Zé Roberto 1x0 Bernardinho

Unilever 2x3 Vôlei Amil

Estávamos à espera deste confronto na Superliga. Além do duelo sempre interessante entre Bernardinho e Zé Roberto, era a primeira vez que a Natália enfrentava o seu ex-time. E foi justamente a atuação dela que foi determinante para a vitória do Amil.

Não, a Natália não se transformou numa Tandara e desandou a fazer pontos como a colega. Mas ela, finalmente, entrou em quadra nesta temporada pelo Vôlei Amil. E foi a possibilidade de contar com todas as atacantes, sobretudo com a Natália, que levou o time do Zé Roberto a sua mais consistente atuação na SL.

**********************

Foi um belo duelo, bastante disputado. Teve combates interessantes entre as Carol’s no bloqueio e entre a Sarah Pavan e a Tandara no ataque. E entre os treinadores, claro, para ver quem reclamava mais da arbitragem.

Mas ainda assim, é preciso comentar o quanto as duas equipes colaboraram para que assistíssemos momentos amadores na recepção. O fundamento tem sido a tônica da competição até o momento. Infelizmente, de forma negativa.

Os sets perdidos com maior diferença no placar, tanto de um lado como de outro, tiveram os erros de passe como protagonistas. Mas o Unilever acabou por ser a maior vítima das falhas de recepção, inclusive no tie break. Além de colocar por diversas vezes a Fofão em apuros, o passe ainda permitiu 12 pontos de saque do Vôlei Amil, metade deles feita pela Tandara.

Esta composição da linha de recepção do Unilever continua caótica. Gabi e Mihajlovic não se acertam nem no posicionamento nem na técnica. Até a Fabi tem sofrido com as trapalhadas das duas. Nas outras partidas, o time do Bernardinho conseguiu superar o problema e vencer mesmo jogando mal. Desta vez não foi possível porque do outro lado tinha uma equipe mais combativa. Como falei, acho que foi o melhor desempenho do Vôlei Amil na SL, por ter tido um ataque mais equilibrado e pelo volume da defesa.


 ********************** 

Pê ésse:
- E o Sesi? Perdeu pro Brasília (que, aliás, teve mais uma grande atuação da Paula) e está em 10º lugar. Até poderia ser uma derrota normal se o time do Talmo não estivesse tão mal na competição. A equipe dá alguns sinais de recuperação em um jogo, mas sucumbe em outro. É perigoso.

Já estamos no final da primeira fase. A maioria das equipes ainda tem o que melhorar e se estabelecer, mas, ao menos, parecem estar no caminho certo. O Sesi, pelo contrário, parece perdido e sem rumo. E, por mais que as pontuações estejam próximas, a posição na tabela vai começar a pesar cada vez mais e dificultar a recuperação

Comentários

Welmer disse…
Lamentável a situação em que se encontra o SESI. Tava torcendo para que o time se recuperasse, mas o time não consegue jogar bem duas partidas consecutivas.

