Brasil 3x2 China

Nesta Copa do Mundo, cada jogo é um drama para o Brasil. Contra a China não foi diferente. Foi novamente uma vitória muito mais fruto da superação do que da qualidade. E mais uma vez contou com a competência individual de algumas jogadoras, como a Paula e Sassá.

O resultado de 3x2 pode ser considerado normal pela qualidade do adversário e pela fase que a seleção passa. Certamente não é esse 3x2 que incomoda e atrapalha o Brasil na classificação da CM. O time brasileiro em condições normais, poderia ter vencido por 3x1 ou até mesmo 3x0. Mas temos que levar em consideração o momento atual. Sendo assim, foi uma grande vitória brasileira.
 
***************************
Está sendo comovente ver esse grupo lutar contra a má fase, tentando ao máximo não sucumbir. Os erros persistem, como as falhas no passe e a pouca agressividade no saque, mas a confiança voltou.

Hoje o bloqueio brasileiro, apesar dos 19 pontos, penou para marcar as bolas de velocidade utilizadas pela habilidosa levantadora chinesa. A Thaisa é que o diga. Não foram poucas vezes em que ela ficou perdida no meio do caminho no bloqueio.

O time chinês promete. Não é tão refinado tecnicamente como as gerações anteriores, mas está com um bom poderio de ataque. E mantém a tradição do jogo rápido e do uso contínuo das centrais.

***************************
O prêmio de MVP da partida certamente tinha que ter ido para a Paula (que foi nossa bola de segurança nos momentos mais importantes) ou para a Sassá (que foi justamente “premiada” pela Fabiana com o bicho de pelúcia recebido pela central como melhor jogadora).

É evidente a qualidade que a Sassá agrega ao fundo de quadra. O volume de jogo brasileiro dá um salto. Além, é claro, do passe. O único fundamento em que o Brasil leva desvantagem tendo a Sassá em quadra é o bloqueio. Nem o ataque tem sido o problema, já que a Mari, infelizmente, não está indo bem nesta função.

Ou seja, acho que está claro que ela deve começar a partida contra a Itália, que costuma ter bom volume de jogo. Vamos precisar manter a bola em jogo para fazer frente às italianas - que conseguiram boas vitórias contra China e Japão, mas vêm de uma sequência fácil de partidas.

Comentários