sábado, 11 de agosto de 2012

O campeão voltou!



Como bem disse o Luís Carlos Jr, a final foi um resumo da campanha brasileira nos Jogos. Começou muito mal, trazendo as más lembranças daquelas primeiras partidas da fase de classificação. A partir do segundo set, o time se recuperou e esmagou os EUA.

A agressividade brasileira foi tanta que as norte-americanas ficaram desorientadas. Nunca vi os EUA se perderam assim numa partida nem cometerem tantos erros. Esta final acabou sendo até mais fácil do que a de Pequim.

O Brasil anulou a Hooker, que só atrapalhou a seleção no saque. A defesa minou a confiança da oposta e a Berg desistiu de jogar com ela. A Tom acabou levando o time nas costas até que, chegando ao seu limite, ela também começou a errar e parar no bloqueio brasileiro. Com o bom saque, as jogadas de meio dos EUA não apareceram.

***************************** 

Foi um show das brasileiras que não deixaram os EUA respirarem por um segundo sequer. Mesmo com dificuldade na virada de bola, o Brasil teve competência e paciência nas trocas de bola e assim pontuar nos contra-ataques ou esperar o erro norte-americano.

Os EUA chegaram como favoritos, jogaram o melhor voleibol, mas sucumbiram à patrola que o Brasil se transformou nessa Olimpíada. Assim como as brasileiras há 4 anos, as norte-americanas ainda têm que aprender a vencer o mais importante. 

***************************** 


Esta foi uma Olimpíada inesquecível. As jogadoras mais contestadas foram as que mais brilharam. O jogo brasileiro voltou pelas mãos da Dani Lins e das defesas da Fabi, atletas que achávamos que nem mereciam estar nos Jogos.

Obrigada, meninas, por terem nos calado a boca.

E, por mais que ainda se tente entender certas escolhas, há que se aplaudir um tri campeão olímpico. Zé Roberto Guimarães é um vencedor e, graças ao trabalho comandado por ele, o Brasil teve suas principais conquistas. E desta vez, foi o Zé que colocou o McCutcheton no bolso.  

***************************** 

Pê esse:

- Vou me prestar a um “eu não disse?”. Quando o Brasil estava mal, a Jaqueline virou o bode expiatório da má campanha nos comentários aqui do Papo. Defendi a permanência dela e até fui ironizada por um dos participantes. Ok, faz parte do debate. Já errei previsões e esta seleção está aí para contradizer muita coisa que escrevi aqui. Mas é bom saber que, no final de tudo, eu e aqueles que defendiam a Jaque estavámos com a razão.  

57 comentários:

tete disse...

A única coisa lamentável é o Zé Roberto ser chamado de Mito. O resto hoje é festa !!!!

Welmer disse...

Laura, estou muito feliz!!!!

Gostei muito da atuação da seleção, fiquei preocupado com o primeiro set, mas a virada foi espetacular. Conseguiram parar Hooker, e a Jaque foi simplesmente espetacular, ela teve mais de 60% de aproveitamento no ataque, e eu cheguei a duvidar da grande jogadora que ela é!!!!

Laura, só fico triste porque a Fabíola, pra mim, merecia esse ouro mais que a Fernandinha, mas acho que ela e todas as outras jogadoras cortadas devem está se sentindo campeãs.

Anônimo disse...

Agora eu quero ver dizerem que com a Jaqueline como titular nunca ganhou uma competição agora o brasil e bi elas merecem tudo oque ela sofreram pra conseguir essa medalha de ouro !!! Mas teve gente que n mereceu essa medalha como o Zé a fernandinha e a Natália mais agora vamos comemorar que o ouro e nosso BORA BRASIL!!

Paulinho Adorador disse...

Tirando os pormenores e detalhes deste ciclo, PARABÉNS!!!!!!!!!!!!
Mérito das meninas!
Sheila voltou a jogar bem, quando mais precisamos dela.
Thaíssa mantendo um nível incrível desde 2010.
Fabiana assumindo a liderança, e finalmente jogando com alegria.
Fabi, apesar das deficiências técnicas, evoluiu na defesa e foi bem na fase final.
Dani Lins assumiu o levantamento num momento complicado e não deu pane.
Garay, entrou com confiança no lugar da Paula e não desmoronou.
Jaque finalmente mostrou que é completa, foi fundamental não só na defesa, mas também no ataque.
PARABÉNS MENINAS!!!!!
Só uma nota: no pódio bem que podiam ter levada as camisas da Fabíola, da Brait e da Mari; pelo menos a Brait que chegou a ir pra Londres com elas.

Paulinho Adorador disse...

Elas estavam usando as camisas por baixo. hehehe

Wilson disse...

Parabéns à SFV!!!
Bicampeãs!!!
Parabéns à Seleção Norteamericana, pelo profissionalismo apresentado!
Parabéns ao destino que prega peças em nós, seres humanos, que nos julgamos aptos a julgar... ele, o destino, nos mostra que também erramos...
Agora é comemorar, comemorar e comemorar!!!

Pedro disse...

Foi a primeira vez que ganhamos com a Jaqueline no time titular. Exatamente porque foi a primeira vez que ela assumiu o papel de atacante de segurança. Parabéns! Ela foi o nome do jogo, que marcou sua carreira. Fico feliz por ela e pela seleção. Elas merecem.