Sobre o jogo de ontem, só tenho um comentário a fazer: como os times sofrem com a recepção do saque. Eu sei que isso não é exclusividade das duas equipes, mas é nestas equipes que eu vejo os erros mais bizarros. Bem, o jogo foi como eu esperava, disputado e nervoso, e com alguns erros bizarros da arbitragem. Fiquei um pouco decepcionado com a atuação da Brankica, esperava um pouco mais dela, ela vinha segurando o ataque do time carioca, mas no jogo de ontem só marcou sete pontos, o que é pouco para um jogo de 5 sets. Pelo lado campineiro destaco a atuação da Tandara, sempre ela, e da Natália. Tandara como sempre segurou o ataque do Amil e Natália apareceu bem em alguns momentos do jogo, ainda não foi aquela Natália, mas acredito que possa voltar a ser.
tuliobr disse…
Creio que foi uma atuação pouco inspirada da Fofão e da Fabi. Da 'espinha dorsal' da Unilever, só a Pavan foi bem. Claro, a dificuldade com o passe foi notável, mas foi dos dois lados. A partir do momento em que o JRG conseguiu posicionar sua defesa e seu bloqueio (tendo no banco menos opções disponíveis do que o Bernardinho), o ataque carioca parou de pontuar, sendo esse o momento em que uma atuação mais efetiva da Branca ou uma maior inspiração da Fofão poderia ter feito a diferença: não havia muito o quê pensar: bola alta para a Branca, rápida para a Gabi, e o que sobrasse, para a Pavan, já que o passe ruim não deixava as centrais jogarem. Enquanto isso o Osasco nada de braçada: com os melhores saque, ataque e bloqueio da competição, está sozinho em um patamar que seus adversários parecem ainda distantes de alcançar. Quanto ao Amil, o JRG precisa se concentrar em pôr o time para vencer dois sets, pois sabe que, sozinha, a Tandara ganhará o terceiro.
sidnei trindade disse…
Infelizmente o Sesi feminino é uma piada, com este investimento o Pinheiros com o técnico que tem faria muito mais. As contratações deixaram o time com excesso de ponteiras e falta de oposto. O resultado disto é um técnico que não sabe qual é o seu time titular, perdido, e o DÉCIMO lugar na tabela, lamentável.
Aline disse…
Tuliobr gosto do seus comentários, mas discordo que foi uma atuação pouco inspirada da Fofão e da Fabi.
Ao contrário Fofão e Fabi foram as maiores crucificadas com o péssimo passe das ponteiras do Unilever.
Fofão,coitada, fez além até do que eu esperava, correu atrás de bolas horríveis, se jogou no chão e até puxou jogadas chinas mesmo com passe B. Fofão, ao meu ver, jogou muito com o passe que teve, se fosse qualquer outra levantadora, a Unilever não conseguiria ter levado o jogo para o tie break. Não é à toa que Fofão não engorda, afinal tem jogado tie break´s onde tem que correr maratonas atrás da bola.
Outra sacrificada foi a Fabi, essa é guerreirona mesmo, tentou suprir a deficiência de suas ponteiras cobrindo quase a quadra toda, além do que defendeu muito, como sempre.
Eduardo Araujo disse…
Em relação ao jogo do Unilever vs Amil eu achei fraco tecnicamente falando, os levantamentos não estavam bons, principalmente nos contra-ataques e a recepção era lamentável, mas valeu foi a garra e a vontade de vencer das jogadoras e isso deixou um jogo ruim, emocionante.

Quanto ao SESI, eu realmente não sei oq acontece, entre os Grandes o SESI possui a melhor recepção, esta em 6 na frente do Molico que esta em 7, do Amil que esta em 12 e do Unilever que esta em 13, falando nisso a recepção dos ditos grandes esse ano esta complicada as levantadoras estão se virando bem com os passes.

O Talmo esta mexendo em todo o time, tentando achar uma configuração que funcione, ainda acho que ele escolheu jogadoras erradas para o tipo de levantamento que a Dani Lins faz, não é possível que as jogadoras esqueçam como joga vôlei de um ano para o outro!!!

A Ivna que foi super bem no Sollys com a Fabíola levantando hoje esta tendo grandes dificuldades, o mesmo com a Neneca, a Pri Daroit virava bolas importantes no Amil agora esta uma droga, a Suelle jogou bem no Unilever e agora é uma negação, todo mundo que esta entrando esta sendo uma negação.

A Dani Lins reclama da recepção do time, mas como eu disse entre os grandes o SESI é que possui a melhor recepção, a Fabizona reclama da recepção, dos levantamentos e dos ataques das atacantes, a impressão que eu tenho é que estão procurando desculpas para justificar o injustificável.

Vai se classificar entre os 8? eu acho que sim, senão fecha as portas, o problema é a posição, se ficar entre os últimos, pode pegar um Molico, Amil ou Unilever ai é aquele jogo indefinido que pode ganhar ou perder e se perder provavelmente uma porrada de gente vai embora...

As linguás mais venenosas falam que se isso acontecer é provável que o projeto do vôlei feminino no SESI ate pare.