domingo, 8 de julho de 2012

Balanço B - Copa Yeltsin

Duas vitórias, duas derrotas. A seleção B começou bem a Copa Yeltsin ao vencer o time principal da Itália e as jovens polonesas. Caiu de rendimento e contra Cuba teve dificuldades na virada de bola. Na última partida, contra a Rússia, não teve forças para fazer um jogo equilibrado. No fim, ficou com o terceiro lugar.

Mas mais do que os resultados, é bom ver em ação jogadoras que logo, logo estarão vestindo a camiseta do time principal – isso, é claro, se for seguido um padrão de justiça e merecimento que não seja aquele utilizado pelo Zé Roberto.

Claudinha, Daroit e Gabi são os primeiros nomes. A Gabi tem uma leveza e velocidade que o Brasil atual precisaria no ataque. Claudinha tem um toque muito bom, falta melhor visão de jogo. E a Daroit, apesar de ter atuado melhor ano passado, é daquelas jogadoras completas. Tem bom saque, ataque e bloqueio, é ágil na defesa, só precisa melhorar o passe.

Senti falta de mais experimentações por parte do Claudio Pinheiro. A Copa Pan-americana, que começa quinta-feira, é uma chance para fazer mais testes. Na Yeltsin, a Letícia Hage poderia ter entrado, principalmente para melhorar o bloqueio, fundamento que não apareceu nestas partidas.  E mesmo porque as centrais titulares não foram o forte deste time. A Andressa foi bem no ataque, mas é inconfiável ao errar tanto saques em momentos importantes. E a Natasha teve atuações apagadas, repetindo a última temporada no Minas. 

************************

No meio de tantas promessas, Sassá e Joycinha apareceram bem. A oposto se destacou na partida contra Cuba, apesar da derrota brasileira. Acho que a Claudinha poderia tê-la usado mais durante a Copa, inclusive para ver até quando a Joycinha segurava a onda de levar a pontuação brasileira.

E a Sassá mostrou ser aquela jogadora de sempre, com qualidade no fundo de quadra, um bom saque e um ataque de habilidade, mas não decisivo. Para mim, é certo que ela estará na lista do Zé Roberto.

10 comentários:

Eduardo Araujo disse...

Oi Laura estava esperando esse seu post!!

Bom vou começar as minhas analises pessoais.

Começarei pela vitória do Brasil em cima da Itália que estava com o time titular, a desculpa nossa serve pra elas também, esse time da Itália estava treinando somente e não fazia uma partida oficial desde a vitória da copa do mundo que classificou elas para as olimpíadas então acho que a desculpa de fora de ritmo pode servir.

Em relação a nossa seleção vou começar pelo técnico ele é um auxiliar do ZR e técnico do Pinheiros, com ele o Pinheiros fez a pior superliga da história, td bem vão falar: O Pinheiros não tinha grana para fazer um bom elenco, vdd, mas o Mackenze e o Praia Clube também não tinham e tiveram a capacidade para fazer boas contratações e fizeram uma superliga de respeito.

E é engraçado como ele tem o mesmo comportamento do ZR, contra a Russia o Brasil vencia o 1 set com uma boa vantagem, ai a oposta da Russia começou a sacar bem!!! e em cima da Sassa que errou todas ele me troca levantadora, depois destroca ai faz a inversão 5 X 1, nada da certo pq simplesmente não são as levantadoras, mas a recepção tira a Sassá e veja o que da, pior não fica e o problema aconteceu novamente no começo do segundo set! em uma rede muito parecida com a rede da seleção principal aonde tem uma Nathasha que bloqueia melhor que ataca (isso me lembra a Fabiana) com uma levantadora.

Outra coisa como é feito a seleção de jogadoras para poder entrar na seleção brasileira, eu não tenho a menor ideia dos critérios utilizados, o ZR jura de pé junto que existe um critério, mas nunca falou para e imprensa quais são eles, para falar que não falou em uma entrevista disponível no now ( Um sistema utilizado na TV a cabo NET) ele afirma que o mais importante é a atleta ser uma jogadora de grupo, depois do corte da Fabíola duvido muito desse critério dele!

Sendo assim como explicar determinadas jogadoras na seleção como por exemplo Suelem, Ana Tiemi, Ju Nogueira e outras.

A Ana Tiemi ela é reserva a uns 3 anos em clubes, esse ano foi contratada pelo VF para ser titular, resultado perdeu a vaga para Ana Cristina, pergunto como fica a cabeça de outras levantadoras que são titulares nas suas equipes e na seleção e veem uma reserva na seleção B?

