Ainda somos os mesmos



Estou tentando achar o tom certo para avaliar esta série de derrotas nos quatro amistosos contra os Estados Unidos. À primeira vista, impressiona o fato do Brasil não ter conquistado uma vitória sequer. Mas mais preocupante que os resultados em si, é o desempenho – que me parece, pelo que se pode acompanhar nas descrições e estatísticas dos jogos, não melhorou.

O Brasil é o mesmo de Montreux. Deu uma turbinada no ataque com os retornos da Fabiana, da Thaisa e da Garay, mas a volta da Sheilla não parece ter sido enriquecedora para o time. A oposto teve dificuldades em pontuar.

Os problemas na composição da dupla das pontas também tem perseguido a seleção neste início de temporada. Por enquanto, nem Gabi nem Natália, as opções do Zé Roberto, mostraram qualidade suficiente para segurar o passe. E acho que daí não vai sair nada melhor do que estamos acompanhando, infelizmente. 


**************************

Reitero (como no post final sobre Montreux) a necessidade de termos a Jaqueline de volta neste time. Mas, aí, temos a notícia, no meio dos amistosos, que ela não foi aos Estados Unidos porque tinha que resolver questões pessoais. Para variar, a CBV não faz questão de dar as informações de forma clara. A jogadora estava no grupo que esperava para embarcar para os EUA e, de repente, não constava na lista de relacionadas para partida.

Não sei quanto tempo ela vai ficar afastada do grupo, mas é uma pena que o retorno dela tenha que ser postergado. Para a Jaque voltar a ter ritmo de jogo vai demorar. O quanto antes ela assumir esta posição, melhor. Se ela vai recuperar o mesmo nível de jogo que apresentava antes de parar, não se sabe. Mas é uma aposta necessária. Não vejo outra saída neste grupo atual. Só ela tem a habilidade necessária para consertar o fundo de quadra. 


**************************

+Mais

- É estranho que, mesmo com todas as composições usadas nesta série de amistosos, a Tandara não tenha sido utilizada em nenhuma delas. Será que ela teve algum problema físico, já que não esteve relacionada no primeiro jogo? Ou foi opção do treinador? Isso, CBV, é o que a gente gostaria de saber. Um pouquinho mais de comunicação com o torcedor não faria mal. Pelo contrário, evitaria especulações.

