quarta-feira, 1 de maio de 2013

O Sesi e a Itália



Semana sem novidades no mercado, a não ser a contratação da Neneca pelo Sesi-SP.

Como bem lembrou o participante do Papo, Welmer, o Sesi está lotado de ponteiras e opostos: Suelle, Ju Costa, Priscila Daroit, Ivna, Mariana Cassemiro, Dayse e Neneca.

A pergunta que ele faz, eu também faço: quais são as intenções do Sesi? E respondo: ter um elenco completo e variado, que dê conta das competições da temporada sem sofrer com as lesões. Agora, qual a pretensão do Sesi? Nenhuma.

Sem dúvida o elenco fica completo, mas não necessariamente forte. São todas jogadoras medianas, que completam um grupo, mas não que o comandam. Não consigo vislumbrar qualquer grande conquista para este time.

E não sei se tantas opções serão positivas para o Talmo. Já vimos que as indefinições na escalação na última temporada impediram que o time engrenasse. O treinador ficou perdido com a possibilidade de variações que tinha em mãos que, no fim, nem valeu a pena ter um elenco forte. 


***************************

Bota virada do avesso

Esta temporada não foi das melhores para a Liga feminina do vôlei italiano. Times saíram no meio do campeonato sem condições de se manter financeiramente, jogadoras foram alocadas em outras equipes e muitas sofreram com atrasos de salário.

Crise e preocupação no país que tinha, até poucos anos, o melhor campeonato nacional.

Porém, a fase final guardou cenas interessantes e que, de certa forma, reafirmam o equilíbrio que a disputa na Itália sempre foi caracterizada.

O último campeão Busto Arsizio – das jogadoras Arrighetti e Kozuch - foi eliminado pela surpresa da competição, o Conegliano. Com elenco praticamente 100% caseiro, o Conegliano já tinha eliminado nas quartas o Villa Cortese, outra equipe de alto investimento – e que, aliás, deve fechar as portas.

Do outro lado, o Piacenza conquistou a vaga na final vencendo o tradicional Bergamo.

Portanto, final inédita na Itália. Se o campeonato foi de qualidade, não sei. Mas não faltou drama e surpresas. Os italianos não podem reclamar de monotomia.

10 comentários:

Welmer disse...

Realmente, o pessoal da Itália não tem do que reclamar. Eu não acompanhei o campeonato porque os jogos que eu vi achei fracos, mas eu contava com uma final entre Busto e mais um, mas o Conegliano surpreendeu e vai fazer uma final inédita contra o Piacenza.

João Lucas disse...

Ainda tem a ponteira/oposta Ingrid Felix que acertou a sua renovação. O Sesi é um amontoado de boas jogadoras, ficou claro que Talmo quer fortalecer sua linha de passe que na temporada passad as foi uma verdadeira lástima. Com a recepção melhor Talmo vai se valer do entrosamento de Dani Lins e Fabiana. É um time de operárias onde é possível várias combinações, entretanto, sem uma definidora. Acredito que a formação inicial deve ser: Dani Lins/Neneca ou Ingrid (tanto uma quanto outra devem atacar na posição 2 e ajudar na recepção, fazendo com que o time passe com quatro jogadoras), Fabiana/Ana Beatriz, Ju Costa/Priscila Daroit e Suellen de líbero.

João Lucas disse...

Formação 13/14: Onde se lê Neneca ou Ingrid, leia-se Neneca ou Ivna.

Edson Pelegrino disse...

O Busto Arsizio me surpreendeu negativamente.O time teve a melhor campanha na fase de classificação,ficou em 3º lugar na Champions League e ainda deu trabalho pro Rabita Baku lutando muito pela vaga na final da Champions.
Quanto ao Sesi a única ponteira acima da média é a Ju Costa que eu vi jogando na CHampions,as outras eu concordo que são medianas.Inclusive a Ivna e a Neneca que jogarão na saída da rede.
O que esse time pretende eu não sei,mas pelo andar da carruagem Amil,Sollys,Praia e Unilever contarão com um elenco bem mais forte e com jogadoras de decisão.

Edson Pelegrino disse...

Ah,o nível do campeonato italiano caiu assustadoramente.Fico pensando no novo elenco da seleção italiana,tenho minhas dúvidas se ira vingar.

Anônimo disse...

Tabela do GP 2013

http://www.fivb.org/EN/volleyball/competitions/WorldGrandPrix/2013/Pools.asp

tuliobr disse...

Querida Laura e caros amigos, vendo a Nikolova jogar pelo Conegliano veio-me o pensamento de que o JRG talvez tenha trazido a búlgara errada...

Anônimo disse...

o ataque da vassileva eh muito bom, velocidade de movimento de braço ótima, só precisa melhorar a mira e ter mais confiança, muito jovem Vassi.

Welmer disse...

Esse Campeonato Sul-americano é muito fraco, mas gostei muito de ver o time argentino jogando. Esperava um jogo mais fácil para a Unilever, mas as meninas do Velez conseguiram dar um pouco de trabalho para a equipe carioca. Achei a equipe argentina com um bom fundo de quadra, puseram muitas bolas para o alto, só pecaram da definição dos pontos, se tivessem uma jogadora com maior poder de definição acho que poderiam ter dado mais trabalho ainda. Vendo o Velez jogar, tive a impressão que daqui mais alguns anos teremos um adversário sul-americano que dará mais trabalho para a Seleção feminina.

Laura disse...

Edson, sem dúvida a Itália vai ter trabalho neste início de ciclo. É muita renovação, muitas posições para serem repensadas. Mas também acho que existem boas jovens jogadoras que estão tendo chances na Lega e, agora, na seleção principal. Vamos ver no que vai dar.

tuliobr, rsrs. Em defesa do Zé, a Vasileva tb tinha se destacado no italiano. Gostei da Nikolova, me parece mais completa q a Vasileva. Mas ela tem ao seu redor um time bem ajeitadinho.