Brasil 3x1 Alemanha

O Brasil conquistou a primeira vitória de 3 pontos no GP. O bom resultado, porém, veio depois de um início de partida bastante estranho. A seleção começou travada e com as reações lentas. Deixou a Alemanha assumir o jogo. Fiquei preocupada neste momento da partida com a Fabíola. Cheguei a pensar que ela tinha esquecido a ótima temporada que fez no Sollys.

A seleção estava repetindo os problemas da primeira rodada: o ataque tinha dificuldades imensas em pontuar. E com um agravante: ao contrário do time que jogou na Polônia, a equipe não compensava no bloqueio.

*********************

Mas a partir de uma sequência de bons saques no segundo set, o time engrenou. A Fabíola começou a acelerar as bolas e o time brasileiro impôs um ritmo de ataque mais dinâmico, o que complicou a marcação alemã. Assim, Sheilla e as centrais cresceram no ataque. 

A oposta dividiu a atenção com a Thaisa, outro destaque do time. Ela fez a diferença no saque. O mesmo não se pode dizer da sua companheira de posição. Fabiana teve bons momentos no ataque com a melhora da distribuição da Fabíola, mas pareceu perdida, fora de jogo durante a maior parte da partida.

Outra atleta que ainda tem a mostrar nesta etapa do GP é a Jaqueline, tanto no ataque como na defesa. Neste ponto, o Brasil, em geral, ficou devendo. A seleção desentrosada da primeira fase mostrou melhores resultados no bloqueio e na defesa. É inevitável que se espere o mesmo desempenho do time principal.

********************* 



O Zé Roberto dessa vez foi moderado nas substituições, deu tempo para que as jogadoras “entrassem” no jogo. Afinal, esse é o time titular que ele tem em mente, com exceção da Paula. Portanto, ele precisa investir. Mas, ao que tudo indica, ao final desta etapa no Brasil, o treinador vai que ter que repensar algumas posições e abrir caminho para as jogadoras do banco - mais precisamente a Adenízia e a Brait.   

