sábado, 30 de junho de 2012

Brasil 3x0 Tailândia

Mais uma convincente vitória brasileira na fase final do GP. A Tailândia poderia ter sido um adversário complicado, mas o Brasil achou a maneira como enfrentá-las e conseguiu o 3x0.

A seleção brasileira soube aproveitar a baixa estatura das tailandesas para pontuar no bloqueio e no ataque, explorando a marcação da Tailândia. E, com o ótimo volume de jogo tailandês, soube trocar bolas e armar contra-ataques com organização.

O saque brasileiro também fez bem o seu papel contra uma equipe que tem duas das melhores passadoras da competição. Sheilla foi a principal atacante e foi fundamental para a equipe nos momentos iniciais do primeiro set em que o Brasil perdia.  

************************

Desde a partida contra a China, quando entrou durante o segundo set, a Fernandinha tem sido elogiada e considerada a responsável por esta nova fase que o Brasil vive na competição. Pois eu não concordo.

A mudança significativa veio na concentração e regularidade que a equipe, como um todo, conquistou, e na consistência do fundo de quadra, com o trio Fabi, Garay e Paula. O que não deixa de ser surpreendente, pois o Brasil ganhou em qualidade neste ponto com a saída da Jaque, teoricamente a nossa melhor ponteira no fundo de quadra.

Não quero desmerecer a Fernandinha, gosto da segurança que demonstra. Mas acho que está tendo um exagero, temos que ser realistas. Ela e a Fabíola estão no mesmo nível. Quando a Fernandinha trabalhou com passe ruim teve as mesmas dificuldades da Fabíola. E Cuba e Tailândia foram times mais tranquilos no saque, o passe veio na mão e ela soube trabalhar bem – como a Fabíola fez nos raros momentos em que o Brasil apresentou uma boa recepção.

Acredito que a Turquia será um melhor teste para esta formação. De qualquer forma, depois de um começo ruim, o Brasil reconquistou a confiança. E isso é o mais importante.


Pê ésse:

- Acho um desperdício colocar a Brait como jogadora "comum" e aproveitá-la somente em uma passagem no fundo de quadra.

16 comentários:

Tetê disse...

Laura o problema é que nesse Grand Prix as seleções estão jogando com times mistos ou com reservas e a nossa seleção continua na eterna fase de ajustes e falar que o time ganhou confiança, mas com esses últimos adversários se jogasse no desespero era para elas voltarem para casa.
Só um pê esse: há um tempo atrás alguém falou uma frase e eu tenho que concordar quando falavam de que era melhor Bernadinho ou Zé Roberto e falaram que o Zé faz a linha bom moço e eu concordo que ele faça mesmo esse papel e não que ele seja, ele disse que todas teriam oportunidades iguais para mostrar quem estava melhor isso é uma mentira cade a Tandara, Juciely e Dani Lins começando as partidas, deve ser extemamente incômodo você saber que você não vai e está lá a toa ou em algum momento alguém acha que ele cogitou Juciely para jogar as Olímpiadas, não desmerecendo o trabalho dela, mas se Adenizia jogando melhor do que a Fabiana não é titular cortada que a Fabiana não vai ser para Juciely ir. Ele já têm um time definido desde que começou a jogar o Grand Prix os únicos testes mesmo eram para Paula e Mari.

leonardo disse...

LAURA concordo contigo que o motivo principal pela melhora da selecao e' o trio PAULA, GARAY e FABI no fundo de quadra, a saida da JACK que ate' entao era INSUBSTITUIVEL surtiu efeito. Enquanto a BRAIT a melhor tatica e' qdo ela entra como LIBERO revezando com a FABI, pois nao queima substituicao e as trocas sao constantes. O Brasil estaria isolado na primeira colocacao se nao desse bobeira no tie break contra os EUA, pois o saldo de sets e pontos do BRASIL e' BEM MELHOR.

leonardo disse...

Se a CHINA ganhar dos EUA, TURQUIA e BRASIL tem chances de levar o OURO. LAURA, acho que tenho grandes chances de ganhar a camisa da promocao, pq apostei no podium, esses 3 times que estao nas cabecas. A selecao brasileira que vai a LONDRES parece que ja' esta definida: FABIOLA e FERNANDA; FABI e BRAIT; PAULA, GARAY e JACK; SHEILA e MARI; FABIANA, TAISA E ADENISIA.

Renato disse...

Olá Laura, mais uma vez você foi muito bem em seus comentários. Concordo com você em relação a Fernandinha e a Brait. Em relação a Fabi, ela continua acreditando muito em seu golpe de vista deixando a bola passar e aí a bola cai dentro. Isso não pode acontecer com uma jogadora experiente como ela. Lembro que este fato ocorreu também com a incrível Arlene em sua última temporada em Osasco. Será que seria excesso de confiança ?

Leonardo disse...

