sábado, 23 de junho de 2012

Brasil 3x0 Porto Rico

O Brasil cumpriu com a sua obrigação. Teria sido uma partida  bem mais tranquila se não fosse o cochilo da seleção no terceiro set. 

Com o passe na mão, a Fabíola conseguiu distribuir de forma equilibrada as bolas e usar as centrais, principalmente a bola de primeiro tempo com a Thaisa.

A Paula começou o jogo e tem merecido a posição de titular. Afinal, ela tem sido uma jogadora importante no ataque, ainda mais com a Sheilla inconstante neste fundamento. A Garay também se mostrou fundamental na primeira rodada, mas o mau desempenho no passe na partida de ontem comprometeu a atuação no ataque. Paula tem sido mais equilibrada, vamos ver como a Garay reage.  Está uma briga boa nesta posição.

*********************

Gostei da atuação da Fabi, mesmo não sendo um jogo em que ela tenha sido muito exigida. Mas acho que a disputa com a Brait está a motivando. Nada como ver a titularidade em perigo...

Dani Lins tem entrado bem, mas é aquela questão de sempre. Falta confiança - dela própria e nós nela - quando ela assume o time como titular ou em momento de pressão.

Agora, acho que o Zé Roberto poderia escalar de vez a Adenízia no lugar da Fabiana. Ela merece esta chance. A Fabiana melhorou desde a sua primeira partida, mas falta disposição e agressividade, o que a Adê tem de sobra. Adê e Thaisa formariam uma dupla perfeita para a seleção no momento.

9 comentários:

Paulinho Adorador disse...

Excelente post, concordo em gênero número e grau. Acredito que o Zé já definiu quase todas a as posições, com a dúvida apenas se leva duas líberos ou mais uma atacante.

tuliobr disse...

Nessa altura do calendário, devemos nos apegar a qualquer esperança. Tomara que essa esperança não esteja me enganando criando miragens, mas acho que vi algum progresso hoje. Claro que Porto Rico não é parâmetro, mas as jogadas com as meios-de-rede apresentam-se melhores a cada jogo, embora o repertório seja meio escasso, mas aí já seria pedir demais, creio que basta executar bem o básico. JRG parece ter na cabeça uma escalação com Jaqueline e Garay, mas a Paula luta de forma comovente. Hoje o time passou melhor com a Paula. JRG parece não abrir mão da Fabiana como titular, e vai deixá-la em quadra o máximo possível e rezar para que a moça recupere sua antiga disposição. O time ainda está lento, principalmente na defesa, e o levantamento para a saída e para entrada tem que melhorar em velocidade e precisão. O saque está melhor que na temporada passada, mas eu ainda preferia ver as jogadoras que sabem sacando viagem de vez em quando. Não sei vocês, mas acho o jogo contra a China uma partida crucial para a temporada: uma vitória convincente pode ser fundamental para dar a confiança que faz a diferença nas decisões; uma derrota e eventual eliminação pode ser um balde de água fria mortal para a temporada, além de privar o time de uma sequência de jogos necessária para a competitividade do grupo. Quanto à seleção porto-riquenha, duas observações: primeira, o saque da levantadora reserva é o mais fofo da competição; segunda, fiquei bravo com o técnico delas porque ele não colocou a Yarimar Rosa em quadra...

Renato disse...

Olá Laura. Parabéns pelo post. Disse tudo!! Vitória tranquila mas um apagão quase comprometeu. Para mim o jogo da Paula está evoluindo a cada rodada, e aliada a sua experiência, deverá ser titular.
Jaque hj esteve bem e acho que o Zé a tem como titular absoluta. Fabiana vem melhorando também, mas em alguns lances não demonstra a vitalidade e a garra demonstrada no passado. Ade tá no topo, bloqueia, ataca, grita, vibra. Ao meu ver será a vaga mais disputada. Em relação as levantadores você já conhece minha opinião sobre a Dani "óbvio" Lins. Não assisti o jogo de ontem mas achei que a Sheila deu uma melhorada também. Amanhã deverá ser jogão e um teste muito difícil, vamos torcer para que o jogo de nossas meninas possa fluir bem e que o Brasil leve a melhor sobre as chinesas.

Welmer disse...

Eu gostei da jogo, apesar, de como você disse, Porto Rico não servir de parâmetro. Espero que o Brasil tenha uma boa atuação amanhã contra a China.

Laura, você pode tirar uma dúvida minha.
Há boatos de que a cubana Kenia Carcaces possa jogar a próxima Superliga. A minha dúvida é que ela já jogou fora de Cuba em 2005, mas ano passado ela defendeu a seleção cubana, como isso pôde ocorrer???

Luh disse...

Dani Lins tem entrado bem em momentos decisivos acho que o medo de perder a vaga tem feito bem a ela, porém ela e até mesmo a Fernandinha tiveram poucas oportunidades de jogo, colocar as levantadoras quando ele acha que o jogo está perdido não é dar oportunidade e nem entrosamento com as demais. O jogo da Fabíola continua previsivel todo mundo sabe que várias vezes durante o jogo ela vai atacar bolas de segunda. Adenizia banco até quando? Concordo quando falam que o time precisa de liderança, acho que a Paula faria bem esse papel, o time precisa de gente que vibre, grite que chame a responsabilidade.É de praxe todo jogo tem apagão, na olímpiada não tem jogo fácil e isso vai prejudicar o time.

Laura disse...

