O Mundial está de volta

16 anos. Foi em 1994 a última edição do Mundial de clubes feminino. Na verdade, esta de 2010, que começa na próxima quarta-feira, será somente a 4ª edição. Das três, duas delas foram vencidas por times brasileiros: 1991 pela Sadia e 94 pelo Leite Moça.

Lembro bem do Leite Moça, primeira equipe que comecei a torcer no vôlei. O time contava com metade da seleção brasileira na época: Fernanda Venturini, Ana Paula e Ana Moser. Ah, bons tempos...

 ************************

Deixando a história de lado, gostei que tenham reintroduzido o Mundial no calendário dos clubes. São confrontos diferentes dos habituais e tomara que o campeonato consiga criar uma tradição.

Claro que é mais uma competição para inchar o já apertado calendário das jogadoras, principalmente as de seleção. Mas é um desafio diferente, com outro apelo e o vôlei de clubes precisa destes atrativos.

************************

A gente sempre se pergunta como seriam os times brasileiros enfrentando as principais forças da Europa e esta é uma chance de tirar a prova dos nove.

O Sollys/Osasco pega logo de cara o Fenerbache comandado pelo Zé Roberto. Do outro lado da chave tem o italiano Bergamo, outro possível adversário numa semifinal ou final.

O Fenerbache é o favorito. Sai na frente de Osasco e Bergamo não só pelo elenco, que conta com Fofão e Sokolova, mas também pelo treinador.

O Bergamo não está bem no italiano, mas venceu o clássico contra o Pesaro no final de semana e é copeiro em torneios internacionais. Perde com a ausência de Lo Bianco.

 ************************

O Sollys tem condições de manter a tradição brasileira no Mundial e sair vencedor. Vai precisar usar o ataque da Thaisa e da Adenízia para não ficar tão dependente da Natália que certamente vai receber forte marcação, principalmente contra o Fenerbahce.

Mas acho que o maior problema do Sollys é o campeonato ser de tiro curto. Não pode demorar para engrenar. Enquanto as turcas e as italianas vêm com um ritmo de jogo acelerado, alternando campeonato nacional com o Europeu, a seqüência de jogos do Sollys não foi das mais “puxadas” na Superliga.

Pê ésse:

- Corrigindo: o Bandsports irá transmitir alguns jogos. O site Saque Viagem disponibiliza a tabela aqui. No site da competição é possível acompanhar os jogos ponto a ponto. Confira o site do Mundial de Clubes Feminino


Comentários