Além do que se vê


Dois textos para refletir e discutir:

Por fora bela viola, por dentro pão bolorento

E-mail bombástico de dirigente do Sada/Cruzeiro para a CBV


Os textos acima me fazem perguntar: até quando vai durar a máscara da Superliga (e CBV)?

Um pouco dela já tem sido retirada por aqueles que realmente devem fazer isso: atletas, treinadores e dirigentes.

As comissões de jogadores e treinadores que foram formadas nas últimas semanas para discutir os problemas do vôlei nacional me parecem um bom primeiro passo.

Claro que o pré-requisito para ser um dirigente de sucesso é ser um bom político. E o Ary Graça o é. Reunir-se com os reclamantes é a estratégia ideal para acalmar a “revolução” e passar a impressão de que a CBV está aberta ao diálogo. Difícil mesmo será ver qualquer ação que realmente interesse aos demais que não a entidade e que não seja apenas superficial.

Mas, ao menos, vemos um primeiro movimento de união, de coesão de forças e de cobrança. Falta agora a mesma ação entre os clubes. O e-mail do dirigente do Sada/Cruzeiro é uma voz única entre tantas que poderiam se juntar.

É um desperdício um país com tanto talento no vôlei ter um campeonato nacional desequilibrado e tão pouco atrativo para patrocinadores, clubes e torcedores.

Comentários

Welmer disse…
Laura, há muito tempo acho que já deveria ter ocorrido mudanças na Superliga se as coisas continuarem como estão nosso voleibol só tem a perder.

Pra mim, essas seriam as mudanças que deveriam ocorrer para que o nosso voleibol melhorasse:

Primeiramente, acho que deveria-se mudar a administração, tirar das mãos da CBV e passá-la para os clubes, algo que deveria ter acontecido não só com o basquete, mas também com o vôlei e com o futebol.

Sobre a fórmula de disputa da Superliga, acho que seria interessante se aumentasse o número de participantes de 12 para 14 ou 16. Aí, dividiria as equipes participantes em dois grupos, onde os times jogariam 2 vezes com times do mesmo grupo e uma vez com times do outro grupo, o que totalizaria em 19 jogos se disputado por 14 equipes ou em 22 jogos se disputado por 16. De cada grupo, classificariam-se as 4 melhores equipes e os playoffs seriam disputados em todas as fases (quartas de final, semifinal e final) em séries melhor de três.

Acho que há muito tempo já era pra ter sido criado uma Copa do Brasil. Esta poderia ser uma importante ferramenta para a popularização do esporte, por exemplo, cada estado que não tiver representante na Superliga teria um time na Copa e esses times se juntariam aos times que disputam a Superliga para completar o quadro de participantes. A fórmula disputa seria similar ao da Copa do Brasil de futebol com jogos de ida e volta e quando chegasse nas semifinais seria realizado um final four em uma cidade pré-estabelecida.

Criaria também o jogo das estrelas e uma Supercopa (jogo único em campo neutro disputado pelo campeão da Superliga e pelo campeão da Copa do Brasil) que também podem ser uma importante ferramenta de popularização do esporte.

Quanto ao calendário, distribuiria as competições da seguinte maneira:

Supercopa: fim de semana anterior ao de início da Superliga;
Superliga: outubro a abril (jogos disputados todo final de semana);
Copa do Brasil: de dezembro ou janeiro a abril (Jogos todo meio de semana);
Jogo das estrelas: primeiro final de semana de janeiro;

Acho que o calendário desta maneira não prejudicaria os times paulistas que também disputam um forte campeonato estadual.

Com relação a transmissão acho que deve-se cobrar um horário fixo na grade da Globo, acho que todo domingo no horário da temperatura máxima seria uma boa e traria um bom retorno não só aos clubes, mas também à própria Rede Globo, agora se a Globo não aceitasse procuraria outra emissora que aceitasse colocar a Superliga em sua grade em um bom horário.
Interessante essa sua fórmula Welmer. Teríamos vôlei o ano todo e os clubes teriam seus nomes divulgados durante todo o período.
Eduardo Araujo disse…
Olá a vdd é que a superliga tem muitas falhas e enquanto os times dependerem de empresas para ajudar na maior parte dos custos vai ter essa festa de time fechando ou times com duração determinada, como o Vôlei Amil no feminino e o RJX no masculino.

Como pode o time campeão masculino não saber se vai continuar era um projeto de 3 anos dos quais já foram, agora ninguém sabe mais, isso pra os jogadores é péssimo.

O vôlei no Brasil não da lucro até pq os times jogam somente 6 meses isso um time tipo o Sollys que tem um torneio regional forte, outras equipes se conseguirem jogar 5 meses tem que da graças a Deus.

O patrocinador paga pelo tempo que os jogadores não fazem nada, dai o grande prejuízo, é interessante se fizer vários torneios como o Welmer falou, mas existe um problema o grand prix no feminino e o mundial no masculino esses torneios tiram atletas de grandes times e deixam 6 meses na seleção, isso para o patrocinador é um prejuízo danado, ainda mais quando se fala de grand prix nos últimos 3 anos somente os EUA e o Brasil levaram seus times principais, esses tipos de torneio tem que ser feito em 1 mês ou no máximo 2.

