Hora de Crescer


A Copa Brasil reuniu em Curitiba, no final de semana, as principais candidatas ao posto de levantadora na seleção brasileira. Dani Lins (Rexona), Fabíola (Brasil Telecom) e Ana Tiemi (Finasa). Sempre considerando, claro, que Carol Albuquerque irá assumir a primeira vaga.
 
Das três, Ana Tiemi é a que sai em desvantagem. Não digo por condição técnica, mas por não comandar um time, não ser a titular. Sei que ela costuma entrar muitas vezes no jogo, em momentos complicados, mas não é a mesma coisa. Tanto Fabíola como Dani Lins estão com uma responsabilidade maior: têm um time em suas mãos.

*******************************

Fabíola já há algum tempo tem buscado exatamente isso. Deixou de ser a reserva de um time importante para assumir a titularidade em equipes menores. Saiu do Minas e rumou para o São Caetano. Fez parte de um time jovem, sem qualquer pretensão, mas onde ela teve a oportunidade de comandar a equipe.
 
Dani Lins vem penando nas últimas temporadas com o Bernardinho no seu cangote o tempo inteiro e com atuações irregulares. Assumiu uma responsabilidade enorme jogando por um dos principais times nacionais, mas resistiu e cresceu muito. Tanta pressão tem valido a pena.
*****************************
 
O grande pecado de Ana Tiemi é continuar como reserva no Finasa. Ela deu um passo pra trás quando saiu do Minas onde era titular e foi para a reserva da equipe de Osasco. Pode ser até que roube a posição de titular, pois tem talento pra isso e a Carol não é nenhum exemplo de regularidade. Mas ainda acho que, mesmo que fosse por um time pequeno, ela deveria jogar como titular.
 
Quando Fernanda Venturini se aposentou da seleção em 2004, o nome de Ana Tiemi já vinha sendo falado como uma jovem promessa que poderia ocupar a posição. Nestes quatro anos, ela sequer foi convocada pelo Zé Roberto para treinar com a seleção. Mesmo muito jovem, ao final de 2008, sinto que ela poderia estar em um estágio mais avançado.
Chega um momento em que a fase de observação e aprendizagem tem que acabar e passar para a prática. A experiência, viver os momentos de tensão, assumir uma grande responsabilidade só se consegue jogando.

Comentários

Deco disse…
Para mim, essa Ana Tiemi vai ser uma eterna promessa - alguém de quem se fala (e espera) muito e que nunca confirma as expectativas. Se o Zé quiser achar uma substituta para Fofão, deve olhar para a galerinha mais ou menos - Albuquerque, Fabíola, Dani Lins - e torcer para que na novíssima geração surja alguém digno de convocação.