O Sino de Montreux é Nosso!


Finalmente consegui assistir dois jogos inteiros da seleção! Semifinal e final. Gostei, apesar de o torneio e os adversários brasileiros não serem os mais estimulantes.

Não tinha como o Brasil não sair de lá campeão. Vai embora da Suíça com o “troféu-sino” badalando na bagagem e, o mais importante, com alguns pontos positivos que valem a pena ressaltar:

- O bloqueio, fundamento que funcionou tão bem para um início de temporada

- O entrosamento da Dani Lins com as centrais

- A atuação da Fabiana

- A Mari voltando a jogar bem (ou seria Mári? Que acento é aquele escrito na camiseta?)

Foi bom ver, também, na final uma seleção brasileira mais homogênea, jogadas mais trabalhadas e o nosso sistema defensivo aparecendo em momentos importantes.

***************************
 
Observações inúteis

- Pela seleção italiana, a Ortolani é um caso estranho. Muito cheia de altos e baixos, nunca se sabe o que se esperar dela. Certamente veio com este grupo para ser a jogadora referência, a mais experiente (se formos considerar as passagens pela seleção). Mas as atuações que vi dela foram bem medíocres. Ela recebeu três bolas sem bloqueio para atacar e simplesmente as isolou.
 
- O troféu do Montreux - em forma de sino - ganhou em criatividade e inovação. Mas mesmo assim, não o impede de ser um dos mais feios que já vi.

- Por que o Brasil é sempre a única seleção que não coloca o abrigo do uniforme para receber a premiação? Não vou dormir pensando nessa questão...
 

Comentários

Edson disse…
Para alguns torcedores que diziam que sem Paula e Fofão o Brasil não seria o mesmo, quebraram a cara. Natália não fez feio ao substituir a primeira e tem tudo pra se firmar na seleção. As 'novatas' Lins e Tiemi corresponderam e desempenharam bons papéis. Pra quem também achava que Sheilla "minguaria" sem as bolas rápidas da Fofão, também quebrou a cara.

Falar da Fabiana hoje é até redundância. Ela é hoje a melhor do mundo e bola de serurança do Brasil.

O fato da Mari ter jogado bem não me surpreende nem um pouco. Algumas pessoas adoram "gongá-la", dizer que é "quineira" e demais coisas, mas ela é hoje ela é a ponteira de segurança da seleção. Pena que ao contrário das demais jogadoras, ela tem sempre que está provando que é uma grande jogadora. Nos primeiros jogos com a Tiemi, ela defendeu muito e atacou pouco, com a Lins fez as duas coisas bem, sem falar do block.

Gostei das observações inúteis. Fã de vôlei que se preze sempre onbserva os "algo a mais".

O acento da Mári deve ser para as pessoas pronunciarem seu nome corretamente. Lembro de uma entrevista dela em que a repórter italiana falava "Marí", e ela corrigiu: é Mári". Os franceses também tendem a falar Mari como oxítona. deve ser isso, não acredito que tenha sido um erro de confecção.

A Ortalini é muito irregular. è só assistir ao italiano e comprovar, a cada bola que acerta, ela erra duas. Sinceramente não sei se ela tem jeito. Marcon e Barcellini jogaram bem mais que ela. Já a Rondon lá, é boa. Mas entregou aquele terceiro set ao Brasil. Errou bolas fáceis. Acho que o saldo da Itália foi muito positivo.

E por último, mas não menos importante... O Brasil não coloca o agasalho por um motivo simples, o BB manda nas seleções e o logo do BB no agasalho é bem pequeno, deixando o patrocinador master quase impercepitível. Assim, elas ficam de uniforme mesmo.
Anônimo disse…
Vamos brincar de fazer os outros de idiotas?

Pois bem, mandem a Adenízia e a Thaissa pro UNILEVER - há 3 temporadas, o patrocinador da SNF do JAP - e veremos as 2 como centrais titulares da nossa SNF.

