Brasil 3x1 Japão - Alassio


Depois de seis jogos, o Brasil perdeu seu primeiro set na temporada. O que custou a derrota do set foram os erros de ataque e a dificuldade brasileira em se achar na marcação do jogo japonês.

O Brasil lutou contra esses dois fatores boa parte da partida. O ritmo veloz de ataque e contra-ataque do Japão estava matando nosso bloqueio e a nossa defesa. Achei a cobertura do bloqueio, aliás, pouco atenta e lenta nos sets iniciais. Quando a seleção brasileira encontrou a marcação, ficou mais fácil manter a troca de bola e pontuar no contra-ataque.

Aí quem mais brilhou foi a Fernanda Garay, principal pontuadora no ataque (e, se não me engano, no bloqueio também). Pode-se reclamar da distribuição pouco homogênea da Dani Lins, mas não de sua objetividade. Quem estava resolvendo os problemas brasileiros para pontuar era a Garay. E foram para ela a maioria das bolas.

A Monique foi bem quando acionada e a Priscila Daroit esteve irregular. Virou boas bolas, mas, ao mesmo tempo, ficou em bloqueios fáceis, quando havia jogadoras baixas para explorar o espaço. Faltou visão a ela.

Sorte para o Brasil que a Garay foi suficiente para dar conta da partida e que, no mínimo de pressão exercida pelas brasileiras no saque, o Japão desandou a errar. A jovem seleção japonesa teve volume de jogo, mas pecou na qualidade do passe.

A levantadora me pareceu bastante habilidosa, força jogadas aceleradas na ponta e outras com as centrais mesmo quando a bola não chega do jeito ideal. Já para as atacantes, falta potência. Ao final da partida, faltou força para todo o time do Japão fazer frente a bem preparada seleção brasileira.

Comentários

Vivian disse…
Incomoda-me o fato de a DANI LINS levantar 99% das bolas para a entrada de rede, oque está acontecendo com ela? Por acaso ele fez algum estágio na RÚSSIA?
O estilo de jogo da DANI LINS está muito RUSSO: EXCESSO DE BOLAS NA ENTRADA DE REDE.
Só quando a FABÍOLA entrava que eu via alguma ousadia e uma maior variação de jogadas para a saída de rede e para o meio.
Não à toa GARAY ficou com 30 pontos, somente ela estava sendo acionada e sobrecarregada!!!
Camila Santana disse…
Estes jogo mostraram algumas coisas.

-Fernanda Garay joga muito (novidade!). Ao lado de Jaqueline é a mais completa jogadora do voleibol brasileiro. Garay ataca e bloqueia melhor e Jaque comanda melhor o fundo de quadra, ou seja, se completam e hoje são indiscutivelmente titulares da seleção principal.

-Adenízia e Juciely estão em ótima forma, entretanto, em nenhum momento a performance das duas tem ameaçado a dupla bicampeã olímpica: Thaísa e Fabiana.

-Priscila Daroit continua inconstante, mas, gosto dela e continuaria apostando na jogadora.

-Michele e Monique jogam bem e tem dado conta do recado, é bom elas aproveitarem a oportunidade. Monique é titular até Tandara (que volte logo) melhorar da contusão e Michele quando entra tem ajudado bastante. Só que continuo acreditando que as duas não são jogadoras de seleção. Posso estar errada? Claro que sim, mas, isso só o tempo dirá.

-As atuações da líbero Camila Brait continuam me incomodando. Como li no excelente blog Falando de Vôlei, a minha xará atua como se Fabi fosse voltar. Tenho sentido falta daquela líbero do Sollys. Camila definitivamente não precisa disso, deve entender que essa é a hora dela. E francamente Brait é superior tecnicamente à grande Fabi.

-Dani Lins continua em grande forma e não vejo que ela esteja sobrecarregando Garay, se ela é a única que está virando, então bola pra Garay.

