terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Muito suor, pouca bola

Rio do Sul 2x3 Molico/Osasco

Quem diria que Rio do Sul vs Osasco seria tão emocionante? Olha, tô pra dizer que foi um dos jogos mais interessantes desta SL.

Não foi exatamente um primor em qualidade, mas foi totalmente imprevisível e cheio de histórias e personagens interessantes, como a central Mimi Sosa, por exemplo. No primeiro lance da partida, ela torceu o tornozelo e saiu. Voltou no segundo set e se tornou a principal jogadora do Rio do Sul. Deu um show no bloqueio e incendiou o time.
 
Houve ainda a incrível recuperação do Rio do Sul no quarto set, quando perdia por 24x16. O time catarinense conseguiu empatar com uma sequência incrível de bons saques e bloqueios enquanto o Molico dava mais uma demonstração da sua instabilidade emocional e técnica. O Osasco assume o golpe na mínima pressão que enfrenta.



********************************

Em termos gerais, o Rio do Sul foi um time mais coeso. Foi bem no saque e no bloqueio, e manteve uma certa regularidade na virada de bola, mesmo com ponteiras menos badaladas do que o Osasco. O problema maior – e que acabou comprometendo a vitória – foi o baixo aproveitamento nos contra-ataques e os erros não forçados (como no saque) que aliviaram a pressão pra cima do Osasco.

No tie-break, o Spencer cometeu um erro ao fazer a inversão de 5x1. Ele acabou tirando a sua principal atacante e pontuadora, a Natiele. Ela era a única que tinha começado o set conseguindo virar. Com a inversão, o Rio do Sul perdeu esta opção e ainda viu, com os erros da Duda - a substituta, o Osasco abrir vantagem. 

********************************

Já o Molico continua atrapalhado. Poderia dizer que a causa ainda é a falta da Dani Lins, mas não é só isto. O problema também está na confusão da linha de passe. Tendo que cobrir suas colegas, Camila Brait tem o trabalho dobrado e, pior, comprometido. Samara perdeu a tranquilidade e a segurança que tinha no início da temporada.

Ontem o Luizomar teve a volta da Carcaces. Ela começou a partida, foi bloqueada duas vezes e foi substituída pela Gabi, que, depois, foi substituída pela Mari. Aí, o discurso no final do jogo, após a “grande vitória”, é exaltando a força do grupo. Bobagem. O troca-troca do Luizomar é típico de quem tá perdido e não sabe dar um mínimo de organização para seu time.

E estou com receio que o Luizomar esteja enfraquecendo o maior diferencial da sua equipe, a Carcaces, tornando-a uma peça como qualquer outra quando, obviamente, ela não é. Ela é a única grande atacante que ele tem à disposição. Tem também a Thaísa, mas, como central, ela precisa de bolas específicas. A Carcaces é pau pra toda obra. Com a Diana no levantamento, ela se faz ainda mais necessária.

Digo isso não só por ontem - quando ela foi descartada no primeiro set com uma facilidade e rapidez incríveis-, mas também pelo Top Volley. O Luizomar tem que pensar o time para potencializar a recuperação da cubana. Se até quando a Mari entra, ele adapta a Ivna como ponteira, por que não fazer isso com a Carcaces, deixando-a livre só para atacar? Que o treinador não se iluda, mas a “força do grupo” não vai ser suficiente para vencer as competições nacionais. 

********************************


Demais resultados da 2ª rodada do returno:

Camponesa/Minas 3x0 Dentil/Praia Clube

São Bernardo 3x0 São Cristóvão Saúde/São Caetano

Uniara/Afav 0x3 Pinheiros 


São José dos Campos 0x3 Rexona 


Maranhã/Cemar 0x3 Sesi


- Estou surpresa com o placar e a facilidade da vitória do Minas contra o Praia. Nem a Ramirez voltando como titular ajudou o Praia a ter um bom aproveitamento no ataque. E o Picinin tá quebrando a cabeça para montar o time em quadra. Não sei qual foi a escalação na Copa Brasil, mas contra o Minas a equipe teve, além da Ramirez, Ju Costa e Carrijo no time titular nos lugares de Sassá e Karine. Neste primeiro (ou segundo) teste, não deu nada certo.    

4 comentários:

Ana bolos disse...

A Sassá está com uma contusão na panturrilha por isso não jogou na copa do Brasil e nem ontem contra o Minas. Na copa do Brasil, Ju Costa foi a titular na ponta junto com Tandara e Ramirez na saida.

Contra o minas devido ao baixo rendimento da linha de recepção na partida contra o pinheiros, Piccinin escalou dayme e ju na ponta como tentativa de melhorar o passe e Tandara na saída.

Sergio Roberto Sanots disse...

Gostaria da sua ajuda e de quem mais quiser me ajudar.
Minha dúvida é: A arbitragem está realmente péssima ou é só implicância minha. O Osasco fez o 15º ponto e a arbitra não viu.
É implicância ou a coisa tá feia?

Laura disse...

Obrigada pela informação, Ana!

Sergio, acho q a qualidade caiu mesmo. Sobre a partida do Molico especificamente, não achei ruim a arbitragem. Sim, a árbitra errou naquela bola do Osasco, mas considero dentro da normalidade do q pode acontecer numa partida.

Acho que o que incomoda mais é que temos tecnologia para resolver estes problemas e ela ainda não é utilizada.

Lívia Karol Araújo disse...

O que eu acho mais engraçado é que na SL passada, o Rexona esta muito instável e tinha Bernardinho - apenas ele - como técnico e não havia esta cobrança/patrulhamento que existe contra o Molico. No mínimo, muito suspeito.