Ju Nogueira ela foi reserva da Sheilla na Unilevar, ser reserva da Sheilla significa que vc vai jogar 10% dos jogos, esse ano por exemplo, como analisar uma jogadora dessa? se ela nem jogou??

Suelen como eu disse antes em outro post ela tem um passe do nível da Brait, o problema é o peso dela deixa ela lenta ou seja ela tem um ótimo passe e a pior defesa da superliga!! e a libero do Minas que foi a segunda no passe e uma das melhores na defesa não esta na seleção, qual critério é usado? cade a logica?

Fora que quando eu via a seleção do Brasil com a Suelen, me lembrava muito da seleção do Uruguai com aquela levantadora fora do peso, parece uma seleção amadora.

A minha teoria é simples muitas dessas jogadoras estão na seleção B e estão no time de Campinas comandado pelo ZR, na minha opinião isso é pura propaganda e inclusive Campinas já esta usando isso e ele esta usando o centro de treinamento da CBV para dar ritmo e entrosamento para o time dele.

A CBV ela tem que colocar as coisas em panos limpos, definir critérios para seleção de jogadoras e o técnico tem que seguir isso, por exemplo o técnico pode escolher 5 jogadoras por posição baseadas nas estatísticas que são números individuais.

Seguindo essa logica levantadoras ele poderia escolher da 1 a 5 colocadas, nada de pegar uma levantadora que ficou em 9 nas estatísticas por exemplo.

Isso poderia acabar com os jogadores que possuem padrinhos no vôlei.

Em relação a Glaudinha eu achei que ela foi bem, bolas difíceis que tiveram que ser levantadas com uma mão ela não teve problema e é uma bola difícil e fez ate inversões com esse tipo de bola oq é mais difícil ainda, realmente ela pode melhorar a visão de jogo, mas gostei do estilo dela.

Eduardo Araujo disse...

Para concluir, depois de ver as 2 seleções que faltavam, acredito que o Brasil tem chances de levar uma medalha, fico imaginando a oposta Russa contra a Fernandinha, vai ser over direto e todos os times vão usar esse problema de altura dela, faltando ai 19 dias para começar, vamos ter que treinar toda a defesa outra vez para tentar cobrir esse problema com tão pouco tempo disponível, vai dar um grande trabalho.

Welmer disse...

Laura, Gostei do desmpenho da selecao b do Brasil nessa Yeltsin Cup.

Gostei muito das atuacoes da Claudinha e da Gabi, Sassá também teve boas atuacoes, mas no jogo contra a Rússia quinou muitos passes.

Quem me surpreendeu foi a Joycinha, ela mostrou um voleibol melhor que o que ela jogou na Superliga.

Espero ver no próximo ciclo olímpico essas jovens jogadoras que se destacaram, e ver também jogadoras que podem evoluir nessa próxima temporada, como a Juliana Carrijo, levantadora do Praia Clube.

Anônimo disse...

Sassá tava com o passe horrível na Yeltsin Laura, hello!

Anônimo disse...

Ei, vamos fazer uma campanha para Zé Roberto levar Gabi para as Olimpíadas. Penso que ela seria muito mais útil que Jaqueline, inclusive. É decisiva, coisa que precisa ao Brasil, e tem ótimo fundo de quadra. Vamos fazer chegar este desejo aos ouvidos do Zé Roberto, seria bom para o Brasil.

tuliobr disse...

A Rússia venceu a competição que homenageia o primeiro presidente da era pós-soviética, o bonachão Yeltsin, que era mais fã de vodka do que de vôlei. E fez isso sendo a boa e velha Rússia que amamos odiar: o último ponto foi da Gamova batendo por cima do bloqueio. A Rússia jogando como Rússia é perigosa sempre (esqueçam a era Caprara) e, para aqueles que esperam a aposentadoria da Gamova e da Sokolova, aconselho perderem as ilusões: o suprimento de ...ovas altas e fortes por lá parece inesgotável. Já a Itália continua sofrendo com a fase Professor Pardal do Barbolini. O corte da Ortolani intrigou até o mais fanático torcedor da Azzurra, mas este é um time cascudo que tem uma coisa que o Brasil não tem mais: uma superlevantadora. Quanto ao Brasil B, que eu achei mau convocado, teve uma participação digna. Penso como o Eduardo: jogadoras reservas em seus times na SL não deveriam estar ali. O caso da Suelen é ainda mais inexplicável: correndo o risco de ser politicamente incorreto, acho que sua presença em uma seleção que representa o Brasil em competição internacional depõe contra o corpo técnico da CBV que deveria cuidar da forma física das atletas. Creio que é um risco para a própria jogadora que, com seu evidente sobrepeso, certamente está mais exposta à possibilidade de lesões que poderão prejudicar até mesmo sua vida pós-vôlei. Mais importante que a medalha de bronze talvez tenha sido o prêmio individual da Gabi: um talento muito promissor, que acompanharemos torcendo com entusiasmo!