Porq?

Chovendo no molhado, parte 200:

Helinho/Bernardo sabem desmontar o q nao vai bem num/a atleta, e refaze-lo de forma moderna e altamente produtiva.

Vamos brincar de gastar dinheiro dos outros?

Sassá e Thaísa devem estar se perguntando: qual o dinheiro q nos fez de trouxas, prá virmos parar no OSASCO? Aliás, este time pode ser chamado de ROBIN, nunca de Batman.

Vamos brincar de comentaristas:

Falem qlqr besteira e em poucas palavras, e a tv os apresentará como "comentaristas".

É assim na política, na economia, no esporte, em religiao, em carnaval, em Copa do Mundo de futebol, etc.

1 bando de antas vomitando abobrinhas impertinentes a torto e a direito, c/ popudos granas de salário e "prestígio" ...
É mole?!

Qto a este festival, alhguem aqí bem disse q se nao melhorarem o "e$$$$$tímulo", vai cair no vazio total.

Concordo.

Todas as eqipes q lá se apresentaram, vieram desfiguradas, se comparadas ás últimas temporadas. Normal.

Mas, NED + ITA + GER ... essas podem enfiar suas respectivas violas no saco e cantarem noutro lugar.

A coisa tá feia - prá eles.

Ótimo prá nós.

Fabiane: de longe a melhor central do planeta, há 2 temporadas.

Inté,
Mg
Anônimo disse…
Eu acho que esse time B da Itália daria um banho no time A! Sem falar que essa levantadora nova dá de 10 a zero na Ferreti... arrisco dizer que até na Lo Bianco. Fez um jogo bom de se ver contra a seleção A do Brasil. Jogou com coragem, foi franco. Hoje eu dou todos os méritos para a garotada italiana.

Ainda acho que foi um desperdício o Brasil ter colocado a sua força máxima em Montreux. Eu queria ver Joycinha, Regiane, Brait e Adenízia jogando uma partida inteira. Quando a Paula e a Jaqueline retornarem, é provável que a Adenízia e a Regiane dancem, mas enquanto isso não acontece, nada de errado em dar rodagem para as garotas.

Esse lance de ir para a competição e não ser aproveitada uma única vez, como foi o caso da Brait, só para sentir o "clima" parece coisa de futebol.

Continuo achando que foi um tremendo disperdício de oportunidade não colocar esse povo para jogar em um torneio amistoso que o Brasil já entrou campeão. O Zé tem tanto medo assim de perder sets?

Nisso o Bernadinho está certíssimo. Ele barrou os veteranos para dar rodagem aos novatos na LM. É a prioridade nesse momento. Certo ele.

Logan
Anônimo disse…
O Brasil não foi pago p/ fazer uma apresentação no estilo Harlem Globetrotters e nem p/ treinar seleções B de outros países nesse torneio amistoso de Montreux, q precisa ser modernizado com placas de publicidade com espuma e um ginásio c/ teto mais alto, uma transmissão melhor, e um troféu menos cafona, diga-se de passagem. Sendo o N 1 do Mundo e Ouro Olímpico, tería q no mínimo ter aproveitado um pouco mais a sua utilidade além de apenas testar as novas levantadoras.
Entendo q aumenta muito o grau de risco trocar levantadoras e novas líberos ao mesmo tempo, mas pelo menos 1 jogo ZRG podería ter testado a Brait, desperdiçou, principalmente pq ficou evidente q a Fabizinha esta com deficiência na recepção. Outra q ficou abaixo da expectativa foi a Natália, suas bolas foram defensáveis e volta e meia soltava um belo de um avião. Os ingressos p/ a assistir o espetáculo são caríssimos, se a grande atração do evento foi o Brasil, não é mais do q direito fazer algumas exigências, senão enviaría um time juvenil p/ próxima edição ou outra solução é criar esse amistoso por aqui mesmo, com uma qualidade melhor e mais moderno.
Crowley.
Anônimo disse…
Please, who is Mara Leão????
LaCauda disse…
Não me surpreendi com o fato do Zé não ter usado as novidades. Ele não costuma fazer isso. Nos jogos mais fáceis ele só costuma colocar as novatas nos pontos finais. Era de se esperar.

