À espera do adversário

Unilever 3x0 BMG/São Bernardo

Que time bagunçado esse do São Bernardo! É tanto troca-troca durante a partida que não se sabe mais em que posição joga fulana ou beltrana. Será que alguém é capaz de dizer qual é a escalação titular? Acho que nem o treinador sabe.

Bom, e agora nem precisa saber mesmo. O Unilever eliminou o SB com facilidade, mas jogando bem mais ou menos.

Sem ser muito exigido pelo adversário, o Rio foi bastante desleixado. Poderia ter atropelado o time paulista jogando com qualidade. Acabou atropelando somente pela fragilidade que encontrou do outro lado.

*****************

Nos últimos jogos, principalmente nestes das quartas, a Valeskinha foi muito discreta. Contra um time baixo, o bloqueio dela deveria ter aparecido. Aliás, o bloqueio do Unilever na partida poderia também ter sido mais presente.

Não entendi a premiação da Dani Lins com o Viva Vôlei. Achei que ela fez uma partida ruim, não tanto pela distribuição, mas pela qualidade dos levantamentos.

Fora que desistiu da Mari muito cedo. A ponteira não começou bem, mas num jogo tranqüilo como esse, a Dani deveria ter insistido em colocá-la no jogo.

***************** 

Essa Jucy-Sheilla dependência é que o Unilever tem que se livrar agora nas semifinais. O adversário vai ser de outro gabarito e vindo de uma série bem mais equilibrada. Pode ser estratégia, mas acho que o time do Bernardinho perdeu a oportunidade de explorar outras opções de ataque e sair da previsibilidade.

Pê ésse:
- Análise interessante da Sheilla, pós-partida, quando o repórter perguntou se tinha preferência por algum adversário na semifinal. Foi algo do gênero: “tanto faz”, se for em BH ela vê a família, se for em São Paulo encontra os amigos. Ah, tá.

Comentários