quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Ninguém disse que seria fácil

Resultados da 3ª rodada SL:
São Bernardo 0x3 Pinheiros

Brasília Volei 3x1 São Cristóvão Saúde/São Caetano

Uniara/Afav 2x3 Dentil/Praia Clube

Maranhão/Cemar 2x3 Rexona/Ades

Molicos/Nestlé 3x0 Camponesa/Minas

 
A terceira rodada foi de sufoco para o Dentil/Praia Clube e para o Rexona. Os dois deixaram escapar um ponto ao vencerem somente no quinto set as equipes do Uniara/Afav e Cemar/Maranhão, respectivamente.

Pelo histórico, obviamente que a situação inicial do Praia preocupa mais do que do Rexona. O time do Rio tem dessas de dar seus tropeços na fase classificatória e depois, na final... bom, sabemos bem o resultado. A temporada passada foi assim. Rexona jogou feio o campeonato inteiro, mas, nas decisões jogou mais e levou o título. Fica difícil duvidar, portanto, da evolução do Rexona mesmo que ele ainda apresente problemas na recepção e cometa tantos erros.

Agora, o Praia deixa dúvidas da sua capacidade de recuperação. Será que teremos novamente uma temporada na qual o time vai se enrolar durante o turno e returno e chegar enfraquecido para as finais? Ano passado, mesmo com potencial, o Praia não engrenou.

Ao menos, a suada vitória parece ter mostrado sinais de maior agilidade e sabedoria do Picinin. Ele soube usar melhor o seu elenco durante o jogo. 


A Tandara não fez boa partida e foi substituída logo no terceiro set. O que poderia decretar o desastre da equipe, acabou por ser um bom sinal. Ela saiu e o time não se perdeu. Pelo contrário, conquistou os sets seguintes de forma mais tranquila. Picinin também trocou a Natasha pela Letícia Hage – aliás, acho que Natália e Hage deveriam compor a dupla de centrais do Praia, pois têm características complementares.

Vamos ver como o Praia se encaminha nos próximos jogos.


***********************

Jaque está empregada

O Camponesa/Minas contratou a Jaqueline. Ela é a jogadora que 90% dos times brasileiros precisam: habilidosa no fundo de quadra, ideal para consertar o péssimo nível de recepção da maioria das equipes nacionais.

Certamente é um upgrade ao Minas, mas não o suficiente para colocá-lo entre os favoritos da SL. A companhia da Jaque vai deixar a Mari Paraíba mais tranquila para atacar. Fora que as atuações recentes da Jaque na seleção mostraram que ela pode ser tranquilamente uma boa força de ataque para um time que, até então, tinha neste fundamento seu ponto fraco. 


Falando disso, aliás, é inacreditável que Ju Nogueira não consiga desbancar a Lia da titularidade.

3 comentários:

Welmer Sales disse...

A ida da Jaque para o Minas acho que pode ajudar o time de BH a sonhar com uma possível vaga na semifinal. Acredito que a Jaque agregue não só qualidade no fundo de quadra, mas também acho que ela pode ajudar muito na rede.

Vejo quatro times em pé de igualdade: SESI, Pinheiros, Brasília e Minas. Com o time mineiro se entrosando e ganhando ritmo de jogo acho que elas tem condições de beliscar uma vaga nas semifinais.

Zé Henrique disse...

Tu devia transferir esse blog para facebook, Laura.
Teria mais gente, mais opiniões...

Marcelo Fernandes disse...

Ju nogueira devia procurar outro esporte p jogar.