Reflexões sobre a 6ª rodada do returno



Estou tentando ainda entender este placar do terceiro set da derrota do Pinheiros para o Molico/Osasco: 5x21.

Acho que muito da resposta da derrota ter sido da forma está nos pouquíssimos pontos de ataque que o Pinheiro fez. Foram apenas 22. Nem a titularidade da Macris resolveu o problema do aproveitamento do ataque.

A questão principal, creio, é que a Andreia está sozinha pela ponta. Ellen não tem feito a mesma temporada do ano passado e deixou a oposta carregando o piano sozinha. O time ainda abdicou demais das jogadas pelo meio durante a SL (seja pela recepção ou pelas opções da Ananda) o que carregou ainda mais as ponteiras (leia-se Andreia). 
************************

Para o Osasco foi uma bela recuperação depois da frustração da perda do título do Sul-americano. O time é outra coisa quando consegue colocar a Thaisa no jogo – que foi anulada pelo Sesi no domingo. A central é quem dá cara ao time e é a melhor atacante.

As meios de rede no Osasco sempre foram opções importantes para o ataque, mas este ano a necessidade por elas está muito maior. Com a saída da Garay, o time sente a falta de um ataque mais forte pelas pontas. Sheilla não está numa temporada brilhante, Sanja e Caterina não são lá grandes pontuadoras. Sobra para Adenízia e Thaísa ditarem o ritmo do Osasco neste fundamento. Sem elas, a missão fica duríssima para a equipe – como se comprovou na partida contra o Sesi.

************************

Falando em Sesi... O time deu uma suadinha para vencer o Barueri, 3x2. Aliás, nesta partida também tivemos um set atípico: 21x7 para o as meninas do Talmo.

Acho que a grande conquista do Sesi neste ano foi ter minimizado o número de erros. Mais regular e seguro, consegue fazer o seu jogo. Ontem, este controle foi fundamental. Em 5 sets cometeu 13 erros enquanto o Barueri deu de presente 22 pontos em falhas. 

************************

O Banana Boat/Praia Clube deu uma bela apertada no Vôlei Amil. Perdeu (3x2), mas foi um bom resultado para quem andava com a moral no chão. Fazer uma partida de cinco sets contra o vice-líder ao menos garante um pontinho importante para quem enfrenta uma fase tão complicada e tem uma dura sequência de jogos.

A novidade do Praia foi a Mari, que começou a partida no lugar da Michelle. Não sei se o Spencer vai manter esta opção pros próximos jogos, mas tenho minhas dúvidas sobre a sua utilidade. Sim, o ataque do Praia tem tido dificuldades pelas pontas. A Mari ajudou timidamente neste sentido na partida contra o Amil. A diferença, na verdade, foi que Monique e Herrera (as duas) foram bem no ataque – o que tem sido raro nos últimos jogos.

Michelle nunca foi garantia de pontuação, mas de qualidade no fundo de quadra. Não sei como a Mari foi neste sentido na partida, mas, na teoria, ela não é a pessoa mais indicada para sustentar a linha de passe e minimizar os erros da equipe neste fundamento – outro problema que persegue o Praia nesta temporada.




Outro ponto que pesa contra o Praia é a fraca presença no bloqueio. As ponteiras não ajudam muito pela altura e as centrais que estão em quadra têm o ataque como principal característica. Aline e Letícia, as reservas, é que são melhores bloqueadoras. Mas admito que a escolha do Spencer não é fácil. Natália e Mayhara têm sido fundamentais para o ataque do time, fica difícil abrir mão de alguma delas. 


************************



Só para não dizer que não falei do vencedor da partida... 

Quando a Natália resolve jogar, o Vôlei Amil ganha outra dimensão. Se conseguir mantê-la neste ritmo, o time do Zé Roberto se torna o mais agressivo da SL, o de ataque mais forte. Difícil é fazer com que a Natália tenha alguma regularidade. Até agora, o Vôlei Amil é o melhor candidato para acabar com a soberania Osasco-Rio. 

Comentários

Anônimo disse…
Tive a oportunidade de assistir o jogo ontem no Pinheiros Clube...a vitoria do Osasco não se deu por nenhum tipo de irregularidade, o Pinheiros vinha fazendo um jogo muito bom e muito consistente, tanto que os dois primeiros sets foram muito equilibrados em que as esquipes se revezaram na frente do placar.

----

Pinheiro tem uma time lindo, ofensivo, a Andreia tem jogado muito e feito belas partidas. Faltou um pouco de qualidade no passe, o que tambem não foi culpa delas e sim da ofensividade do outro time que estava atacando.

--

O Osasco sim jogou muito voleibol, entrou muito concentrado, ficou atras no placar no primeiro set, mas teve tranquilidade pra reverter o placar a seu favor. Os pontos fortes foi sim um melhor aproveitamento das centrais no ataque e no bloqueio, mas o fator determinante na partida foi o saque. O Osasco fez uma sequencia complicada de saques. Com exceção da Adenizia que tem um saque +-, todas sacaram muito bem mas o destaque principal fica para a Sanja. Ela entrou destruindo nesse fundamento. No terceiro set por exemplo ela quebrou a recepção do pinheiros umas 13 vezes consecutivas. Tá ai a explicação de um placar tão estranho. É claro que não pode se atribuir tudo ao saque pois a o contra ataque funcionou muito bem.