-O que faz Sullen na seleção? Se é pra sacar então que treine saque, ela saca igual ou pior que Adenízia. Ajuda no fundo de quadra? Sim, só que Michele também e saca muito melhor que a atual líbero do SESI/SP.

-Fabíola é a cara dessa seleção e ama vestir a camisa amarela. Sempre que entra vai com garra e preocupa em fazer o melhor. A humildade deste jogadora é uma coisa que impressiona. Fernandinha foi um surto da comissão técnica.

-Claudinha, Letícia Hage e Ellen devem estar amando as férias. Zé Roberto bem que poderia dar a elas uma chance de entrar em quadra e mostrar o porque de serem convocadas, pois, são jovens e talentosas e é bom ganhar rodagem.


Camila Santana disse…
Estes jogo mostraram algumas coisas.

-Fernanda Garay joga muito (novidade!). As bolas de meio fundo de Fernanda são incríveis. Ao lado de Jaqueline é a mais completa jogadora do voleibol brasileiro. Garay ataca e bloqueia melhor e Jaque comanda melhor o fundo de quadra, ou seja, se completam e hoje são indiscutivelmente titulares da seleção principal.

-Adenízia e Juciely estão em ótima forma, entretanto, em nenhum momento a performance das duas tem ameaçado a dupla bicampeã olímpica: Thaísa e Fabiana. Tanto Jucy quanto Adê apesar de boas bloqueadoras, tem dificuldades em enfrentar bloqueios bem estruturados, Jucy inclusive foi bloqueada em todas as chinas (seu único golpe, admiro a jogadora mas sejamos sinceros) possíveis e imagináveis e no bloqueio simples em excelentes bolas de Lins. No Brasil possui centrais jovens e tão boas quanto Jucy. Imaginam vocês Juciely recebendo as bolas importantes que Thaísa recebeu no jogo das quartas de final olímpica contra a Rússia. Certamente seria toco átras de toco.

-Priscila Daroit continua inconstante, mas, gosto dela e continuaria apostando na jogadora.

-Michele e Monique jogam bem e tem dado conta do recado, é bom elas aproveitarem a oportunidade. Monique é titular até Tandara (que volte logo) melhorar da contusão e Michele quando entra tem ajudado bastante. Só que continuo acreditando que as duas não são jogadoras de seleção. Posso estar errada? Claro que sim, mas, isso só o tempo dirá.

-As atuações da líbero Camila Brait continuam me incomodando. Como li no excelente blog Falando de Vôlei, a minha xará atua como se Fabi fosse voltar. Tenho sentido falta daquela líbero do Sollys. Camila definitivamente não precisa disso, deve entender que essa é a hora dela. E francamente Brait é superior tecnicamente à grande Fabi.

-Dani Lins continua em grande forma e não vejo que ela esteja sobrecarregando Garay, se ela é a única que está virando, então bola pra Garay.

-O que faz Sullen na seleção? Se é pra sacar então que treine saque, ela saca igual ou pior que Adenízia. Ajuda no fundo de quadra? Sim, só que Michele também e saca muito melhor que a atual líbero do SESI/SP. Apesar que nem Michele, nem Suelen deveriam estar lá. Como dizia Renato Russo "festa estranha com gente esquisita".

-Fabíola é a cara dessa seleção e ama vestir a camisa amarela. Sempre que entra vai com garra e preocupa em fazer o melhor, e o engraçado é que Josefa é tão humilde que sabe que parece saber que não tem "mão" quanto Dani Lins. A humildade deste jogadora é uma coisa que impressiona.Só que hoje Fabíola ou qualquer outra levantadora brigaria por no máximo apela inversão 5X1. Fernandinha foi um surto da comissão técnica.

-Claudinha, Letícia Hage e Ellen devem estar amando as férias. Zé Roberto bem que poderia dar a elas uma chance de entrar em quadra e mostrar o porque de serem convocadas, pois, são jovens e talentosas e é bom ganhar rodagem.

-Ansiosa pela volta de Tandara e Natália. As duas ao lado de Garay seria o trio pancadaria.