sábado, 8 de dezembro de 2012

Superliga sem 100%


O Praia Clube não conseguiu segurar a sua invencibilidade, mas vendeu caro a sua primeira derrota na SL 12/13. O jogo contra o Unilever foi de igual para igual, e a postura do time mineiro foi um dos seus maiores méritos: entrou pensando em ganhar e fez a sua parte para isso. Não conseguiu porque no momento mais importante, Logan Tom e Natália cresceram e fizeram a diferença para o Unilever.

O Praia joga certinho, tem volume de jogo e não costuma dar pontos de graça. Homogênea, ela realmente desestabiliza os adversários que ainda estão em fase de construção. Contra uma equipe assim, as falhas pesam mais, como foi o caso do Unilever. O Rio foi muito inconstante no ataque. Fofão não sabia com quem contar, suas atacantes cometiam erros bobos.

Mais uma vez a Pavan não fez jus a fama e foi o ponto negativo no ataque. Porém, foi uma das únicas jogadoras a conseguir parar a Herrera no bloqueio. Aliás, este fundamento foi o que fez a diferença para o time carioca ao final do jogo.

A partida foi decidida no detalhe da individualidade. Se não fosse a Tom ter assumido o jogo no final, talvez estaríamos até agora assistindo aos dois times trocando bolas.

***********************

Nada apaga o mérito da ótima campanha que o Praia faz até o momento na SL. Mas ainda não sei o que esta equipe pode trazer de diferente à competição, se vai ser capaz de mudar os prognósticos desta temporada.

O que me deixe em dúvida no Praia é o quanto ele pode contar com Monique, Michele e Angélica para ajudar a Herrera. Senti no time a mesma situação do Minas da temporada passada. Uma equipe boa, mas sem fôlego. Nesta partida a Herrera foi tão requisitada que, ao final, quando mais se precisava dela, não rendeu, foi anulada pelo Unilever. O mesmo acontecia no Minas – e olha que ela ali tinha a companhia da Ramirez e Fê Isis.


*********************** 

Demais resultados da 5ª rodada

 



- Impressionante a dificuldade do Sesi em conseguir manter as vantagens que conquista nas partidas. Assisti parte do segundo set contra o Minas, e o time paulista tinha a parcial sob controle com 17x13. No fim, o Minas venceu por 25x23. Ok, pode acontecer com qualquer equipe. Mas com o Sesi está virando costume. Não inspira qualquer confiança. Vamos ver se a virada sob as mineiras vai dar mais segurança ao grupo e ele aprenda a vencer.
 

12 comentários:

Welmer disse...

Laura e amigos, esse jogo entre Praia Clube e Unilever me lembrou muito um jogo entre a própria Unilever e o Pinheiros há duas temporadas, um jogo muito disputado no qual o time do Pinheiros teve a chance de vencer a partida no 4 set mas não conseguiu. Foi dessa maneira que eu vi a partida de hoje, acho que o time Praia teve a chance de vencer a partida, mas a qualidade individual da equipe carioca falou mais alto.

Após o primeiro set, achei que a equipe do Praia amarelar, mas logo no set seguinte as jogadoras mineiras se soltaram e impuseram pressão na equipe carioca. Gostei muito da atuação da levantadora do Praia, senti ela meio travada no primeiro set, mas depois se encontrou no jogo.

Pelo lado da Unilever, me incomoda ainda a Sarah Pavan, ela não consegue se impor, apesar de alta, erra muitas bolas, mas pelo menos no bloqueio ela pontua.

Falando dos outros jogos, os resultados foram os esperados. Destaco a estreia da cubana do São Bernardo (espero que com a chegada dela o time melhore) e a vitória do SESI. Confesso que estava torcendo por uma vitória do Minas, mas não aconteceu :(, acho que esse time do Minas tá se encontrando, apesar de ser inferior ao da temporada passada, vai incomodar muita gente, acho que o time vai fazer bem o papel que o Mackenzie e o Praia fizeram temporada passada. Pelo lado do SESI, destaco a participação da Ingrid, que entrou no lugar da Elisângela e ajudou o time a sair com a vitória, como disse no comentário do post anterior, acho que a melhor formação para o time do SESI é com a Ingrid jogando como oposto e a Tandara como ponteira.