Eduardo Araujo disse...

Parabéns para as meninas, por agente não tinha banco, quando tomamos de 25 x 11, eu pensei ferro, não tem quem colocar, essas aqui estão em quadra que terão de virar a partida e viraram, achei interessante a Fabizona falando que conversou com o tecnico ZR, na crise e colocou alguns pontos nos Is.
As escolhas do ZR dificultaram o titulo, mas as analise dele e da comissão técnica em relação aos pontos fortes e fracos do EUA, acabou ajudando na estrategia..., mas foram as seis titulares que merecem os créditos, pq tiveram que jogar por 12!!

Parabéns Brasil!!!

Anônimo disse...

VERGONHA!!!

A questão é que o Brasil chegou aos Jogos de Londres em situação exatamente oposta a que chegou em Pequim. Enquanto em 2008 jogadoras como Sheilla e Paula viviam a melhor fase de suas carreiras, hoje não têm força para serem protagonistas de uma seleção de alto nível. Em Pequim a seleção chegou voando fisicamente, em 2012 é um time desgastado; e há quatro anos o Brasil estava no auge e atualmente é um time em crise e decadente.

Anônimo disse...

London 2012

Maior Pontuadora:KIM Yeon-Koung
Melhor Atacante:HOOKER Destinee
Melhor Bloqueio:CLAUDINO Fabiana
Melhor Saque:CASTRO Sheilla
Melhor Recepção:GARAY Fernanda
Melhor Defesa:CASTILLO Brenda
Melhor Levantadora:STARTSEVA Melhor Líbero:CASTILLO Brenda

Fonte:FIVB

Sandro Souza disse...

Estarei eu por pelo menos mais quatro anos, acordando pelas madrugadas, olhando noticias pela net e acompanhando essa maravilhosa seleção que nos deixa agoniados, revoltados algumas vezes, mas muito feliz em tantas oportunidades!! Parabens ao grupo, as meninas cortadas e ao Zé. Ao grupo pela superação, por estar no fundo do poço, e conseguir resgatar sua confiança, auto estima e voleibol. Parabens ao zé por confiar em algumas jogadoras, principalmente fabizona, dani lins e fabi, por entregar um jogo tecnico mastigadissimo (como de hábito), mas principalmente por ter conseguido baixar a bola e deixar as garotas no comando. Fabizona calou a minha boca e a de todos, foi decisiva em vários jogos, cresceu, bloqueou, finalizou vários sets. Fabizinha que parou gamova, hoker e qualquer pancada no nosso fundo, Panilins que deixou os adversários em pane e me fez ver ela com outros olhos pois nunca achei que ela seria jogadora de decisão. Entrou arrumou a casa, e por incrivel que pareça via nos olhos dela que ela sabia o que estava fazendo... Jaquetoco... quem para jaquetoco...ela segurando o ataque no inicio do jogo proporcionou a dani tranquilidade pra ir colocando thaysa, sheila e garay no jogo... parecendo um polvo no fundo de quadra...Garay mesmo sem conseguir atacar dando muito volume, e não se acovardando nos momentos decisivos foi merecido o ultimo ponto vir da suas mãos!!! A Thaysa Mais regular em todo o campeonato, desde a primeira partida. Fiquei triste apenas pela ausencia da fabiola... espero que o zé aprenda com essa situação... e pra ser sincero, defendia a saida dele da seleção, hj não sei, provavelmente teremos renovação de mais umas 6 jogadoras e o rio vamos defender um tri... Apesar dos defeitos gravissimos não se pode tirar os meritos dele também. O BRASIL FOI CAMPEÃO PELO GRUPO E AMOR A CAMISA.

Anônimo disse...

A (entendida) LAURA disse:

"A questão é que o Brasil chegou aos Jogos de Londres em situação exatamente oposta a que chegou em Pequim. Enquanto em 2008 jogadoras como Sheilla e Paula viviam a melhor fase de suas carreiras, hoje não têm força para serem protagonistas de uma seleção de alto nível. Em Pequim a seleção chegou voando fisicamente, em 2012 é um time desgastado; e há quatro anos o Brasil estava no auge e atualmente é um time em crise e decadente."

Anônimo disse...

O q foi o locutor errando o nome das jogadoras na entrega das medalhas? Represália à quebra do protocolo?

Laura disse...

Anônimo, darling, não tenho vergonha das coisas que escrevi. Naquele momento era bem isso mesmo. A volta que estas meninas deram foi absurda e estão de parabéns. Vc não sabe como estou feliz delas terem me contrariado. =D

Da próxima vez, dê-se ao trabalho de assinar seu comentário. Fica mais honesta a discussão.

Welmer disse...

Laura, eu sempre defendi muito a Jaque, mas tenho que admitir como citei no comentário acima, que no início da campanha brasileira duvidei do seu potencial, coisa que nunca mais farei Jaque joga DEMAIS!!!!!

Luiz Felipe disse...

Lindo! Emocionante! Além do bi, ganhamos uma levantadora para mais um ciclo olímpico (Dani). E Jaque jogou demais!
Pergunta: quem foi a MVP dos Jogos? A Kim, da Coreia, mereceria, pois carregou seu time nas costas até o 4 lugar, mas tradicionalmente a MVP é sempre da equipe vencedora. No caso do Brasil, fica dificil destacar uma só jogadora: Sheilla foi a melhor no jogo contra a Russia, Dani contra o Japão e Jaque contra os EUA...

