sábado, 15 de junho de 2013

Força máxima pra quê?


Saque Viagem - Zé Roberto planeja ter força máxima no GP

Com todo respeito ao tri campeão olímpico, não acho uma boa ideia trazer as veteranas de volta à seleção no Grand Prix, mesmo que só nas fases finais.

Entendo a preocupação do Zé Roberto em não deixá-las afastadas durante todo o ano, mas não vejo necessidade que elas participem do GP. Ir com a força máxima para o World Grand Champions Cup, no final de novembro, já seria suficiente para mantê-las no ambiente da seleção. 



Vai parecer estranho o que vou dizer - afinal, a gente sempre quer ganhar e é isso que se espera de um treinador -, mas o Zé tinha que esquecer um pouco esse lado competitivo e de querer vencer tudo, e pensar que 2013, incluindo o GP, é um investimento. É mais uma oportunidade de colocar as reservas para jogar e testar outras jogadoras.

Jogadoras que podem vir a ser muito importantes para a seleção, como é o caso da Natália e da Tandara. A Tandara, aliás, ainda não provou a sua importância pra seleção. Fez ótimas temporadas em clube, mas, por vários motivos, não conseguiu mostrar o mesmo desempenho no grupo nacional.

Deixar as reservas e novatas no comando do time por agora, vai aumentar a qualidade do time mais adiante, pois melhora a briga por posições quando as principais voltarem. 


 *************************
Pê ésse:
- Falando da World Grand Champions Cup, que acontece em novembro, me veio a dúvida: como fica a Superliga, com o este novo calendário que começa em setembro? Os times ficam desfalcados ou a competição para durante as disputas das seleções?

10 comentários:

Welmer disse...

Também acho desnecessário a seleção com força máxima para o Grand Prix. Acho que o Zé deveria usar as novatas para a disputa do Grand Prix. Seria interessante ver algumas jogadoras juvenis como a Gabi, a Rosamaria e a Sara que vem fazendo uma boa Copa Pan-Americana sendo testadas na seleção principal, além de jogadoras como Natália, Tandara e Ellen que se destacaram na última Superliga.

Laura, com relação a dúvida levantada por ti, pelo que li no blog do Daniel Bortoletto, a Superliga teré uma pausa durante a a disputa da Copa dos Campeões, então acho que os clubes não sofrerão com cessão de jogadoras.

Evandro. disse...

Pois é Laura, a competição pára para as atletas irem em novembro disputar a competição e depois retornam. Vi num blog que a servia que a Unilever contratou, que nao sei escrever o nome dela hehe, se tiver que ir, se ausenta do clube e depois retorna.

Mas eu creio isso mais cansativo do que disputarem tudo, terem uma semana de folga e começar a Superliga em novembro. Ao meu ver, acaba dando o mesmo cansaço para atletas de seleção. Já para as que não são, conseguem ter mais folgas e mais tempos de treinos.

Uma dúvida: os campeonatos regionais aconteceriam quando então? Fiquei pensando nisso agora e não me lembro de ter lido alguma coisa a respeito disso.

Laura, o que você achou dos sets disputados ate 21 pontos, com uma parada obrigatória aos 12 pontos e um tempo só por set para cada técnico?
Eu creio que dá mais agilidade ao vôlei, mesmo tirando o quesito televisão, pra quem assiste em ginásios ao vivo mesmo...Antes eram dois tempos para cada técnico, mais dois tempos obrigatórios. Acaba que o time fazia um ponto, o outro pedia tempo e assim ia ate o final do set hehe.

Voltando ao assunto principal do post: eu também acho que é desperdício levar força máxima, ate porque, essas jogadoras atuaram contra times B e C desentrosados. Teriam que deixar elas atuarem contra times A, que é o caso das grandes seleções no GP, para verem suas reais atuações e chances de comporem definitivamente a seleção. Ver Tandara, Natalia, Pri Daroit assumindo a responsabilidade de passarem e atacarem, ver Jucy e Adenizia segurarem o meio de rede e ver qual é a terceira central da seleção nesse ano e ano que vem e ver se a Camila Brait segura o fundo como a Fabi faz.

Laura disse...

Welmer e Evandro, obrigada pela informação. Sobre os regionais, ainda não li informações sobre isso.

No fim, vai ser sempre um calendário cheio para os atletas de seleção e com várias paradas pq, afinal, as principais competições, fora Olimpíada, estão no final do ano: Mundial e Copa do Mundo.

Evandro, estou curiosa para ver o funcionamento dos sets com 21 pts. Sem dúvida dá mais agilidade e ajuda para a transmissão da tv. O jogo de vôlei está demorado. Mas temos q ver se o esporte não perde em qualidade e avaliar se não está mudando demais suas características. Só testando para saber.

Eduardo Araujo disse...

Olá concordo com vc Laura, o GP não é uma competição super importante, nos últimos dessa competição, somente o Brasil e os EUA foram com força máxima as outras seleções sempre faziam testes com algumas jogadoras para as competições mais importantes, visando os torneios que acontecem de 4 em 4 anos, eu pelo menos não considero o GP uma competição SUPER importante uma vez que tem todos os anos.

Eu tentaria testar essas novas jogadoras, deixar esse ano na responsabilidade delas, seria bom saber se podemos contar com elas em momentos de pressão, quem sabe dessa nova geração não sai jogadoras muito boas!

Uma outra possibilidade é ele não ter gostado tanto do desempenho da seleção ou no ano que vem o período de treinamento seja curto para o mundial.

