Paulicéias


Quem olhasse os confrontos da semifinal do Campeonato Paulista, certamente apostaria numa grande partida entre Finasa e São Caetano. Afinal, são duas equipes que colocam à quadra sete campeãs olímpicas. Só que foi a outra semifinal entre Medley/Banespa e Pinheiros que, de certa forma, encheu os olhos.

Foram duas grandes partidas - principalmente a primeira - bem jogadas e com um time jovem com toda disposição de surpreender. O Medley/Banespa pecou exatamente por sua juventude, se precipitando ou errando nos momentos cruciais. Se contasse com uma melhor levantadora daria muito mais trabalho. Vai ser um time chatinho de se bater na Superliga.

 ***************************
Já no outro confronto - o “das estrelas” - foi aquele mesmo show de erros e irregularidades que foi mostrado no Salonpas. Já que não havia participado desse último torneio, o São Caetano resolveu ser o dono do espetáculo de terror.

Deixando de lado o meu exagero, não há como negar que Sheilla e Mari estiveram abaixo de suas qualidades. A primeira no ataque (apesar de alguns lances de craque) e a segunda, no passe. Aliás, nesse fundamento toda a equipe teve um desempenho ruim, nem a líbero se salvou.

 ***************************
Se pudesse contar com a presença da ponteira Taís (que não jogou por estar lesionada), talvez o Sanca tivesse um desafogo no ataque. Mas ainda sim precisaria muito mais para vencer o Finasa. O time não fazia nem cócegas no bloqueio, diferente da equipe de Osasco que montou paredões com Natália e Thaisa.

O Sanca fazia um esforço enorme para pontuar e não conseguia dar continuidade ao seu jogo, errando saque ou desperdiçando contra-ataques. Falhas constantes que irritam até quem não é torcedor da equipe. Ainda bem que é só o começo de um trabalho. Potencial tem de sobra e vamos esperar que o tempo ajude no entrosamento.

 ***************************


Pessoal, não é o momento...

Durante estes jogos muitas vezes a transmissão pega momentos um tanto inusitados e que, digamos assim, não combinam muito com o ambiente de competição.

No primeiro jogo entre Banespa e Pinheiros, a partida estava no tie-break (se não me falha a memória...) num momento bem equilibrado e disputado. Estava aquela tensão, ponto a ponto e coisa e tal. Aí a central Luciane do Banespa fez a sua parte no saque e saiu de quadra. Sentou-se no banco ao lado da auxiliar do time. De repente a câmera filma as duas mostrando as mãos uma pra outra, num gesto típico de mulher quando comenta a cor do esmalte. Era o que parecia. Mas seja lá o que for, foi engraçado ver que enquanto o time se concentrava e se preocupava com um momento importante do jogo, as duas pareciam bem “a parte” do que estava acontecendo.

Outro episódio foi no jogo do São Caetano e Finasa, também na primeira partida. O Sanca estava perdendo feio em um set e o Rizola colocou a Clarisse pra sacar. Ela foi lá fez sua parte, deve ter sacado uma ou duas vezes e saiu. Quando passava pelo banco cumprimentou alguém da comissão técnica vibrando, toda animada. O Finasa passando o rodo e ela feliz da vida com a passagem pelo saque. Também outra “a parte” do que estava acontecendo em quadra. Acho que ninguém avisou a ela como tava o placar. Afinal, ela comemorava o quê? :o)

Comentários

Aline Duarte disse…
Não vi o jogo do Banespa, mas tenho certeza que perdi um jogão.
Tipo, o negócio da Clarisse ter voltado pro banco feliz, poxa, tava no direito. Com todo aquele time de estrelas, ela era a reserva da reserva. Entrou no jogo em uma hora difícil e fez toda a diferença. Eu também sairia rindo atoa, mesmo com aquele placar.
Infelizmente não se pode ganhar um jogo sozinha, mas se isso fosse possível, ela ganharia.
Unknown disse…
Nossa eu ainda estou admirada, pelo São Caetano nao ter si encontrado em quadra, ate pq faz um tempo q estao juntas era pra pelo menos nao estarem cometendo esses erros bobos mais enfim nada e perfeito hehehehehe

*-*
Anônimo disse…
Aline, é claro que estou implicando com a Clarisse, ela tem td direito de ficar feliz. Só achei engraçado q ela estava na contramão do q o time tava passando. Depois, no segundo jogo ela foi mt bem! Pena o resto do time não estivesse no mesmo nível dela.
Laura disse…
Anne, obrigada por me avisar sobre o Roda de Vôlei. Realmente foi mt legal, bem engraçado. As duas estavam mais a vontade e a Mari é sempre uma boa entrevista!
Anônimo disse…
Com as jogadoras que têm, o SC tem que pelo menos chegar à final da Superliga. Menos que isso e o Rizolla verá sua biografia manchada. Nunca mais deitará aquele bigodão no travesseiro com tranquilidade de alma.