Comentários

Eduardo Araujo disse…
Então concordo em partes com vc, no primeiro set o brasil estava péssimo,mas não acho que seja tanta responsabilidade da fabiola, como a thaisa falou, as atacantes que não estavam batendo forte e quando batiam elas pegavam, a thaisa mesmo falou para a fabiola pode colocar bola em mim que eu vou descer o braço a partir de agora, quanto a paciência que vc mencionou Ze ate fez a inversão no primeiro set e as coisas ficaram do mesmo jeito ai ele desfez.
O Brasil melhorou no segundo set, a fabiola distribuindo melhor as bolas e todo mundo se apresentando para o jogo.
Esse negocio da Fabizona ter ido para a turquia eu não achei um negocio legal, ela ficou muito tempo no banco e jogou pouco, faz meses que ela esta parada, hj ela estava totalmente perdida em quadra, principalmente na rede e aquela bola no fundo que caiu, eu quis matar ela, mas logo depois a ade entrou e não saiu mais, chegava em todas as bolas, a diferença de ritmo é nítida.
Outra que eu queria matar era a paula, a recepção dela estava nojenta, o Ze fez o certo colocou a Mari tem uma recepção nojenta também, mas pelo menos é mais forte no ataque.
Quanto a fabi ate que eu gostei dela, achei que ela acertou mais recepções que geralmente ela consegue, mas na defesa não foi grande coisa, mas ai tem desconto o nosso bloque muitas vezes nem existia, principalmente com a Fabizona na rede.
A jaque eu achei que foi bem com 5 erros de recepção, ela esta no time para dar mais eficiencia na defesa e no passe ou seja fazer o trabalho que ela fez no sollys principalmente no segundo turno da superliga.
Luh disse…
O Zé Roberto está mais perdido que suas jogadoras um exemplo é o caso da Mari é ponteira ou oposta? Acho Adenísia muito jogadora de superliga muita marra no Brasil e não é tão "cubana" pela seleção, mas é indiscutível que está jogando muito, porque ficar no banco? Toda hora fala- se da falta de entrosamento, mas o que elas ficam fazendo em saquarema? turismo?
Acho que o Zé parece que já definiu o time que vai a Londres. Só vai esperar a Garay voltar pra saber se ela ou Paula será titular ao lado da Jaqueline. Sobre o jogo:1º Set melhor nem comentar, a partir do 2º set o jogo começou a encaixar, Sheila voltando a ser decisiva, Thaísa mostrando que está muito melhor que Fabizona, Fabíola surpreendo com uma distribuição que não víamos na seleção, somente no Sollys, não acho que a Jaque foi ruim, apesar de alguns erros de recepção, ela conseguiu virar algumas bolas que dificilmente viamos, Paula compensou o passe em alguns momentos de técnica no ataque, a única que achei que não compensou as falhas de alguma forma foi a Fabizona, ela parecia perdida no jogo, parada. E Mari voltou a entrar bem e a fazer diferença.
Enfim, acredito que se apararem as arestas esse time pode render muito.
tuliobr disse…
Em primeiro lugar é preciso reconhecer o mérito da Alemanha. São as vice-campeãs européias, têm um bom técnico e jogadoras voluntariosas. Porém é inegável que o primeiro set foi um dos piores que uma Seleção Brasileira, de qualquer categoria, já apresentou na história do esporte, tal a apatia e a absoluta falta de organização tática. Desentrosamento é no mínimo insuficiente como explicação. Melhorou depois, mas no saldo geral eu acho que a jovem levantadora alemã ganhou o duelo com as centrais do Brasil (imaginem se fosse a Lo Bianco do lado de lá...), a Alemanha estava mais bem postada em quadra e foi mais eficiente no contra-ataque e na virada de bola na maior parte do tempo. O Brasil deve muito de sua vitória a algumas boas seqüências de saque com Sheilla e Thaísa e, talvez, a uma 'camisa mais pesada'. O JRG ainda terá muito trabalho, será para ele muito amargo, e eu não sei se ele conseguirá, reconhecer que a Fabiana e a Fabi não têm lugar nesse time titular. A central já tinha feito uma temporada apagada em Araçatuba e sua ida para a Turquia parece ter piorado as coisas. A líbero não consegue mostrar-se superior à jovem Camila Brait, que só não é dona da posição pelo que a Fabi fez no passado, mas não pelo que ela joga no presente. Esta não foi a estréia deste grupo, que já jogou o pré-olímpico e é composto por atletas que se conhecem bem; Fabíola, Thaísa e Jaqueline passaram a temporada toda no Sollys jogando muito mais do que o exibido contra a Alemanha. O trabalho terá de ser intenso e, pelo pouco tempo disponível até as Olimpíadas, precisa ser focado; por conta disso, acho que o JRG precisa tomar agora algumas decisões a respeito do quê ele quer da Mari, de suas levantadoras, das Fabianas e das ponteiras. Disso dependerá a defesa do título olímpico. O MacCutcheon parece não ter tantas dúvidas hoje quanto o seu colega brasileiro...
Wilson disse…
Não dá para deixar a Adenizia no banco e a Fabiana jogando; a mesma coisa em relação a Fabi e Camila. Não se ganha Olimpíadas ou jogos com glórias do passado, tem que colocar quem está melhor. Se fosse assim, era só colocar o Pelé para jogar futebol na seleção brasileira (apenas comparação). Só faltava o ZRG continuar com a cabeça dura que aparenta ser e deixarmos o bi por esse tipo de coisa.
Welmer disse…
Acho que a seleção entrou m quadra muito tensa e isso comprometeu o 1º set. O 2º set elas também começaram mal, mas depois da sequência de saques da Sheilla botaram a cabeça no lugar e se impuseram diante da seleção alemã, a vitória da seleção brasileira só voltou a ser abalada no quarto set, mas com mais um saque salvador da Sheilla as meninas saíram com a vitória.
Também acho que a Adenízia deve ser titular, Fabiana tá visivelmente sem ritmo de jogo.