E no meio do caminho da SL, havia o Paulista (ou terá sido o contrário?)

Com este novo calendário da Superliga, o Paulista 2013 ficou apagadinho entre tantos jogos do principal torneiro brasileiro. Chamou pouca atenção, mas nem por isso foi menos interessante. Pelo menos até as semifinais, quando as partidas foram bem mais equilibradas do que a própria decisão do campeonato.
 
É que o desempenho ruim da recepção do Sesi tirou qualquer chance da disputa final contra o Molico/Osasco ter alguma graça. No fim, pesou a qualidade e a tradição do Osasco, que venceu por 3x0 e conquistou seu décimo título paulista.

O Osasco entrou para partida com outra velocidade enquanto o Sesi, atrapalhado com as confusões da sua linha de passe, só foi aquecer e aparecer em quadra mesmo no último set. A entrada da Mari minimizou os erros da recepção, mas não foi o suficiente para o time engrenar. Isso porque, ao meu ver, Talmo errou ao tirar a Pri Daroit e não a Suelle.

Ambas estavam mal no fundamento. O que me surpreende, aliás. Suelle, no Unilever, entrou muitas vezes para corrigir as mancadas da Regiane. Hoje não foi bem no passe e costuma ser inexpressiva no ataque. Não é o caso da Pri Daroit. O Sesi depende do ataque da ponteira. Ao menos, no decorrer da partida, Talmo deveria ter recolocado-a em quadra. 

************************

O Osasco soube aproveitar bem uma das suas principais forças, o saque. Foi objetivo na sua estratégia, mirou as ponteiras e manteve a agressividade até o final.

O Sesi não soube usar a mesma estratégia. Mirou o tempo todo a Sanja Malagurski  e acertou, em quase todas as vezes, na Camila Brait. A líbero do Osasco cobriu muito bem a sérvia e o Sesi não mudou sua estratégia para procurar a Caterina Bosseti no saque. A italiana, apesar do Marco Freitas dizer que ela vem substituir a Jaqueline, é irregular no passe.

Aliás, a Brait ocupou muito bem o espaço no fundo de quadra no momento da recepção, ao contrário da adversária (o que é bastante irônico). O Sesi poderia se espelhar na composição do Osasco, porque tende a sofrer com a linha de passe que tem hoje. Precisa esconder a Pri Daroit e a Suelen proteger melhor suas passadoras.


************************
O Osasco, ao meu ver, está ganhando cara de time. Defensivamente me parece bem estruturado, com as estrangeiras contribuindo bastante para manter o volume de jogo que sempre foi característico do time.

Já prevíamos aqui um trabalho maior para a Brait no passe e deve ser assim durante a temporada. É um fundamento que o Osasco perdeu em qualidade com as saídas da Jaqueline e Garay. No ataque, por enquanto, as trocas também não tem sido tão recompensadoras. Sanja já se faz notar, mas Caterina ainda está discreta.

Mesmo com estes pontos a melhorar, entre os “grandes”, o Osasco foi o que começou melhor esta temporada. Do que foi possível conferir, está um nível acima em termos de organização e qualidade do que os outros.

Comentários

Welmer disse…
Laura, na partida de hoje eu dou destaque para a atuação da Fabiola. Ela ainda não tinha feito uma partida boa nesse início de temporada pela equipe osasquense e nem pela seleção na CC e hoje ela jogou bem, acertou as bolas com as centrais e acada jogo vai melhorando suas bolas com a Sheilla. Outra jogadora que merece destaque é a Camila. Ela tá voltando a jogar como em 2011/2012, quando suas atuações fizeram como que muitos a quisessem em Londres. Quanto as estrangeiras, acho que elas aos poucos estão entrando no ritmo do voleibol brasileiro, Sanja tá mostrando que pode ajudar muito no setor ofensivo e Caterina, apesar da irregularidade no passe, tá mostrando que pode ajudar na defesa e em algumas partidas, como a segunda semifinal contra o Pinheiros, no ataque também.

