segunda-feira, 6 de maio de 2013

Um Sul-Americano na saideira


O Unilever fechou a temporada com o título Sul-Americano e a consequente vaga no Mundial de Clubes.

O time está de parabéns pela conquista e seriedade ao enfrentar um torneio tão pouco desafiador - ainda mais vindo de uma temporada desgastante e vitoriosa na Superliga. Difícil se motivar para enfrentar um campeonato de baixa qualidade.

Surpreendeu-me o fato do Sportv ter transmitido todos os jogos, pois, não há como negar, é uma roubada para o canal. São jogos tão desinteressantes... Com exceção do time argentino, as equipes são tão amadoras que fica difícil até avaliar a qualidade de jogadoras como Bruna e Mara, reservas que assumiram a titularidade no campeonato. 

*************************

Ao mesmo tempo que é importante para o voleibol sul-americano ter esta troca entre os países, com o intuito de fortalecer o esporte, comercialmente e tecnicamente o campeonato é muito pouco atrativo.

Na proposta de calendário feita pelo Bernardinho & Cia e apresentada à CBV semana passada, há a ideia de uma nova fórmula, mais interessante, para o campeonato, que se transformaria na Copa Sul-Americana:
 
“Dois torneios pré-classificatórios: um para países do Norte do continente – Colômbia, Venezuela e Equador – e outro para os do Sul – Chile, Uruguai e Paraguai -, com três ou quatro times em cada, garantindo um ou dois classificados. Início previsto para novembro de 2013. Brasil e Argentina, forças da região, teriam vaga automática, entrando na disputa em dezembro. A decisão, em jogo único, teve 19 de fevereiro de 2014 como data sugerida. O campeão garantiria vaga no Mundial.” (Lance!, 27/04/2013)

*************************

 Uma Superliga cada vez mais internacional

O Banana Boat/Praia Clube prometeu e cumpriu. Investiu e trouxe mais um reforço para o time, a norte-americana Kimberly Glass, titular dos EUA na Olimpíada de Pequim.

Apesar de os EUA terem nomes mais interessantes de ponteiras no momento, Kim Glass vai dar um “up” na altura e na força de ataque do Praia. A jogadora traz também experiência, de seleção e clube.

A preocupação fica com a linha de passe, a recepção não é o forte da jogadora. A Michelle pode ficar sobrecarregada. 


*************************



Muito boa contratação. Caterina Bossetti é jovem, mas tem condições de segurar a responsabilidade do ataque do Osasco. Ainda mais com o Luizomar no comando, especialista em trabalhar com as mais novas.

14 comentários:

Welmer disse...

Laura, realmente o campeonato sul-americano é muito fraco, mas, pra mim, deu para avaliar o desempenho de Bruna e de Mara. Acho que a Bruna tem um potencial para crescer, mas a Mara é muito fraca, ela não tem explosão muscular e quase sempre perde o tempo da jogada e não consegue atacar a bola em cheio, muito dificilmente jogará como titular em um time grande.

Com relação ao formato do sul-americano, acho que seria interessante fazer uma parceria com a Norceca, os times de lá são mais fortes e aumentaria, ainda que minimamente, o nível do torneio.

Gostei muito dessas contratações, fico preocupado com relação ao passe do time do Praia, torço muito para que a Kimberly ajude o Praia a fazer uma grande campanha. Pelo lado do Sollys, gostei muito da contratação, mas fiquei um pouco decepcionado, pois ainda sonhava em ver a Mari jogando de novo em Osasco. Sei que a Mari seria uma aposta, mas, pra mim, jogando num time como o do Sollys (equilibrado em todos os fundamentos) ela teria maiores chances de jogar em alto nível.

Renato disse...

Pessoal, boa noite !!
Falando da linha de passa do Praia, alguem sabe dizer se a Arlene vai continuar por lá ou vai se aposentar?

Renato disse...

Welmer, eu também estava querendo muito que a Mari voltasse para Osasco, mas fiquei um pouco frustado com esta bela contratação que acabou de vez com a chance de retorno. Acredito que ela ainda tem muito a dar para o voleibol brasileiro e espero que ela feche com algum time por aqui, para podermos acompanhar seus jogos de mais perto.

Edson Pelegrino disse...

Sheilla barrou a Mari no Sollys huahuahuahuahuha!!
Brincadeiras a parte acho a Bosetti parecida com a Jaque e não vejo as duas no mesmo time.
Glass é ótima e ataca bolas altas,o Praia vem mais forte.

Laura disse...

Renato, tb gostaria de saber. Acho q ela deve ter se aposentado, pois imagino que o Praia tenha tido interesse em renovar com ela.

Edson, inicialmente tb pensei nisso. Até me perguntei se a vinda da Caterina não significaria, na verdade, a saída da Jaque. Ainda assim acho q as duas podem jogar juntas e se complementarem. Acho que a irmã dela, a Lucia, se assemelha mais ao papel que a Jaque faz.

Paulinho Adorador disse...

Não conheço essa italiana que vio pro Sollys, mas penso como o Welmer. Não sei se ela é uma ponteira mais de força, como Garay, ou de composição, como a Jaque. Mas até agora, nada da Jaque se definir né? Acho que já tá na hora dela dizer se fica ou se sai.

Edson Pelegrino disse...

Pra quem sonhou com Calderon,Carcaces e Goncharova...