Comentários

Anônimo disse…
Não é de se estranhar este e outros resultados que certamente virão, pois desde quando jogadoras são selecionadas baseadas em estatísticas do maior campeonato nacional?Nunca. A mesma panela de sempre.Com todo respeito a atleta que esteve ausente por 1 ano, más sua convocação é foi total desrespeito com quem estava na ativa.
Anônimo disse…
Com o primeiro voo para os Estados Unidos cancelado, a delegação se hospedou em um hotel próximo para viajar no dia seguinte. A jogadora, então, pediu para dormir em casa, com o filho. Zé Roberto pediu para que ela permanesse com o grupo, mas Jaqueline insistiu em sair, contrariando a posição do treinador. E a relação, assim, pode ter desandado de vez.
Paulo Roberto disse…
Todos os times da SL (inclusive no masculino) tiveram problemas com o passe na temporada passada. Das ponteiras da seleção a única que segura passe é a Garay. Tendo uma líbero passadora como a Brait, é óbvio que os adversários vão caçar a ponteira mais fraca , no nosso caso Gabriela e Natália, aí todo o jogo do Brasil fica prejudicado. Neste ponto faz-se necessária a presença de uma ponteira com as características da Jaqueline, mas quem dentre as opções "daquele que nunca erra" tem características semelhantes?
Sobre a ausência da Jaque nos EUA, as especulações já começaram. Mas olhando de fora, parece-me que ela está querendo ter certos privilégios. Mas quem abriu precedentes para privilégios foi o próprio "infalível" no caso Natália-Londres 2012. Agora, a jogadora que foi a melhor em quadra na final olímpica se acha no direito de exigir algumas coisas. A saída da Fabi às portas do Mundial e mais esse caso, ainda obscuro, da Jaqueline podem ser sinais de uma crise que ainda persiste na SFV.
Quanto ao caso Jaqueline, acho que duas coisas tem que acontecer: primeiro a jogadora decidir se vai se aposentar mesmo ou se vai voltar a jogar pra valer e segundo a comissão técnica estabelecer com ela os critérios de forma clara e objetiva, afinal ninguém pode estar na seleção só pelo nome.
Anônimo disse…
Gravidez NÃO É DOENÇA, a MUSA ISABEL é a maior prova disso: teve QUATRO FILHOS e depois de cada gravidez parecia que voltava até melhor do que antes!
Isabel encerrou sua carreira fazendo dupla com sua filha MARIA CLARA no vôlei de praia.
Fabi foi a primeira a abandonar o barco, agora foi a Jaque... Quem será a próxima?
Há algo de muito estranho acontecendo na seleção!
Por quê a Natália sempre tem mais privilégios que as outras jogadoras?
Sem FABI e JAQUE o Brasil nunca levaria o OURO em LONDRES...
Nesse Mundial, sem FABI e JAQUE, não dá pra ganhar o OURO.
Anônimo disse…
Galera mãe é mãe e é natural querer ficar perto do filho!
Jaqueline foi vítima de um aborto e agora tem um filho ainda bebê, se a seleção iria dormir em São Paulo, porque a Jaque não poderia passar a noite com o Filho???
Zé Roberto, mais uma vez se mostrou ser um MAU-CARÁTER, DESUMANO E CRUEL.
Se mãe e filho estão na MESMA CIDADE e o VÔO foi adiado, que MONSTRO É ESSE TÉCNICO que queria impedir que mãe e filho ficassem juntos?
A SELEÇÃO ALEMÃ DE FUTEBOL acabou de ser CAMPEÃ DA COPA DO MUNDO com os jogadores JUNTOS DE SEUS FAMILIARES. E se a seleção de vôlei ia ficar mais um dia esperando POR QUÊ SEPARAR MÃE E FILHO???
Zé Roberto já mostrou várias vezes esse perfil CRUEL E DESUMANO:
1. Cortando Juciely e Fabíola no saguão do aeroporto.
2. Esculhambando e xingando a Claudinha na Superliga
3. Cortando Mari na lavanderia de Saquarema, depois que as outras jogadoras já tinham para seus aposentos descansar
4. Cortando Brait, no auge da forma, já em Londres, para deixar sua PROTEGIDA NATÁLIA ganhar o OURO mais injusto de LONDRES, sem ter condições de jogo.
FORA ZÉ ROBERTO!!!
Anônimo disse…
O fato eh q sem as duas a linha de passe do Brasil fica seriamente prejudicada. Outra injutiça ele discriminar a Tandara, a maior pontuadora da SL e atualmente a nossa atacante de maior potência no ataque. CROWLEY.
Anônimo disse…
Infelizmente, eu não vou torcer para o Brasil no mundial esse ano, não porque eu não goste das meninas, mas porque não concordo com a panela do ZR. Ele convoca as jogadoras que ele se da bem e deixa as melhores de fora. Seleção não é afinidade, mas sim levar o que temos de melhor. O Brasil esta indo na contra em comparação com as outras seleções. A China, Estados Unidos e Russia renovaram muito bem com jogadoras altas, talentosas e fortes fisicamente. Renovar com a Gabi, Carol e Monique e piada de mal gosto e sem contar as favorecidas que tem espaço garantido, mas não vem jogando bem a um bom tempo como a Adenizia e a tão protegida Natalia. Tem jogadoras boas que mereciam ser convocadas como ponteiras (Mari é alta,tem ataque cravado e ajuda muito no bloqueio, Suelle é alta, passa bem e ajuda na defesa, além de poder ajudar no bloqueio e Pri Daroit que quina passe, mas é boa no ataque) Opostos (Joycinha que evolui muito depois que foi jogar fora e hoje esta arrebentando lá fora e a Ivina que tem grande potencial e só precisa ser mais regular) e Central (Carla que é mais alta que a Thaísa e pode crescer muito, a Mara que tem grande potencial e a Mayhara que se destacou na SL). O destino da seleção não será bom, por causa da nossa fraquíssima e baixa renovação. A nossa seleção não terá condições de jogar de igual pra igual com as fortes seleções e não por falta de boas atletas, mas sim por panela e apadrinhamento do ZR. Enfim eu vou torcer para os Estados Unidos, Itália ou China vencerem o mundial. Eu amo as meninas do Brasil, mas as vezes perder faz parte para o nosso querido ZR começar a trabalhar com seriedade e respeito pela torcida e pelo país.
Renato
Zé Henrique disse…
Se essa história do bebê é verdadeira o ZRG está certo.
Até aonde se sabe o bebê não estava doente e nem precisa de cuidados especiais.
Jaqueline não mostrou comprometimento.
A cabeça tem que está aonde o corpo está.
De resto, é preocupante o fato dos novos valores não estarem se firmando - ainda tem tempo e espero por isso.
Porque se formos contar com as veteranas em sua terceira Olimpíada o negócio vai ficar feio - elas chegarão lá em decadência física e por conseguinte técnica.
Rafa disse…