O Jogo que vi o Osasco impor ontem , confesso que ainda me resta duvida se times como SESI e Amil podem tirar o Osasco dessa hegemonia. Vão ter que jogar muito. Mas acho que os dois proximos jogos sim vai demonstrar o que é o Osasco de verdade. Praia e Sesi (SESI na vila leopoldina).
Anônimo disse…
O pinheiros tem um timaço, mais tem problemas com as levantadoras. O osasco é outro bom time, com otima unidade grupal, mas sofre mto com a ausencia das ponteiras Garay e Jaque. Falar em Jaqueline cade ela?pensei q ela voltaria nesse turno.
O praia tem um time otimo mas precisa de uma levantadora e centrais ao nivel do time. Barueri jogou fora uma otima central e uma levantadora a Fernandinha e a Fe Isis.
Na minha opniao a Unilever poderia ter conversado com a SaSa e todos os seus problemas de passe estariam resolvidos Sasa e Fabi no fazem um fundo de quadra perfeito.
O sesi ta em crescimento e logo logo vai voltar pra terceira posiçao no nacional so atras do Amil, pois quando Natalia decide jogar o Amil cresce junto, acho q ela poderia continuar como capitã, mesmo com a volta da Walewska.
R.B
Aline disse…
Laura:
Mari pediu oportunidade de jogar, oportunidade foi dada a ela e infelizmente não correspondeu.
Claro que MARI foi o alvo dos saques do AMIL e teve dificuldades.
SPENCER sacrificou o time para dar a oportunidade que MARI queria.
Porém, arrisco dizer que se tivesse jogado com MICHELLE e seu excelente fundo de quadra, o PRAIA poderia ter vencido o jogo...
Enfim, espero que MARI melhore de rendimento e conquiste seu passo jogando bem e não exigindo uma escalação.
João Lucas disse…
Eu também fiquei intrigado com o terceiro set entre Molico/Osasco e Pinheiros, depois de sets equilibrados em especial o primeiro. Esse é o voleibol feminino.

Realmente Andreia está sozinha nas extremidades e Ellen além de ser um problema na recepção está sendo também na rede. E pelo meio o time sente falta da central Ana Carolina que foi brilhar no Unilever, ela era a espinha dorsal do bloqueio. E o time do Molico com Sheila fora dos jogos está totalmente dependente da central Thaísa, já que as ponteiras inconstantes não resolvem.

Já o Sesi eu não esperava o sufoco para vencer a desentrosada equipe de Barueri, que pelos jogos que vi sobreviveu graças a raça de Renatinha e ainda mais sem a levantadora Fernandinha e a melhor central do time Fernanda Ísis, foi uma surpresa. O que será que aconteceu em Barueri?

Sobre o embate entre Vôlei Amil e Praia Clube, fica as conclusões: O time campineiro é o time com mais condições de barrar a dupla e se Natália for mais regular as coisas podem piorar ainda mais para a dupla. Já o Praia, podem colocar as extremas que quiserem UE a dificuldade de rodar será a mesma e ainda tem que o time não bloqueia, eu apostaria em Letícia Hage, o time perde em ataque mais ganha em bloqueio, pode até não fazer pontos diretos, mas certamente irá amortecer algumas bolas e ajudará nos contra-ataques, nem isso elas fazem.

PS. Com a exibição de Fabiana na final do Sulamericano e com a atual fase de Thaísa, aposto nas duas para o Mundial, que arma o Brasil tem pelo meio de rede. Resta torcer por um bom passe e uma Dani Lins inspirada para que as duas joguem.
Eduardo Almeida disse…
Tá lindo de ver as nossas Torres. Thayza cravando direto na linha dos 3 e a Fabiana já ataca sabendo que vai pontuar. Não sei se é pela habilidade de confundir bloqueio e defesa, mas por mais que não tenha potência em alguns ataques, pontua quase sempre.
Se pudermos continuar contando com essa boa fase da Dani Lins, vamos ser campeãos na certa.
Vai ainda ser bonita a disputa na ponta: Natália, Tandara, Garay e Jaque.
Só falta Sheila retomar a boa fase do início da temporada de volta, mas na seleção ela vira Hero!
Pena o time do Praia não ter vingado, mas é nítido que não é uma equipe com 12 peças, são dois times com padrões de jogos diferentes e as mexidas não surtem bom efeito. E claro que deveriam ter dado mais oportunidades de jogos para a Mari no início do turno contra os times mais fracos. Não vai ser enfrentando de cara os top 3 que o vôlei dela vai surgir do nada. Spencer ficou perdidão com um time melhor em mãos e esqueceu como o time do ano passado precisou do bom bloqueio para vencer, não foi à toa que a Hage ganhou a convocação para a seleção.
Vocês acham que a Jaque aparece com reais condições de jogo para o fim da SL?
Sobre o Rio é bom ver a Roberta com oportunidade de jogar, e a contusão da Fofão também é uma ótima desculpa para a campanha fraca do time na SL. Não chegarão à final e a comissão não vai assumir que contrataram mal, a culpa vai ser das jogadoras que renderam abaixo da média - Fofão, Branka, Sarah, Gabi e Juci ainda não jogaram o que sabe.
Mesmo com o bom momento da Penso que às vezes deveriam dar mais chances à Glauciele no Pinheiros, ela sempre entra bem, vira bolas importantes e passa tão mal quanto a Ellen. Faltou ao time uma referência no meio-de-rede, que talvez confiaram na Andressa e acabou se contundindo. A Andréia, vocês acham que algum dos times de ponta a credenciam como oposta titular?
Anônimo disse…
Aonde eles estavam com a cabeça ao aceitar contratar Caterina e Sanja??? Sanja bancar pra Gabi vey... Caterina não joga bosta nenhuma. Osasco contratou mal demais.
Anônimo disse…
Espero q Jaque volte logo, gosto mto de volei q ela joga. Espero q a Fernandinha e a Fê Issis consigam um bom time pra atuar pois sao grandes jogadoras. Torço pra q os clubes da europa vejam essas oportinudades.
A Andreia, ê otima oposta, e poderia ajudar mto a seleçao no mundial ja q Sheilla ta num mal momento.