pelo Minas por causa da Jaque. Gostaria que chegasse às semi. O Osasco não ganhou pelo menos duas das três últimas Superligas devido ao mau comando do Luizomar. Principalmente naquela edição que tinha a seleção brasileira em quadra.
Eduardo Araujo disse…
Mas eu acho ate que foi bom para a Jaque isso ter acontecido, muita gente falava que ela não jogava nada e davam outros adjetivos para ela, agora veja o minas sem a Jaque e com a Jaque é outro time e acho que pode dar um pelo de um trabalho.

Agora tem coisas que não tem como você evitar, as saídas da Fabiola e da Sheilla, foi pq os times vieram com um caminhão de dinheiro e o Osasco achou que não compensava cobrir a proposta.

Essas 2 não voltam tão cedo para o Brasil, ambas renovaram o contrato com os seus times.

O Julio Cesar mostrou uma coisa interessante, o torcedor do Osasco começa a perder a paciência.

A Dani Lins começa a receber a pressão da Fabiola, mesmo ela estando na europa.

Pq o torcedor faz essa comparação, agente tinha uma jogadora que foi eleita 2 vezes a melhor da SL, no ultimo ano foi a segunda.

Então a Dani Lins sente essa pressão mesmo com a Fabiola estando tão longe.

Falando mais uma vez da Jaque eu lembro da Thaisa falando que a Samara seria a nova Jaque do vôlei brasileiro, ate acho uma boa jogadora, mas tem que comer muito arroz com feijão ainda.

Se vocês analisarem a estrutura que o Osasco joga hoje, é exatamente igual a estrutura que jogou quando o mesmo foi campeão com a Hooker, mas a diferença é que o time não esta andando.

Dani Lins faz o papel da Fabiola.
Samara faz o papel da Jaque.
A cubana faz o papel da Tandara.
Ivna faz o papel da Hooker.
Paulo Roberto disse…
Eduardo, a diferença é a qualidade das jogadoras. Naquela temporada a fase da Fabíola era espetacular, Dani vive um inferno astral. Samara não chega nem na unha do dedo do pé de Jaque. Hooker é muito mais matadora que Ivna. As únicas que se equivalem é Carcaces e Tandara.
Nei disse…
Vou esperar o próximo post para comentar.rs
Um detalhe importante sobre a Jaqueline, ela não fez a diferença somente no time do Minas e sim na seleção Brasileira...o time sem ela praticamente inexistiu.

Fico preocupado com essa posição quando olho para os times brasileiros...concordo com o amigo que diz que Samara não é nem a unha do pé da Jaqueline, mas hoje olhando no cenário atual não vejo uma jogadora de qualidade técnica para assumir a posição da Jaqueline no mesmo nível. A que mais me chama atenção pela qualidade técnica é a Michele Pavão do Brasilia, acredito que se ela tiver mais espaço em um time grande pode demostrar bons resultados como a Monique tem demonstrado no SESI.

A Seleção precupa mais ainda...temos boas ponteira de definição mas as de preparação esta complicado.

Acredito que a solução pro Osasco na proxima temporada seria trocar o Luiziomar de Moura...rsrs...acho que ele se acomodou ali, precisa de desafio. Já para o Time eu tentaria recontratar a Jaqueline, manteria a Carcaces mas como oposta. Manteria a Thaisa e Adenizia (daria uma ultima chance pra ela mostrar serviço, pra mim ela não vem jogando bem a varias temporadas), no levantamento eu tiraria a Dani Lins e buscaria uma outra levantadora de no mercado internacional (Uma que eu gosto de ver jogando é a Yael da argentina que esta no Rio do Sul...uma dica bem de longe, confesso que não observo tanto a posição...outra opção seria a Claudinha também, acho que ela tem potencial, fez um bom trabalho no Minas e nas mãos de um bom treinador pode ser uma excelente opção) e Brait que pra mim é mais regular do time.

#GoOsasco
Nei disse…
Júlio, pelo que ouvi dizer a Jaque não vai deixar o Minas. Parece que o Murilo tá vendo se acerta para ir para o Minas também. Eles gostaram da cidade e querem viver lá por causa do Arthur. Me parece também que a Thaísa não vai continuar em Osasco, vai para o exterior. Acho que quem poderia chegar perto da Jaque é a Suelle. Ela rendia bem no Rio com o Bernardo. E o Osasco foi freguês de novo, hein,rs.
Eduardo Araujo disse…
Opa, fazia tempo que o blog não tava tão movimentado em comentários.

Então o Osasco perdeu outra vez, mas vi coisas positivas, finalmente a Dani Lins usou e abusou das jogadas pelo meio de rede.

As pessoas reclamavam da Thaisa, mas a mesma não pode jogar se a levantadora não utiliza as jogadas pelo meio.

A Dani Lins levou varias vezes a marcação do bloqueio, mas ai tem uma ressalva, a substituta da Nathalia tinha 18 anos e quase matava o técnico do coração rs.

Mas eu acho que melhorou, vi as jogadoras conversando, mas o preocupante é o seguinte.

Quando o Osasco estava sem 2 titulares não viu o cor da bola contra o rio.

Ontem o Rio estava sem 2 titulares, levou para o quinto set e ainda ganhou o jogo.

E oq vocês me dizem daquele comentário da Thaisa?
Este comentário foi removido pelo autor.
Tanto a Jaque como o Murilo vão aceitar sem duvidas a melhor proposta...duvido que se Osasco oferecer um bom salario que ela não volta a representar o time e eu entendo ela por escolher o melhor salario pois atleta aposenta rápido.

Quanto a Freguesia do Osasco eu já nem comento mais...rsrs...to começando a aceitar a ideia de nem chegar na Semi-Final. Posso estar sendo pessimista mas a atuação do time não me gera expectativa.

Quanto ao comentário sobre a Samara ser a herdeira da Jaqueline foi feito pela Adenizia e acho que isso esta bem longe de acontecer.

Acredito que a Suelle também seja uma boa opção para o Osasco.

Uma que eu tambem não manteria no time é a Mari...é triste a situação dela, foi uma excelente jogadora, mas as lesões que sofreu na carreira não permite ela retornar a jogar no mesmo nível. Ela deveria parar e fazer outra coisa.

#OsascoFreguesMasAindaÉOTimeDoCoração