Pelo lado do SESI, acho que o time mostrou que pode chegar mais longe essa temporada. O time tem duas ótimas centrais (já critiquei a Bia, mas ela tá se mostrando uma jogadora bastante eficiente), porém para que essas duas jogadoras joguem é necessário que a Dani tenha o passe na mão, coisa que não aconteceu no jogo de hoje. Pri Daroit e Ivna são as principais atacantes de extremidade do time, mas tem que mostrar mais regularidade e poder de decisão. Acho que se o time corrigir esses problemas pode chegar muito mais longe do que se imagina.
Paulo Roberto disse…
Concordo Welmer. Acho que a partida de hoje foi a melhor da Fabíola nesse início de temporada, não me lembro de erros graves dela como os que vinha cometendo no Osasco e pela seleção. Adê e Thaísa seguem mostrando que formam a melhor dupla de centrais das equipes nacionais. Sheila assumindo a responsabilidade e chamando a liderança da equipe é lindo de ver e se torna quase imbatível. Brait voltando a ser aquela Brait pela qual os amantes de voleibol se apaixonaram. Por fim as estrangeiras, que considero o ponto fraco dessa equipe do Osasco, com a sérvia um passo a frente da italiana, mas vejo que há possibilidade de evolução.

Pelo lado do Sesi, o que se falou na época das contratações está se confirmando, o time tem boas definidoras mas não tem passadoras de qualidade, sem contar que não consigo ver a Suelem como líbero de um time de ponta, não tem a mobilidade necessária. Dani Lins é outra depois de Londres, a confiança salta de seus olhos, mas não consegue consertar os passes quebrados que recebe e mesmo com o passe na mão o jogo ainda é muito marcado. Fabizona está bem, mas o jogo não pode ser concentrado numa central. A Ivna pode evoluir bastante, é uma oposta muito interessante, mas peca ainda nos momentos decisivos. Também penso que se ajustar o passe e corrigir os erros nos momentos de decisão o time pode dar um caldo muito bom e fazer frente aos outros "grandes"!
Eduardo Araujo disse…
Então achei que iria ser uma final legal e o Osasco não tomou conhecimento do SESI.

Parece que o time esta se entrosando, também não vi nenhum erro grava de nenhuma jogadora do Osasco.

Agora vou discordar de vocês em um ponto a recepção do SESI, não foi bem, mas não vi nenhum jogo espetacular da Dani, como colocou por exemplo o saqueviagem.com.br, tirando um levantamento que ela fez do saque para entrada de rede, mas ela não comprometeu o jogo, achei muito forte a declaração da Fabizona quando a mesma disse: "eu falo mesmo, a nossa recepção, não foi boa e quando funcionou, as escolhas para o ataque foram erradas", no meu entender quando se fala em ataque, passa pela a escolha da levantadora em quem vai atacar e na escolha da atacante na forma que vai atacar, acho que não é por esse lado também.

Eu gostei mesmo da semi com o pinheiros, time guerreiro, achei que iam ganhar o jogo.

Segue um link para quem gosta da Ellen do pinheiros, foi uma entrevista que ela deu para o blog mundo do vôlei.

http://noticiasmundovolei.blogspot.com.br/2013/11/superliga-em-entrevista-ao-blog.html#.UpvNUtJDusM

Oq ela jogou nesse jogo foi demais....
Sergio Santos disse…

Laura eu acho que o vôlei vai sobreviver, mas vai sangrar muito.
Set de 21 pontos, paulista, superliga e copa dos campões tudo junto.
Laura disse…
Welmer, bem lembrado sobre a Fabíola.

Não tenho tanto otimismo em relação ao Sesi. É um time que nunca se estabiliza. Vamos ver como vai ser esta temporada. Mas o Talmo tem que decidir por uma escalação e insistir nela, ao menos por enquanto. Acho que estas constantes trocas, principalmente de oposto, não ajuda em nada.