quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Saque nelas




Mais um insucesso para a conta do Sesi nos grandes confrontos da SL. Fora o segundo set, o time não foi ameaça ao Sollys, que, para alívio de todos, aprendeu com o susto e está recuperando o seu bom voleibol.


O Sollys precisou de uma única arma para vencer: o saque. Com ele, o Sesi foi anulado, ou pelos erros de recepção ou na marcação do bloqueio.


Por sua vez, o Sesi não teve estratégia alguma no saque. Sacou fácil na mão da Jaqueline. Difícil entender esta opção. Não conseguiu se defender das ofensivas do Osasco e tampouco soube agredir.

**************************


O Eduardo, participante do Papo, comentou como o passe tem influenciado os resultados dos jogos do vôlei feminino. Dias antes, escrevi aqui a mesma coisa sobre o saque. No fim, falávamos da mesma coisa, mas com dois pontos de vista.


Um bom saque e/ou o mau desempenho do passe. Independente, a consequência é a mesma: jogos pobres e de baixa qualidade, o que tem tirado um pouco do brilho desta SL.

************************** 






Belo trabalho do Pinheiros nesta partida, comprovando o seu bom momento e se aproveitando das falhas do inconstante e azarado (pelas lesões) Vôlei Amil. Não levou a vitória, mas deixou um quarto set humilhante de lembrança para o Campinas.

Mais um pouco de campeonato, era capaz do Pinheiros beliscar a quinta posição. O time chegou muito bem preparado para enfrentar o Campinas e mostrou isso na marcação de bloqueio e na agressividade do saque.
 

Só não conseguiu manter o mesmo ritmo no tie-break. As atacantes sentiram e tiveram dificuldades de virar. O oposto aconteceu no Amil. Vasileva, apagadíssima nos set anteriores, chegando a ser substituída pela ótima Rosamaria, foi decisiva no tie-break.

 ************************** 


Hora de fazer um mea culpa. A cobrança em cima da búlgara está um tanto exagerada. Acho que esqueci que ela é uma jogadora jovem. Por ser um reforço estrangeiro, a expectativa em torno dela foi muito grande. Porém, é uma atleta ainda no início de carreira, ganhando experiência e nem sempre vai conseguir segurar a responsabilidade sozinha.

Pê ésse:
 

Afinal, a discussão do Zé Roberto com a Ramirez foi sobre a lesão ou algum desentendimento mais grave? Eis o mistério. 

************************** 






Jogo interminável.


É de espantar o número de erros do Praia: 35. Enquanto o Minas teve um número bastante baixo para 5 sets: 15.


O Minas se superou. Não desistiu do jogo e pôde contar com o termômetro do time, a Lia, em noite inspirada.


O Praia se segurou até onde podia sem a Herrera na SL. O time teve uma sequência difícil e algumas derrotas eram previsíveis, mas o preocupante é que parece estar perdendo o fôlego a cada partida. A força do grupo e a disciplina tática não tem surtido tanto efeito. Independente da posição que ficar nesta fase, o futuro do Praia nos play-offs é nebuloso.

**************************



Demais resultados da 7ª rodada do returno




São Caetano 0 x 3 Rio do Sul

10 comentários:

Welmer disse...

Que bom é ver o Sollys recuperando o seu melhor voleibol. A Fabiola fez uma boa partida, pôs todo mundo mundo pra jogar e todas as atacantes corresponderam.

Pelo lado do SESI o problema segue o mesmo: só Tandara segura o ataque do time. A Sassá tentou ajudar, mas só foi efetiva no segundo set, já Elisângela, não contribuiu em nada.

O segundo jogo de hoje mostrou a dificuldade que o Pinheiros pode impôr Às equipes mais bem classificadas. Gostei da entrada da Rosamaria. Ela é uma jogadora bem consciente não rifa muitas bolas e contribuiu bastante para a equipe da Amil.

O jogo de ontem eu não consegui ver, mas olhando as estatísticas do jogo fiquei surpreso com o número de erros da equipe do Praia e o número de bloqueios da Angélica, 11 bloqueios pra quem jogou apenas 3 sets é muita coisa, mas isso não foi suficiente para o Praia conseguir a vitória. Com relação à equipe do Minas, acho que se ponteiras do time tivessem atuações mais regulares o time estaria numa situação melhor. Ontem a Carla e a Thaisinha dividiram com a Lia a responsabilidade no ataque e o time conseguiu a vitória.

Eduardo Araujo disse...

