segunda-feira, 8 de abril de 2013

Mais papo pós-final


As melhores da competição:

Melhor sacadora: Neneca (Rio do Sul)

Melhor passadora: Jaqueline (Sollys/Nestlé)

Melhor defensora: Camila Brait (Sollys/Nestlé)

Melhor bloqueadora: Jucy (Unilever)

Melhor levantadora: Fabíola (Sollys/Nestlé)

Melhor atacante: Fernanda Garay (Sollys/Nestlé)

 

Não deixa de ter certa ironia a premiação das melhores da SL. Justamente na final, a maioria das jogadoras do Sollys eleitas foi superada pelas colegas de posição do adversário.

 

Garay x Natália

Houve durante toda SL muitas dúvidas em relação à Natália enquanto a Garay foi sempre uma certeza para o Sollys na competição.

Como bem lembraram os participantes do Papo, o Unilever acertou a marcação sobre a Garay e a pressionou no passe. A jogadora se desestruturou assim como sua equipe. Perdeu a clareza ao enxergar as possibilidades de ataque, perdeu o rumo.

Do outro lado, a Natália foi uma das responsáveis pelo ressurgimento do Unilever na partida. E depois de tanto tempo, mostrou novamente suas qualidades de atacante e de poder de decisão.

 
Brait x Fabi

Não acho que a Brait fez um SL tão boa quanto as anteriores, mas não desmereço o prêmio que ela recebeu. Tampouco na final chegou a ser um problema para o Sollys. A questão aqui é que a Fabi, sua adversária, comeu a bola.

Foi também uma das responsáveis pela recuperação do Unilever na partida. A líbero puxou todo o sistema defensivo para entrar no jogo e minou a confiança das atacantes do Osasco.

 
Fabíola x Fofão

Da mesma forma que a Camila Brait, a Fabíola fez uma SL boa, mas não se destacou como nas temporadas passadas. Ainda assim recebeu o prêmio merecidamente e todos os aplausos e gritos de “Fabíola é seleção” foram justos.

Na final, a levantadora do Osasco fez o que pôde, só não teve como superar a adversária.

Fofão fez na decisão, assim como a Natália, a sua melhor partida na SL. O que a levantadora sofreu no campeonato com passe do Unilever não foi brincadeira. Durante o campeonato, não foi a Fofão brilhante a qual estávamos acostumados, mas deixou o brilho para o final.

Foram sensacionais as jogadas com as centrais, numa velocidade que só ela e Venturini são capazes de fazer no vôlei brasileiro. Mais uma jogadora responsável em colocar o time nos eixos. Fofão é motivo de admiração sempre. 
************************

Aqui no blog nós comentamos que o resultado da Superliga 12/13 era difícil de prever. Quem acompanhou o campeonato viu uma maior qualidade do Sollys, mas também viu que, no confronto com o Unilever, a disputa sempre esteve em aberto.

Mas talvez o resultado não fosse tão imprevisível assim. Vejamos:

A final repetiu as histórias dos clássicos na fase de classificação. Não só pelo placar (3x2), mas pela instabilidade do Sollys e a possibilidade que o time deu ao Unilever para crescer nas duas partidas. E também pelo resultado final: mesmo o Sollys conquistando a vitória no jogo do segundo turno, quem saiu “vencedor” foi o Unilever, que conseguiu o resultado que precisava para se manter na liderança.

Os sinais estavam lá.

12 comentários:

Welmer disse...

Acho que todos os prêmios individuais foram bem coerentes. Os únicos que podem se questionados são os de líbero e de levantadora, mas acho que não houve nenhum grande destaque nessas posições, então o fato da Camila e da Fabiola terem ganhado os prêmios, pra mim, ficou de bom tamanho.

Por falar na Fabiola, pra mim foi muito sofrido ver a jogadora, chorando, receber o prêmio de melhor levantadora, ela parece ter sido a jogadora que mais sentiu a derrota, acho que pra ela essa final valia muito mais que o título, seria a volta por cima depois de tudo o que ela passou e foi muito legal ver como as suas companheiras tentaram acalmar a jogadora ao final da partida.

San de disse...

Amo a FOFIS. Ela merece muito ser CAMPEA MUNDIAL com a UNILEVER, vou torcer muito p/isso! Ela e fantastica, um fenomeno, MVP da Superliga 2013!!!
O time CAMPEAO MUNDIAL sempre vai defender seu titulo, logo o SOLLYSNESTLE esta garantido no CAMPEONATO MUNDIAL!!! E

Eduardo Araujo disse...