Revi dois jogs (disponíveis no site do vive voley: http://vivevoley.peru.com/voley-internacional/usa-cup-brasil-cae-cuatro-amistosos-usa-video-noticia-267313).
Levando em conta que qualquer análise deverá ser relativizado por serem jogos amistosos, dá para perceber um certo desânimo da Sheila e da Thaisa (até o saque delas, que sempre foram os melhores do time, era apenas para passar a bola para o outro lado).

A camila brait também parece que sente a sombra da fabi, se esconde no jogo (somente uma vez ela procurou aumentar a proteção às ponteiras, numa cobertura da garay, mas no geral ficou se escondendo na sombra da gabi) e também não fez nenhuma defesa sensacional, daquelas que levantam a moral do time, aliás, as defesas mais difíceis foram realizadas pela gabi. Também não foi bem nos levantamentos, inclusive tentou um levantamento de costas (como fazia muito bem a Fabi), mas colocou a bola muito baixa e longe da rede.

A gabi é uma boa atacante, mas seu ataque carece de potência matadora, ela precisa de bolas mais rápidas, mas me parece que a dani não está acertando o tempo da gabi.

A Andréia, apesar de já experiente, é uma incógnita, não contribuiu, mas também não prejudicou. Já Monique entrou bem, faz um bom fundo de quadra e mostrou disposição.

Quanto as levantadoras, a dani ainda não acertou os tempos das ponteiras, mas jogou bem com as centras, ela é confiável e rapidamente voltará a velha forma. Gostaria de ver mais a Ana para ter uma base melhor. É isso aí, um abraço.
Anônimo disse…
A melhor jogadora disparado desse amistosos contra os EUA foi a Monique, essa sim fez a diferença quando entrou, seja nas defesas espetaculares, no saque quebra passe ou na inteligência de seu ataque. Essa garota é a garra em pessoa.
Já em relação às saídas estranhas de Fabi e Jack e do desânimo demonstrada por Sheila e Thaísa, parece que algo não anda bem na seleção!
Parece que o clima com o Zé e as garotas não anda muito bem... E isso é coisa antiga, de antes de Londres!
Zé Henrique disse…
Pergunta para os colegas:
É mais vergonhoso perder de goleada(como a seleção de futebol) ou entregar o jogo, como quando em sempre faz Bernardinho, para eliminar um rival?

