Brasil 3x0 Porto Rico

A seleção atropelou e ponto final. Há quase nada pra dizer sobre este jogo, a não ser a monotonia que foi assisti-lo às 4h30 da madrugada.

Como tem jogo inútil no Grand Prix. Esta rodada pro Brasil então é a pior. Depois de Porto Rico, enfrenta Taiwan. Aí vem outra questão: a repetição de adversários na fase classificatória. As brasileiras já enfrentaram Taiwan na primeira rodada. Milagrosamente, neste ano só este jogo se repetirá para o Brasil. Mas o normal é mais de um time aparecer duas vezes na nossa frente.

Cortem uma semana do GP e ele fica mais dinâmico e interessante.


*****************

E o Japão? Está em segundo lugar na classificação, com a mesma campanha do Brasil e da Polônia. Já venceu Itália, Polônia e Alemanha. Vai enfrentar de novo a Itália, agora reforçada, e estou curiosa para ver qual vai ser o resultado final desta vez.

Comentários

Carol Canossa disse…
O Grand Prix é divertido por conta dos inúmeros testes para os treinadores que jogos assim proporcionam. É um mal necessário, apesar de eu concordar que um formato mais dinâmico (ou mais jogos por aqui) cairiam bem...
Anônimo disse…
Pra mim, o principal problema do GP são as seleções fracas. Quando os organizadores irão entender que GP não é olimpíada, não é necessário ter representantes de todos os lugares. Enquanto Rússia e Cuba ficam de fora, Taiwan e Porto Rico dão seu ar da graça, ou não, no caso.

As vezes eu penso, com todo respeito, que Zé Roberto só tem merda na cabeça. Mari não é nenhuma santa, por vezes é insuportável com aquela sua cara, na verdade, mas de todas as ponteiras da seleção, ela é que merecia mais a titularidade. E vem o técnico e a priva de jogar para dar ritmo a Paula? E o ritmo da Mari?

Quando chegar a hora decisiva ele vai querer que ela jogue, e, muito possivelmente, ela fará a egipcia. Eu faria. Alooooooooooka mesmo. tava nem aí.