Eduardo Araujo disse...

Olá amigos, vi o jogo e não estava gostando do jogo ate o 3 set, ate então ambas as equipes estavam errando demais, mas do 3 set em diante o jogo ficou muito bom.

Discordo do Marcos Freitas quando ele tenta justificar o sufoco da equipe do Unilever falando que é uma equipe com muitas mudanças e não teve um torneio forte para se preparar, tudo isso é vdd, mas ele esqueceu de falar que o Praia se encontra na mesma situação.

Pra mim é mérito do Praia elas estão jogando um vôlei muito bom, vão dar muito trabalho se continuar assim!!!

Quanto a Pavan, acho que o problema esta em parte na Fofão que ainda não achou os tempos da bola para a Pavan, eu pelo menos não estou gostando dos levantamentos feitos para ela.

Quanto ao jogo do SESI eu achei que ele iria perder quando fiquei sabendo que estava 2 X 0 para o MINAS e elas se recuperaram, isso pode dar moral para o SESI no próximo jogo e acabar com a moral do MINAS já que uma virada assim não é fácil de aceitar.

Na segunda as 18:30 vai ter um jogo muito interessante entre o primeiro colocado (Praia) contra o Segundo colocado (Sollys).

Esse jogo vai ser marcado por alguns duelos legais, como por exemplo:

O melhor ataque(Sollys 29,60) vs o 3 melhor ataque (Praia 26,05)

O melhor bloqueio (Sollys 25,81) vs 3 melhor bloqueio (Praia 24,23)

O segundo melhor saque (Sollys 6,73) vs o 3 melhor saque (Praia 5,90)

A melhor defesa (Sollys 40,75) vs a 6 melhor defesa (Praia 31,56)

O Melhor levantamento (Sollys 20,25) vs o 5 melhor levantamento (Praia 13,84)

A quarta melhor recepção (Sollys 36,33) vs a sétima recepção (Praia 28,65).

Pelos números da equipe e não do individual vai ser um jogo muito bom de assistir.

Eduardo Araujo disse...

Se os amigos quiserem ver as Estatísticas dos times para analise segue o link:

http://www.cbv.com.br/v1/superliga/estatisticas-SL.asp

Nesse link contem as estatísticas tanto no coletivo como no individual.

Anônimo disse...

O jogo estava muito equilibrado ate a Logam Tom ganhar sozinha o quinto set no saque e no ataque.
Laura pode esperar uma evolucao do Praia,essa foi a estreia da Dani ScottArruda. Espera so aDani se entrosar com a Juliana Carrijo que veremos uma central espetacular pontuando muito no ataque.

Anônimo disse...

Mesmo sem as levantadoras do Praia estarem entrosadas com a D.Scott, o Praia Club e uma equipe muito coesa.
Dani Scott estreiou somente agora na Superliga, aguardem ela ganhar ritmo de jogo e entrosamento com a Juliana Carrijo e com a Camila Adao, que veremos a medalhista de prata olimpica pontuando muito no ataque.
A Angelica saiu na frente e ja tem esse entrosamento, e vem pontuando bastante, logo logo a Dani Scott tbem tera.

Paulinho Adorador disse...

O jogo foi muito bom mesmo. A Fofão parece querer se eternizar continua com fôlego de menina e jogando em altíssimo nível aos 42 anos. Senti a Nathália meio perdida durante a maior parte do jogo. O Unilever só ganhou porque a Tom resolveu aparecer no final do 4º set e a Pavan conseguiu segurar a Herrera no bloqueio. Agora a levantadora do Praia promete muito, aos 20 anos já apresenta um bom nível, se for bem trabalhada pode ser ela a tão esperada substituta de Fofão e Venturini.