Lilian disse...

A selecao B sofre dos mesmos traumas e amareladas da selecao A, foi assim contra CUBA e RUSSIA. Gostei da GABI, CLAUDINHA e JOYCINHA. Detestei o fato de TIEMI, JU Nogueira e SUELEN serem convocadas para uma selecao brasileira. Tava na hora do Ze’ Paneleiro da’ lugar a um outro tecnico, como o Talmo, Spencer Lee ou algum outro que nao fosse tao injusto e paneleiro. Como explicar a injustica feita com a Fabiola? Como Dani Lins conquistou a vaga sem se expor no Grand Prix? Qtas vezes a Fabiola comecou um campeonato no banco de foi jogada na fogueira para salvar os apagoes da Pani Lins? Isso aconteceu no Mundial/2010, na Copa do Mundo/2011… Dani Lins sempre deixou o time na mao! Ze’ cortou Fabiola por motivos pessoais: Ele nao gosta da Fabiola. Outra que sempre e’ convocada injustamente e’ ANA TIEMI, pelo Ze’ a eterna reserva Ana Tiemi estaria em Londres, pq Dani Lins e Tiemi sempre fizeram parte da panela! Como explicar a convocacao da obesa Suelen, que agora na selecao esta’ mais gorda ainda que na Superliga e deixar liberos do nivel da Tassia e da Michele Daldegan de fora? Como explicar o fato de a Jacqueline ser intocavel? Como explicar o fato de o Ze’ convocar as jogadoras do seu time Campinas p/ treinar na selecao enquanto jogadoras mais qualificadas fcarem de fora? Como explicar outra eterna reserva, a JU PERDIGAO, ser convocada p/ a selecao? O excesso de cara-de-pau subiu a cabeca do Ze’ e o cumulo disso tudo foi a crueldade de cortar Fabiola no saguao do aeroporto, onde ate’ as proprias colegas de selecao form pegas de surpresa! Absurdo, diante de tantas incoerencias e injusticas fica dificil torcer p/ a selecao brasileira!

Anônimo disse...

Tomora q um fiasco da seleção em Londres corte a cabeça do paneleiro.

tete disse...

Essa seleção B responde indiretamente a um debate feito há um tempo aqui no blog, quando teve rumores que o Zé queria voltar a treinar um time feminino aqui no Brasil e continuar técnico da Seleção e o Bernardinho e o Luziomar foram contra. Agora já sabemos a resposta, o Zé não seria isento nas suas escolhas e os times e as jogadoras seriam prejudicadas. Quanto ao caso Fabiola foi desrespeitoso a maneira que foi feita o corte foi, mas não podemos ficar vitimizando a jogadora ela, Juciely e até mesmo o Marlon sabem como funciona a seleção e usufruiram dessa posição de jogadores de seleção,Fabiola começou na seleção no time do Pinheiros hoje joga no Sollys não digo que ela não se destacou e não mereceu ir para um time mais bem estruturado e com mais recursos, porém não tenho certeza que ela estaria ganhando um salário tão alto como ganha agora sem ter sido jogadora de seleção.

Luiz Felipe disse...

Não entendi Natasha e Suellen na seleção B... Natasha já tem 26 para 27 anos, não é nenhuma promessa. Valeria a pena usar a L. Hage, sem dúvida, essa tem futuro na seleção... Qto a Suellen, pelamordedeus, não vou nem comentar o sobrepeso da atleta, mas como não convocar Tassia jogando o que jogou na última temporada?? Suellen não conseguia fazer um peixinho... Acho que o ZRG panelou feio mesmo. Defendo ele no corte da Fabíola - acho Dani Lins muito, mas muito melhor - mas bola fora nessa seleção-Amil-Campinas dele... Bom, contanto que ele não corte a Mari, posso tentar perdoá-lo, rs...