PS: Vingança boa é ganhar na quadra, perder de propósito é o pior ato de um esportista.
Anônimo disse…
Murilo merecia sim ser poupado, afinal nosso MVP OLIMPICO eh um CARREGADOR DE PIANO na selecao, jaogador completo, domina todos os fundamentos, eh um faz-tudo na selecao, ate por isso, Murilo fica muito sobrecarregado. E, num jogo q NAO VALIA NADA, Murilo tem q ser poupado.
Eder, ao meu ver, eh melhor q Sidao, e merecia uma oportunidade de ser titular.
Foi bom tbem dar rodagem aos novatos como Lucas Loh.
Se existe um regulamento, eh p/ o tecnico usa-lo, e Bernardinho sabe usar bem isso: Usarforca total qdo necessario, poupar qdo possivel, dar rodagem no momento oportuno.
Em TODOS OS ESPORTES, equipes q ja estao classificadas e jogam so p/cumprir tabela, POUPAM JOGADORES.
O melhor exemplo disso foi agora na COPA DO MUNDO DO BRASIL: todas as equipes q conseguiram 2 vitorias seguidas na fase de grupos, usaram a terceira partida p/POUPAR ALGUNS JODORES E DAR CHANCE A ALGUNS RESERVAS, igualzinho Bernardinho fez.
Se o Brasil ja tinha a classificacao garantida depois do 3x1 sobre a Russia, por que nao poupar alguns jogadores e dar ritmo de jogo aos reservas?
Todos fazem isso e Bernardinho nao sera o primeiro,nem o ultimo a fazer.
O jogo foi duríssimo e o IRAN não é NENHUMA PROMESSA DO VOLEIBOL, desde 2011, quando o FENÔMENO JULIO VELASCO revolucionou o voleibol no IRAN, essa seleção já venceu times como ITÁLIA, POLÔNIA, SÉRVIA, EUA, ARGENTINA, CUBA, ALEMANHA e JAPÃO.
Foi muita evolução em apenas 3 ANOS! Agora em 2014, JULIO VELASCO recebeu uma proposta IRRECUSÁVEL p/ treinar a Argentina, mas deixou o time do IRAN encaminhado e indicou seu substituto, o jovem técnico sérvio Slobodan Kovac, CAMPEÃO OLÍMPICO em SIDNEI/2000 como jogador.
O IRAN é um time que se destaca pelo excelente BLOQUEIO e saque forte, tem um levantador de alto nível técnico e um líbero bastante seguro e confiável.
Fez muito bem ao BRASIL e também ao IRAN estar no famigerado GRUPO DA MORTE, serviu para que as equipes evoluissem mais durante o torneio, afinal de contas dos 4 SEMIFINALISTAS, 3 vieram do dificílimo GRUPO A, no qual estavam BRASIL, IRAN, ITÁLIA e POLÔNIA. Foi choque de monstro esse grupo e a Polônia acabou dançando, mesmo tendo vencido seus 3 rivais durante a competição.
Nada mais justo do que o nosso MVP MURILO fosse poupado contra o IRAN, afinal de contas, MURILO vem de uma contusão séria que necessitou intervenção cirúrgica e o jogo também não valia nada, uma vez que o Brasil já estava previamente classificado com o 3×1 sobre os russos.
Anônimo disse…
A Mari vai ou nao vai jogar pela seleção alemã ?
Sería um ótimo momento p/ ela.
Zé Henrique disse…
O brasileiro encara amistosa de forma muito amistosa.
Acho que isso explica o dito corpo mole da Sheila e da Thaísa e as quatro derrotas.
Você está enganada, alucinada Aline, na Copa a Alemanha já estava classificada e colocou no terceiro jogo contra o USA a equipe titular - a mesma que jogou a final contra a Argentina.
Eu fui ao jogo.
No entanto, faz-se necessário lembrar que em Copas passadas a Alemanha já perdeu de propósito para evitar um adversário x.
Portanto, o que Bernadinho costuma fazer não é novo, só é imoral.
Zé Henrique disse…
Quis dizer:
encara amistoso...
Anônimo disse…
Cuba toda poderosa da década de 90 perdia quase todos torneios de menor expressao, inclusive alguns Grand Prixs, mas quando chegava o Mundial e Olimpíadas se tornava implacável e traçava todas.
Anônimo disse…
Imoral e vc, seu pateta!
Zé Henrique disse…
É bom lembrar que o Brasil(no feminino) só ganhou o ouro em Londres porque o técnico do EUA não era da escola do Bernardinho.
Mesmo EUA que hoje mostrou ao Bernardinho que as vezes é melhor repetir de ano do que passar a qualquer custo.
Nada tenho contra o Bernardinho, muito competente e até aonde conheço uma pessoa digna, mas essa atitude recorrente de entregar jogos não é legal.
E como todos sabem:
Nem tudo que é legal é moral.