Olha Renato, muitas vezes esse golpe de vista da FABI da' certo, e quando nao da' e' pq a bola caiu muito proxima da linha, mas o saldo da FABI tem sido muito positivo e o Ze' ja' demonstrou que vai levar as 2 liberos que sao excelentes, FABI e BRAIT estao garantidas em Londres, e tenho certeza que nas OLimpiadas o Ze' vai usar as 2 se revezando.

João Lucas disse...

Laura, concordo com você à respeito das levantadoras. Fabíola e Fernandinha estão no mesmo nível,
estão aí por merecimento, são guerreiras e ousadas,só que sejamos realistas as duas são limitadas tecnicamente onde usam e abusam da imprecisão, ao contrário de Dani Lins que brinca com seu toque de bola, precisão e agilidade nos movimentos. Dani está longe da dupla dinâmica Fernanda Venturini e Fofão, porém, é superior a Fabíola e Fernandinha. O problema é que Dani é tudo isso ai com o time ganhando, quando está perdendo ela faz cara de derrotada e não consegue reverter o quadro ela é fraca psicologicamente. E olha que Lins teve suas oportunidades só que não soube aproveitar e com isso fez uma superliga 2011/2012abaixo da Fabíola, foi feito justiça Dani está fora de Londres. Ainda me pergunto por que Zé Roberto com a aposentadoria de Fofão não apostou no talento e experiência de Carol Albuquerque? Acredito que Carol era a única que assumiria a titularidade com bagagem e talvez preenchesse essa lacuna. Diante disso parece que nunca mais teremos levantadoras do porte da arrogante porém magistal Venturini e da serena e incrível Fofão.
Falando das outras posições o que aconteceu com Jaqueline Carvalho? Ela não parece a mesma que eu sempre defendi, esse ano a jogadora fez uma superliga brilhante onde no 1º turno levou o time do Osasco nas costas junto com Brait e Adê. Zé Roberto fez o óbvio ja que Jaqueline que é jogadora de composição atuando no passe e na defesa, tendo um ataque fraco não estava cooperando ele optou por Paula Pequeno e Fernanda Garay que são teoricamente inferiores no passe porém são infinamente melhores no ataque do que a mulher de Murilo Endres. E a seleção pena no passe, nunca pensei que diria isso mas Sassá tem feito falta pela sua experiência e seu grande fundo de quadra.
Outra posição preocupante é a de oposto. Mari ou Sheila? A primeira que vem enfrentando uma inacabável fase ruim, entretanto, tem seus lampejos de quando era a melhor do mundo e a segunda que se recupera de lesão e está com fome de bola e é talentosa. E por que não apostar na juventude e força de Tandara?
Entendo que Fabi tem seu serviços prestados só que é inferior a Camila Brait. E Zé Roberto não enxerga isso e é Fabi que vai como líbero para Londres e Camila deve ir como jogadora normal, o que é um desperdício de talento.
A única posição que apresenta mais certezas é a de meio-de-rede com a injustiçada e criticada Thaísa que vem sendo melhor jogadora do time e com a bloqueadora e vibrante Adenízia, o único ponto baixo é Fabiana que parece ter esquecido o bom voleibol que nos encantou.
Outra coisa falta também a esse time uma jogadora que assuma o papel de líder, ressalvo que respeito a capitã Fabiana só que ela parece não possuir esse peril.
Atualmete a única jogadora que encaixaria nesse perfil é a central Walewska que infelizmente se aposentou da seleção após 2008. Wal faz falta a essa seleção tanto pelo lado psicológico como pela técnica. Wal sabe o que é perder e ganhar uma Olimpíada sem contar que é a melhor central do país e uma das melhores do mundo.

Pê esse: É notório que essa seleção não vai ganhar o Grand Prix e muito menos o ouro nos Jogos Olimpícos deve ficar com a prata ou lutar pelo branze. Rezo todos os dias para estar errado e ver essas meninas no lugar mais alto do pódio. E com isso ao término desta olimpíada é importante apostar em um novo time para o ciclo olimpíco apostando em jogadoras como Claudinha, Juliana Carrijo, Priscila Heledes, Letícia Hage, Andressa, Carla, Suelle, Pricila Dairot, Gabi, Thís, Ingrid e Michele Daldegan. E continuar apostando nas talentosa Thaísa, Adenízia, Tandara, Natália Zílio e Camila Brait (atuando como líbero).

fabiane disse...

Gente...o que foi o passe da Fabi hoje, Brasil X Turquia?

Pê esse...primeira vez no blog e adorando! Parabéns.

Sandro disse...