Welmer, li isto recentemente:
http://voleisemfronteiras.blogspot.com.br/2012/05/cuba-carcaces-defendendo-polonia-daqui.html

De qq forma, mesmo ela saindo de Cuba, imagino que ela deva cumprir dois anos sem jogar...

Mas não sabia q ela já havia jogado fora de Cuba. Onde foi?

tuliobr, tens toda a razão. O jogo de amanhã pode definir muito coisa para a seleção, sobretudo no lado anímico.

Eduardo Araujo disse...

Oi hj o jogo pra mim foi normal, nada de muito importante aconteceu, não sei como esse time tirou um set da china e no jogo de antes do Brasil a China sofreu para passar por Cuba.

Pra mim o time ideal do Brasil seria, fabiola, fernanda, Thaisa, Fabiana, Ade, Jaque, Garay, Paulo, Tandara, Mari e Brait, já que tanto a Tandará como a Mari podem ser opostas ou ponta.

Vejo que um time com a jaque e a garay o passe tem que ser perfeito, pq ai a fabiola consegue trabalhar as bolas de forma rápidas, tanto é que fomos o segundo time a tirar um set dos EUA, o problema esta quando o passe não funciona.

Na minha opinião nessa situação com o passe todo errado não é necessário a Jaque e nem a Garay, com o passe ferrado precisamos ter virada com bolas altas nas pontas com menos velocidade ai a coisa é força... nessas situações eu colocaria a Mari e a Paula, já que ambas trabalham melhor o bloqueio e tem a mão mais pesada.

Dependendo nessa situação pode ate trocar a Fabiola, pq incrível que pareca ela é melhor com bolas rápidas e situações mais difíceis, ela erra um levantamento alto na ponta e na jogada seguinte ela se joga no chão e levanta uma chutada na outra ponta vai entender, mas nas bolas altas e lentas nas pontas a coisa complica um pouco para ela.

Em relação ao jogo de hj ainda via a Fabiana desligada em alguns momentos, pra mim a ade ainda esta a frente da Fabiana, mas entendo do pq o Técnico deixa a Fabiana jogando, além dela pegar ritmo de jogo ela precisa ter um entrosamento melhor com a Fabiola, coisa que as duas outras centrais já possuem pois jogam no mesmo time.

Oq eu acho errado é que o Time já tinha que estar definido, vou dar um exemplo o Sollys/Osasco precisou de quase o primeiro turno todo para ajeitar o time, principalmente bloqueio e defesa, ou seja foram alguns meses, tudo é treino e o Brasil já não tem esse tempo, já que sempre mudando as jogadoras muda a característica do time e elas batem cabeça com isso.

Welmer disse...

Bem Laura, parece que foi no Japão.

http://voleifemininoonline.blogspot.com.br/2012/06/sera.html

Leonardo disse...

Oi Laura, depois dos jogos contra Porto Rico e China acho que o Brasil esta’ indo no caminho certo… O Brasil quebrou a invencibilidade da China dentro da casa das adversarias. A China apesar de ja’ estar classificada p/as finais mesmo antes do inicio da competicao, por ser a sede das fase final, estava invicta ate’ enfrentar o Brasil. Apesar do esforco das chinesas p/ manter a invencibilidade, o Brasil teve forca mental suficiente p/ obter o resultado que precisava. Gostei dessa evolucao psicologica do Brasil: na hora de mostrar resultado contra uma equipe forte, invicta e dona-da-casa, o Brasil correspondeu. Importante tbem salientar que usando a tatica de revezamento das 2 liberos e’ que o Brasil tem se apresentado melhor pq uma nao deixa a outra se acomodar e ha’ tbem uma troca de experiencias e divisao de responsabilidades que faz com que o resultado no fundo de quadra seja melhor. Acho que o time desse jogo decisivo contra a China e’ o mesmo que o Ze’ pensa p/ estreiar em Londres. Como o ponto critico da selecao brasileira tem sido o fundo de quadra, penso que o Ze’ nao vai abrir mao de levar 2 liberos, pois o prejuizo iria ser muito grande se uma libero se contudisse e nao tivesse uma segunda libero a disposicao, e com as 2 atuando juntas, o Brasil tem feito suas melhores partidas. Queria saber oque esta’ acontecendo com o passe da Jack, nao sei se ela esta’ meio desconcentrada ou afobada, nunca a vi falhar tanto no passe, mas tenho certeza de que se ela “se ligar”, vai voltar a ser aquela passadora que todos conhecemos. Vejo que a selecao tem muito a evoluir ainda, e isso e’ bom, pois no estagio em que esta’ ja’ causou muito sufoco no EUA que teve muito trabalho p/ vencer, e acho que se o jogo fosse p/ tie break o Brasil venceria. Um ponto importante e’ o preparo fisico, o Brasil disputou varios tie-breaks e venceu todos: bom sinal! Penso que os principais adversarios do Brasil em Londres serao Italia, EUA e Turquia. EUA ja’ conhecemos, nao vai mudar muito. Turquia vamos ter a experiencia agora nas finais do GP. Agora a ITALIA vai ser dificil, pois as grandes estrelas nao enfrentaram o BRasil esse ano: Carolina Castagrande, Eleonora Lo Bianco, Valentina Arrgheti, Antonela del Core, PAola Cardulo, Simona Gioli, vao formar um Super-time, que ao meu ver sera’ a maior pedra-no-sapato das olimpiadas.