Mas tb acho q essa era uma boa oportunidade. Daqui pra frente tem campeonatos mais importantes q aí sim ele nem vai colocar elas em quadra.
Anônimo disse…
Gente, agora teremos a copa Panamericana e enfrentaremos adversários do naipe de Canadá, Peru, Argentina... Essa sim é uma boa oportunidade de se usar as novatas. E pode ter certeza de que ele o fará.

JP
Anônimo disse…
Meu ex clube, o ECPinheiros de SP, fez o dever de casa e repatriou feras q, se nao sao o futuro, merecem o respeito de todos até na hora da aposentadoria.

E ao Cebola, meu amigo desde os tempos de Minas (ainda adolecentes), toda a sorte do mundo.

E assim, o Brasil, terrra de "corruptos, economia em frangalhos, gente q nao gosta de trabalhar" ... e outros adjetivos martelados pela mæidia corrupta diauturnamente, torna-se a melhor liga masculina do planeta.

No masculino e, se tudo andar como pinta, no feminino tmbm.

Qto ao Montreaux, vou me repetir:

1 - algumas eqipes vao melhorar, naturalmente, nada de novo.

2 - algumas eqipes expuseram o ridículo q sao enqto eqipes nacionais, sem os/as "estrangeiros", de seus clubes.

Uma coisa é clube forte (será?), outra coisa é ter plantel prá defender as eqipes nacionais.

3 - remendao? time carqerado? meia boca? falta essa e aqela? Pode ser tudo isso e mais qlqr outra bobagem.
Mas o BRA sobrou - venceu e convenceu.

Imagine focado, completo e em competicao de valor histórico.

4 - o BRA é o time a ser batido - nos 2 naipes.

5 - Bernardo, nao foi conservador, testou.

6 - Zé, ficou no "seguro e simples". Em Montreaux?

Me preocupa as SNM´s de base. Percy ocupa todos os postos ... isso nao vai dar certo. Pode ganhar, mas nao é o certo. Nunca!

Inté,
Mg
Anônimo disse…
hahahahaha
ri das observações finais...
eu tb me pergunto: pq não usar a Brait? Espero que nesse próximo campeonatozinho fraco,ele faça isso...
Anônimo disse…
Este próximo campeonato, acho que é a Copa Pan Americana, será transmitido por alguma rede de televisão?
muito bom o blog!
Anônimo disse…
E o mackenzie? alguém te noticia? Vi no MDV que Marcelle, Rizola e Arlene estavam nos planos do clube.

Vcs já leram a história da Mara Leão? Digna a menina.

Gabriel de Jesus
Anônimo disse…
Gabriel,
Onde posso ler a matéria sobre a Mara leão?

Gui
Anônimo disse…
LaCauda foi bom vc tocar no assunto dos Uniformes.