Laura disse...

Welmer, de quem a gente não duvidou no início desta campanha??? Faz parte, esta seleção contrariou a tudo e a todos.

Ah, e tb lamento, como vcs, a ausência da Fabíola.

Welmer disse...

Laura, depois dessa campanha maravilhosa do Brasil só que fazer uma observação.

Critiquei muito a Dani até queria que ela não fosse a Londres, achei que Fabíola tinha sido injustiçada pela convocação da Dani, mas quem foi a Londres de forma injusta, foi a Fernandinha que pouco ajudou o Brasil.

Fabíola merecia essa medalha.

P.S.: Muito se diz que fulano é jogador de clube, que ciclano é jogador de seleção, que beltrano só joga bem torneio nacional e etc. Mas seria Dani Lins jogadora especialmente de olimpíada???

Welmer disse...

Só pra não passar em branco a questão da MVP, pra mim seria a Jaque.

Se formos a analisar de forma minuciosa as partidas da seleção a partir do jogo contra a China, perceberemos que a Jaque foi importante em todas, no jogo contra Rússia ela defendeu o ataque da Goncharova que daria a vitória a Rússia e em especial nesse jogo contra os EUA, ela foi espetacular.

Anônimo disse...

JAQUELINE! Maior pontuadora da final com 18 pontos de ataque com aproveitamento excepcional de 66%!

TA MEU BEM!

Rogério Reis disse...

O Campeão CONTINUOU!!!!!!!!!

Anônimo disse...

A (entendida II) LAURA disse:

"A questão é que o Brasil chegou aos Jogos de Londres em situação exatamente oposta a que chegou em Pequim. Enquanto em 2008 jogadoras como Sheilla e Paula viviam a melhor fase de suas carreiras, hoje não têm força para serem protagonistas de uma seleção de alto nível. Em Pequim a seleção chegou voando fisicamente, em 2012 é um time desgastado; e há quatro anos o Brasil estava no auge e atualmente é um time em crise e decadente."

Anônimo disse...

Laura,

Sinceramente, eu não entendi nada o McCutcheon ter começado um set deixando a Larson e pricipalmente a Harmotto no banco. Não acreditei na burrice. Miyashiro errar um saque num momento crítico também foi bizarro. Enfim, uma coisa é substituir num momento do set praticamente perdido e se essa substituição tivesse demonstrado uma mudança positiva, até cabería se manter mas não foi absolutamente o caso.

#HughMcCutcheonFAIL

Crowley.

Anônimo disse...

Olha graças a Deus queimei minha .lingua.Nao achava que o Brasil iria ganhar as olimpidase recebi com todo o orgulho um tapão na cara,fiquei orgulhoso de ser brasileiro,acompanho a seleçao á algum tempo e nao queria ve las perdendo.Hoje a noite irei pagar minha promessa que fiz caso as meninas ganhassem.

Renato disse...

Laura, fiquei muito feliz com essa conquista brasileira. Critiquei muito o Zé Roberto e até hoje acho que ele errou muito na escolha das meninas, mas sem dúvidas as meninas se superaram, demonstraram garra, união, vontade e aniquilaram todas que vieram pela frente. Temos que comemorar muito essa conquista, para a valorização cada vez mais desse esporte que tanto curtimos (já começo a imaginar o quão empolgante será a próxima Superliga). Em relação a partida de hoje, a Jaque mostrou que é uma das melhores ponteiras do mundo, passou, defendeu e atacou muito (contrariando muitos que dizem que ela não ataca). Assim vomo você sempre levei fé nela (vale lembrar que na última Superliga depois que ela voltou da contusão, ela arrasou no Osasco), ao meu ver junto com Thaisa e Sheila foram as melhoras das Olimpíadas. Fabi se superou também e Garay com muita garra mostrou que também tem um grande potencial de ataque. Discordo ûm pouco de você quando diz que o jogo voltou pelas mãos de Dani Lins. Para mim o grande diferencial foi o passe e a relação defesa/bloqueio. Também achei que o nosso saque funcionou nos momentos decisivos das partidas. Mas agora é hora de comemorar e se preparar para o Mundial Interclubes que vem por aí, com o Brasil com chances de ter uma equipe campeão mundial, assím vai ficar melhor ainda !!

Giovanna disse...

To sem palavras até agora pra comentar o que eu vi hoje!!!!! Só sei que #OCAMPEÃOVOLTOU e sério...que medalha de prata AMARGA pras americanas eiin? Huahauahaau mereceram, vide a falta de humildade e ironia com a qual elas agiram no primeiro set., rindo às nossas costas!!!

Ainda nem da pra acreditar que vencemos das americanas por 3X1 (até mais que por 3x2 contra a Russia)...aliás, depois daquela partida contra a Rússia, DÁ SIM!!!

Aff muuuuuuuuuuuuuito feliz!!!!!!!!!! :') Depois comento mais hahahaha

J.W. disse...

