Brasil 3x0 Suíça - Montreux


A Suíça deu mais trabalho do que a autora aqui do blog imaginava na estreia brasileira no Montreux Volley Masters .

A seleção da casa se valeu do desentrosamento e da ansiedade do Brasil no seu primeiro jogo do ano. Mas também mostrou qualidades, como o bom saque e o volume de jogo, que dificultou a virada de bola brasileira no início da partida.

Porém, mesmo com as dificuldades em botar a bola no chão, Pri Daroit e Monique se mostraram, logo de cara, à vontade na seleção. Depois que pegaram o ritmo, foram as melhores atacantes do Brasil.

O mesmo não se pode dizer da Ellen. Não foi uma boa estreia para a jogadora, que esteve travada no ataque e insegura na recepção. As bolas não foram as ideiais para sua característica de velocidade, o que a deixou perdida durante toda a partida. 

Mesmo assim, gostei que o Zé Roberto tenha optado por essa escalação, deixando a Fê Garay e a Tandara no banco (no caso da Tandara, ela seque foi relacionada para o jogo). A hora para as novatas jogarem é agora, ainda mais contra um adversário de nível inferior.

Por isso, acho que a Ellen perdeu uma boa oportunidade. O torneio em si não tem grande importância, o jogo contra a Suiça não tem o peso dos demais que o Brasil vai fazer... A situação estava ideal para uma estreia na seleção. Fico na torcida que ela se solte e aproveite melhor as novas chances que receber. 

***********************

Pê ésse

- Com o passe brasileiro ruim, não foi um jogo para as centrais. Ainda assim, gostei da atuação da Jucy. A Dani Lins forçou algumas jogadas e ela deu conta do recado. Mostrou mais atitude e foi mais participativa do que a Adenízia. 

- Falando em centrais, o azar de uns é a sorte de outros. A Letícia Hage não tinha sido convocada para as primeiras competições. Angélica se machucou, ela foi chamada para treinar. Bia também se contundiu, não viajou pra Suíça e a Letícia virou a terceira central, única reserva da posição no Montreux.

- RIP Ingrid Visser.  

Comentários

Eduardo araujo disse…
Olá eu a achei o jogo uma droga, a recepção do Brasil estava horrível não adianta colocar a Brait e junto dela 2 ponteiras que tem dificuldade em passar, outra coisa as bolas altas da Lins voltaram, mesmo quando o passe era certo oq me preocupa, mas é começo de trabalho, vamos torcer para melhorar esses 2 jogos vão testar mais a seleção, mesmo com os times incompletos.

juiz também era sofrivel
Camila Santana disse…
Concordo com Eduardo Araújo o jogo estava horrível de assistir. A recepção com Priscila Daroit e Ellen simplesmente não funcionou nem tendo a espetacular Brait que é líbero passadora.

Também achei que Juciely teve um bom desempenho e que Ellen ficou devendo no ataque. O que é de saltar os olhos é a já comentada evolução da ponteira Fernanda Garay, de simples tapa-buracos no Mundial de 2010 a jogadora importante nas Olímpiadas de Londres em 2012. Quem em 2010 em sã consciência apostaria em Fernanda Garay em Londres e sendo decisiva com Mari cortada e fora dos jogos? Ninguém.

Laura, o torneio é para mesclar jogadoras campeãs olímpicas (Dani Lins, Fernanda Garay, Adenízia, Tandara e Natália que infelizmente se lesionou) com jovens promessas, levando isso em consideração não entendo o que fazem Juciely, Fabíola e irmãs Pavão (sendo testadas aos 26 anos) nessa seleção.

Sinceramente não consigo imaginar Jucy, Monique e Michelle Pavão jogando o Mundial e muito menos as Olímpiadas. Jucy não é por causa de bola, mesmo tendo as espetaculares Thaísa e Fabiana como titulares e sim pela avançada idade. As irmãs Pavão logo logo darão lugar para Gabi e Rosamaria. Já Fabíola pode até disputar o Mundial, mas, será novamente cortada aa vésperas das Olímpiadas por qualquer outra jogadora da posição. José Roberto e Paulo.Coco infelizmente não gostam dela.

Os próximos jogos a Seleção terá que jogar melhor, estou ansiosa para ver como se comportará Tandara depois da grande temporada que fez. Eu aposto muito nela e afirmo que o futuro da nossa seleção passa pelas pancadas de Tandara e Natália.

Welmer disse…
O jogo foi deprimente e a seleção não fez mais que a obrigação de vencer a Suíca. Espero que o nível dos próximos jogos melhore.
Laura disse…
Camila, concordo com vc sobre as irmãs Pavão. Não as vejo como opções para o time principal. Mas as demais, Jucy e Fabíola, estão na briga. Pelo menos, quero acreditar q o Zé não vai repetir a canalhice do ano passado com a Fabíola. Vamos ver. E não vejo problema de idade no caso da Jucy. Dani Scott tá até hj nas convocações dos EUA. E gosto q ela esteja no grupo pq tem características diferentes das outras centrais, inclusive da nova geração.
Vivian disse…
MONIQUE foi a MVP da partida, a melhor em quadra esteve ligadissima do inicio ao fim da partida, ao contrario de outras jogadoras que tiveram altos e baixos, virou bolas dificeis e importantes, defendeu tudo e sacou muito bem. MONIQUE e uma oposta muito interessante pois ajuda muito tambem na parte defensiva, ela e CAMILA BRAIT nao deixavam cair nada que passasse por elas.
ELLEN, PRI DAROIT e GARAY deixaram muito a desejar no passe,SOBRECARREGANDO CAMILA BRAIT, mas pelo menos GARAY e DAROIT se viraram bem no ataque, ao passo que ELLEN nao se acertou com DANI LINS.
Pelo meio somente JUCIELY teve uma atuacao de destaque, ADENIZIA nao apareceu muito no jogo.
A melhor formacao do Brasil foi no terceiro set quando MICHELLE e GARAY estavam de ponteiras e MONIQUE de oposta, pois MICHELLE dividiu com BRAIT a responsabilidade do passe, que com isso melhorou muito e o Brasil acabou vencendo fácil por 25x10.
A REPUBLICA DOMINICANA parece ser o adversario mais forte desse torneio, ja ganhou do JAPAO e da ALEMANHA e esta na lideranca da outra chave.
Vivian disse…
Laura, infelizmente o Ze nao gosta mesmo da Fabiola, assim como ele achou a Fernandinha para nao levar Fabiola a Londres, ele vai achar uma outra levantadora para nao levar Fabiola para as olimpiadas 2016...