sábado, 6 de dezembro de 2014

Agora sim

Rexona/Ades 3x0 Brasília

Uns posts atrás comentei que apesar de ter feito uma boa apresentação contra o Minas, a vitória do Rexona não tinha me convencido. Isso porque tinha enfrentado um adversário muito fraco, que tinha feito metade do “serviço” para as cariocas dando inúmeros pontos em erros.

O Brasília também não foi um adversário que impusesse grandes obstáculos ao Rexona – pelos diversos motivos que já comentamos aqui -, mas a vitória carioca, desta vez, me convenceu.

Acontece que, desta vez, foi o Rexona quem construiu sua vitória, com um bom desempenho de quase todos os fundamentos. A recepção ainda é um ponto fraco, mas tanto a habilidade da Fofão como a competência das atacantes têm compensado esta dificuldade. Mesmo a saída da Fabi não foi um problema, o time até melhorou o desempenho no passe depois da entrada da Amanda para ocupar a posição.

A relação saque-bloqueio também teve papel fundamental na vitória contra o Brasília, e a protagonista nestes dois fundamentos foi a Juciely. Para mim, aliás, ela deveria ter levado o troféu de melhor da partida.

Natália e Gabi também têm se destacado. Parece que ambas recuperaram a potência de ataque e têm sido importantes neste fundamento. No bloqueio elas também têm aparecido bem e, na partida de ontem, gostei do desempenho da Natália no fundo de quadra.

O que ainda joga contra o Rexona é a falta de jogadas com o meio. E não ter à disposição uma jogada de velocidade com a Juciely, por exemplo, é um desperdício. 


*************************


Demais jogos da 8ª rodada da SL:


Sesi 3x0 São Cristóvão Saúde/São Caetano

São José dos Campos 2x3 São Bernardo

Maranhão/Cemar 3x1 Uniara/Afav

Rio do Sul/Equibrasil  0x3 Camponesa/Minas 

Molico/Osasco 3x2 Pinheiros 


- Osasco e Pinheiros: este era o jogo que queríamos transmissão, Sportv!

Não pude acompanhar a vitória do Pinheiros contra o Praia Clube, mas vi que o ataque teve um ótimo desempenho. Desta vez contra o Molico, Rosamaria ficou um pouco sozinha na função, tendo ao seu lado uma irregular Ellen.

Esta é a magia e a fraqueza do Pinheiros. Ele funciona muito na base da força do grupo e não no individual. Precisa de todas as jogadoras bem para equilibrar a disputa contra os favoritos. De qualquer forma, o Wagão está de parabéns por fazer do Pinheiros, um grupo sem estrelas, um time competitivo.

Já o Osasco deu uma força ao Pinheiros ao entregar 33 pontos em erros. O time da capital foi bem mais regular e aproveitou a brecha para crescer. Tínhamos visto uma cochilada parecida no terceiro set contra o Brasília, só que desta vez a qualidade do adversário era outra. Motivo de atenção para as meninas do Luizomar. 



4 comentários:

Marcelo Fernandes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcelo Fernandes disse...

Paula q devería ser a jogadora de segurança do Brasília esta tendo uma atuação pífia, uma decepção, assim não há Leila, Sérgio Negrão, CT, patrocinadores e treinamentos q faça milagre. Antes tivessem contratado uma domenicana matadoura pela metade do preço q fizesse seu trabalho c/ competência.

Eduardo Almeida disse...

No Brasília eu ainda acho que eles esperam a Paula melhorar o padrão de jogo, pois ela em boas condições é a melhor opção mesmo.
Se a Michelle segurar bem no fundo e virar suas bolas, ela é a principal jogadora do time. A Erika entra nas oscilações da Paula ou da Michelle.
Me irrita ver as vezes o Sérgio Negrão tentando melhorar o ataque do time com a Erika no lugar da Michelle e acho que nesta condição, além de não melhorar o ataque, prejudicar muito o fundo de quadra.
Ananda é a melhor levantadora, mas tem uns momentos de pane. As meios são o melhor do time, com a Roberta na sua melhor fase e Angélica ainda voltando ao seu melhor. Vejo as vezes que a Edna entra e o time roda mais fácil, não é tão alta e potente como Angélica, mas erra menos e tem bom tempo de bloqueio, bom saque etc.
As opostas sao mais inconstantes que as ponteiras. Jessica depois de tomar algum bloque começa a largar de qquer jeito e a Lili é só na porrada, mas sempre bem marcada pelo bloqueio e defesa. Mesmo assim, ainda aposto em começar com Jessica de titular e se Lili entrar, que venha mais mordida do banco.
Sobre a postura do time, ainda acho muito estranho vc terminar o jogo sorrindo depois de tomar uma lavada dos adversários e isto aconteceu nos 3jogos que perderam, contra Molico, Sesi e Rexona.
Contra isso, só vejo como exemplar a postura da Michelle. As gêmeas são muito comprometidas e concentradas e saem de fato chateadas com resultado negativo.

Welmer Sales disse...

Acho que no jogo de sexta-feira o time carioca finalmente mostrou o que esperávamos dele, o time jogou concentrado e não deu brechas ao time do Brasília. Mas também coloco parte da culpa da fraca atuação do time da capital na conta do técnico. Aliás, sempre achei o Sérgio um técnico bem fraco. Como é que ele coloca a única jogadora de ponta que tava conseguindo render no ataque para jogar de líbero? Acho que se a Michelle tivesse sido mantida na ponta o time poderia complicar um pouquinho mais a vida do time do Rexona. Érika, Paula e Elisângela hoje não fazem nada dentro de quadra só dão prejuízo. Espero que o desempenho aquém do esperado do time do Brasília não faça com que o time feche as portas na próxima temporada.

Quanto ao jogo entre o Molico e Pinheiros eu esperava um jogo duro, mas não de cinco sets. O time Osasquense errou demais e isso deu brechas para que o time da capital paulista crescesse dentro do jogo e tirasse um pontinho delas. Já disse aqui que tenho gostado muito do desempenho da Rosa, acho que essa temporada é importante para o seu crescimento como jogadora, acho que ela tem alguns pontos em que ela precisa trabalhar, a meu principalmente com relação a golpes de ataque, mas ela tem o braço solto e acho que deve se aperfeiçoar com o andamento da temporada.

Com relação aos demais jogos, queria destacar a vitória do SESI, que tem me impressionado com a consistência que tem apresentado até esse ponto da competição, mesmo ainda acreditando que o elenco do time é limitado e não tem condições de fazer frente aos favoritos. E também queria destacar a vitória do time do Minas. O time vem de três vitórias, mesmo sendo contra times mais fracos, acho que isso dá confiança às jogadoras, o que pode ajudar o time a crescer ainda mais dentro da competição. O time parece ter encontrado sua levantadora, agora só falta as opostas e as líberos renderem mais.