O vôlei feminino é do contra, achei que o praia ia passar por cima do minas e perdeu, achei que o Amil iria passar por cima do Pinheiros e elas quase entregam a rapadura, achei que Sollys e SESI seria um jogo complicado, mas o SESI não viu a cor da bola...

Bom falando sobre o jogo do Sollys e SESI, a recepção do SESI não da, fala serio, tudo bem o saque pode ir mais forte, mas as jogadoras são profissionais, tem que treinar isso!!!

Acho que o esquema do Talmo não esta legal, não sei quanto a vocês, mas me parece que ele quer usar o mesmo esquema que o Sollys usou no ano passado com a Tandara, mas tem um problema o SESI não tem uma libero e nem ponteira que passe bem ai fica esse festival de erros, acho que fica um time meio suicida tem um potencial de ataque grande, mas sem passe na mão da levantadora acaba não podendo usar essa potencia!!!

Não acho que a Dani, fez uma partida ruim, no meu modo de ver ela fez uma boa partida dentro das possibilidades.

O SESI errou na estrategia de saque também, começou sacando na Garay ate ai tudo bem, mas viram que ela estava passando legal e logo mudaram o saque, jogando na jaque e na Brait que são as melhores passadoras do Sollys ai piorou de vez a situação.

Em relação ao Sollys fica a impressão que quando elas entram concentradas o time do outro lado tem que comemorar se fizer 18 pontos!!!

Saque funcionando, bloqueio pesado, passe na mão da levantadora e quando não ia a mesma corrigia a bola, o bloqueio do SESI não viu a cor da bola, todas as atacantes do Sollys fizeram mais de 10 pontos no jogo!!

Em relação aos outros jogos o Praia foi horrível nos 2 primeiros sets, depois se acertou, mas ainda esta faltando mais força no ataque, pelo lado o Minas achei que a claudinha jogou super bem!!!

O Unilever bateu em cachorro morto, SB não é padrão para nada, o time é redículo, oq eu achei estranho foi a pontuação da Natalia 5 pontos, a gabi pontuou bem mais!!!, parece que a Natalia não consegue sair da imagem de promessa e virar uma realidade.

O jogo entre o Amil e Pinheiros, foi interessante, mas o destaque ruim do jogo foi o ZR, como ele me irrita é o único técnico que não permite microfone, depois não quer dar entrevista e leva as jogadoras para longe dos microfones, será que ele tem medo das câmeras pegarem ele falando e as jogadoras seguindo e a coisa não indo bem!! ai ele não tem como falar que as mesmas não seguiram o padrão tático que ele planejou? pq fala serio cheio de frescura esse cara!!!

Abraão disse...

Eu nao entendo as pessoas que falam da Natalia como se ela estivesse em plena forma fisica. Meu Deus essa menina passou mais de um ano sem jogar, nem os medicos sabiam dizer se ela teria condicoes de retorno, agora vem esse pessoal que nao entende nada e usa essa terrivel fatalidade como forma de justificar suas opinioes rancorosas e sem nenhum fundamento. Natalia foi por quase tres anos consecutivos a melhor atacante do Brasil e esse povo insiste em bater nessa ladainha de eterna promessa. Nao e, ja e de muito tempo uma grande jogadora, uma das melhores do pais e quando chegar a condicao ideal todos vao se calar diante do fato!

Sergio Roberto disse...


Eu tenho duvidas sobre o relacionamento do Talmo com as jogadoras do Sesi.
No ultimo jogo ele e a Dandara ficaram divergindo sobre a melhor estrutura da recepção e em outras para das técnicas já vi jogadoras retrucarem o que ele disse.
Na verdade eu estou cada vez mais certo que o vôlei feminino brasileiro esta perdendo a mão.
A impressão, pode ser só impressão, é que qualquer que seja o resultado as jogadoras não dão muita importância. O vôlei esta sofrendo um processo semelhante ao que ocorreu com o futebol em que os jogadores trocavam tanto de time que deixou de existir qualquer sentido de identificação com o time.

Sergio Roberto disse...


Uma razão para os jogos estarem tão frios para as jogadoras é que ninguém é de ferro. Não dá para jogar três vezes por semana e se manter concentrado em todos os jogos.
Na verdade a morte da galinha dos ovos de ouro é uma morte anunciada.
Um campeonato que tem as quartas e semifinais decididas em 3 partidas e a final em jogo único é ridículo.
Logo as pessoas vão ficar tão saturadas de vôlei quanto as jogadoras estão.
Outra prova da semelhança entre o vôlei atual e o futebol é o numero de jogadoras que estão fora da superliga por contusões.
Tom pela Unilever, Fernandinha pelo Campinas e Herrera pelo Praia.
Isto significa que é um outro campeonato.