Anônimo disse...

Paulinho concordo totalmente contigo.
Tom fez a diferenca no saque e no ataque e Sara no bloqueio.
A Unilever ganhou no talento individual das gringas.
P/quem tem somente 20 anos, J.Carrijo nao se intimidou perante a campeonissima Fofao.

Abraão disse...

O jogo foi ótimo do ponto de vista da consolidação, depois do primeiro set acreditava em mais uma decepção por parte do praia, mas o time mostrou-se seguro em suas ações e tem reais possibilidades de aprontar pra cima dos favoritos mais pra frente. Paulinho, admiro seus comentários, mas esse pé atrás que você tem com a Natália já se configura como perseguição. Natália vinha muito bem, virando tudo até que a Fofa inventou uma distribuição no final do segundo set que obviamente não funcionou. Quando ela voltou a chamar a Nath ela já tinha se desconcentrado, isso pode acontecer com qualquer um, foi isolada do jogo e perdeu o foco, a levantadora tem muita responsabilidade nisso. Mesmo assim ela terminou como a maior pontuadora do rio, com vinte pontos.

Paulinho Adorador disse...

Abrãao, pode ser. Esqueci de comentar que vi a partir do segundo set. Falha minha.

Neide disse...

Olha Abrao concordo que Natalia ajudou muito no ataque, mas deixou muito a desejar no passe. Mas acho que se nao fosse a atuacao espetacular da Tom no quarto set e,principalmente, no tie break, o UNILEVER teria perdido o jogo por 3x1 para o Praia.

tuliobr disse...

Depois de dois sets cheios de erros, a partir do terceiro set o confronto Unilever x Praia cresceu e se transformou em uma boa batalha no sufocante e acanhado ginásio do Tijuca, fervendo com um calor infernal. Mesmo com a derrota, impressionou-me a jovem levantadora Juliana Carrijo, conduzindo bem a organização tática idealizada pelo Spencer Lee. Um time que tem uma jogadora como a Herrera, uma 'máquina de pontuar', sempre correrá o risco de concentrar excessivamente suas ações, facilitando a marcação adversária. É inevitável que em alguma medida isso ocorra, mas creio que a levantadora do Praia, mesmo nas condições adversas do jogo no Tijuca, conseguiu dificultar para o veloz bloqueio das centrais do Unilever, principalmente utilizando-se de um ótimo entrosamento com a também jovem central Angélica. Assim como a Laura, penso que o desafio do Praia será manter o fôlego para a fase decisiva, onde os favoritos certamente terão uma postura mais adaptada ao jogo proposto pelo Spencer Lee. O Unilever ainda oscila demais e passa longos períodos ausente do jogo, errando seguidamente. Talvez devido ao seu tipo físico raro (oposta muito alta e canhota), nota-se que há dificuladades na conexão entre Pavan e Fofão; talvez seja a tarefa prioritária para o Bernardinho melhorar isso. Acho que a canadense beneficiar-se-ia muito se melhorasse a velocidade das pernas, pois seus ataques mais lentos são sempre defensáveis. Logan Tom é uma jogadora excepcional. Qualquer técnico adoraria tê-la na espinha dorsal de seu time; é preciso que Bernardinho aprimore seu esquema para dar mais constância à solidez que a dupla Tom e Fabi pode proporcionar no fundo da quadra.

Arthur disse...

Sobre a Pavan realmente tá difícil, ela não está rendendo quase nada para o que foi alarmado. A verdade é que nem na liga italiana ela foi essas coisas todas, foi maior pontuadora é verdade, porém mais de 50% dos ataques dela, pelo oq eu pude ver, desviam no bloqueio, ela entra para baixo demais, não sei, mas precisa atacar melhor.