Toda essa mudança nos Uniformes, começou um pouco antes do Mundial do Japão, a FIVB junto com as confederações, preocupados com o declínio do público interessado no vôleibol, resolveu como medida de resgate e aumento do interesse pelo esporte, uma mudança estética nos Uniformes, acreditando q através de um apelo mais "erótico", tanto no masculino mas principalmente no feminino, a diminuição do tamanho dos Uniformes, deixando o corpo dos/das atletas mais a mostra, ajudaría a aumentar o interesse das pessoas pelo esporte. A partir desse momento foi q surgiu o uniforme maiô das Cubanas, o shortinho no estilo " É o Tchan" e o pior, as camisas sem mangas, q coisa mas feia. Na época da mudança, Ana Paula Conelly foi uma das q mais protestaram, e com toda razão, mas, como diz o provérbio, " manda quem pode, obedece quem tem juízo". Agora pergunto, mudou alguma coisa? Não. Na minha opinião, essa estratatégia do " apelo erótico" só serviu p/ tirar a identificação do esporte e vulgarizar o atleta, afinal maiô é uniforme de Natação, e na Natação, por sinal, a cada dia que passa, os maiôres cobrem cada vez mais o corpo. O problema do declínio do interesse esta basicamente no processo de identificação, o vôleibol passou a ser, e cada vez mais, esporte de gigantes, mulheres de 1.85m, 1.90m, 2 metros contituem um parcela mínima da população, acredito q já esta na hora do vôlei fazer que nem o Boxe e dividir por categorías, mulheres até 1.80m e homens até 1.90m, por exemplo. O processo de identificação é a melhor forma p/ aumentar o interesse das pessoas, o "apelo erótico" uma estratégia foi uma estratégia lamentável, bons tempos dos uniformes mais elegantes, q as atletas como a Ana Moser jogavam até de camisa com manga comprida.
Crowley.
Anônimo disse…
Que asneira, Crowley!
Separar as categorias por altura????? De onde vc tirou isso??
Anônimo disse…
Nada aver separar o vôlei por altura. O esporte se tornaria tão sem graça quanto boxe ou natação que tem milhões de provas/categorias. O vôlei está muito bem, cada vez sendo mais praticado, assistido, mudando regras pra evolução do esporte... não há pq fazer uma besteira dessa.
Anônimo disse…
Pq vc acha q a Takeshita com seus 1.56m faz tanto sucesso no Japão? E porque vc acha q o Japão não a substitui? É justamente o processo de identificação com o público q a faz tão popular.
Crowley.
eusou2567 disse…
OMG!
Eu não li isso. Que besteira dividir o esporte por altura.

Qual seria a graça de ver a baixinha Thais atacando sobre outras baixinhas?

Prefiro ver a Thais monstrinho passando pelo block de gigantes.

é mto mais emocionante.
Anônimo disse…
Não estou dizendo q sou a favor da criação de categorías, mas q provavelmente isso tornaría o vôlei um esporte mais popular e com mais audiência, o fato é q a altura do atleta tornou-se uma determinante nos resultados das competições, equipe de baixinhas, como Coréia, Tailândia, Japão nunca estão no Pódium, por mais habilidosas ou talentosas q sejam.
Crowley.
Anônimo disse…
No GE confirmaram o retorno do casal Jaqueline e Murilo ao Brasil para jogar, respectivamente, no Osasco e no Sesi.

Jaqueline é a filha pródiga que a casa retorna, mas eu não sei se isso é bom negócio. Tenho minhas dúvidas. Quer dizer, o time não terá problema algum com passe ou fundo de quadra. É provável que seja o melhor nesses fundamentos nessa SL. Mas o time terá o mesmo problema de ataque pelas pontas do Rexona há algum tempo atrás.

Três líberos em quadra? Sério? E um banco de reservas pouco interessante. Aposto que Natália, Thaísa, Adenízia e Carol Albuquerque (hahaha), nessa ordem, serão as maiores pontuadoras do Osasco!

E o Sanca falou alto, diz que ia fazer e acontecer... pra no final correr sério risco de ser, novamente, o terceiro da SL. Alguém, sinceramente, põe fé nessa equipe? Eu não! Por outro lado, o melhor banco de reservas é o do Sanca.

Logan
Anônimo disse…
O Luizomar e os gestores do Osasco, como sempre, são incompetentes e burros. Natália é a atual ponteira titular da seleção, eles, ao invés de aproveitarem isso, forçam a menina a ficar de oposta novamente. Deixam de aproveitar o potencial dela na ponta e ainda atrapalham seu futuro. Colocar em um mesmo time, uma Sassá que teve média de 4 pontos, e uma Jaqueline que ataca tõ bem quanto a antes citada, é, pra mim, um atestado de incompetencia. Quem vai atacar nesse time, Thaísa e Natália, só? Quero nem ver quando der a louca na Carol Albuerque e ela pensar: "se ninguém vira, eu o faço".