CATERINA CHIARA BOSSETI disse...

Para os que não me conhecem, vou me apresentar: sou "CATERINA CHIARA BOSSETI" irmã mais nova de LUCIA BOSSETI.
Aos desavisados, não vim ao mundo para fazer figuração, vim para brilhar.
Alguém ousou cogitar que eu fosse jogadora de composição... Ridículo!
Sou jogadora de "DECISÃO", basta assistir aos videos dos meus jogos no VILLA CORTESE, que verão que eu sou a bola de segurança.
Pode ser final de set, tie-break ou o que for, levanta a bola pra mim que eu resolvo!
Não nasci p/ser amarelona, adoro jogar sob pressão, é aí que meu jogo cresce ainda mais...
Sou muito técnica e tenho muita visão de jogo, quando é pra dar porrada eu sento a marreta, qdo é pra largar eu sei onde está o buraco do lado adversário, portanto não importa a JACA que levantarem pra mim, eu dou meu jeito de virar a bola.
Bloqueios? Ah os bloqueios... Como adoro explorá-los, põe a mãozinha na minha frente pra ver o que eu faço.
Meu recente currículo:
1. CAMPEÃ DA COPA DA ITALIA-2010 pelo VILLA CORTESE;
2. MVP e CAMPEÃ EUROPEIA JUNIOR-2010;
3. BICAMPEÃ DA COPA DA ITALIA-2011 pelo VILLA CORTESE;
4. MVP, MELHOR ATACANTE e CAMPEÃ MUNDIAL JUNIOR-2011;
5. CAMPEÃ DA COPA DO MUNDO-2011,com apenas 17 aninhos, classificando a ITALIA para as OLIMPÍADAS DE LONDRES-2012;
5. MVP DA SUPERCOPA ITALIANA com apenas 18 aninhos, é mole queridos???

Enfim essa sou eu, CATERINA BOSSETI, a maior revelação dos últimos tempos do voleibol italiano.

Venho para o SOLLYS para somar, ser decisiva e com muita vontade de ser CAMPEÃ MUNDIAL, de preferência enfrentando a UNILEVER na FINAL!!!

Julia Wess disse...

ÔÔ Fake de Caterina Bosseti!? Parece que vc brilhou só até 2011 né fofa?? Na olimpíada tomou muitos tocos e nem com sua brilhante presença o Vila Cortese conseguiu chegar à semifinal do campeonato italiano de 2013.
Péssima contratação. Temos jogadoras igual à Bosseti aqui no Brasil, teria ficado mais barato para o clube.




Thiago V. S. Sena disse...

Laura, o que você acha do fato do Sollys, atual campeão mundial de clubes, não ter sido convidado pra participar da edição de 2013?
- Bairrismo (o presidente da FIVB é do RJ...)?
- Negligência (das grossas!)?

Eu aposto na primeira opção...

Welmer disse...

Eu, particularmente, não acho nem que foi negligência nem que foi bairrismo. Tudo bem que o Ary poderia ter feito um esforço maior para colocar dois times brasileiros no mundial, mas não acho que seja bairrismo.

Fato é que o vôlei feminino é desvalorizado em relação ao masculino. Eu, sinceramente, não entendo porque o mundial masculino tem 8 oito times e o feminino apenas 6. Eu não sei como é no resto do mundo onde se joga vôlei em alto nível, mas uma coisa que eu observo é que o vôlei feminino aqui no Brasil parece ter mais fãs, mas o vôlei masculino chama mais a atenção do público que não acompanha o vôlei de perto, e acho que isso é que proporciona disparidade entre as modalidades.

Eduardo Araujo disse...

Oi gente, então em relação ao Sollys não participar do mundial, é estranho a noticia e mais estranho ainda somente o melhor do vôlei divulgar a noticia.

Tinha lido uma entrevista da Sheilla e a mesma tinha falado que o Sollys participaria do torneiro e no Sul-Americano o Sportv não parou de falar que o Sollys estava garantido.

Pessoalmente eu acho que deveria ser assim somente o campeão do Sul-Americano deveria ir, afinal o torneio é feito para isso, mas se nos mundiais anteriores o campeão teve a oportunidade de defender o seu titulo, então o Sollys também deveria ter a mesma oportunidade, para ser justo.

Mas o vôlei também esta começando a ter politica e sempre isso atrapalha, ate agora eu não entendi pq o minas esta jogando o Sul-Americano, legal 2 times brasileiros jogarem, mas então por mérito teria que ser o cruzeiro que ficou com o vice na superliga.

Laura disse...

Thiago, não sei pq... Prefiro acreditar q não seja nenhuma dessas opções. Talvez esta mudança de 6 para 8 times tivesse q ter sido formulada com mais tempo de antecedência. (é uma justificativa mais ingênua, eu sei)

A fórmula de ter os representantes dos continentes e o anfitrião me parece justa, mas é pouco atrativa. É uma pena, pq a participação do Sollys e de um outro europeu, tornaria mais interessante o Mundial.

Acho q o Welmer tem razão sobre as diferenças entre o feminino e o masculino.

Anônimo disse...

Laura, uma coisa que ninguém esta vendo, ou quem está fica calado, são os investimentos do Sesi.
Este dinheiro é publico, retirado das empresas e trabalhadores, não por opção.
Sera justo tirar jogadores de clubes empresas para levar para um clube que não presta contas e precisa dar lucro.