A Brait também estava inconsolável, ficava repetindo oq aconteceu? o titulo estava na mão e agente perdeu!!!

Agora pelo visto esse grupo se gostava muito vcs viram oq a Ade colocou no Twitter dele, vou colocar 2 links aqui.

http://instagram.com/p/X3TE_wO-i4/

http://instagram.com/p/X16Wixu-gI/

Em relação ao campeonato mundial, pelo que estão falando sempre o campeão ganha o direito de defender o titulo, se for assim teremos 2 clubes brasileiros lá, boa propaganda para o brasil, em relação a formação dos times tem que ver se o contrato das jogadoras se o campeonato começa antes do final do contrato delas.

E o blogueiro do uol, já começou a dar os seus tiros no escuro, faz 2 anos que da 100 tiros e acerta 2 no máximo.

Eduardo Araujo disse...

seguem os números oficiais da partida.

Público: 9.397

Duração da final: 2h11

Maiores pontuadoras: Sarah Pavan e Natália – 22 pontos

Unilever: Fofão (1 ponto), Sarah (22), Natália (22), Gabi (7), Valeskinha (9) e Juciely (16).

Sollys/Nestlé: Fabíola (5), Sheilla (17), Fernanda Garay (15), Jaqueline (13), Adenízia (12), Thaisa (14), Gabi (1), Ivna (1)

Pontos de ataque: Unilever (60) / Sollys (57)

Pontos de saque: Unilever (3) / Sollys (6)

Pontos de bloqueio: Unilever (14) / Sollys (15)

Pontos em erros do adversário: Unilever (29) / Sollys (16)

Defesas perfeitas: Fabi (25) / Fofão (19) / Camila Brait (16) / Fabíola (15)

Vivian disse...

Clarisse Peixoto, jogadora de apenas 25 anos, que foi obrigada a ir para a EUROPA por falta de espaço no vôlei brasileiro, falou tudo!
Isso me faz lembrar do “DESABAFO DE UMA JOGADORA DO SOLLYS”, que foi publicado há uns tempos atrás qdo o Sollys eliminou o AMIL dentro de CAMPINAS como um sonoro 3X0!
O vôlei brasileiro vive uma DITADURA ferrenha, os atletas que se expressam são boicatods, rechaçados e rotulados, enfim perdem espaço e oportunidades… Somente as ovelhinhas tem vez… Atletas que tem mais personalidade são cortadas no saguão do aeoroporto como foi o caso de Fabíola e Juciely…
O Brasil não é um país para todos, é um país para POUCOS, é um país da panelinha, das vaquinhas de presépio.
Não há espaço para os jogadores mostrarem seu descontentamento e tentar protestar, nem faixas no ginásio são permitidas, qto mais uma manifestação mais direta.
Os inconformados tem que se manter no anonimato, caso contrário são vítimas de perseguição.
Quem vai para o exterior e se dá bem deve ficar por lá mesmo, pq o vôlei brasileiro, mesmo sendo campeão olímpico, sempre é uma incógnita, uma caixinha de surpresas.
As equipes são efêmeras, do mesmo jeito que surgem, somem do mapa e muitas vezes deixam dívidas trabalhistas com os atletas pois não cumprem os seus contratos.
Quem consegue fazer seu pé-de-meia no exterior, dê graças a Deus e fique por aí mesmo, pq por aqui e perspectiva de mudança é quase nula!

Eduardo Araujo disse...

Oi gente a CBV divulgou o novo rank das jogadoras, como sempre o bloqueiro do UOL errou tudo é impressionante como ele inventa noticias, segue o link:

http://www.cbv.com.br/v1/superliga/arquivos/RANKING_OFICIAL_FEM_2013-2014.pdf

São poucas mudanças realmente, qual é o critério?

Eu achava que as titulares nas olimpíadas deveriam ter suas pontuações aumentadas, já que o resto nem jogou direito, do time titular as únicas que não tinham pontuação máxima eram a Garay e a Dani Lins, agora pq somente a Garay teve a pontuação alterada?

Será que a CBV e a junta que fez as mudanças não acham ela merecedora de ter 7 pontos? se bem que esse negocio de 7 pontos na superliga é mais punição do que elogios!!!

