Amarelamos mais uma vez

Tenho que admitir que não esperava tanto sofrimento na decisão de Brasil contra Cuba. Apesar de ser um clássico, confiava na superioridade e no crescimento da equipe brasileira durante a competição.
Acontece que o Brasil foi muito irregular na final, sofreu com o saque cubano e praticamente não pôde contar com sua principal atacante. Discreta durante todo o Pan, Sheilla foi pouco acionada na decisão. Não sei se é algum problema físico ou questão técnica mesmo, mas a verdade é que desta vez ela não foi a protagonista da seleção.
*****************
 
Paula, Mari e Garay é que se dividiram na tarefa de levar o ataque pelas pontas, e Fabiana pelo meio. Garay entrou com personalidade na final e novamente se destacou. Só não concordei com a substituição do Zé, que a colocou no lugar da Paula, que vinha sendo a melhor atacante da seleção. Naquele momento, a Mari é que deveria ter saído.
E depois de tantas críticas, a Paula merece todos os elogios. Foi decisiva e guerreira. Tanto ela quanto a Mari foram jogadoras importantíssimas no Pan, sempre puxando o jogo e a responsabilidade para si.
*****************
Ao nosso adversário, só resta dar os parabéns. Valorizou demais a conquista do ouro. Cuba, aos poucos, tenta recuperar seu espaço entre os fortes do vôlei internacional. Não é mais aquela seleção super temida pelos adversários, mas volta a impor respeito pelo jogo e não só pela camisa. Os pontos fortes continuam os mesmos: a força no ataque e no saque (o Brasil que o diga). Mas os erros de recepção minimizaram e elas fizeram um jogo duro no bloqueio contra as brasileiras.
*****************
 
Havia a discussão se o Brasil deveria ou não participar do Pan com o grupo principal. No fim, valeu a pena. Não só pelo o ouro e a emoção de nos vingarmos da derrota contra Cuba em 2007. Nem mesmo pela atuação brasileira, que passou longe de ser brilhante.
Mas foi neste Pan que ficou claro, mais do que nunca, a força do grupo. As substituições têm feito a diferença e tem dado opções de composição ao Zé. E é esta força que tiramos de mais valioso do Pan.

Comentários