Assisti agora a pouco a reprise do jogo, não consegui depois do primeiro set. A Fabi mandou um recado mas eu não me arrependo de algumas críticas talvez até tenham sido as críticas que muitos fizeram que a acordaram para o jogo porque ela não era a mesma desde a superliga. Eu fui contra a escolha da líbero. Quanto à levantadora fui contra o modo como foi cortada mas não contra a opção, ela tinha dificuldades com as jogadas rápidas e hoje vimos que são essenciais contra um time que defende e bloqueia muito. Sempre defendi Jaqueline só não esperava que ela fosse a atacante principal no jogo mais importante da sele~ção. Não me ofendo com os biquinhos das meninas que calavam os críticos porque elas realmente mereceram muito do que foi dito. Hoje Carlão e Nalbert comentaram que foi por pouco que não ficamos em nono lugar então o time não estava bem e pronto!
Feliz estão e felizes estamos seus fãs. Como disse um fã aqui, também vou continuar a acordar de madrugada só para ver a seleção jogar como sempre fiz.

valeu BRASIL!!

J.W. disse...

PS: não assisti ao vivo todo o jogo, apenas o primeiro set. Agora à noite vi a reprise do jogo todo. ( ficou mal explicado no comentário anterior)

Mano (que não é Menezes) disse...

Laura, é isso aí: responda ao Anônimo. Dar opinião é isso, não tem que se ter vergonha. Só falta agora virem os falsos otimistas: "eu disse que acreditassem, eu pedi que acreditassem". Ora, bolas...

Anônimo disse...

Pra Laura e Mano.

"A questão é que o Brasil chegou aos Jogos de Londres em situação exatamente oposta a que chegou em Pequim. Enquanto em 2008 jogadoras como Sheilla e Paula viviam a melhor fase de suas carreiras, hoje não têm força para serem protagonistas de uma seleção de alto nível. Em Pequim a seleção chegou voando fisicamente, em 2012 é um time desgastado; e há quatro anos o Brasil estava no auge e atualmente é um time em crise e decadente."

Eduardo_DF disse...

Acho louvável a comissão ter, enfim, se dedicado mais profundamente a estudar a equipe dos EUA. Foi um intensivão de trabalho tático que se reverteu em quadra.
Eles procuraram encontrar furos no time delas e no fim encontraram que no meio de tantas craques uma jogadora não está no mesmo nível, Nicole Davis.
O jogo foi todo forçado nela e ainda de alguma forma que colocasse a jovem Larson para cobri-la. As duas saíram de campo.
Fora isto, sacaram que uma Hooker da vida não iria ser facilmente parada no bloqueio, e aí entra o maior mérito das ponteiras e a Fabi. Se concentraram em receber e defender em boa parte da fase Positiva das Olimpíadas. e hoje ainda ganhamos a versão completa da Jaque. Eu não era nem um pouco fã dela, mas fui obrigado a tirar o chapéu! Entre os prêmios individuais faltou o dela como MVP e se não for existir é uma tremenda injustiça, que ela pelo menos fosse a melhor defesa.

Além disto, dá um orgulho grande demais ver o ressurgimento da Dani como levantadora segura e precisa e levando junto a facilidade que as jogadas saem com as torres.

Quanto a merecer o ouro eu tb fico com dó de umas que não foram e mereceram muito mais. Eu incluo principalmente Fabíola e mari que deviam ter ido nos lugares de Fernandinha e Tandara. Ainda bem que não precisamos de uma inversão de rede mais eficiente, porque as duas definitivamente não funcionaram.

Paulinho Adorador disse...

Meu Deus, mas que anônimo chato! Essa era a verdade do time. O Zé e a comissão erraram muito neste ciclo e ponto. Opiniões são devem ser fundamentadas em fatos. O fato é que a SFV não jogava bem desde do Campeonato Mundial e nos jogos decisivos em Londres resolveram jogar tudo o que não jogaram nos últimos 2 anos. Isso foi resultado da mudança de postura do time.

Anônimo disse...

Pra Laura,Mano e Paulinho.

"A questão é que o Brasil chegou aos Jogos de Londres em situação exatamente oposta a que chegou em Pequim. Enquanto em 2008 jogadoras como Sheilla e Paula viviam a melhor fase de suas carreiras, hoje não têm força para serem protagonistas de uma seleção de alto nível. Em Pequim a seleção chegou voando fisicamente, em 2012 é um time desgastado; e há quatro anos o Brasil estava no auge e atualmente é um time em crise e decadente."

João Lucas disse...