Pelo jeito, Rexona/Unilever vai ganhar, de novo.

Acho que a Blausiegel tem um time melhor que o da temporada passada, pelo menos anlisando peças individualmente, mas isso não garante sucesso. Por exemplo, a Bell pode não ser metade do que era, mas melhor que Dayse ela é, acho que isso ninguém discute. Acho que só com a cara ela já é melhor que a Dayse. Mari Paraíba e Ana Maria foram ótimas contratações para um elenco melhor. Elas podem até não jogar em si, mas um bom elenco serve muito mais do que só pra jogar. O treinamento que o diga. Pra mim, o problema do time ainda está no meio-de-rede, trocaram seis por meia-dúzia. Juciely é um pouco melhor que Andreia e Edna, mas Nati é inferior as duas, ou seja, não melhorou nada.

Acho que elas não irão perder jogos dos "grandes" com 3x0 vergonhosos, como na Superliga passada, mas daí a ganhar, só o tempo dirá.

Hoje teve a final do torneio entre seleções na Itália, a final foi Japão e Polonia, isso mesmo. kkkkkkk Polonia foi campeã. A Itália dita A, tomou pau de todo jeito, inclusive um 3x0 da mesma China que a Itália B havia vencido a uma semana. Mistérios que só Itália nos proporciona. Estilo ganhar uma Copa do Mundo atropelando todo mundo e perder para as desacreditadas americanas nas olimpíadas.

Mário, RJ.
Giovanna disse…
Este próximo campeonato, acho que é a Copa Pan Americana, será transmitido por alguma rede de televisão? /+1
thiga-sp disse…
Amigos do blog, boa tarde!

Algumas pitadas: Volei subdividido em categorias...não gosto de nada que seja sub isso ou sub aquilo. No meu entender quando se fala em alto rendimento se refere as melhores na modalidade, se no fim das contas as gigantes são as melhores, acho que é isso que o público gostaria de ver. A questão do interesse do esporte passa por questões muito mais administrativas do que técnicas. O problema se dilui entre divulgação, transmissão e seriedade nas categorias de base. No Brasil desde o final dos anos 80 vivemos um período onde o que importa é a seleção, deixando os clubes em segundo plano. se por um lado toda esta "profissionalização" de nossas seleções resultou em excelentes resultados nos torneios internacionais, os clubes foram cada vez mais esquecidos e abandonados.
Uniformes??? Acho que melhoraram, esteticamente gostava muito dos Suquinis usados nos anos 80 pelas mulheres. No meu entender valorizavam o corpo, nada mais que isso...sem essa de apelo erótico.
São caetano...A equipe do meu amigo Mauro Grasso não vai entrar prá brincadeira na SL. Entendo que com o plantel está mais forte e equilibrado do que no ano passado. a grande questão será a disposição da Mari em realizar no clube o que faz na seleção. Se isso for resolvido o Azulão é candidato nos mesmos níveis de Unilever e Osasco.
Nathália: Mário, com todo respeito as suas opniões, me permita discordar sobre esta menina. Nos últimos 2 anos tive a oportunidade de enfrentar por 9 vezes a Nathália, e no meu entender ela rende muito mais quando joga de oposta. Entendo que o Zé pretenda fazer dela uma ponteira, até pela própria carência da posição, mas precisando passar vai demorar um pouco mais para ser uma estrela. Como oposta é um verdadeiro "pau de bater em doido", impossível de segurar...Desta vez eu acho que o Luiz está formando uma equipe bem mais equilibrada, pois com Brait, Jaqueline e Sassá, a Carol vai deitar e rolar com Thaissa, Adenizia e a própria Nathalia...é só uma opnião.
A todos um ótimo domingo!!