Uma coisa que eu discordo do ZR é a declaração dele falando que a Nathalia esta entre as 5 melhores ponteiras do mundo, quando ela estava bem eu ate iria concordar com ele, mas ela vem de 2 temporadas com problemas, jogou muito bem a final da superliga, mas foi um jogo somente, podia estar no dia dela, o ideal seria ver uma continuidade desse desempenho, pena que ela não pode jogar na seleção.

Evandro. disse...

O que eu creio que deveria existir é um calendário que atenda aos clubes na época de maio a setembro ( fim da SL do ano anterior com o inicio da nova temporada), justamente pra atletas de que não de seleção não ficarem paradas.

Um exemplo foi o time aqui de Rio do Sul - SC, que disputou os JAB's com uma equipe que tinha 5 das que eram do ano passado que disputaram a SL com a ingreção de atletas juvenis aqui do Estado, inclusive, treinando com a equipe, a irmã mais nova da Natália.

Podia ser criado uma competição envolvendo essas equipes, ate para essas atletas não ficarem paradas e ''serem lembradas'' e terem clubes para poder jogarem ou manter o contrato.Tipo, uma espécie de Copa do Brasil de vôlei, abrangendo dois talvez três meses de duração ( exemplo: de junho a agosto, com partidas somente aos finais de semana).

Desculpa sair tanto assim do tema central, Laura hehe.

Agora, do que adianta reunir força máxima, quando justamente essa '' força máxima'', não está máxima??
É Tandara, Natalia, Bia e mais não sei quem tudo lesionadas por estresse muscular/tensional provocado por inúmeros treinos de alta intensidade? Daí agora se tem um calendário para atletas selecionáveis com obrigação de clube a partir de setembro ( SL e regionais) e de Seleção ( copa do mundo, termino do GP e Mundial.
E para atletas não selecionáveis é ficar três a quatro meses sem treinar ( caso não faça parte de times de ponta - a maioria delas), esperando a SL e regionais começarem.

Paulinho Adorador disse...

Concordo contigo Laura. Essa obsessão do Zé em querer ganhar tudo fez com que as meninas tivessem um 2011 complicadíssimo e chegassem em 2012 cercadas de desconfianças. Será que mais uma vez teremos um ciclo complicado por causa da teimosia dele?

Neide disse...

Laura o fato é que Paula,MVP Olímpica 2008, e Mari acabaram sobrecarregadas e o corpo reclama cheio de contusões por causa dessa obsessão do Zé Roberto. Esse ano de 2013 sem competições muito importantes seria para dar um descanso para as titulares e veteranas e dar ritmo de jogo para as novatas.
Sou muito a favor da redução de 25 para 21 pontos por set.
Seria mais a favor ainda se acabasse o "vai a dois".
Sets e jogos muito longos só servem para desgastar e lesionar os atletas.
Além disso, A “UEFA Champions League” que é a Liga dos Campeões da Europa é o torneio de clubes mais badalado, milionário e de maior sucesso no mundo inteiro!
A final entre Borussia Dortmund e Bayern Munich foi um sucesso absoluto e teve audiência record nos quatro cantos do mundo!
Fala sério, é muito mais emocionante e badalada uma final em jogo único do que uma sequência de jogos entre os mesmos times.
As Finais da Superliga, tanto masculina qto feminina, em jogo único, foram espetaculares!
Muito melhor do que quando era uma sequência de jogos.
A Superliga brasileira está no caminho certo, está seguindo o exemplo do sucesso que é a final único do Maior e mais bem sucedido Campeonato de Clubes do Mundo que é a “UEFA Champions League”.
As finais Sollys x Unilever e Cruzeiro x RJX foram excelentes.
A “UEFA Champions League” é um torneio bastante longo com os melhores e mais ricos clubes da Europa, tem a final disputada em Partida Única desde 1956, ou seja, um período de mais de “meio século” de sucesso absoluto.
Apoio sempre a Partida Única e não vejo solução melhor que essa.

Anônimo disse...

O negócio eh q o GP conta pontos p/ o ranking FIVB, e pode ser uma oportunidade do Brasil voltar a ser o nr 1 do ranking q atualmente pertence aos EUA.

Crwley.

Vivian disse...

O que mais gostei nessa convocação foram as ausências de JACKTOCO e de SUELEN BARRIL!!!
Graças a Deus nos livramos dessas duas!!!
Acho que o Zé poderia dar um descanso maior para Sheila, Fabizona, Fabizinha e Thaísa, e dar mais oportunidade para as novatas... Mas já que convocou, esse quarteto fantástico é sempre bem vindo em qualquer time!!!

fan da MARI disse...

Alô fans da Marianne Steinbrecher como eu.
Se liguem: o ciclo da minha querida Mari na seleção brasileira acabou!
Mari vai sim disputar o Campeonato Mundial em 2014, porém defedendo a Alemanha!
2013 será um ano de cirurgia e recuperação.
2014 será um ano de superação em que a Ave Phoenix ressurgirá com toda sua classe e explendor!
Giovanni Guidetti, italiano, técnico da Alemanha e do Vakıfbank já disse que gostaria muito de contar com Mari na seleção Alemã.
Mari jogou o último torneio pela seleção brasileira no GRAND PRIX 2012, o prazo para jogar por outra de seleção é contado 24 meses(DOIS ANOS) após sua última partida pelo Brasil, que foi em 01 DE JULHO DE 2012!
Isso quer dizer que a partir de 01 DE JULHO DE 2014, Mari está liberada para jogar pela Alemanha!
Portanto, se tudo der certo no pós-operatório, veremos Mari disputando o Mundial da Itália no final de 2014 defendendo a Alemanha!!!