Senão não tem como fazer vários campeonatos, o Sollys, Unilever, Amil e o SESI por exemplo teriam que ter duas equipes já que as principais jogadoras estariam nas seleções A e B disputando torneios fora do Brasil.

Um exemplo disso foi o Sollys no mundial passado, a Nestle investiu pesado e no mundial teve que levar as reservas e um grupo de jogadoras do Bradesco para montar uma equipe que patrocinador vai querer investir enquanto acontecer isso?

Agora tiro a razão do presidente do Cruzeiro quando ele fala do investimento do RJX, se eles tinham grana para investir é o capitalismo quem investi mais pode mais!!

Mas concordo quando ele fala do investimento do SESI, afinal uma empresa publica não pode usar o dinheiro do povo para montar um time de Vôlei sendo que tem um monte de coisa faltando para o trabalhador.

Também acho que parte do dinheiro da CBV e da tv teriam que ir para os clubes ai talvez, eles não ficassem tão dependente dos patrocinadoras.
vivi disse…
Laura, achei muito interessante a proposta do Welmer.
Porem achei nojento o texto do dirigente do Sada.
Um texto puramente politico-demagogico, evidenciado nas vezes em q ele disse ter chorado... A mim soou como lagrimas de um grande crocodilo!
Alias, crocodilagem nao faltou qdo ele disparou sua metralhadora de ofensas contra o RJX e o SESI.
Pareceu choro de perdedor, afinal de contas, ano passado qdo o Cruzeiro foi campeao, ele ficou caladinho, na dele.
Isso confirma q ele se aproveitou da situacao p/atacar injustamente Sesi e Rjx.
Um time investe de acordo com a verba q tem, e se o RJX tinha verba para contratar excelentes jogadores, o q ha de errado nisso?
Enfim achei um texto de candinha fofoqueira, que ficou guardando todo seu veneno para depois da final. Se ganhasse, ficaria caladinho, como no ano passado. Se perdesse sairia atirando p/ todos os lados e foi o que fez!!!
vivi disse…
Angelica Malinverno, Tandara Caixeta, Michelle Daldegan e Natalia Ziglio? Nossa! Q Super-Time o Amil!!
Do q adianta ranking??? Sempre fui contra ranking!!!
O Amil prova, mais uma vez q soh quem tem grana monta supertime!
Que hipocrita Sr. Ze Roberto, detonou tanto o Sollys apos levar uma surra de 3x0 e agoramonta esse Supertime!!! Santa Falsidade de chororo de perdedor!!!
vivi disse…
Quem diria Sr. Ze Roberto... Atirou tanto contra o Sollys e agora toma a Richards do Praia!
O q adianta ranking, se quem paga mai$$$ leva!!!
Ze Roberto, nunca imaginaria q Bernardinho pudesse vencer a Sele-Sollys.... Porem como seu rival venceu, tratou logo de enfraquece-lo tirando a Natalia do Unilever. Agora tira a Richards e Angelica do Praia e Michelle Daldegan e Tandara do Sesi.
Estrategicamente, Ze enfraqueceu seus rivais tirando suas melhores jogadoras...
O mininimo q se pode esperar dessa golpe do Ze,eh q seja campeao invicto da Superliga!
Com esse Supertime da Amil, qquer outro resultado seria fracasso!!!
Anônimo disse…
vivi seus comentários só mostram que vc é uma pessoa sem noção e cansativa,por favor quando tiver que fazer estes comentários descartáveis..faça apenas 1,assim evita poluição visual com tantas asneiras
Vivi disse…
Querida anonima, eh simples: basta nao ler meus comentarios, pq eu, ao contrario de vc, me identifico justamente p/ isso, p/quem nao gosta da Vivi nao perder seu precioso tempo lendo os meus comentarios. E outra, se esta achando cansativo, se aposenta,VELHA!!!
Mudando de assunto... Esse ranking se tornou uma ABERRACAO!!! As GRINGAS,como a Richards, sao priorizadas pq chegam c/ZERO ptos!!! Enquanto as brasiileiras como Clarisse, Erika, Fofinha, Garay e muitas outras sao obrigadas a se afastar de parentes e amigos p/continuar a carreira no exterior!!!
P/ q serve o ranking a nao ser para prejudicar as brasileiras e beneficiar as gringas???
Se o ranking servisse para alguma coisa nao teriamos ha praticamente uma DECADA a mesma final: Unilever x Sollys!!!
Ou seja, o ranking eh uma aberracao,sempre fui contra ele, pq soh serve para fazer os torcedores, clubes e jogadores passarem raiva!!!
Abaixo o ranking!!!

Torcida UNILEVER disse…
A torcida UNILEVER espera ansiosamente pela MVP olímpica Paula, nossa nova Diva!
Vem PP4, vem Divar na UNILEVER junto com as nossas Divas Régis, Amanda, Fabi, Fofão, Jucy ...