É hora de pensar em mudanças


Dentil/Praia Clube 0x3 Rexona

O torcedor do Praia deve estar morrendo de saudades da Ramirez. Depois da saída da cubana o ataque do time ficou tão previsível que fica fácil para qualquer adversário marcar – a não ser quando a Tandara se encontra numa noite super inspirada.

Ontem, contra o Rexona, a Tandara foi “normal”: carregou o piano mas uma vez, mas não conseguiu fazer milagres. Assim, o esforço que o Praia tinha que fazer para pontuar era três vezes maior do que o Rexona, que abria ou recuperava vantagens no placar com certa facilidade.

Concordo com o comentário do Eduardo, participante do blog, que enquanto a Ramirez não volta, o Picinin deveria utilizar mais a Webster. Ela tem entrado bem, mas acaba por ser muito pouco aproveitada. Ele deveria pensar numa composição com Tandara e Webster. Quem sabe dá certo? 

*************************
 
Agora, a dificuldade do ataque não é o único problema do Praia. Mesmo quando a Ramirez voltar, ela não vai mudar uma realidade: o time não é um bom conjunto. Falta bloqueio, defesa e organização no contra-ataque.

E aí a responsa cai no colo do Picinin. Algumas mudanças e reflexões são necessárias. Primeiro, Letícia Hage. Vou ser repetitiva, mas ela tem sido a melhor central e não há motivo para ela não ser titular. O Praia precisa aumentar o seu bloqueio!

Segundo, Karine. Ela não tem tido boas atuações. A impressão que tenho é que ela escolhe as jogadas por impulso – o mesmo que a Ju Carrijo, a sua reserva. Mas o principal problema está na falta de precisão dos levantamentos que, nos contra-ataques, está comprometendo.

Picinin poderia lançar mão mais vezes durante as partidas da Ju Carrijo ou mesmo dar a ela uma nova oportunidade como titular. Apesar de repetir as escalações, o time não evolui, não ganha corpo. Picinin tem que tentar outras opções. 




*************************

Para não esquecer do Rexona:

O desempenho foi inferior ao apresentado contra o Pinheiros, principalmente na recepção. As bobeadas no passe deram brecha para o Praia crescer na partida.

Mas o time é rico em opções de ataque e a Fofão se esforça para aproveitá-las sempre e as atacantes correspondem bem. A única que tem deixado a desejar, depois de um começo bom quando desbancou a Andreia, é a Bruna.

Na partida, Natália foi bem novamente nas horas decisivas, mas a Gabi foi a melhor saída de ataque. Para mim, é a dupla de ponteiras mais forte e equilibrada da SL até o momento.

Comentários

Eduardo Almeida disse…
Oi Laura. Antes de mais nada, obrigado pela referência a mim no texto. O seu blog é o que mais gosto de ler sobre as análises das partidas.
O Praia tem sido o time que mais nada e morre na praia do campeonato.
Em alguns momentos o esquema se organiza e junto com saque bem colocado consegue chegar até o final perto de fechar o set, mas fica a impressão que os times mais fortes têm sempre a certeza de que eles vencerão as parciais.
Eu acho a figura do Piccinin com muita soberba para assumir que a formação do time não está adequada, que alguns fundamentos como o bloqueio não funciona adequadamente. Nas entrevistas ele diz estar tudo sob controle.
Sobre a reação do time, eu sinto que a Tandara, além de se cansar fisicamente de segurar o ataque quase sozinha, após perder os dois primeiros sets, quando chega o segundo fica irritada pela dependência que o time tem de uma boa atuação dela e a falta de atitude do treinador em mudar a cara do jogo.
A falta da Ramires bagunça muito o esquema tático do time. A Tandara foi contratada para atuar como ponteira, sua melhor posição de ataque, defesa, bloqueio. Tudo bem que na seleção ela até evoluiu na saída de rede, mas conseguiu graças a bons levantamentos e um sistema mais coeso de defesa que ela se inseriu.
Não entendo por que ele insiste ainda nesta formação que além de tudo não contribui coletivamente para a sequência do campeonato. Quanto a Daymi voltar, a Tandara volta para a ponta, então por que ela já não está nesta posição desde sempre?
Se pelo menos a Ju Costa justificasse sua situação entre as titulares e com bons ataques na ponta, mas não. Ela não dá consistência no ataque, para cumprir função tática de bloqueio e recepção, ela pode ficar na saída e garantir que tenhamos a Tandara na sua melhor posição e ainda que o time não perca a referência nos momentos das inversões de 5x1.
Estas inversões em que a Webster está em quadra sem o peso de ser a única atacante efetiva, tem funcionado bem melhor. E nesta, insisto que pelo menos a formação com Tandara, Webster e Sassá deveria ser testada. Se a Ju Costa não vira bola, a Sassá tem sentido a responsabilidade de virar bolas, sendo que sua responsabilidade no time está em equilibrar o sistema defensivo.
Sobre Ju Carrijo e Letícia Hage, é inexplicável que o time ainda não tenha tentado mais vezes jogar com as duas em quadra. Elas têm entrosamento de anos juntas e mostram muito mais interesse em ver o time progredindo. A Natasha tem tido uns momentos muito bons nas partidas, mas intercala com outros que some completamente do jogo. Ainda assim, seria titular, com uma ótima opção da Natalia no banco quando a primeira estiver muito marcada.
Quem defendia a Isabela no lugar da Sassá e a viu sendo bloqueada pela Fofão já deve ter desistido desta loucura.
Sobre o Rio é sempre mais fácil comentar. O time voa fisicamente, as jogadoras não se sacrificaram tanto pela seleção e mesmo assim trouxeram o trabalho físico para o grupo. A baixa do time é fazer o que o Bernardo diz de mais importante: fazer a auto-estima da Bruna melhorar como oposta de uma equipe tão importante. Mas diferente de Ju Nogueira que pouco evoluiu no banco do Rexona, a Bruna foi absorvendo muito e está num ótimo nível, comparado ao que ela chegou ao time. Sem contar que ainda tem a Regiane para resolver os pepinos de última hora.
No final, está dando gosto ver a Gabi, Natália e Jucy jogarem tão bem desde o início de temporada.

Laura, acho que a maioria dos leitores assíduos do blog deu uma sumida no período que ele ficou parado. Será que não seria o caso de tentar divulgá-lo mais no facebook e tentar reconquistar os antigos e atrair novos leitores?
Laura disse…
Oi, Eduardo!De nada. A ideia do blog sempre foi essa. Apesar de eu ser a "autora", não sou especialista no assunto. Presto atenção e aprendo com a opinião dos outros. Por isso, sempre que posso ou qd não consigo responder aos comentários diretamente, gosto de fazer uma referência a vcs no texto.

Em relação ao Face, agradeço a dica! Outro participante também comentou sobre isso recentemente. Vou pensar com calma e ver se me organizo para poder divulgar o Papo melhor. Admito que preciso dar mais atenção a ele, mas, por causa do trabalho, não consigo me focar 100%.

A propósito: vc fez uma análise bem completa sobre o Praia. Concordo com tudo!