Que equilíbrio, cara pálida?

Mais um pra lista dos jogos pseudo-equilibrados: São Caetano 0 x 3 Rexona.

Nem vale a pena mais comentar o São Caetano porque será chover no molhado.

O Rexona, por sua vez, já está com cara de time: bem entrosado e taticamente bem posicionado. A Dani Lins mostrou segurança e a Joycinha foi o destaque no ataque e bloqueio. Ainda é cedo para ver se, quando a equipe for realmente testada e pressionada, ambas jogadoras e mais a Regiane manterão um bom desempenho.

*************************


Falando da Joycinha, ela recebeu, com justiça, o prêmio Viva Vôlei de melhor jogadora da partida.

Joycinha tem 24 anos, idade com a qual tantas outras de sua geração já são titulares da seleção. Ela está um pouco atrasada. Não é de hoje que ela tem sido considerada uma promessa. Mas até o momento, ela não tinha estado num ambiente que lhe favorecesse a confirmar tal expectativa.

Não há melhor desafio para ela do que jogar no Rexona. A própria jogadora, ao final da partida, comentou que no Rexona ela vive uma situação diferente: a responsabilidade é maior e ela tem a obrigação de pontuar. Já era tempo.


 *************************


Tenho boas esperanças em relação a ela, exatamente por estar nas mãos do Bernardinho. Ele tem realizado - nos últimos anos - transformações especiais: jogadoras novas que crescem e amadurecem com sua ajuda. Boa safra dos novos nomes da seleção veio do trabalho com o Bernardinho: Fabiana, Thaísa, Fabi, Jaqueline, Sassá.

Todas deram um salto de qualidade ao treinar com ele. A Dani Lins é outro exemplo de crescimento nas últimas temporadas desde que se mudou para o Rexona. Tomara que a Joycinha seja mais uma a se unir a esse grupo.




*************************


Eu aumento, mas não invento!
 

Rizola, técnico do Sanca, disse ao final da partida que suas jogadoras olímpicas – Mari, Sheilla e Fofão - precisam de descanso. Minha dúvida: na semana do Salonpas, elas não estavam de “folga”? Pelo que eu saiba, sim.

Ou será alguma cutucada no patrocinador que exige a presença delas em tudo que é canto, seja jogo ou exposição de arte e não dá uma brecha para descansar?

Ou será que sou eu tentando criar uma fofoca em cima de tudo isso, baseada única e exclusivamente na minha imaginação?

 

Comentários

Anônimo disse…
Não é descanso q elas precisam, é de um técnico q arme o time bem taticamente.Pra começar,uma pergunta: se a Suellen joga bem assim,imagina ela mais magra hein?
Poxa,parece q elas não treinam..A Mari melhorou muito na recepção mas no ataque não tá bem..será coincidência? ela tá sobrecarregada e a Sheilla sempre foi irregular nos times! outra coisa,no jogo de ontem a Fofão distribuiu muito mal,custava ele colocar a Ana pra jogar mais um pouco? Será q as 3 não podem ir pro banco um pouco mais? depois falam q estão cansadas...brincadeira viu?! E o Rexona tem q melhorar muito ainda para ganhar mais uma SL,espero q o Bernardo consiga!!! Vou torcer muito!!!
Anônimo disse…
LaCalda, quero ver algum reporter desses aí perguntar pro Luizomar ou pro Bernadinho se as olímpicas deles estão precisando de férias. Enquanto Sheilla, Mari e Fofão tiveram folga no Salonpas, por exemplo, o restante das olímpicas estavam se matando dentro de quadra num torneio rápido, porém muito desgastante... as meninas do Finasa ainda precisaram tirar forças sei lá de onde para se recuperarar de duas derrotas seguidas.

E você pode ter certeza que a pressão por vitórias e títulos em Osasco é muito maior que nos outros times.

A verdade é que Paula Pequeno, Thaísa, Sassá, Carol Alb, Fabiana e Fabi jogaram muito mais partidas que Mari, Sheilla e Fofão depois que a seleção encerrou os compromissos deste ano.

O Sanca virou um time marketeiro: muita publicidade em torno, principalmente, de uma dupla de atacantes muito caras e fotogênicas. Tudo para vender remédios num país cheio de hipocondríacos e de gente que tem o hábito de se auto-medicar. Organização técnica, tática, estrutural e logística que é bom, necas. E nessa história quem agradece é o Finasa e o Rexona que terão uma vida mais tranquila dentro de quadra rumo às finais da SL.
Anônimo disse…
A saída da Mari e da Sheilla do Pesaro foi um erro...Não pelo dinheiro que receberam né,mas tecnicamente falando...Deixar-se comandar pelo Rizolla à essa altura do campeonato? Era melhor que ficasse com o Zé! Não acho que é salto alto por parte delas,e também não acho que elas querem aparecer na mídia como algumas ex-jogadoras da seleção,mas parece que não estão se empenhando tanto para a conquista da SL.Acho,aliás que o patrocionador nem quer isso,quer é ver sua marca aparecendo (como está acontecendo).Falando agora tecnicamente,o problema do Sanca,como li em algum lugar,é que Mari,Sheilla e Fofão são o tripé do time,enquanto que no Finasa e Rexonas,outras podem segurar a barra!!! Infelizmente foi criada uma enorme expectativa em torno do time por causa da "tríplice trindade" e toda essa expectativa está atrapalhando de certa forma! Vamos ver no que vai dar essa SL,que com certeza é mais comentada de todos os tempos...Espero que melhore ainda mais!
Anônimo disse…
Se continuar assim,vai ser a Superliga de sempre: Rexona x Finasa na final.Pobres de nós que acreditamos que seria uma competição mais equilibrada.É uma pena,queria muito que mudasse essa história,mas o São Caetano,além de tudo,está sem garra nenhuma.Sinto muito em dizer,mas o Rizolla é muito fraco.Não sei se é mais fraco que o Luizomar,tenho minhas dúvidas,mas com um pensamento desse aí,não se espera grande coisa do time e seu técnico.
Lamento pela Mari porque os corneteiros já estão metendo o pau nela.É muita perseguição,minha gente!
Leebraz disse…
A outra titular de Pequim, Paula Pequeno também não está jogando nada, então algo aí tem. Sassá, Carol A. e Thaisa não foram tão exigidas fisica e mentalmente na Olimpíada. Só Fabizinha e Fabizona, que andou sendo poupada, escapam da "má fase".
Anônimo disse…
É verdade mesmo,a Paula não está bem também.Mas é aquilo que já foi dito,o Finasa não é tão dependente da Paula,pelo menos no momento(diferente das 3 do sanca).As outras que estão se destacando foram reservas,com exceção da Fabi.E por falar nisso,como está a Walewska na Rússia? Ninguém tem falado nela...
Laura disse…
Cris, concordo com vc em relaçao a saída da Mari e Sheilla do Pesaro. Nem só pelo treinador, mas pelo nível do campeonato que puxaria muito mais por elas.

Realmente o SC está superdependente do trio. Acho que no fim, o jóquei do Rexona (o Bernardinho) é que vai fazer diferença, e não os "super" elencos.