O Misterioso São Caetano


Fico em dúvida se posso dizer que a vitória do Pinheiros sobre o São Caetano foi uma surpresa ou não. Se formos analisar os nomes em quadra e seus respectivos potenciais, sem dúvida a vitória contrariou a lógica. Porém, se conhecemos o histórico recente do São Caetano, então, não foi nada fora do normal.

O São Caetano tem sido chamado de favorito ao título por contar com nomes importantes, mas na prática ainda não demonstrou em nada seu favoritismo. Perdeu para os seus principais adversários (Finasa e Rexona) e para aqueles que, teoricamente, estariam abaixo da sua força (Brusque e Pinheiros). E o mais importante: perdeu jogando mal, sequer foram jogos disputados.

*********************************

Qual será o mistério desse time que não consegue se firmar? Pelos relatos de vocês e pelos resultados obtidos, parecia que tudo estava se acertando e a equipe engrenando. Mas dá um passo atrás ao perder por Pinheiros.

Não vi o jogo, mas o que se pode concluir é que o São Caetano AINDA não está bem organizado taticamente - enquanto todas as outras equipes já estão anos-luz a frente nesse quesito. Se estivesse no mínimo organizado, passaria fácil, pois não há comparação de elenco. Um time com Mari, Sheilla e Fofão tem que passar por cima de um com Thais, Fernanda Garay e Roberta.

*********************************
 
Parênteses

O Pinheiros tem a tradição de ser um time organizado, bem treinado mas que sempre sente a falta de um ou dois nomes de peso que façam a diferença contra as equipes mais fortes (quando digo de peso não me refiro a Patrícia Cocco. Essa nos últimos anos em que jogou lá era, literalmente, uma jogadora de peso). Esse ano não é diferente. Vai chegar na hora decisiva e sentirá a falta de mais poderio individual. Porque treinador, tem.

Gosto muito do trabalho do Paulo Coco. Quando o Finasa resolveu dispensá-lo e trocar pelo Luizomar de Moura, achei que foi um erro. Não sei se o clube queria mudar um pouco os “ares” já que o Paulo é discípulo do Zé Roberto e ambos estavam bastante tempo lá. Ou seja, queriam trazer uma nova forma e idéia de trabalho.

De qualquer forma, lamento que o Paulo Coco não esteja no comando de uma equipe mais forte como o Sanca ou, até mesmo, o Finasa (mantendo ainda minha desconfiança em relação ao Luizomar...).

Comentários

Anônimo disse…
No caso do SC, com a saída do Rizolla, vamos ver se o problema do time é de jóquei ou de cavalo (com todo respeito).

No caso do Pinheiros, é um time que admiro. Pena, mesmo, que não tenha um pouco mais de recursos para formar times mais competitivos.

E quanto ao Paulo Cocco, assino embaixo. É mais jóquei que o "perdedor conformado" do Luizomar.
Anônimo disse…
Realmente Paulo Coco é bom.Quem sabe se tivesse no Sanca a história seria diferente.Mas poxa,a questão é bem mais complexa.O São Caetano se formou recentemente com o trio de ouro.Temos que ter bom senso.Com exceção de algumas peças,Rexona e Finasa estão com o mesmo conjunto há muito tempo,e isso com certeza faz a diferença.Questão de comissão técnica,estrutura,jogadoras "coadjuvantes" relativamente boas que seguram a barra,etc. Afinal,Paula Pequeno,por exemplo,também não vem apresentando seu melhor voleibol e muito menos sendo regular.Isso é fato.O problema do Sanca tá na raiz,é um time que não é time de verdade ainda...Não é à toa que Finasa e Rexona sempre se enfrentam nas finais.Enfim,não sei se dá pra esperar grande coisa do Sanca.Foi criado um favoritismo errado em torno do time.Não sei o que quer o patrocinador de fato. Vale ressaltar,mais uma vez,que as meninas campeãs olímpicas (todas)devem estar mortas de cansaço,não é verdade?!


P.S.: Paulo Coco infinitamente melhor que Luizomar.
Laura disse…
Anônimo, tens razão. A grande verdade é essa: foi criado um favoritismo errado e exagerado em torno do SC.

O que o patrocinador quer é tirar o máximo possível em uma, duas temporadas. Não tem cara de ser um projeto, é bem mais oportunista.
Anônimo disse…
Patricia Cocco era a única jogadora de "peso", literalmente, do Pinheiros anos atrás. Hoje, ela seria uma top model perto de algumas figurinhas que andam enfeitando a Superliga. Cfme. já foi escrito neste blog, tem gente que confunde as coisas, e acha que não cuidar do próprio físico é sinal de que o esporte é democrático. Nada disso. Isso é falta de profissionalismo.