PS: Aline é interna de algum hospício e faz vôlei como atividade recreativa para acalmar os nervos, tenho certeza disso.
Jogue mais vôlei, Aline!
Caso contrário eu peço para o Zé Roberto ir lhe visitar. rsrsrsr

Moura BR disse…
Não se deve jogar todo o peso nos ombros da Jaqueline. O voo já estava cancelado mesmo antes de as atletas chegarem ao aeroporto por volta das 19:00h, por tanto o que elas esperavam era poderem voltar para suas casas, mas o treinador e comissão técnica fizeram com que as atletas aguardassem até meia noite para se posicionar sobre o que fariam.TODAS as jogadoras preferiam dormir em suas próprias casas pois o voo seria as 13;00 do dia seguinte e não teriam nenhuma atividade nesse meio tempo, claro que Jaqueline por ser mãe recentemente teria o maior motivo para querer ir para casa, mas o treinador respondeu dando um ultimato à atleta, "ou o filho ou a seleção!" E ai fomos de Gabi e Natália.
Tandara já recuperada de lesão, foi para os amistosos apenas para treinar e a comissão arrancou o couro dela, provavelmente para o grand prix ela deve ser muito mais aproveitada.
Anônimo disse…
Sheilla nossa jogadora mais técnica e Tandara a de maior potência física nao podem ter a mesma posição, as duas devíam jogar juntas, no caso, a Sheilla de oposto e Tandara de ponteira.
Anônimo disse…
MOURA BR, parabens! O seu texto sobre o caso Jac x Ze Roberto foi o melhor desse blog!
Quem dera o Sr.Ze Roberto tivesse a mesma sensatez que a sua!
Se o voo foi prorrogado somente p/o dia seguinte e nao havia nehum treino ou atividade programada p/esse intervalo, pq nap liberar nao so a Jac, mas tbem outras jogadoras q moram em SP, para dormir em casa? O caso da Jac e pior pq "nao se deve separar uma Mae do seu Bebe sem motivo"!!!
Que tipo der humano e esse tal Ze Roberto: desumano, insensivel, prepotente,soberbo, egoista, incoerente???
A selecao tem tido muitos problemas internos extra-quadra, prova disso sao os afastamentos de Fabi e Jac da selecao!
Jogadoras do nivel de Fabi e Jac sao importantes emqquer time do Mundo, e nao poderiam estar fora da selecao.
Anônimo disse…
Não somos e NUNCA fomos uma POTÊNCIA OLÍMPICA!
As medalhas serão ESCASSAS, é óbvio que o Brasil não ficará no TOP 10!
Quanto ao VÔLEI, acredito muito mais em medalhas na PRAIA que na QUADRA:
1. O vôlei de praia depende muito mais do esforço individual dos jogadores do que o de quadra, depende muito menos da influência da CBV;
2. Sem os líberos Serginho e Fabi, as seleções MASC e FEM terão muito mais dificuldades;
3. No Vôlei de Praia, os brasileiros irão jogar no ambiente em que treinam, eles sempre tem bons resultados jogando no RJ.

Porém, HOLANDA, ALEMANHA e ITÁLIA evoluíram muito no VOLEI DE PRAIA, tem jogadores muito altos, fortes e habilidosos, que tornarão o caminho do Brasil mais difícil também na praia.

O caso da HOLANDA é o mais impressionante: o VÔLEI DE PRAIA virou uma FEBRE na HOLANDA e os principais e melhores jogadores estão optando por jogar na PRAIA em vez da quadra. O VÔLEI DE PRAIA na HOLANDA está muito mais popular do que o VÔLEI DE QUADRA, resultado disso é que o vôlei de quadra da HOLANDA entrou em decadência: a seleção masculina que foi CAMPEÃ OLÍMPICA em 1996 e EUROPEIA em 1997 e a feminina CAMPEÃ EUROPEIA em 1995, não conseguem mais resultados expressivos nem na própria Europa e caíram muito no RANKING MUNDIAL. Em contra-partida tanto a Federação Holandesa de Vôlei como o governo Holandês tem investido muito no VÔLEI DE PRAIA.

