E foi dada a largada...


A Superliga começou de um jeito diferente para o Unilever. O time do Rio de Janeiro experimentou logo na estreia o gosto da derrota. O algoz do campeão foi o recém formado Sesi que, apesar do placar de 3x0, teve que buscar a virada nos três sets.

Nem mesmo o desfalque da Elisângela foi problema para a equipe de São Paulo, que com Soninha, Sassá e, depois, a jovem Gabi deram conta do ataque, utlizando-se da habilidade para pontuar. O grande destaque foi o sistema defensivo que, mesmo sem contar com um bloqueio expressivo, conseguiu neutralizar os ataques de Sheilla & Cia.

********************** 

A troca de bolas invariavelmente favoreceu o Sesi, com uma defesa mais consistente e efetivo nos contra-ataques. No caso do Unilever, a defesa está longe do ideal. Percebe-se o posicionamento equivocado de algumas jogadoras e até falhas técnicas de movimento, como no caso da Venturini.

A veterana levantadora corre atrás do entrosamento com as atacantes, mas vejo problema maior em outros fundamentos, que exigem maior ritmo de jogo – e a defesa é um deles. O Unilever vai ter que esperar também o crescimento de Sheilla e Mari.

No final, o conjunto mais organizado venceu. E a vitória por 3x0 para o Sesi pode se configurar numa vantagem importante mais adiante na fase de classificação.

**********************

Demais resultados da 1ª rodada da SL:



Rio do Sul 0x3 Pinheiros



- O São Caetano deu trabalho para o Sollys/Osasco. Marcou bem as jogadas de ponta do Osasco, tanto no bloqueio como na defesa e aproveitou a tradicional sonolência inicial da equipe do Luziomar.  A teimosia da Fabíola na bola com as centrais desta vez deu certo. Se não fossem Thaisa e Adenízia pontuando, a partida tinha se complicado ainda mais.

- O Usiminas/Minas já de cara teve que usar e abusar de suas cubanas, principalmente da Herrera, na virada contra o São Bernardo, 3x2. Resultado nada bom para a equipe mineira que perde um ponto numa partida em que teria condições de ganhar 3.

- No Vôlei Futuro, a Sykora não jogou novamente. Na decisão do Paulista, foi uma boa opção do Paulo Coco colocar a Verê como líbero. Mas a Sykora tem que voltar às quadras para adquirir ritmo de jogo. Alguém mais está como medo de que o Coco teime e demore para colocá-la como titular?

Comentários