Laura disse...

Welmer, vc comentou da boa pontuação da Angélica do Praia no bloqueio. Eu prefiro ela como titular do q a Scott. Não acho que a norte-americana esteja contribuindo no ataque e no bloqueio como as demais meios-de-rede.

Eduardo, também me irrito com as atitudes do Zé, principalmente esta de fugir dos microfones.

Abraao, concordo com vc. A Natalia está tendo dificuldades. Não é justo, no entanto, questionar a capacidade que ela já comprovou ter.

Sérgio, é uma observação interessante, não tinha parado para pensar nisso. Acho que o vôlei e as jogadoras não chegaram ao ponto de displicência do futebol. Mas em relação ao desgaste, realmente faz sentido.

Filipi disse...

Fabizinha vem fazendo escola, o recurso de saber usar também os pés em momentos críticos em diferencial dentro do voleibol. Por ser tão habilidosa Fabi é cadeira cativa na seleção brasileira e na Unilever. Ontem William mostrou o quanto é importante poder contar também com os pés.
Eu jogo vôlei de praia e também futevôlei, uso bastante recurso de levantar com os pés quando a bola está fora do alcance das mãos, uma bola quase perdida... Assisti ao jogo do Cruzeiro ontem e analisando o lance do William constatei que trata-se de pura habilidade! Vejam e revejam o video do lance se for preciso e analise: O William é realmente muito habilidoso, um levantador fora-de-série. E lembre-se, o recurso de saber usar os pés não é importante só no futebol, no vôlei faz muita diferença também para recuperar bolas quase perdidas.

Direto da LAN-HOUSE, LEBLON-RJ disse...

A Superliga pode estar parada mas na praia o vôlei não parou os torneios Rei e Rainha da Praia, que estão bombando agora em Fevereiro.
No feminino, a altura fez a diferença. Talita, a única atleta da final acima de 1,80m, acabou com o jogo neste Domingo, 10/02/13, em dupla com Rebecca(1,75m). Talita dominou totalmente a rede, foi um paredão contra a dupla Vivian(1,79m) e Maria Elisa(1,77m), abusou do seu principal fundamento que é o bloqueio.
A atual parceira de Talita no Circuito Banco do Brasil, Taiana(1,75m), que havia sido vice-campeã do Rainha da Praia em 2012, ficou desta vez em 5.º lugar.
No masculino a disputa promete ser muito mais equilibrada e de altíssimo nível, uma vez que apenas 3 atletas, dos 8 classificados para o Torneio, ainda não conquistaram a coroa de Rei da Praia:
1. Harley Marques(Rei da Praia 2010 e Melhor Jogador do Mundo em 2008 e 2009);
2. Emanuel Rego(Tricampeão do Rei da Praia: 2004, 2005 e 2008);
3. Alison Cerutti(Bicampeão do Rei da Praia: 2011 e 2012);
4. Ricardo Santos(Rei da Praia 2002);
5. Pedro Solberg(Rei da Praia 2009);
6. Pedro Cunha(Vice-campeão do Rei da Praia 2009);
7. Bruno Schmidt(Campeão mundial Sub-21 em 2006);
8. Evandro Oliveira Jr.(Eleito Revelação do Circuito Banco do Brasil 2011).

PRAIA PREJUDICADO disse...