E a hecatombe aconteceu

A uma semana atrás eu disse que somente uma hecatombe tiraria o ouro das americanas,e não é que aconteceu.
O Brasil depois de uma campanha horrenda na primeira fase,onde conseguiu se classificar apenas por causa da vitória americana (que ironia)se reinventou e reescreveu sua história nas Olimpíadas de Londres.
Primeiro veio aquele jogaço contra a Rússia que a seleção, depois a vitória fácil contra o Japão e a grande final.
A seleção fez um bom jogo, execeto no primeiro set. A defesa anulou Hoocker, Larson e Akirandewo. Não vi essa seleção americana tão desajustada taticamente. Berg mostrou ao mundo o quão limitada é. Na minha opinião Alisha Glass é superior.
Fabi mostrou seu melhor voleibol. Fernanda Garay foi essencial e esteve inspirada. Sheilla cresceu na hora mais importante dos jogos. Thaísa mesmo muito maracada na final foi a melhor jogadora brasileira em todo ciclo olimpíco. Fabiana voltou a ser FABIZONA. Jaqueline mesmo não sendo a protagonista, foi GIGANTE. E por último a tão criticada Dani Lins, sempre disse que das três levantadoras que disputavam a vaga Dani era mais técnica, porém se curvava e parava de pensar diante as adversidades, e que por isso não deveria ter ido a Londres, só que graças a Deus e a Dani eu estava errado e ela me calou, pois, no momento mais tenso Dani virou titular e correspondeu, fomos campeões pelas maõs de Lins. Dani é a nossa levantadora para 2016, só que não terá que provar nada para ninguém.
As reservas e antigas titulares Paula e Fernandinha não corresponderam. Paula não estava bem só que tem crédito por tudo que fez e Fernandinha não deveria ter estado ali. Adenízia, Tandara e Natália foram pegar experiência, certamente farão parte do próximo ciclo olimpíco.

PS 1: As críticas dirigidas a seleção foram justas, naquele momento a atuação brasileira era pífia, faltava garra e cabeça no lugar e é bom lembrar que se não fosse a equipe americana eramos bi-campeões.

PS 2: Como disse acima Fabíola também merece uma medalha olimpíca.

João Lucas disse...

Ah esqueci, assim como eu aposto que Laura, Welmer, Eduardo Araújo e tantos outros amantes do voleibol nunca ficamos tão felizes de termos a boca calada. E é bom lembrar que por sermos tão apaixonados por esse esporte e por saber do potencial das meninas que cobramos tanto. Mas mesmo se seleção fosse eliminada e tivesse ficado com o nono lugar nunca deixaríamos o voleibol de lado.

Welmer disse...

Ei, esse anônimo, me desculpem o termo, é chato pra caralho.

O que ele quer????

Laura, o que ele quer que você fale???

Tô tentando entender até agora!!!!

Esse cara ou essa moça é um porre!!!!

Anônimo disse...

Pra Laura,Mano,Paulinho e Welmer

"A questão é que o Brasil chegou aos Jogos de Londres em situação exatamente oposta a que chegou em Pequim. Enquanto em 2008 jogadoras como Sheilla e Paula viviam a melhor fase de suas carreiras, hoje não têm força para serem protagonistas de uma seleção de alto nível. Em Pequim a seleção chegou voando fisicamente, em 2012 é um time desgastado; e há quatro anos o Brasil estava no auge e atualmente é um time em crise e decadente."

tuliobr disse...

O campeão voltou. Chegamos à final da competição que contrariou a lógica e a SFV provou o que na realidade não precisava ser provado: é uma geração vencedora, que pode vencer, gosta de vencer e sabe vencer. JRG é um técnico excepcional, ninguém é campeão olímpico (no caso dele, tri) por acaso. McCutcheon também. Mas ambos também erram. No caso do JRG, a medalha de ouro não apaga o fato de que a história deste ciclo olímpico pode ser contada em um manual de como não fazer. Nada justifica levar para um torneio de duas semanas uma atleta sem condição de jogo. A intempestiva introdução da Fernandinha no elenco deixou o time sem inversão e comprometeu de tal modo o sistema de bloqueio e defesa que quase nos custou a eliminação na primeira fase. O mérito do JRG foi aparentemente ter reconhecido o equívoco a tempo e recolocado a Dani Lins no time. Quanto ao McCutcheon, ele também fez suas opções equivocadas: levou a Thompsom por causa do saque, mas não confiou nela para substituir uma Berg visivelmente esgotada na final. Levou a Haneeff por causa de seu bloqueio, mas quando precisou de uma oposta porque alguém conseguiu anular a Hooker, deve ter olhado para o banco procurando a Metcalf. Os técnicos se igualaram em méritos e deméritos, mas as equipes em quadra, não. Os EUA vinham em vôo de cruzeiro, confiantes em seu jogo. O Brasil vinha do fundo do abismo e acelerava na reta final. Talvez acometidas de um incomum ataque de soberba depois do atípico primeiro set (deve ter sido o pior set já jogado por uma seleção adulta do Brasil), as americanas simplesmente não acreditaram no Brasil que as atropelou nos sets seguintes e 'travaram'. E o neozelandês, finalmente, perdeu um duelo tático para o JRG. Jaqueline foi o nome da final; Sheilla fez os pontos mais bonitos. Fabi e Dani Lins jogaram como nas SL ganhas pelo Unilever (sim, todos nós já vimos as duas jogarem assim antes). Thaísa foi muito marcada na rede, mas fundamental nos saques. Fabiana fez todos os pontos de bloqueio, não foi ainda aquela dos tempos do Unilever, mais chegou perto disso como há muito não acontecia. E Garay, que entrou no grupo em uma brecha aberta por contusões de Natália e Sassá, dele não sai mais. O grande jogo de Londres ficou sendo mesmo o inesquecível Brasil x Rússia. Parabéns às equipes de Brasil, EUA e Japão. E fica este sábado glorioso para a História!

Abraão disse...