Segundo o Presidente da Federação de Vôlei Holandesa, a paixão dos holandeses pelo VÔLEI DE PRAIA, se deve a:
1. Deus criou a Terra mas deixou aos Holandeses a tarefa de criarem os Países Baixos – assim diz um velho ditado. A Holanda é um dos menores países da Europa e cerca de metade de sua terra plana e arenosa foi ganha ao mar. A relação dos Holandeses com o mar é muito grande e o VÔLEI DE PRAIA só reforça isso. Apesar do país ser pequeno, o litoral é extenso com 451 Km de costa.
2. Ao contrário do VÔLEI DE QUADRA, no VÔLEI DE PRAIA você não tem compromissos como você tem num clube normal: sem cantina, sem funções administrativas, sem o voluntariado, nenhum cuidado ... basicamente você só tem que vir para a praia, os holandeses amam essa liberdade. País da descontração, da liberdade de pensamento, da tolerância, quem já teve a oportunidade de conhecer a Holanda viu que, além disso, é a terra dos ciclistas, a grande maioria vai pra praia de bicicleta.
3. Holandeses gostam de viajar e férias que se prezem tem de ter SOL, senão não são férias.
Adoram esportes ao ar livre: fazer caminhadas, andar de bicicleta, nadar e jogar VÔLEI DE PRAIA. Holandeses não são preguiçosos!
4. O último CAMPEONATO MUNDIAL DE VÔLEI DE PRAIA da FIVB, disputado na POLÔNIA em 2013 foi vencido pela HOLANDA numa FINAL contra o BRASIL, em que os jovens holandeses Alexander Brouwer e Robert Meeuwsen bateram o CAMPEÃO OLÍMPICO Ricardo e seu parceiro Álvaro Filho por 2-0 (21-18, 21-16)
5. A HOLANDA sediará o próximo CAMPEONATO MUNDIAL DE VÔLEI DE PRAIA em 2015, no qual espera conquistar o BICAMPEONATO.
Anônimo disse…
Fora q os holandeses é o povo mais alto da Europa, e no overall, o mais alto do mundo. E as mulheres sao belíssimas, ta ahe Manon Flier p provar
Anônimo disse…
Em relação ao CAMPEONATO MUNDIAL DE VÔLEI DE PRAIA de 2015, Hans Nieukerke, disse:
“A Holanda é esse país que te abre a mente, te faz rever conceitos, que te faz respeitar as diferenças. O CAMPEONATO MUNDIAL DE VÔLEI DE PRAIA FIVB de 2015 será uma “experiência única” porque o evento será realizado em vários locais na Holanda tal qual uma COPA DO MUNDO DA FIFA, a Holanda é famosa por idéias originais e inovadoras. Nós desenvolvemos conceitos inovadores de vôlei de praia nos últimos anos, mas também estamos ‘fora da caixinha’ quando se trata de organização do eventos.”
Explicando as razões para sediar o campeonato em várias cidades, ele disse: “A decisão de ter várias cidades-sede está em linha com o desejo de usar o Campeonato Mundial da FIVB, como meio de mergulhar toda a Holanda no volei de praia, que será a base para o sucesso do evento, com estádios cheios. Será feito o possível para grupos maiores de fãs testemunharem os campeonatos mundiais. O evento não só obterá uma grande atenção da mídia nacional, mas também os meios de comunicação regionais. A atenção da mídia contribuirá, sem dúvida, para encher os estádios para todos os jogos “.
Para isso foi feito o único estádio de vôlei de praia ao ar livre no mundo: “The Beach Stadium Haia” na praia de Scheveningen. O estádio é a casa do melhores equipes de vôlei de praia holandês. O estádio se encaixa ambições da Holanda para criar um bom clima esportivo e organizar os Jogos Olímpicos de Verão em 2028.
The Beach Stadium Haia é propriedade da Câmara Municipal de Haia, e serve para promover a cidade. O termo “cidade à beira-mar” está no DNA de Haia, com isto em mente, Haia tem principalmente vôlei de praia como esporte ponta de lança.
Haia é capital administrativa da HOLANDA, porém é a capital do VOLEI DE PRAIA da EUROPA, com a pretensão de ser, no futuro, a capital do VOLEI DE PRAIA MUNDIAL! Os eventos internacionais TOP de vôlei de praia servem como um catalisador para a participação no desporto e de lazer e como um meio de marketing da cidade.
