Invictus

No futebol costuma-se dizer que num clássico não há favoritos. No caso do vôlei, o clássico entre Unilever e Sollys/Osasco tinha sim um favorito, o time do Rio de Janeiro.

E como as equipes do Bernardinho raramente são pegas de surpresa, o Unilever confirmou sua superioridade e venceu o com propriedade o Osasco por 3x1.

*************************

O Osasco sofreu com o que deveria ser seu ponto forte: a recepção.  A linha de passe do time paulista comprometeu, o jogo da Carol ficou óbvio e o Unilever massacrou o time paulista no bloqueio. Verdadeira goleada: 21 pontos contra somente 8 do Osasco.

Enquanto isso, a Dani Lins teve sempre o passe nas mãos e fez uma grande partida. Distribui de forma inteligente, jogou com velocidade e explorou  muito bem as suas centrais que corresponderam à altura.

É impossível ignorar a excelente atuação da Jucy, melhor em quadra com todo o mérito. E, infelizmente, é impossível ignorar também a péssima partida da Jaqueline. Ela foi o reflexo do time que se perdeu nos próprios erros e que foi caindo facilmente na marcação do Unilever.
************************ 
Li críticas em relação ao banco de reservas do Osasco. Luizomar ficou sem opção para substituir a Jaqueline. Essa é uma verdade, mas é um problema que outros times também enfrentam em maior e menor grau.

Na verdade, o que mais me preocupou no fim deste jogo foi a forma como o Osasco se acanhou quando o Unilever “entrou em quadra” e foi agressivo. A equipe carioca se impôs até com certa facilidade. O Osasco é um time grande o sufciente e tem um elenco experiente e rodado, não pode sofrer de tanta falta de confiança assim.

Pê ésse:
Tá, o que foi essa derrota do Pinheiros pro Macaé? Foi só elogiar...

Comentários