quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Brasil nas semifinais


China 3x2 Rep. Dominicana

Chegamos ao final da segunda rodada da 3ª fase com dois semifinalistas definidos: Brasil e Itália.

A classificação brasileira foi garantida após a virada emocionante da China contra a Rep. Dominicana.

As dominicanas ganharam os dois primeiros sets e abriram o terceiro em vantagem. Apesar dos placares apertados, a seleção caribenha realmente mostrava superioridade e estava mais empenhada do que o apático time chinês.

A China estava perdida, até aquele momento, na marcação do ataque caribenho – mesmo que ele fosse quase uma carta marcada: De La Cruz pela ponta, Rivera pelo meio . Mas o repertório chinês também esteve limitado à Ting Zhu, que estava em melhor jornada do que a jovem Hui.

A recuperação chinesa veio através do saque e, por consequência, do bloqueio. Para a Rep. Dominicana, a grande oportunidade de fazer história se foi pelas mãos da sua frágil recepção e pelo excesso de erros.

Apesar de garantir a classificação brasileira, a vitória chinesa aumentou a importância do confronto da Rep. Dominicana com o Brasil nesta sexta. As meninas do Marcos Kwiek vão ter a obrigação da vitória para chegar às semifinais. 

*************************


EUA 3x1 Rússia

Mais uma aposta furada minha...
Os EUA se mantiveram vivos na competição após esta vitória – que poderia ter sido, tranquilamente, por 3x0.

A Rússia só recuperou o 8 a 2 do terceiro set porque o bloqueio apareceu muito forte e os EUA erraram. A seleção norte-americana, aliás, caiu de rendimento nos momentos mais delicados dos sets – inclusive no final do quarto set, quando permitiu que a Rússia ensaiasse uma recuperação.

A insegurança norte-americana só não foi mais comprometedora porque as russas não conseguiam manter uma regularidade no ataque, dependendo somente da Kosheleva, já que Goncharova e Gamova não estiveram nos seus dias mais inspirados.

O resultado classificou a Itália paras as semis. Se ela vencer um set contra a Rússia nesta sexta, garante o primeiro lugar. Ou seja, há boas chances de que o Brasil (ficando em primeiro no seu grupo, o que é bem provável) enfrente nas semifinais EUA ou Rússia – duas paradas duríssimas se formos considerar o histórico dos confrontos, não o que elas têm apresentado no Mundial.


Ao ver as partidas da fase final, devo dizer que estou decepcionada com o nível das seleções. Brasil e Itália se destacaram pelos resultados e pela qualidade do vôlei apresentado. Mas foram as únicas. As demais foram muito inconsistentes e pouco convincentes.

2 comentários:

Marcelo Fernandes disse...

USA 3 x 1 Rússia

Apesar do CARISMA do trio Gamova-Kosheleva-Goncharova ser muito maior do q o das americanas, seria uma injustiça se as americanas perdessem p elas, o passe da Rússia é muito precário não condiz com um voleibol mais correto.

Paulo Roberto disse...

Laura, também esperava mais voleibol das principais seleções. Japão foi um decepção só. China e EUA sobrando na primeira fase entraram numa curva descendente. Sérvia daquele jeito: joga muita bola nas primeiras fases depois se afoba na hora de decidir. Itália começou a jogar na força da torcida e o volei do Brasil, ainda que esteja invicto, só a apareceu agora (ainda bem). Estranho porque as grandes seleções com exceção do Brasil pouparam as principais jogadoras durante o Grand Prix, tinham que estar voando agora.