Em minha boca sinto um gosto de sangue, mordi a língua por gosto durante as comemorações. Laura fui um dos que desacreditei de Garay e Jaque nas pontas, mas como todo mundo que teve seu motivo de descrença em algum momento, os que desconfiavam delas tinham razões concretas pra isso. Hoje com o maior prazer do mundo reconheço meu engano e reverencio essa espetacular jogadora chamada Jaqueline Carvalho! Jaque! Jaque! Jaque!

leo01 disse...

PARABENS P/ TODOS!!! A PRATA OLIMPICA VALE muito!!! ESTOU ORGULHOSO DO VOLEI BRASILEIRO!!! QUATRO MEDALHAS!!!: OURO(sexteto feminino), PRATA(sexteto masculino e EMANUEL/ALISON), BRONZE(JULIANA/LARISSA). Galera ACORDA!!! Ta' bom DEMAIS!!! Nem EUA, Nem RUSSIA, Nem ITALIA conseguiram QUATRO MEDALHAS NO VOLEI!!! Porem fico triste por CAMILA BRAIT que merecia mais essa medalha que a NATALIA que nao fez nada em LONDRES a nao ser TWITAR E TIRAR FOTOS. FABIOLA tbem merecia!

Welmer disse...

Laura, eu sei que está muito cedo pra se falar nisso e que estamos comemorando muito esse título olímpico, mas eu acho que já se deve pensar em renovação. Talvez isso já comece mês que vem com o final four que será disputado aqui no Brasil, já que algumas jogadoras devem ganhar férias.

Welmer disse...

Eu já revi o jogo três vezes e eu observei uma coisa, eu não sei se é coisa de minha cabeça, mas, pra mim, ficou a impressão de que a Thaísa quando tinha que levantar não confiava na Jaque, que estava muito bem no ataque, ela só mandava bola pra Sheilla. Em qualquer situação, seja com a Jaque pela entrada e com a Sheilla pela saída ou o contrário, a Thaísa só mandava bola pra Sheilla. Alguém mais observou isso???

Anônimo disse...

Absolutamente extasiado com a vitória de ontem, amo esse time. Agora, eu reparei que além de termos jogado muito, imprimimos o nosso ritmo, já que depois do 1º set, EUA não passou na frente nunca mais, mas acho que o técnico americano contribuiu muito, pois eu, sendo ele, jamais tiraria Larson e Harmotto. Hodge e Scott nos ajudaram muito. Alguém concorda?

Laura disse...

Welmer, eu me lembro de uma situação em q o levantamento era até mais fácil pra Jaque e ela inverteu com a Sheilla. Acho q foi no primeiro set. Levou uma bronca do Zé depois por causa disso, afinal a Jaque tava com o bloqueio da Berg.

Sobre o McCutcheon, até entendi as trocas não entendi a demora para a Harmotto e principalmente a Larson voltarem. Igual, do jeito q o time tava desorientado, não faria diferença.

Os EUA tinham um ótimo time titular, mas o banco era fraco. Com essa coisa de levar a Miyashiro, ele ficou só com duas opções para as pontas: a Haneef (que sempre se valeu mais da altura do q da qualidade. Nunca achei uma grande jogadora, e agora muito menos) e a inexperiente Hodge, que me parece muito boa, mas q entrou na fogueira.

Eduardo Araujo disse...

Gente sem querer causar, mas já causando... dizem que a imagem vale mais que mil palavras...

Depois do titulo do Brasil todo mundo comemorando, resolveram levantar o ZR, conhecidência ou não, somente os auxiliares técnicos dele e 3 jogadoras (Fernandinha, Tandará e Natalia) levantaram ele, as outras ficaram bem longe!

Bom agora ganhamos o titulo, das bi campeãs umas 4 devem parar de defender a seleção, o presidente da CBV quer que o técnico da seleção masculina e feminina sejam dedicadas 100% para a seleção, sem contrato com nenhum outro clube isso dificulta bastante que o ZR continue na seleção, já que o mesmo tem contrato com o time da Amil, o mesmo acontecendo com o Bernardinho, que tem contrato com o Unilever.

Com a parada de algumas jogadoras, a renovação em algumas posições vai ser obrigatória, vamos ver oq o próximo técnico vai fazer.

Agora já é focar na SuperLiga de vôlei, na boa acho que o Sollys é mais do que favorito.

Também quero deixar aqui os meus parabéns para o time de vôlei masculino, sei que tomamos uma virada histórica, estávamos com as 2 mãos nas medalhas..., mas acontece, temos que lembrar que essa grande geração de Giba e companhia dominou o vôlei mundial durante 12 anos, isso nunca tinha acontecido na historia do vôlei e estão se aposentando com 1 ouro e 2 pratas fora os outros títulos

A nova geração que vem representar o Brasil, vai ter que suar pq vai ser muito difícil fazer oq esses caras fizeram!!!

PS: Antes da olimpíada passada uma revista americana, resolveu tentar explicar o vôlei masculino para os americanos e eles falaram assim:
"O vôlei é uma quadra separada por uma rede no meio e que o Brasil ganha tudo!", na época foi uma definição fantástica.

Parabéns a esses caras!!!

Julia disse...

