Ressaca pós-Carnaval


É, acho que esta pausa para o feriado momesco não fez bem a alguns times da Superliga. Estão de ressaca pós-Carnaval. A ver: Molico venceu o Sanca somente no quinto set; Sesi suou para ganhar do Brasília; e o Pinheiros... bom, este se perdeu em algum bloco de rua e não apareceu na rodada.

 
Dentil/Praia Clube 3x0 Pinheiros

Disparado, a melhor atuação do Praia na SL 14/15. Cometeu muitos erros no primeiro set, mas, do segundo em diante, foi perfeito.

Ainda que a Karine tenha feito uma distribuição muito focada numa só jogadora – no caso, a Ramirez -, todas que foram acionadas viraram com facilidade. O time aproveitou muito bem os contra-ataques, por isso conseguiu manter as vantagens que construía com tranquilidade. 


A defesa esteve muito bem - nunca vi a Tandara defender tanto. O bloqueio também funcionou desde o início da partida. A Ramirez simplesmente acabou com a moral da Ellen, bloqueando-a inúmeras vezes consecutivas.

****************************

Agora, é realmente difícil dizer o quanto da vitória pode ser atribuída ao Praia e o quanto pode ser ao Pinheiros. Eu não consigo identificar se o que o Praia apresentou representa, de fato, uma evolução do time.

Isso porque o Pinheiros simplesmente inexistiu. Nada deu certo no time do Wagão.

Primeiro, o time demorou para acertar a marcação das jogadoras do Praia – tanto no bloqueio como na defesa. Esteve tão mal a ponto de não conseguir marcar a Ju Costa. No segundo set, era mandar bola para ela que que o ponto estava garantido. No momento que a Ju Costa vira a principal atacante e vira com tamanha tranquilidade, é porque o seu time tem sérios problemas.

Depois, melhorou um pouco a marcação, mas manteve os problemas na recepção e no aproveitamento no ataque. O Wagão falou e falou com a Macris, mas não sei se era a levantadora o problema. No primeiro set, até diria que sim. Faltou velocidade nas jogadas. Depois, acho que ela fez o que pôde com o passe que recebia e não teve culpa das dificuldades das suas atacantes em driblar o bloqueio. 


****************************

Eu pensei que a parada no calendário fosse ajudar o Pinheiros, que vinha numa série pesada de jogos e mostrava os primeiros sinais de desgaste. Mas a pausa parece ter tirado a equipe totalmente de prumo, exatamente agora que chegam os confrontos mais importantes.

Na verdade, este resultado me deixou bem confusa. Ainda não sei o que esperar desses dois times no restante da competição.

Só sei que o Praia venceu um confronto direto importantíssimo no momento em que, tanto ele como Pinheiros, pegam, na sequência, os três melhores da SL (Molico, Sesi e Rexona). Enquanto isso, o Minas, que já passou por isso no início do segundo turno e fez a sua parte, agora encontra uma tabela bem mais amigável para pontuar e subir na classificação.


****************************

Demais resultados da 7ª rodada:

Maranhão/Cemar 1x3 Camponesa/Minas

São José dos Campos 2x3 Uniara/Afav

Rexona 3x0 São Bernardo

Sesi 3x2 Brasília

Molico/Osasco 3x2 São Cristóvão/São Caetano

Comentários

Nei disse…
Ô gente, você pegou pesado com a Jú Costa. Ela não é tão ruim assim. Ela vinha em ascensão no Osasco há uns anos, mas devido a problemas físicos nunca mais foi a mesma, mas parece que agora tá inteira, por isso melhorou. Quanto a Macris, eu dei risada e me perguntei o mesmo: o que é que o Wagão tanto conversa com ela? Porque nada tava resolvendo e ela respondia parecendo que não tava gostando e tome-lhe conversa, rs. Ai ai. Pinheiros tem que abri os olhos pra não cair na tabela e pegar confrontos perigosos nas quartas.
Eduardo Araujo disse…
Opa realmente essa SL, esta mais equilibrada, não pela qualidade técnica apresentada, mas pela falta da mesma.

Gostei do jogo do Praia, mas convenhamos o Pinheiros não foi jogar.

Agora o Osasco é preocupante, não lembro nos últimos 3 anos de ter uma equipe tão ruim, o pessoal fala do passe do Osasco, mas olhando as estáticas o time esta liderando nesse fundamento, ou seja imagina como esta o passe nas outras equipes, deixou de ser uma desculpa isso, assim como lidera em bloqueio.

Não vejo melhora no Osasco, na próxima rodada o Osasco pode perder a posição para o Praia e ficar em 4.

Como dizem alguns especialistas, fazia tempo que o Osasco não corria tanto risco de sair da competição nas 4 de final.

Se acontecer, para o projeto e o investimento feito é péssimo para as próximas temporadas.
Nei disse…
Eu acho que a crise no Osasco e na seleção tem um nome: Thaísa. Jogadora insuportável, desequilibrada emocionalmente (o que alguns chamam de personalidade forte) arrasa contra os pequenos e em jogos que não valem nada fazendo milhares de pontos em ataques e bloqueios, mas quando pega os grandes e os jogos decisivos, some, pipoca, não faz nada e ainda faz cara feia. Péssima de grupo, desequilibra qualquer lugar. Me lembra a nojenta da Ventu-Ha. Tira a Thaísa que o Osasco e a seleção voltam a jogar.
Eduardo Araujo disse…
Olha é muito difícil analisar oq esta de errado no Osasco, mas vamos pegar alguns números para ter um melhor entendimento da coisa.

Primeiro fundamentos individuais:

Ataque: O Osasco tem a OPON Kenia em segundo lugar e a MARRA Ivna em 13 lugar.

Bloqueio: Ade em 2 lugar, Thaisa em 5 lugar.

Saque: Dani Lins em 12 lugar.

Defesa: Camila Brait em 1 lugar.

Levantamento: Dani Lins em 4 lugar.

Recepção: Brait em 1 lugar, Samara em 5 lugar.

Agora estatística por equipe.

Ataque: Osasco 3 lugar.

Bloqueio: Osasco 1 lugar.

Saque: Osasco 5 lugar.

Defesa: Osasco 4 Lugar.

Levantamento: Osasco 6 lugar.

Recepção: Osasco em 1 lugar.

Vendo os números, me parece que o ataque do Osasco esta muito focado na cubana, embora o passe esteja bom nos números, o time não esta tendo tantas jogadas pelo meio de rede.

Nos últimos anos o Osasco teve em suas principais jogadas o ataque pelo meio, nunca uma unica jogadora era muito acionada, agora o foco esta muito na cubana.

Acho que a solução é variar mais as jogadas.
Laura disse…
hahaha Nei, pode até ser q tenha exagerado com a Ju Costa. Mas, das atacantes ali disponíveis, ela seria a mais fácil de marcar. E sobre a Thaisa, discordo totalmente.

Eduardo, é realmente difícil saber o q está acontecendo com o Osasco.

As estatísticas de passe são bastante subjetivas, mas não vejo, o Osasco enfrentando problemas no passe diferente de outras equipes. Acho q a ausência da Dani Lins quebrou o time de uma forma inesperada e nem a volta dela foi suficiente para recuperar.

Como vc falou, o Osasco sempre se caracterizou por ter jogadas fortes com as centrais, mas desde a sua volta, a Dani Lins parece ter esquecido essas jogadas.

E, realmente, nunca o Osasco correu tanto risco de cair nas quartas.