O estádio está cheio de eventos desportivos de topo: o Campeonato Holandês e muitos eventos esportivos internacionais de topo, tais como Campeonatos da Europa e do Circuito Mundial.
Desde 2013 The Beach Stadium Haia tem uma parceria com a Escola de Vôlei de Praia, a fim de incentivar a prática do esporte e revelar novos talentos.
Anônimo disse…
Discordo que a FIVB esteja institucionalizando a "MEDIOCRIDADE TÁTICA".
Também discordo que a FIVB esteja impondo limitações aos times, mas sim "AUMENTANDO O LEQUE DE OPÇÕES":
1. Todos os times podem jogar da forma mais tradicional possível, com 12 jogadores, SEM LÍBERO, com CENTRAIS PASSANDO (TIPO WALEWSKA), com 3 ponteiros-passadores e SEM OPOSTO.
2. A FIIVB dá opções de jogar com 12(inclusive sem líbero) ou 14 jogadores(com 2 líberos)
3. Opções existem à vontade, fica a critério do técnico que modelo tático usará
4. A criação do LÍBERO, teve, entre outros objetivos, INCLUIR OS BAIXINHOS no mundo seleto dos GIGANTES DO VOLEIBOL e torná-lo mais popular entre pessoas mais baixinhas.
Quantos jogadores não se sentiram excluídos por não conseguir se encaixar EM NENHUMA POSIÇÃO DO VOLEIBOL por serem baixinhos?
Quando veríamos jogadores carismáticos e talentosíssimos como o SERGINHO DO SESI e a FABIZINHA DA UNILEVER na SELEÇÃO BRASILEIRA se não existisse a POSIÇÃO DE LÍBERO?
O excelente líbero do IRAN, ZARIF, é um jogador de 1,65m. Quando teríamos a oportunidade de vê-lo jogar senão de LÍBERO?
Instituindo a obrigatoriedade de levar 2 LÍBEROS caso queira contar com 14 jogadores é forma de a FIVB promover a INCLUSÃO DOS BAIXINHOS no CAMPEONATO MUNDIAL.
É interessante para a FIVB que os BAIXINHOS não se sintam excluídos do voleibol e ver nas quadras jogadores como Serginho, Fabi, Brait, Zarif, Paola Cardullo, Yuko Sano, Stacy Sykora, Nicole Davis etc... SÃO UM GRANDE INCENTIVO AOS BAIXINHOS SENTIREM QUE NO VOLEIBOL TAMBÉM HÁ ESPAÇO PARA ELES!!!
Anônimo disse…
Para dirimir quaisquer tipos de dúvidas fui consultar o site oficial da FIVB, no qual li a publicação "Sports Regulations - Edition 2014", no qual, em sua página 16 é bem claro:
Possible Team compositions: 12 to 14 players.
Where a team chooses to have more than twelve(12) players it must designate two (2) liberos.
On scoresheet: 12 players
10 regular players + 2 liberos
11 regular players + 1 libero
12 regular players + 0 (ZERO) libero
1.Nenhuma parte do regulamento "institucionaliza a mediocridade tática".
2.Não há também a imposição de limitações táticas aos participantes de uma competição pela FIVB.
3. Não é exigida a presença obrigatória do LÍBERO, pois no próprio regulamente há a opção:"12 regular players + 0 (ZERO) libero".
Ao analisar o presente regulamento, vejo um LEQUE ENORME de opções, que o faz ser MUITO DEMOCRÁTICO, não obrigando ninguém a nada!
Taticamente, nenhum técnico está impedido de:
1.Jogar em qualquer esquema tático que queira, seja 6x0 (seis-zero), 5x1 (cinco-um), 4x2 simples (quatro-dois simples), 3x3 (três-três), 4x2 invertido (quatro-dois invertido)ou (quatro-dois com infiltração). Ou até mesmo inovar e inventar algo.
2.Quanto à recepção do saque também não há nada obrigando a presença do líbero, podendo passar com 6 jogadores em semicírculo, com 5 em 'W", com 4, 3, 2, ou até mesmo 1, se esse jogador conseguir cobrir a quadra toda.
Ninguém é obrigado a levar 14 jogadores, leva se quiser, se quiser levar 12 e nenhum líbero isso É POSSÍVEL.
Como exemplo cito o Campeonato Mundial de 2010, no qual OITO(8) equipes NÃO LEVARAM 14, MAS SOMENTE 12 JOGADORAS: Argélia, Costa Rica, Cuba, Kenya, Peru, Porto Rico, Rep.Checa, Tailândia. Porém, nesse mesmo Mundial, Zé Roberto OPTOU (NÃO FOI OBRIGADO) por levar 14 jogadoras com 2 líberos: Fabi e Brait.

