domingo, 5 de outubro de 2014

Mundial: Brasil 3x0 EUA

 
As reservas de Brasil e Estados Unidos nos forneceram um bom espetáculo, mas, como era de se esperar, sem emoção.

No caso brasileiro, as reservas aproveitaram a oportunidade. O time conseguiu manter uma pressão no saque e o bloqueio apareceu em momentos importantes. Em comparação com a equipe titular, teve maior facilidade na virada de bola, com Tandara, Natália e Gabi pontuando bem. A oposto, inclusive, teve ótimo aproveitamento no ataque.

Mas é difícil fazer qualquer avaliação quando a partida praticamente não valeu nada.
 
 
**************************

Não dá para entender um regulamento desses. A vantagem em ser primeiro do grupo é mínima: garante não enfrentar o primeiro da outra chave na fase final e ter uma folga entre as duas partidas – isto se não fizerem o que aconteceu na edição masculina e derem esta última vantagem ao time da casa.

Mais uma amostra de que este regulamento não faz sentido: pelo sorteio, podemos ter os mesmos confrontos da segunda na terceira fase. Por que não seguir, então, a mesma lógica das duas primeiras etapas, cruzando um grupo com o outro e promovendo confrontos inéditos? Assim, cada seleção levava os pontos de todos os confrontos contra as principais seleções, aquelas que chegaram até a terceira fase. Daí seria bem mais justo e teríamos a certeza de que as quatro melhores do mundial estariam nas semifinais.

Parece a Libertadores da América que, até à semifinal, tem gol qualificado. Na decisão, não. É como desacreditar a própria fórmula, dizendo que o que foi feito até então não era o mais correto. 
 
Ainda que seguisse a mesma lógica na terceira fase, não deixaria de ser um regulamento ruim: longo, complicado e desinteressante. Praticamente metade das seleções entrou na segunda fase sem qualquer chance de se classificar porque não levaram os pontos das vitórias contra os adversários eliminados na primeira etapa. EUA e Brasil, por exemplo, já estavam classificados para a fase final tendo disputado apenas dois dos quatro jogos da segunda etapa. Ou seja, parece que até agora o Mundial não começou.

**************************
 
O Mundial começa mesmo na quarta, quando inicia a fase final. Amanhã acontece o sorteio das duas chaves, que têm como cabeças Brasil e Itália. Estas duas seleções, portanto, não se enfrentam.

Duas das demais seleções classificadas (China, EUA, Rússia e Rep. Dominicana) vão compor o grupo brasileiro. Assim, pode vir uma combinação bombástica com EUA e China, ou Rússia e China, ou uma repetição da segunda fase, EUA e Rússia.

A campanha da Rep. Dominicana tem sido surpreendente e o Brasil costuma ter dificuldade contra a seleção caribenha. Mas, sem dúvida, espero que ela caia no nosso grupo, pois é a seleção com menos experiência de decisão e já está perdendo o fôlego.

Só lembrando de que, de cada grupo com três seleções, duas se classificam para – finalmente! - às semifinais. Ê, campeonato sem fim!


**************************
 
Demais resultados da última rodada da 2ª fase:
 
Grupo E
 
Alemanha 3x0 Azerbaijão 
 
Bélgica 3x1 Croácia
 
Japão 3x2 Rep. Dominicana
 
Itália 3x1 China
 
Grupo F
 
Holanda 3x1 Bulgária
 
Turquia 3x0 Cazaquistão
 
Rússia 3x0 Sérvia
 
- O trio Kosheleva, Goncharova e Gamova já havia dado trabalho no quarto set contra o Brasil. Agora, jogaram juntas contra a Sérvia e não deram oportunidade às adversárias. Como foi um encontro entre iguais, com seleções bem frágeis no passe, o poder do trio fez diferença contra as atacantes sérvias.
 

2 comentários:

Marcelo Fernandes disse...

#DontCryGamova

Zé Henrique disse...

Concordo ipsis litteris com a Laura no que toca ao regulamento.
Deveria se levar os pontos para terceira fase.
Quanto ao sorteio, sou da linha oposta ao do Bernardinho.
Ou seja, time que quer ser campeão não escolhe adversário.
Aliás, gosto mais até quando se enfrenta os mais fortes.