Ou seja que a ideia era acabar com o time do Sollys? pq realmente não entendi a logica.

Pelas minhas contas por exemplo o Sollys teria que se desfazer de uma jogadora de 7 pontos, mas o resto do elenco não seria necessário.

O Unilever esta com a pontuação sobrando nesse caso.

Paulinho Adorador disse...

Também não entendi esse ranking. Foi feito com qual objetivo? Fofão vale apenas 1 ponto, Valesquinha caiu pra 3. Entendo a bonificação pela idade das jogadoras, mas alguém explica Fofão contar apenas 1 ponto pra sua equipe, enquanto Dani Lins e Fabíola valem 6 e Fernandinha 5. Não era pras olímpicas valerem 7? Fabizinha está com 5. Alguém poderia explicar?

Paulinho Adorador disse...

Li o texto da justificativa do ranking. Fofão, Valeskinha e outras tiveram a pontuação reduzida por causa da idade. Entendi, mas não compreendi.

Eduardo Araujo disse...

Oi Paulo eu li isso no site da globo, todas as atletas com mais de 36 anos tem bônus de pontuação, tudo bem não vou discordar, mas quero entender alguns pontos que pra mim deixa esse rank obscuro,já falei que acho que todas as titulares na olimpíada deveriam ganhar pontuação 7, nesse caso concordo com a pontuação da garay.

Mas a Dani Lins ela esta com a pontuação 6 a 4 temporadas e ela já ganhou algumas vezes a superliga, foi vice no mundial e campeã olímpica e vai ficar com 6 pontos, não tem sentido.

Ai você pega uma Tandara que tinha pontuação 5 e que foi dispensada do VF e contratada pelo Sollys sendo campeã com o mesmo time, reserva nas Olimpíadas, como ela passa a ter 7 pontos? no minimo o correto era ter 6 pontos, afinal se vc colocar na ponta do lápis somente essa temporada ela se destacou!! e como ela fica com 7 pontos e a Dani continua com 6?

Se vc for pegar a pontuação a Fabíola evoluiu muito mais que a Dani nos números, a 3 anos atrás ela tinha 5 e faz 2 temporadas que tem 6 pontos.

Mas agora o caso mais bizarro é o da Fabi, eu não sei quantos anos ela tem, mas acho que não é 36 anos, como pode uma jogadora bi-olímpica que cansou de ganhar títulos na superliga, 2 vezes vice-campeã mundial ter somente 5 pontos!!

A mesma pontuação da Brait, que ganhou 3 superligas e mais nada, nunca participou de olimpíada e nem mundial, não que ela seja pior que a Fabi, mas no CV ela é muito inferior, meu uma das 2 esta com a pontuação errada ou a Fabi que esta muito baixa ou a Brait muito alta..

Agora falam que os clubes aceitam essa pontuação, a minha pergunta é será que aceitam mesmo ou isso é imposto a eles?

Vivi disse...

Gente, se liga!
A logica eh essa:
Liberos: ganham no maximo 5 pontos;
Levantadoras: maximo 6 pontos;
Atacantes: maximo 7 pontos
Jogadoras com mais de 35 anos perdem ptos para nao serem obrigadas a irem p/ o exterior e ficar longe da familia a essa altura da carreira.

Eduardo Araujo disse...

Oi Vivi aonde vc viu isso? pode passar o link, pq no ano passado a Fernanda Venturine fechou o ano com 7 pontos.

segue o texto oficial com a regra do rank das atletas procurei e não fala nada de limite de pontuação de posição, ate pesquisei os rankings passados e a fernanda a mulher do Bernadinho se aposentou com pontuação 7.

http://www.cbv.com.br/v1/superliga/arquivos/TEXTO_OFICIAL_RANKING_FEM_2013-2014.pdf

Curiosidade se vcs puderem entrar no link de 2012

http://www.cbv.com.br/v1/superliga/arquivos/037%20RANKING%20OFICIAL%20SL%20%20FEM%202012-2013.pdf

A fabi esta com 6 pontos, para o ano de 2014 ela caiu no rank para 5 pontos... muito curioso.

http://www.cbv.com.br/v1/superliga/arquivos/RANKING_OFICIAL_FEM_2013-2014.pdf

Eduardo Araujo disse...

Uma matéria legal sobre o rank das atletas.

http://www.lancenet.com.br/mais-esportes/CBV-clubes-ranking-Superliga-Feminina_0_898110322.html