Na verdade, considero bastante LOUVÁVEL, a atitude da FIVB, em tentar incluir os BAIXINHOS no VÔLEI.
O VÔLEI virou um esporte DISCRIMINATÓRIO E EXCLUDENTE, terra só de GIGANTES e devido a isso, estava se tornando impopular. A grande maioria das crianças, que naturalmente não são GIGANTES, não tinha uma posição na qual pudesse se inserir no voleibol. E, vendo cada vez jogadores mais altos nas competições, inclusive na posição de LEVANTADOR, não se sentiam motivadas para seguir no vôlei.
A FIVB, ao incentivar a posição de LIBERO, quer ver o CAMPEONATO MUNDIAL povoado com pelo menos ALGUNS BAIXINHOS no meio de tantos GIGANTES, dando esperança a crianças que tenham o perfil de uma Fabi, Camila Brait ou Serginho, possam sonhar em estar um dia num time de vôlei.
Olha como isso é importante: não precisa ser um iniciante para ser DISCRIMINADO! O melhor exemplo disso é o caso do WILLIAM que é o MELHOR LEVANTADOR BRASILEIRO em atividade, mas não tem espaço na SELEÇÃO! Seria discriminação por causa da ALTURA? Porque TALENTO, William tem de sobra, ele levanta melhor do que Bruno, Rapha e M.Radke juntos!
Parabéns à FIVB, sem esse incentivo nunca veríamos talentos como Fabi, Serginho, Brait, Brenda Castillo, Sykora, Sano, Davis jogando em CAMPEONATOS MUNDIAIS devido à DITADURA DA ALTURA.
Anônimo disse…
Uma coisa "RIDÍCULA" que eu não consigo entender é a MANIA que o Zé tem de querer detonar as OPOSTAS:
1. A MONIQUE está super-bem de oposta, porquê ficar testando ela de ponteira? A MICHELLE, é ponteira de ofício, se for pra usar a MONIQUE na ponta, porque ele não convocou a MICHELLE que já é ponteira? Porque ele não convocou as 2 MONIQUE E MICHELLE e testa cada uma na SUA POSIÇÃO?
2. A MARI era uma EXCELENTE OPOSTO, o Zé fez a MARI virar ponteira para acabar com a raça dela e todo mundo ficar gritando SACA NA MARI! Mesmo assim, MARI guerreira foi CAMPEÃ OLÍMPICA mesmo quinando alguns passes.
3. Depois foi a vez de NATÁLIA ZIGLIO, como OPOSTA, NATÁLIA esteve na melhor fase da sua carreira, veio o FANTASMA DA MUDANÇA DE POSIÇÃO e NATÁLIA virou uma ÁGUA BARRENTA e veio o coro SACA NA NATÁLIA!
DÁ PRA DEIXAR A MONIQUE DE OPOSTO E A MICHELLE DE PONTEIRA, POR FAVOR, SR. ZÉ ROBERTO???