Concordo com relação a fabiola e a fernandinha em numero genero e grau. Hoje no jogo contra a turquia, a jaque fez dela o que se espera o 3 set foi até lindo ver os passes dela, atacou bem e sacou bem e deixousua marquinha no bloqueio, quero ver quem será o time que o zé sairá jogando nas olimpíadas. MAs fiquei feliz por ver que quem foi pro banco, voltou com fome de bola querendo conquistar seu espaço, diga-se jaque e fabiana, que entrou no lugar da adenizia e mostrou que não é uma mosca tão morta assim. Pos esse ciclo olimpico,aguardem pois a tão procurada levantadora pra Substituir venturini e fofão estará pronta a ex reserva de ventutu e atual de fofa! Roberta, me lembro das suas atuações nas inversoes da superliga que sempre entrava bem e fazia as opções certas com bolas lindamentes levantadas, observava a bloqueadora pra distribuir é nova, lembro que a fofa disse uma vez que quando a fernanda aposentou ela estava pronta pra assumir o lugar isso era importante.. a roberta nunca atuou como titular em equipes, mas depois dessa escola toda mais o talento dela, podem aguardar!

Welmer disse...

Laura, gostei muito desses últimos jogos da seleção brasileira, mas, assim como você, não concordo que essa evolução se deva a entrada da Fernandinha como titular. Pra mim ela e Fabíola estão num mesmo nível, e a subida de produção da seleção deve-se principalmente a saída da Jaqueline do time titular, sempre defendi a Jaqueline, mas acho que essa substituição pode fazer bem pra ela.
O melhor mesmo dessa fase final, para mim, foi as boas atuações da Sheilla.

O Brasil poderia muito bem ter Ganhado o GP, mas não ganhou por causa daquela derrota para os EUA.

Pra mim, essa seleção reserva americana esta muito longe tecnicamente da titular, elas mantém a mesma postura tática, mas ao meu ver não tem nenhuma jogadora que faça a diferença, tirando a levantadora Alisha Glass, que pra mim tinha que ser titular.
Muitos não vão concordar, mas esta é a minha opinião. O EUA só ganhou esse GP, porque o Brasil não teve tranquilidade pra ganhar o Tie Break das americanas.

fabiane disse...

Concordo com Welmer,as diferenças técnicas entre o time A e B dos EUA são evidentes. Acho que o Brasil está muito aquém da seleção (A) americana, mas vêem evoluindo...espero que o tempo não seja o vilão da história. Quanto a Fabíola e Fernandinha, acho que a segunda tem mostrado mais personalidade. Entrar com um time fechado, com as panelinhas que sabemos que existem e aguentar o tranco...acho massa - "pê esse para o comentário deselegante da Fabizinha acerca da distribuição das bolas da Fernanda!" Também acredito que a seleção vem melhorando pelo que a Laura chamou de imprevisibilidade do Zé Roberto, que de fato faz as vezes de bom moço super protetor. Quando ele demonstrou ser menos tolerante com situações e desempenho de jogadoras cativas, a gente começou a ver sangue no olho na briga por vagas,rss. Exemplo disso foi o bom desempenho de Jaque contra a Turquia,depois de comer banco. Com relação a Mari, realmente não sei o que pensar. As vezes falam que ela não teve chances nessa fase final do GP, que ela tá no sacrifício...pra mim ela é sempre uma dúvida! Espero de coração, mas não acredito, em um Zé imprevisível nesta lista final.

Welmer disse...

Fabiane qual foi o comentário da Fabi???

fabiane disse...

Welmer, vi pelo sportv, comentário referente a Fernandinha não está dando bola pra Jaque. Confesso que não conheço o contexto desse grupo, acho que nenhum de nós - rss, mas alguns comportamentos e nuances são visíveis.

Anônimo disse...

Fabiane,você se refere ao momento em que o Brasil fex 15x9 no quarto set? Tem certeza que foi isso o que ela disse? Pergunto porque não consegui entender o que ela falou e, naquele momento, nem fazia sentido ela dizer algo assim.

fabiane disse...

Pois é anônimo...também não entendi. Foi o momento em uma sequência de saques salvo engano. E o Brasil vinha fazendo pontos de bloque...quase não havia contra-ataque. Sem falar que a Jaque entrou bem, fez o que tinha que fazer. Tô esperando pra ver se vai ter reprise na sportv.

Welmer disse...

Realmente Fabiane, parece que a Fabi falou isso e a televisão chinesa até focou na Jaque logo depois do comentário, mas parecia ilógico pela situação da partida naquele momento.

Laura disse...

João Lucas, lembro q depois das Olimpíadas a Carol deu a entender que não ia mais jogar na seleção, por opção dela. E tb fico surpresa com a queda de rendimento da JAque depois de uma ótima SL.

Fabiane, obrigada.Tens razão sobre a Fernandinha. E não me liguei nesse comentário da Fabi!

Welmer, tem diferença entre as seleções A e B dos EUA. O principal tem jogadoras diferenciadas. Mas os dois conjuntos são bem ajeitadinhos e na fase em q estão, tudo dá certo para eles!