Nossa, que felicidade! Desejava que as meninas saíssem das Olimpíadas de cabeça erguida, perdendo ou ganhando, e elas chegam ao Brasil com a medalha de ouro! Lindo demais. O poder de recuperação desse time foi inacreditável! Alternaram alguns dos piores jogos da SFV com as mais lindas conquistas sobre os sempre poderosos times dos EUA e Russia. McCutheon vai passar 1 mes, no mínimo, sem dormir, pensando por que diabos não eliminou o Brasil quando pode. JAQUELINE fez O jogo da vida dela! Parabéns demais às guerreiras vitoriosas Sheilla, Thaísa, Fabizona, Garay, Jaque, Dani Lins e Fabizinha! P.S.: ô Dona Natália, tá com uma medalha de ouro de graça, espero que a faça por merecer sendo a melhor ponteira/oposta de nossa nova geração.

tete disse...

Fico com a sensação que 3 jogadoras não mereceram a medalha que ganharam. Não vou ficar fazendo mea culpa, só não ficamos em nono por causa de uma combinação de resultados e sim se voltassemos em nono naquele momento seria merecido a seleção não estava jogando nada e também acredito que se as olímpiadas fosse um torneio maior como Grand Prix elas não conseguiriam manter o pique dos jogos da reta final é frase feita mas os jogos olímpicos é a hora que o atleta supera os seus próprios limites e elas deram tudo de si nos últimos jogos. Gosto das mensagens nas entrelinhas que os repórteres e apresentadores do Sportv estavam passando o Zé Roberto deu uma entrevista e falou da união e do amor do time das atletas umas com as outras e o apresentador depois falou que existem vários casos de atletas e times que não se falam não se gostam, mas se unem para ganhar o ouro.Parece que foi o caso da SFV tudo começou a melhorar depois da reunião das jogadoras. Ao dar entrevista na conquista do ouro Fabiana que estava com a camisa da Mari e logo após o ouro foi perguntada se ela agradecia também a Mari pela de ouro apesar da palavra agradecer não ter sido a melhor palavra, mas ela agradeceu de a Deus ao cachorro mas não tocou no nome da Mari e a natilia poderia ter um pouquinho de dignidade e deixar outra jogadora entrar com a camisa da Brait dar entrevista e dizer que o ouro também era dela e que ficou triste por ela não estar lá é muita hipocrisia da parte dela.

Laura disse...

Eduardo, vi esta cena, mas acho q foi por acaso mesmo q aconteceu. Digo, as jogadoras saíram pra comemorar e quem puxou o "levantamento" do Zé foi o pessoal da comissão e elas nem viram q eles ia fazer isso.

E o Ary Graça falou q, por ele, continuam os mesmo técnicos, Zé e Bernardo. Se o Zé não ficar, acho q va sobrar para um d seus pupilos, Paulo Cocco ou Claudio Pinheiro. Eu acho q seria boa uma renovação, um treinador com uma linha diferente a do Zé, mas acho difícil q isso ocorra.

Welmer disse...

Laura, o que você achou da declaração da Logan Tom sobre a comemoração das brasileiras??

Eu não achei nada demais, mas eu tenho receio que isso possa prejudicar o relacionamento dela com as brasileiras visto que ela jogará a próxima temporada pela equipe do Bernardinho.

Laura disse...

Pois é, não entendi direito pq primeiro ela diz q faltou respeito, depois diz q é o jeito das brasileiras... Mas me soou um pouco de despeito e arrogância.

Tb me preocupa pq não ouvimos as declarações orginais da Tom, as jogadoras brasileiras podem entrar no diz-que-me-disse, cada uma interpretar de uma maneira e a coisa pode tomar uma proporção q prejudique o trabalho dela aqui.

Renato disse...

Reflexo das excelentes campanhas do volei nas Olimpíadas. O SPORTV em sua programação, já começou a colocar a chamda da Superliga de Volei que iniciará em novembro. Vamos torcer para que eles aumentem a quantidade de jogos a serem transmitidos e também escolham um horário nobre, pois o volei merece !!
Tete concordo com você em relação ao companheirismo entre as jogadoras. Fabiana agradeceu a Deus e ao mundo mas nem tocou no nome da Mari e depois isconversou, Natália foi hipócrita e inconveniente,a única que se saiu mais ou menos bem foi a Sheila que homenageou a Fabíola. Ah a Fabi deu uma entrevista logo após o final do jogo mencionando o nome de todas (ao meu ver a mais sensata)

Paulinho Adorador disse...

Deveriam ter pelo menos citado mesmo o nome das que ficaram pelo caminho. Principalmente a Brait que sentiu o gostinho de Londres.
Concordo que deve haver uma renovação na seleção, a meu ver a começar pela comissão técnica. Acho que todo mundo deve ser substituído. Um excelente nome seri a Ana Moser, caso ela queira ser técnica. Outro bom nome , para o caso dos homens principalmente, seria o Giovane.
Mas acho que a CBV não vai mudar nada.

tete disse...

Renato vamos ver essa união toda quando começar a Superliga e as jogadoras se estranhar em quadra. Vi muitos jogos do Unilever no Sportv, mas fico na dúvida se só transmitiram os jogos das grandes equipes.
Paulinho tenho minhas dúvidas sobre a Ana Moser ser técnica. Quando a Fernandinha fez seu primeiro jogo e ela ficou falando no twitter que a vaga era dela qeu a Fernandinha era melhor, quando cortaram a Fabiola ela falou que era triste o corte, mas não interessava se era Dani Lins ou Fabiola era Fernandinha e mais 11. Acho meio anti ético e além disso vimos depois que a Fernandinha só entrou nos jogos fáceis e não notamos as deficiências dela além da altura, ela me passou que seria mais uma a fazer panelinha. Paulo Coco é discipulo de Zé não ia mudar nada.

