Diferentes, mas parecidos



Vôlei Amil 2x3 Molico/Osasco

Sesi 1x3 Unilever
 

Os principais confrontos desta 9ª rodada foram muito parecidos. Tanto Molico/Osasco e Unilever baixaram a guarda durante as partidas e permitiram a recuperação do Vôlei Amil e Sesi.

A diferença está em dois pontos: primeiro que o time de Campinas teve muito mais recursos para aproveitar esta oportunidade dada pelo Osasco e levar o jogo ao tie-break. Tandara está comendo a bola. É quarta temporada (Brusque, Vôlei Futuro, Sesi e Amil) que ela é o destaque no seu time, provocando a conhecida dependência das equipes ao seu ataque.

Fica aí uma questão para se pensar. Será que não são os times que estão indo para o caminho que, à primeira vista, parece ser o mais fácil e dando a bola para quem resolve, no caso a Tandara, e comprometendo a eficiência do conjunto?

Lembro como exemplo o futebol. Volta e meia acontece de um time ter como referência um meio de campo ou atacante fora de série. A impressão que temos é que o time só joga com ele, mesmo quando os resultados não são dos melhores. De repente, esse jogador sai e a equipe se encontra, começa a jogar melhor e a conquistar resultados.

Não sei, é um ponto a se pensar. Como falei, esta “Tandara dependência” tem se repetido há várias temporadas. E até por que o desempenho dela não foi o mesmo na seleção, que não adapta seu modo de jogar a ela como fazem os times. 


**************************


Voltando à rodada...

O segundo ponto que diferenciou as duas partidas foi a quantidade absurda de erros que o Osasco deu ao Vôlei Amil. 32 pontos já era um número elevado quando o set ia a 25, agora, então, torna o “aproveitamento” bem mais negativo.

Já na partida do Unilever ficou clara a diferença na categoria “matreirice” – além da já explícita superioridade técnica. O Sesi, por mais que tentasse encostar no placar, devolveu as conquistas com erros bobos de saque e toques na rede. O Unilever,mais jogueiro, teve frieza na hora certa da definição da partida.

Falando do Sesi, acho que o Talmo deve pensar seriamente em pedir demissão colocar a Mari Casemiro como titular. Suelle não está dando conta do recado do que tinha que ser sua principal função, o passe. Se é pra comprometer a recepção mesmo, que coloque alguém que tem apresentado melhor desempenho no ataque, que é o caso da Mari. 


**************************

Pê ésse:

- Não sei como são os treinos do Talmo, mas um intensivão de passe merece ser urgentemente posto em ação! 

- "Intensivão" é o que tem acontecido de jogos do Unilever na transmissão do SporTv. Nas últimas seis rodadas, cinco partidas do Rio serão exibidas. Ao menos, o total, na primeira fase, não passa disso. Ao contrário do Molico/Osasco, maior beneficiado pela divulgação na TV nas 13 rodadas iniciais, que vai ter 7 partidas na telinha.

Comentários

sidnei trindade disse…
Parece, que de novo, teremos Rio x Osasco, na final, pois Sesi e Campinas cometeram equivocos nas contratações, o Sesi, precisa de uma oposto de decisão, e pelo menos uma ponteira de ataque, e o Campinas, não sei como fazer prá jogar com uma líbero que tem deficieência séria no passe. Laura, discordo quando vc disse da Tandara-dependência, nas três últimas temporadas. Há duas temporadas, quando ela jogou no Osasco, e o mesmo foi campeão, o Osasco não dependia dela, o Luizomar escondeu ela no passe, com a Jaque e a Brait, a Hooker arrebentou na saída e a Tandara jogou bem na entrada. Na decisão contra o Rio, o time não deu chance pro Rio, a contrário na decisão passada que o Osasco tinha uma seleção. Houve sim a Tandara-dependência no Brusque, no Volei Futuro e no Sesi. Ano passado a Dani Lins não tinha outra opçao, não fosse ela, agora no Campinas, a Natália quando acionada, não corresponde. O Zé Roberto não tinha imaginado isto.
Laura disse…
OI, Sidnei! Errei, na verdade esqueci desta temporada da Tandara no Osasco. Estava me referindo ao Vôlei Futuro mesmo. Obrigada pela lembrança, vou corrigir ali no texto usando as tuas informações.
Bernardo disse…
Isto de transmissão é normal Osasco e Rio monopolizarem o número de transmissão até pq são os principais times só acho que o resultado é que os outros times quase não aparecem e depois fica mais dificil conseguir patrocinio para os pequenos exemplo é o Maranhão até agora só me lembro de ter visto uma partida na primeira rodada contra justamente o Molico.
Acho que o Sesi mais uma vez vai decepcionar só precisa ver se tb vai conseguir ficar fora do G8 pois hoje está pior que o time de São Bernardo na tabela.
Eduardo Araujo disse…
Eu vi o jogo e fiquei impressionado como o SESI não tem nada, não é somente questão de entrosamento, lembrando que metade desse time é ex-vôlei amil e muitas jogaram juntas na seleção por exemplo.

O time me parece um pouco dividido, a declaração da Fabizona, falando que a recepção não esta boa e quando funciona o levantamento ou o ataque não são bons, agora a Dani falando que todo mundo esta errando e que não vem bola boa para ela, esta estranha a coisa.

Oq eu vi foi bem oq a Fabizona falou, a recepção não funciona, quando funciona o levantamento sai errado ou as jogadoras ficam no bloqueio dublo e querem enfrentar.

Eu pessoalmente acho que o problema é geral, o time já tinha que mostrar evolução, todos estão mostrando uma certa evolução.

O Molico e a Unilever mostram uma evolução maior, mas o Amil evoluiu , o Praia vem melhorando e o SESI não evoluiu em nada.

Eu acho que o foco do problema é o treinador, como ele montou a equipe, uma vez eu vi uma entrevista do Bernardinho, falando que o time de vôlei tem que ser montado baseado no levantador, na época ele deu ate um exemplo do ricardinho que é um levantador super rápido e o Vissoto que é um oposto lento e ele falou que os 2 juntos não funcionava.

No SESI me parece isso, a Dani é uma levantadora mais lenta, você conta as bolas que ela deixa uma jogadora sem ou com bloqueio quebrado, tanto na seleção quanto no clube, para jogar com ela a atacante tem que saber explorar o bloqueio e essas atacantes que jogam com ela não sabem fazer isso, querem quebrar o bloqueio no meio, as escolhas dessas jogadoras foi do talmo então a culpa é dele.

E a coisa esta ficando preta, pq você olha a classificação a turma do 8 pra cima esta abrindo, isso é preocupante, seria uma vergonha um time com o investimento que tem, com muitas jogadoras que participam ou já foram da seleção não se classificar entre os 8.
ADM VOLEIORG disse…
A impressão que eu tenho é que teremos outra final entre Unilever e Osasco.

As duas equipes sobram.

Abs
Dani
http://www.volei.org
Anônimo disse…
Em relação a tandara acho que existe uma certa dependência sim dos clubes o qual ela passou com exceção do Osasco devido a seu alto rendimento em quadra, aí acho que por conta disso os clubes criam essa tandara-dependência.
E mesmo em alguns momentos da seleção não conseguir mostrar todo seu potencial acho que será uma grande peça no futuro na seleção brasileira.