Mundial: Brasil 3x1 Rússia

A expectativa para o jogo contra a Rússia era que o Brasil elevasse o nível do seu jogo. Acho que podemos dizer que isto se confirmou, mas só em parte.

Apesar de ter entrado mais concentrada e com a tríade saque+bloqueio+defesa funcionando muito bem, a seleção ainda se mostrou muito irregular na virada de bola. 
 
**********************

Foram as dificuldades no ataque que colocaram em apuros o Brasil no segundo e quarto sets. E acho que boa parte desta dificuldade esteve nas mãos da Dani Lins.

Sim, o passe deu umas derrapadas, mas não acho que este tenha sido o principal problema do ataque no jogo de hoje. Para mim, esteve muito mais nas opções ruins e nos maus levantamentos da Dani. Ela não conseguiu ainda, no Mundial, manter uma consistência durante os jogos.

É uma má fase. A Dani já mostrou ter habilidade de consertar passes ruins. Quantas vezes a vimos puxar uma rápida no meio com o passe lá na linha dos três? Mas, infelizmente, acho que ela está levando consigo, para baixo, a Sheilla e a Garay. Isso mata nossa força de ataque. Não dá para o Brasil ter na Jaqueline a sua bola de segurança, como aconteceu diversas vezes hoje.

Por isso, gostaria de ter visto a Fabíola mais em ação hoje. Quando entrou, o jogo do Brasil ficou mais acelerado. Agora, uma coisa é entrar e ficar alguns rodízios, outra é jogar o tempo inteiro, recebendo todo tipo que é passe. O quarto set, quando a Rússia abriu uma ótima vantagem, teria sido o ideal para testá-la. 

**********************
Ainda bem que a Rússia é mais irregular que o Brasil e extremamente vulnerável na recepção. E ainda bem que a seleção teve recursos individuais capazes de mudar a história do quarto set. A combinação do saque da Gabi com o bloqueio da Thaisa destruiu a vantagem que levaria para o tie-break. Foi bonito ver aquele entusiasmo das grandes decisões no time brasileiro a partir de então.

O Brasil jogando assim, meio mais ou menos, foi suficiente para vencer a Rússia nesta fase. Vamos ver, no entanto, se será para conquistar o Mundial. 

**********************
Demais resultados da 3ª rodada da 2ª fase 
 
Grupo E 


Itália 3x0 Japão

Alemanha 3x0 Bélgica

Rep. Dominicana 2x3 China

- Até para perder a Rep. Dominicana tem sido páreo duro. Deve ser o time que mais disputou 5 sets no Mundial. O que vale é que a seleção dominicana está classificada para a fase final junto com China e Itália. Rep. Dominicana e Japão foram as grandes surpresas do campeonato: uma positiva a outra, é claro, negativa.

Grupo F

Bulgária 3x0 Cazaquistão

Turquia 3x1 Holanda

EUA 3x0 Sérvia

- Os EUA têm mexido bastante no time titular, poupando jogadoras como Larson e Harmotto, e tem conseguido bons resultados. Isso tem dado uma boa rodagem para as jogadoras mais novas. Agora é ver se, na fase final, elas correspondem da mesma forma.

Comentários

Não estou acreditando q o JN esqueceu de mencionar a vitoria de hj, lembrando apenas da F1 ao falar de esporte. Lamentável!
Anderson Paiva disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Anderson Paiva disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Anderson Paiva disse…
Concordo com voce Laura, que a Dani ainda nao engrenou neste mundial, ela ainda nao encontrou seu melhor voleibol e foram poucas as partidas que fez uma distribuição inteligente mas ainda acho que ela está sabendo concertar os passes ruins quando há falha na recepção; Sobre a Sheila e a Garay nao acredito que a baixa atuação das duas se deve a levantadora pois vemos a jaqueline voando e as centrais tambem... Pra mim desde quando a Garay foi jogar na Turquia que vem deixando a Desejar e a Sheila ja do ultimo Grand Prix nao tem sido a Sheila decisisa de sempre... esperemos que para o Jogo contra os Estudos Unidos elas encontrem seu melhor voleibol e para os proximos jogos
Zé Henrique disse…
Eu concordo mais com o comentário do Anderson.
A Dani ainda não engrenou, fato, mas ela tem uma estrela impressionante.
Tem conseguido bloqueios e bolas de segunda em momentos importantes.
Além de ter mais fibra/garra, ao meu ver, que a Fabiola.
Alias, a Fabiola me parece uma pessoa muito do bem, hein !?
Depois de tudo que aconteceu ela se mantém alegre, integrada e propositiva - sempre noto ela dando conselhos a Dani.
Enfim, o Brasil ta subindo degrau a degrau.
Tá legal assim.

PS: Votem com a consciência, crianças!
MArcos Pontes disse…
Já disse antes que sou fã da Garay, mas não sou louco. Ela não vem rendendo bem, e está com a confiança abalada. Mas lembro o amigo Anderson Paiva que até a fase Brasil do Grand Prix a Garay era a melhor jogadora do brasil, e isso foi logo que voltou da Turquia. Eu vou mais na linha da Laura, acho que a Dani esta pecando na distribuição, muito previsível, até o comentarista chato do Sportv já tava se irritando com ela.
Paulo Roberto disse…
Olá Laura, depois de algum tempo volto a comentar em seu blog, mas estou sempre acompanhando.

Sobre Garay, Sheila e Dani tenho algumas observações a fazer: Garay depende muito do físico, da explosão e parece que ela não tá tão inteira assim, tomara que o ZRG a poupe hoje e outra, ela nunca foi atacante de consertar levantamento ruim, se a bola não vier minimamente decente ela não vira com facilidade e quando fica marcada perde a paciência fácil. Sheila sempre foi muito técnica e continua assim, mas falta-lhe mais explosão, talvez fisicamente não esteja tão bem assim e é fato que Dani não tem acertado as bolas pra ela e já de algum tempo não é mais aquela jogadora de 30 pontos por jogo, mas sinto falta do poder de decisão que ela tem tomara que apareça na terceira fase, mas acho ainda que o fato de Tandara se conformar com o banco faz a Sheila se acomodar no status (merecido) que tem. Dani atravessa uma má fase é verdade, mas no jogo contra Rússia parece ter recuperado o jogo com as centrais que sempre foi seu ponto forte, mas nos momentos delicados continua fazendo escolhas equivocadas e cometendo erros técnicos. Enfim, espero que a seleção engrene a partir de agora por que a margem de erros acabou.

Jaque, Brait, Fabiana e Thaisa são os pontos fortes dessa seleção. As duas primeiras desde o início, as centrais a partir da virada pra segunda fase.
As inversões com Fabíola e Tandara tem funcionado muito bem também.
Agora há se exaltar a Gabi: uma garota de 20 anos, no primeiro mundial adulto, entrar num Brasil x Rússia, com sete pontos de desvantagem e fazer o que ela fez só atesta que temos um joia em mãos.
Laura disse…
Pessoal, só para deixar claro que não acho q a rsponsabilidade do baixo rendimento da Garay e da Sheilla é toda da Dani Lins. Sei que minha frase deixou a entender isso...

A Sheilla,como lembrou o Anderson, faz tempo que não é aquele atacante "pau pra toda obra". E a Garay, como comentou o Paulo Roberto (bem vindo novamente!), depende muito do físico - falta aquela explosão, como já comentamos aqui tb.

O que acho é que as bolas lentas e a distribuição (esquecendo da Garay e Sheilla) da Dani estão prejudicando as duas no Mundial.
Zé Henrique disse…
Agora sim, Laura. :-)