Giovanna disse...

Em relação a comemoração das brasileiras: eu achei, sim, exagerado por parte das meninas. Não exagerado do ponto de ser ofensivo, mas de ser infantil. E quando a Fabizinha fez aqueel 'shhh', eu me senti ofendida tambem pois parecia ser um shh pra todos que 'ousaram' duvidar da capacidade delas, mas vem cá, QUEM não ficou com um pézinho atrás depois daquela campanha horrorosa da primeira fase? Ela que não me venha fazer shhhh, porque o que aconteceu nas quartas, nas semifinais e na final foi uma NOVA equipe, não aquela mesma da primeira fase, foi uma equipe mais arrumada, mais equilibrada emocionalmente e que conquistou melhores resultados, diferente da equipe de antes.

Em relação aos técnicos, eu sinceramente acho que ambos aprenderam com seus erros. O Zé com as escalações erradas (gente, me diz se não foi um tremendo tapa na cara ele olhar pro banco durante a primeira fase inteirinha e ficar desolado pelas escolhas que eles fez? Ele pode não ter VERBALIZADO, mas que ele tava perdido, ele tava sim.), acho que serviu de lição pra, se ele seguir com a SFV, não deixar pra 'testar' as jogadoras a 2 meses das Olimpiadas, como ele fez com o Grand Prix...se ele continuar, tem que haver RENOVAÇÃO, mas ele já precisa encorpar a nossa equipe principal desde 2013, quero dizer,já precisa dar uma olhadinha na Superliga e escolher quem vai fazer parte da nossa equipe titular, pra elas já irem se enturmando e não chegar em 2015, 2016, e estarem fora de entrosamento. Eu apoio o Zé continuar no comando, acho que o baque da primeira fase vai nos poupar de que ele meta os pés pelas maõs denovo.

O Bernardinho também acho que mereça continuar, mas daí eu já acho que em 2016 ele vai estar com uma idade mais avançada acho que seria ideal ele passar o bastão, mas vai doer um pouquinho por tudo que ele fez nessa década pelo nosso volei masculino!!! :(

Obs: odiaria que o Paulo Coco comandasse alguma das 2 equipes, não vou com a cara dele, e mais que dizem da briga com a Mari, que ele foi fazer a caveira da Mari pro Zé...mais ladainha na SFV não. Gosto do Luizomar (hauahauaa será que é pq eu torço pro Sollys? hahaha) acho ele pé no chão, sem afetação...

Bom, o resto que aconteceu nessa final histórica vai ficar na mente pra sempre!!! Pena que não trouxemos 2 ouros pra casa, mas tá valendo o esforço!!!

Paulinho Adorador disse...

Não sabia desses comentários da Ana Moser em relação à Fernandinha, mas pelo jeito era o mesmo pensamento do Zé.
Também não gosto do Paulo Coco, gosto Luizomar, centrado e inteligente.
Quanto ao Bernardo, acho que tá na hora dele descansar um pouco, e concordo com um comentário do Voloch: "A seleção ficou pequena pro Bernardo e pro Bruninho" e convenhamos, o Bruno cresceu muito nesses Jogos.

Paulinho Adorador disse...

Outra coisa, acho interessante pensar no Campeonato Mundial também, não apenas nos Jogos de 2016, afinal é o grande título que a SFV ainda não tem.

amanda disse...

49 edsmac48 Acompanho a selecao feminina desde 2008 no seu primeiro ouro olimpico.. ze roberto faz um espetaculo com essa selecao apesar de que nessa ultima olimpiada errou em tres coisas.. trocou fabiola por fernandinha, era pra ter levado a camila brait ta defendendo muito na liga mundial.. tudo bem que a marianne nao ta jogando o que ela pode de verdade, mas com certeza tinha mais ritmo de jogo que a natalia ( estava 1 ano parada ).. sofri em todos os jogos, unclusive o jogo da russia assisti ao vivo, e percebi no rosto delas uma expressao "tranquila" de confianca, esse ouro foi mais que merecido.. no meu ponto de ver! queria mt que o ZR continuasse o traalho dele.. mas claro renovando algumas jogadoras.. a base para 2014 no mundial e 2016 ja esta quase formada.. fabi ja chefgou ao seu limite e esta na hora de ser trocada por brait fernandinha por fabiola, paula pequeno.. nao atuou como deveria, e acho que exista ponteiras mais eficaz.. sheilla, jaque, garay, thaisa, dani e fabiana.. essa sim eh a base!!! jogaram mt, e ate que fim sheilla voltou a jogar como aquela que anos atras encantou o mundo inteiro, jaqueline demonstrou que eh COMPLETISSIMA, defesa, saque, ataque, recepcao.. ela fez de tudo!! thaisa esta matendo sua otima linha de jogo, dani lins fez maravilhas.. joga muito!! e fabizona, nao via ela jogar com alegria e tao beem a mt tempo!! parabens meninas, se continuarem asssim.. com essa base claro, serao tri sem duvida!!!