Não foi apenas impressão não! A arbitragem favoreceu SIM o Zé Roberto e o Vôlei AMIL!!! Se não houvesse favorecimento ao AMIL, o PRAIA poderia ter vencido os 2 primeiros sets que foram decididos nos detalhes por 27×25 e 26×24, e o jogo por 3×0!!! Infelizmente é muito difícil jogar contra a influência que o Zé Roberto tem nos bastidores do vôlei e contra uma arbitragem que tende a favorecer alguns técnicos e patrocinadores!
A corrupção está dominado o meio esportivo em todas as esferas, um exemplo nojento de jogo político corrupto é a atitude do COI em querer tirar a Luta Olímpica dos Jogos Olímpicos de 2020.
Nunca imaginei que pudesse haver tanta sujeira, corrupção e jogatina política no COI!!! O pedagogo francês Pierre de Frédy, o Barão de Coubertin, fundador dos Jogos Olímpicos da era moderna, deve estar se revirando no caixão!
Tirar a LUTA OLÍMPICA das olimpíadas é um HOLOCAUSTO HISTÓRICO, esses abutres do COI estão manchando a história olímpica com essa atitude.
A LUTA é o esporte mais antigo praticado no mundo inteiro. Não existe OLIMPÍADAS sem a LUTA, pois a LUTA é um esporte símbolo das olimpíadas.
Porém a FILA não satisfez os privilégios dos corruptos do COI. Outras modalidades muito menos olímpicas e inexpressivas se mantêm na programação olímpica pagando pedágio aos abutres corruptos do COI.
Caso do tal do Badminton(o ridículo jogo de petecas), sem popularidade mundial , onde o quadro de medalhas é dominado por APENAS 3 PAÍSES: CHINA, KOREA e INDONÉSIA, sendo que em LONDRES/2012 somente a CHINA ganhou medalhas de OURO. ESSE tal Badminton protagonizou um espetáculo deplorável de entrega de jogos, no qual os jogadores erravam saques e jogavam a peteca para fora propositalmente porque queriam “PERDER O JOGO”.
Ou até mesmo o futebol de campo, em que os clubes europeus não querem liberar seus jogadores para participar dos jogos por não se tratar de uma data FIFA, ou seja, o futebol nunca conta com as suas principais estrelas porque o torneio olímpico é boicotado pela propria FIFA. O ciclismo é uma modalidade que sempre está envolvida em escândalos de doping.
Não há sentido JOGOS OLÍMPICOS sem a LUTA OLÍMPICA, enquanto houver modalidades nada olímpicas fazendo parte da programação dos jogos, não é admissível que a modalidade símbolo das OLIMPÍADAS seja tirada dos JOGOS.

PRAIA PREJUDICADO disse...

Não foi apenas impressão não! A arbitragem favoreceu SIM o Zé Roberto e o Vôlei AMIL!!! Se não houvesse favorecimento ao AMIL, o PRAIA poderia ter vencido os 2 primeiros sets que foram decididos nos detalhes por 27×25 e 26×24, e o jogo por 3×0!!! Infelizmente é muito difícil jogar contra a influência que o Zé Roberto tem nos bastidores do vôlei e contra uma arbitragem que tende a favorecer alguns técnicos e patrocinadores!
A corrupção está dominado o meio esportivo em todas as esferas, um exemplo nojento de jogo político corrupto é a atitude do COI em querer tirar a Luta Olímpica dos Jogos Olímpicos de 2020.
Nunca imaginei que pudesse haver tanta sujeira, corrupção e jogatina política no COI!!! O pedagogo francês Pierre de Frédy, o Barão de Coubertin, fundador dos Jogos Olímpicos da era moderna, deve estar se revirando no caixão!
Tirar a LUTA OLÍMPICA das olimpíadas é um HOLOCAUSTO HISTÓRICO, esses abutres do COI estão manchando a história olímpica com essa atitude.
A LUTA é o esporte mais antigo praticado no mundo inteiro. Não existe OLIMPÍADAS sem a LUTA, pois a LUTA é um esporte símbolo das olimpíadas.
Porém a FILA não satisfez os privilégios dos corruptos do COI. Outras modalidades muito menos olímpicas e inexpressivas se mantêm na programação olímpica pagando pedágio aos abutres corruptos do COI.
Caso do tal do Badminton(o ridículo jogo de petecas), sem popularidade mundial , onde o quadro de medalhas é dominado por APENAS 3 PAÍSES: CHINA, KOREA e INDONÉSIA, sendo que em LONDRES/2012 somente a CHINA ganhou medalhas de OURO. ESSE tal Badminton protagonizou um espetáculo deplorável de entrega de jogos, no qual os jogadores erravam saques e jogavam a peteca para fora propositalmente porque queriam “PERDER O JOGO”.
Ou até mesmo o futebol de campo, em que os clubes europeus não querem liberar seus jogadores para participar dos jogos por não se tratar de uma data FIFA, ou seja, o futebol nunca conta com as suas principais estrelas porque o torneio olímpico é boicotado pela propria FIFA. O ciclismo é uma modalidade que sempre está envolvida em escândalos de doping.
Não há sentido JOGOS OLÍMPICOS sem a LUTA OLÍMPICA, enquanto houver modalidades nada olímpicas fazendo parte da programação dos jogos, não é admissível que a modalidade símbolo das OLIMPÍADAS seja tirada dos JOGOS.